OPORTUNIDADES INESPERADAS - DIVINAS BUNDAS!


Click to Download this video!
Um conto erótico de O BEM AMADO
Categoria: Heterossexual
Data: 10/02/2019 22:59:49
Nota 10.00

Mesmo não sabendo explicar as razões, homens são tarados por bundas! E o brasileiro mais que todos, certamente! Eu não fico atrás, embora precise confessar que adoro peitos (além de lindos, são deliciosos!), e, de qualquer maneira, bundas também são lindas e suculentas …, agora, imagine quando você se depara com a bunda mais linda e perfeita que seus olhos já tiveram a oportunidade de ver (e não apenas de ver!), e você sente o sangue ferver nas veias e todo o tesão do mundo desabar sobre você?

Bem, recentemente, foi isso que aconteceu comigo; estava indo para casa, logo pela manhã, após deixar minha esposa no trabalho, pois eu aproveitava uma folga oportuna, quando vi uma silhueta que se destacava não apenas para o meu olhar, como também para meu desejo de macho.

Era uma mulher baixinha, de cabelos ruivos, com um corpo bem fornido, usando roupas brancas, o que denunciava que ela devia ser enfermeira ou algo parecido; e pelo horário, ela terminara um plantão noturno. E sua bunda parecia mais que linda, especialmente pela forma deliciosamente insinuante, destacada pela calça branca apertada que a realçava ainda mais!

Diminui a velocidade querendo observar melhor aquela escultura viva, chegando a emparelhar com ela, que me olhou com o canto dos olhos, fingindo que eu não existia; pensei que poderia, simplesmente, cair fora e abandonar a ideia de uma conquista logo pela manhã …, todavia, aquela bunda era por demais tentadora, valendo a pena correr todos os riscos.

Assim, avancei um pouco mais, estacionei o carro e desci dele, esperando que ela se aproximasse de mim; ao me ver de pé ao lado do carro, em plena luz do dia, ela pareceu tranquilizar-se, diminuindo o passo e abrindo um sorriso discreto. Observei-a com mais cuidado; devia ter pouco mais de sessenta anos, sem aparentar, cabelos ruivos (pintados) curtos, rosto sem rugas, um metro e sessenta de altura e um corpo delineado, onde a cintura e as nádegas eram o destaque.

-Bom dia – eu cumprimentei com um sorriso franco.

-Bom dia – ela respondeu com uma voz pequena e levemente juvenil – Você estava me seguindo?

-Sim, estava – respondi sem medo – Acho que depois um plantão cansativo, você aceitaria uma carona …

-Carona? Para me levar para onde? – ela perguntou com um tom de ironia.

-Isso depende de você! – respondi, sem perder o rebolado – Afinal, é apenas uma carona, não é?

-Que bom! Estou realmente cansada – ela disse abrindo mais o sorriso – Então, você me leva pra casa?

Não respondi, apenas abri a porta do carro; ela entrou e eu parti pedindo orientação para o destino. Nos apresentamos; seu nome era Lucrécia, tinha sessenta e dois anos, era enfermeira, solteira e morava sozinha …, jamais se casara porque achava que a instituição estava falida …, enfim, era uma mulher interessante.

Lucrécia morava em uma rua em declive, que ficava nas proximidades, e sua casa era uma construção horizontal antiga, com umas quatro casas enfileiras uma atrás da outra, ladeadas por um corredor estreito e cheio de vasos de plantas; sua casa era a do fundo, pois ela dizia que não queria que os inquilinos a perturbassem. Assim que estacionei, voltei-me para ela, observando seu sorriso levemente insinuante.

-Muito bem …, e agora? Você vai me convidar para um café? – perguntei, sem demonstrar ansiedade.

-Café? De jeito nenhum! – ela respondeu ampliando seu sorriso – Mas, calma eu explico: a única coisa que eu quero hoje é tomar um banho reconfortante e dormir muito …, mas …, se você quiser e se esse negocinho no seu dedo deixar …, podemos marcar algo para quinta-feira …, pela manhã, é claro …, o que você acha?

-Claro que sim! – respondi acariciando a aliança em meu dedo – E eu? Trago alguma coisa para o café?

-Apenas você está ótimo! – ela respondeu, enquanto descia do carro, me dando as costas.

Fui para casa pensando …, ou melhor, sonhando com aquela bunda divina! E os dias se arrastaram, até que, finalmente, a quinta-feira chegou! Agi como de hábito, tudo para manter as coisas dentro da rotina, e encontrei com Lucrécia no mesmo lugar de antes; desta vez, ela estava com um vestido florido com um delicioso decote e com a barra cima dos joelhos (bem acima, quero dizer!).

-Bom dia, meu querido – ela disse assim que entrou no carro – Então …, vamos para casa …, tomar um café?

Acenei com a cabeça enquanto partia na direção combinada; elogiei o vestido, ao mesmo tempo em que perguntei porque não estava de uniforme. Lucrécia deu um sorriso antes de explicar a razão:

-Normalmente, eu saio do trabalho já com roupas trocadas …, aquele dia que nos encontramos, eu estava tão cansada que preferi sair assim mesmo …, quer dizer que você gostou?

-Você está um tesão – respondi com um sorriso, olhando para ela que também sorria.

Logo, chegamos ao nosso destino; enquanto descíamos do carro, Lucrécia me pediu que fosse o mais discreto possível, já que seus inquilinos adoravam alcovitar a vida alheia …, especialmente a dela! Concordei e atravessamos o corredor em silêncio. Ela abriu sua casa e assim que entramos ela fechou a porta, e acionou o ar-condicionado, pois estava uma manhã bem quente.

Sem rodeios, Lucrécia livrou-se do vestido, ficando apenas de calcinha e sutiã, exibindo suas formas roliças e bem distribuídas; fiquei extasiado ao vê-la dirigir-se para a cozinha, balançando aquela bunda maravilhosa. Com muita desenvoltura (como se eu não estivesse presente), Lucrécia preparou um delicioso café e me convidou para saboreá-lo em sua companhia. Nos sentamos à mesa e sorvemos a bebida quente, acompanhada de croissants de micro-ondas e manteiga fresca. Eu não sabia o que era mais delicioso: o café, ou aquela mulher exibindo-se para mim.

Depois do café, nos sentamos na sala, em um sofá de tecido que parecia um pouco velho, mas muito confortável; enquanto conversávamos, Lucrécia pousou seus pés sobre a minha virilha esfregando-a com sutileza; e minha virilidade veio a tona, com uma ereção que ela podia sentir e massagear.

-Hum, que pau duro! – ela comentou, com um sorriso safado – Você está muito vestido pro meu gosto …, porque não fica a vontade …, afinal, estamos só nós dois aqui!

Não perdi tempo e também me livrei da roupa tornando a sentar no sofá; Lucrécia passou, então, a massagear meu pau com seus pés, simulando uma masturbação lenta e gostosa.

-Você gostou do meu corpo – ela perguntou, em um tom de safadeza pura.

-Claro que sim – respondi também sorrindo – Você é muito gostosa!

-Como é que você sabe se sou gostosa? – ela devolveu, esfregando ainda mais o meu pau – Você não me provou! Olhe, vou fazer o seguinte, eu vou ficar de quatro de costas para você …, você tira a minha calcinha e vê se sou gostosa …

-Do jeito que eu quiser? – perguntei ansioso.

-Do jeito que você quiser – ela respondeu, tomando a posição anunciada.

Esperei que ela ficasse de quatro e de costas para mim e, imediatamente, puxei sua calcinha para o lado, dedilhando sua bucetinha que já estava toda melecada; Lucrécia deu um gemidinho e balançou aquele traseiro exuberante; prossegui dedilhando a danada, enquanto que, com a outra mão apalpava aquelas nádegas suculentas, quentes e firmes.

Aos poucos, fui separando o vale que escondia a grutinha molhada e aproximando minha boca daquela coisinha brilhante; no momento em que comecei a passar a língua na região, minha parceira gemeu, controlando-se para não despertar atenção, mas deixando claro o quanto estava gostando daquela carícia. Lambi toda a região, e, algumas vezes, me detinha no clítoris apertando-o entre os lábios e deixando Lucrécia a beira da loucura. E eu me quedei naquele sexo oral que, para mim, poderia jamais ter fim!

-Affff! Isso é muito bom! – ela sussurrou entre os lábios – Mas, eu quero rola! Vem …, vem me foder com esse pau grosso! Vem!

Ali mesmo, no sofá, eu fiquei de joelhos e com a ajuda dela separando as nádegas portentosas com suas próprias mãos, abrindo caminho para que eu a penetrasse, o que fiz, enterrando minha pica dentro daquela buceta melecada com dois golpes vigorosos, fazendo Lucrécia enterrar o rosto no tecido do sofá para sufocar seu gemido.

Comecei a golpear com movimentos de vai e vem intensos e rápidos, aumentando o ritmo o mais que me era possível e fazendo minha nova parceira gozar como louca! E ficamos naquela foda insana por algum tempo …, até que …

-Ah! Que gostoso! Ai! Gozei de novo – ela balbuciava com certa dificuldade – Agora, chega! Mete no cu! Mete no cu!

Lucrécia abriu-se ainda mais, exibindo seu selinho que piscava como louco; saquei a rola e segurei-a pela base, apontando na direção do precioso; como a rola estava bem babada, a penetração não foi difícil, e eu percebi de pronto que minha parceira era muito chegada em um sexo anal. Estoquei aquele cu com vigor, deixando minha parceira ensandecida com uma nova sequência de orgasmos, comemorados sempre com o som abafado sobre o sofá.

-Não para! Não para – ela dizia com voz quase engasgada – Tira do cu e mete na buceta! Isso! Assim! Agora me fode …, fode …, agora, tira da buceta e mete no cu! Isso! Que gostoso! Vai assim!

Obedecendo ao desejo de minha parceira, eu enfiava a rola no cu, bombava e depois sacava, enfiando na buceta …, que coisa louca! E muito deliciosa! Não parecia haver qualquer limite para aquela safada gostosa! E, enquanto eu bombava, aproveitava para acariciar e estapear aquelas nádegas suculentas que não demoraram em ficar ruborizadas com meus golpes de safadeza.

-Seu puto! Bate na minha bunda, bate! – ela dizia me incitando – Não perdoa essa bunda gorda! Isso! Bate! Bate! Ahhhhhhhhhhhhhh! Vou gozarrrrrr!

Eu não tinha mais noção nem de tempo, muito menos de espaço; era como se o universo, naquele momento, se resumisse àquela fêmea de bunda grande e roliça, servindo ao meu pau de todas formas e com todos os seus orifícios. Poderíamos seguir por quanto tempo quiséssemos, não fosse uma imposição fisiológica …, meu gozo estava próximo …, e eu avisei-a disso.

-Goza, seu puto! – ela provocou – enche minha buceta com sua porra quente! Enche tua puta com teu leite morno e gostoso …

Ejaculei! Mais parecia um animal, contorcendo-me, enquanto os jatos de esperma projetavam-se para dentro das entranhas de minha parceira, que também se contorcia, gemendo e comemorando o leite recebido. Quando tudo terminou, eu suava as bicas, e Lucrécia ofegava quase sem ar. Nos sentamos no sofá e ficamos inertes por algum tempo, um ao lado do outro.

Eu quase adormeci, tal era o cansaço que me dominava …, e quando dei por mim, estava sozinho na sala, pois minha parceira tinha corrido para o banheiro, de onde ouvi o barulho do chuveiro, indicando que ela estava se banhando. Aproveitei para acender um cigarro e tragar com impetuosidade. Logo, Lucrécia retornou, sentando-se no sofá, ainda exibindo sua nudez, agora fresca e cheirosa. Ela tomou o cigarro da minha mão e deu algumas tragadas.

Sem nenhum aviso, ela inclinou-se sobre mim e começou a chupar minha rola, que não tardou em corresponder, ficando rija e pulsante; Lucrécia me chupou com afinco, as vezes, lambendo como se fosse um picolé, e fazendo-o com a clara intenção de que eu gozasse em sua boca …, e foi o que aconteceu! Ejaculei enchendo sua boca com minha porra, cuja carga era bem menor que a anterior; Ela reteve tudo em sua boca, abrindo-a para exibir com orgulho antes de engolir.

Na porta, algum tempo nos despedimos. “Quando quiser um café da manhã, pode vir, viu?”, ela me disse em tom convidativo. “Pode deixar que, um café como esse é irrecusável”, respondi, (“e uma bunda como aquela também”, eu pensei!). Fui embora ainda pensando naquela bunda divina e muito suculenta!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
11/02/2019 06:36:43
Belo conto. Continue escrevendo.




Online porn video at mobile phone


porno meu marido adora me ver chupando porra de mendingisxividios bucetasoporno com novinha goszando na buceta na boca da outraxvideos caseiro emfermera mindando banho eaivídeo de pornô com cinquentona e cetonavideo porno loirinha dano pra nomoramos e amigoscontos eroticos an American taletiia cm saia longa com tensao mostra calcinha ate fudePadre não é homem conto eróticoscomo fuder cadela historias zoofilladwu sonifero pra comer a netinhaVale de mulher pelada transando com homem chupando o pinto e razão na carecaContos eroticos sou uma puta enguloxividio da o cu coloca so a cabesapornodoido gato lembi bucetaSogra Contos Eroticospai caminhoneiro contos eroticoscontos eroticos uma doce de cunhadaxvideo homem esperimentamdo mamar o pau de outrocontos de incesto cumadreconto gay virei a puta de varios machos na saunacalcinha atirando de lado e mostrando abucetaclarinhasafadinhaxisvido sobria dormi co tiarevistinha porno mulher vos sexy co cachorropegei miha esposa transando com nosso cachorroporno levantado a saiao pauzao preto fortefotos de mulher com pinto e buceta crudandoscontos de sexo depilando a sogravideos pornô coroa tarada cavalo sorcou o cassete todinhosó de calcinha mostrando a coxa rebolando é denotandoo que singnifica a palavra merstubanopequei meu tiu comendo minha prima contos eroticosTexto de autoestima para cornasitaliano porno escurinho do cinemaBusca por contos de marido traindovx videos sexo-porno porra finha paigarotos tesudos chupando frentistaPadrastro fódendo o çunasauna corroas inseistoesposa gostosa e novinha e tio roludo parte seteconto cumendo irmao de pau cabecudo irma. virgemcachorro engata no cu da mulherContos eroticos eu tava internado no hospital e o enfermeiro fodeu minha mulherextremo judiado de socar a mao na bucetaver fitis de mulheres dando a buceta encostadas na mesa. de vestido curtoconto erotico puteirominha tia lig pra minha e pede pra mim dormi na sua casa eu comi sua bocetavidio porno filha da abuceta pro pae com mais 70anoscontos aiíiiii hum aiaiachantageou a coroa para se dar bemxsvideo caronasgrupo gays bundudos whatsappver videos pornoo com coroas punheteiras e gozadas fartasmeu patrão desejou comer a minha namorada vídeo pornô cornos Aracajucontos de sexo com meu pai metiii vaii issobuceta arreventadaler contos eroticos menageloira e judiada levando com forca na boca e na bussetaXVídeos mulher transando com sílaba agressivamentecontos eróticos barraca do beijopprno doido no escurunho debaixo do lençolbotando na buceta pela beradinha do shorteconto erotico gay macho dominador gosta de maltratar viadoporno passo lubrificante e meteu no cu da no vinha sem ela deixapai comeno afilha bricanoporno em desenho popai comendo a olivia sem pedir idadeXVídeos menininha de 15 levando ponbada no sacoporno gay magrelo sentando em duas rolas penetraçao dupla mundo bichaxvideo do cunhado pecado a cunhadinha a fosa gozado dretro da boceta delamulher de 40da o cu e buceta pra garotao malhado pantersd pornoconto minha mulher adora a lingua no cuver filmes de sexo comnovatascasadoscontos estrupada por pivetessurfistas de rola durapirralho pauzudo contosfudendo com sobrinha apos um sono profundopitiu comendo o priquito da mulherxvidio mulhe casada hora do futibol brasilerocontos eroticos proibidos menininhax videos clacudosxvideo flaga novinha magrinha e pega em varias posucaocontos.gozei como louca na pica do meu filhoContos de papai e mamae sempre examina minha xotadormi de calcinha com meu filho e dei pra elecontos com fotos encoxada no ônibusVídeo d homem fazendo sexo anal com cochoro xxvideosnovinhas virgem inocente com muito medocontos eroticos tia bucetuda no onibus e menino casetudomolestando a filhinha inocente....passando a mao na bucetinha de calcibha..esfregando a rola ate gozarfilme meu irmao me deseja fuderprica cavalacasa do conto meu irmao me encoxouconto erótico flagrei minha mãe chifrando meu pai e ela me humilhou muitofoda insana com cunhadax.filme.porno.menina.entrou.pra.pedir.agua.teve.abucetinha.estouradaMenina nova de causinha tolada na buçeta xsvidiovídeo pornô me deitar na cama de menininha para arrancar a casquinha dele