Uma cabeleireira diferente - parte 7 (A transformação)


Um conto erótico de Daniel
Categoria: Homossexual
Data: 09/01/2019 18:13:50
Última revisão: 10/01/2019 01:38:58
Nota 8.60

Depois de toda aquela orgia, havia chegado o momento da despedida. Sentado no sofá, de banho tomado, com pose de macho, Bruninho não parecia o homem que havia feito uma dupla penetração anal comigo e com minha amiga. Isabelle tomava um café na mesa da sala, com um vestido florido, bem composto, e falava para Alice como estava gostando de estudar libras. Miguel e Bruninho conversavam sobre futebol, os dois eram fanáticos pelo Sport Clube do Recife. Apenas eu não havia tomado banho e nem me vestido, como se quisesse adiar os próximos acontecimentos. Fiquei apenas de fio-dental e com uma blusa que Isabelle havia me emprestado.

Quando todos se despediram, Isabelle me disse que não queria ninguém sujo na casa dela. Deu-me uma toalha e pediu-me para tomar banho. Respondi que o problema não era o banho e sim o que iria vestir depois. Isabelle pegou minhas roupas, entregou-me e falou: “Pronto, agora você pode voltar a ser Daniel”. Questionei: “Mas eu vou dormir assim? De calça jeans? Preciso de algo mais confortável, não acha?” Isabelle, então, foi no quarto e, depois de 10 minutos que, para mim, foram intermináveis, trouxe o baby doll mais sensual que ela tinha. Ele era formado por uma blusinha rosa transparente e uma calcinha rendada e fio-dental. Com um sorriso, ela falou: “Pronto, Diana, essa é a roupinha mais confortável que eu tenho para dormir. Tenho dois conjuntos, um rosa e outro vermelho. Vamos dormir com as mesmas roupas, como duas amiguinhas bem íntimas”.

Confesso que senti um certo alívio quando Isabelle trouxe aquele conjuntinho para mim. Eu estava gostando tanto de ser Diana, que não queria voltar para o mundo real tão cedo. Tomei banho, vesti minha roupinha, e Isabelle me ajudou a ajeitar meus cabelos e rosto para ficarem mais femininos. Isabelle me cobriu de elogios, disse que se eu tomasse hormônios, viraria uma garota deslumbrante, capaz de seduzir qualquer homem. Respondi, negativamente, dizendo que só gostava de mulheres e transexuais e que amava de verdade a minha esposa Camila.

Quando falei da minha esposa, bateu-me um forte remorso por tudo que eu estava fazendo e comecei a chorar. Isabelle, então, sentou-se ao meu lado, e disse: “Deseja a Camila? É só você se vestir de Daniel de novo e voltar para casa. Diz que conseguiu resolver tudo de tarde e deu para pegar a estrada de noite. Pode ir ver sua mulher”.

Não era tão simples. Eu queria não trair a Camila e queria continuar sendo Diana. Eu sabia que não poderia ter as duas coisas. Não poderia chegar em casa como uma garota. Camila não me perdoaria. Eu tinha que me decidir. Ou seria Daniel e continuaria com a minha esposa, ou viraria Diana e teria que me separar.

Percebendo o meu drama, Isabelle falou que nada do que eu estava pensando era verdadeiro. Olhando nos meus olhos, ela disse:

“Em primeiro lugar, não é verdade que Camila não aceitará a sua transformação. Ela é bissexual, e, se quiser, você pode virar uma menininha linda. Em segundo, ela já sabe de tudo o que está acontecendo. Eu sou a cabeleireira da sua mulher e sei mais da vida de vocês dois do que você pode imaginar. Camila me confessou que você vestia todos os conjuntinhos femininos que trazia da loja e lhe dava de presente. Quando você se trancava no quarto, ela sempre olhava pelo buraco da fechadura e via tudo. Ela viu tanto e durante tanto tempo que ficou cansada de tantos segredos. Certo dia, muito magoada, ela resolveu sair comigo, para extravasar. Falou para você que viajaria com os pais, num final de semana, mas na verdade passou um final de semana inteiro comigo. Transamos nós duas como loucas e depois disso a sua esposa passou a curtir os prazeres do sexo anal e passou a ser mais ousada na cama. Mas não foi suficiente. Conhecendo a minha transexualidade e as minhas loucuras, ela pediu a minha ajuda. Pediu para que eu fizesse o que fosse possível para lhe libertar, para que você assumisse o seu lado feminino e não tivesse vergonha dele. Pediu até que eu fizesse sexo com você, dominasse você na cama, contanto que isso o ajudasse a libertar o seu lado feminino. Ela me disse que preferia perdê-lo do que continuar vivendo uma mentira. Hoje, quando eu te ameacei, dizendo que enviaria aquelas imagens para Camila, na verdade eu já havia enviado tudo. Ela soube de tudo que aconteceu, queria que eu fizesse todas as putarias com você, contanto que nós duas permanecêssemos no controle”.

Fiquei em choque com aquela revelação. Tudo havia sido um plano arquitetado pelas duas e a minha esposa sabia de tudo. Fiquei pasma, alegre, eufórica, apreensiva. Agora, eu não tinha desculpas para me tornar uma menininha. Podia ser o que quisesse, sem medo. O melhor é que toda a culpa da traição e todo peso de não ser aceita haviam evaporado. Eu era livre para ser o que quisesse.

Percebendo que eu estava aliviada, Isabelle continuou:

“Prepara-se, amanhã sua agenda está lotada. Eu e Camila marcamos um aplique de cabelo para você, não vai mais precisar usar peruca. Vamos colocar um Mega Hair removível em você, vai passar a manhã toda no salão e vai ficar linda de cabelos longos. Depois, iremos para uma endocrinologista de um centro médico voltado para a comunidade transexual e faremos os devidos exames e veremos qual é a melhor terapia hormonal no seu caso. Por último, eu e Camila marcamos um motel bem luxuoso para comemorarmos juntas a sua transição. Camila até comprou vários brinquedinhos para poder te comer, ela está muito ansiosa para testá-los todos. Só falta uma coisa, que você diga sim, que admita para si mesma que prefere ser Diana e tenha a coragem de deixar para sempre o seu corpo de sapo. Está na hora da metamorfose. Já está tudo devidamente agendado, mas se você quiser eu posso desmarcar tudo agora. Só depende de você. Terá a coragem de ser Diana para sempre? Vai ter coragem de deixar um casamento heterossexual fingido para viver uma relação lésbica ou bissexual verdadeira?”

“Sim”, eu falei, e senti que o meu corpo todo tremia. Eu seria Diana nem que eu tivesse que enfrentar todas as tempestades. Eu seria Diana nem que eu tivesse que me prostituir para continuar sobrevivendo. Eu seria Diana nem que perdesse todas as amizades e minha família optasse por nunca mais falar comigo. Eu seria Diana mesmo que os funcionários das minhas lojas de lingerie me tratassem com despeito ao saberem que eu de fato testava e gostava dos produtos que vendia. “Sim”, eu falei, com todos aqueles pensamentos na cabeça, quase como se fosse me casar naquele momento, e passei a beijar e abraçar sofregamente a minha amiga. Nós, duas meninas, amigas para sempre.

Passada a euforia, perguntei pela minha esposa, queria vê-la imediatamente. Isabelle respondeu que aquilo não era possível. Disse que a minha esposa havia sofrido muito com tudo aquilo e que só queria voltar a me ver depois da transformação. Ela queria me ver depois do salão de beleza e da consulta médica. Minha esposa estava cansada do Daniel e das suas mentiras. Ela queria Diana e esperava que, sem precisar fingir, eu pudesse ser, pela primeira vez, sincera com ela. Todas as fichas do nosso casamento dependiam do meu lado feminino e eu estava disposto a apostar tudo nisso.

Isabelle foi no armário, pegou um conjunto de lingerie branco e com véu, e falou: “É com essa roupa que você terá que receber Camila no motel. Eu presidirei a cerimônia. Amanhã, pela primeira vez, você dirá “sim” e amará a sua esposa como a menininha que sempre esteve escondida aí dentro e precisa ser libertada. Eu estarei presente como ativa testemunha da união carnal de vocês.”

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
09/02/2019 10:14:11
Delícia de conto. Votado nota 10. Leia a minha série de contos também: EU, MINHA ESPOSA E MEU AMIGO DA ADOLESCÊNCIA.
16/01/2019 02:30:48
Ótima série!
14/01/2019 02:01:57
Comentem!
11/01/2019 13:30:51
k historia em? ser ou nao ser,rsssss
10/01/2019 13:14:57
ai que delicia, adoro me vestir de mulher sou louca para encontar alguem que me aceita-se
10/01/2019 00:12:10
Uaaaaau!!!! Que tudooooo!!! Amei! Continuaaaa!!!

Online porn video at mobile phone


conto erotico de tia e sobrinho evangelicoxvideos 2 min. transando colados e gemendo hummmmmmfrecando a paciencia do brutoxvideos.com novinho.comda.comroka gostosabunda gigante puchou chotre de ladox videos maranesse bucetudasfrases cunhada chifreraporno sem casaminhaseu minha vizinha praticamos zoofilianovinho cabaco de 15 menino sendo pego pelo tiozaomundobicha.historia de matuto brasileiromulher dano cuzinho de fildental a toladoamarro as bolas e esporroucasada aguentando 24cm de rola do amante que nao aguenta e goza rapidoxvideos incestomenor louca pra dhmem do pau piqueno fodobuceta grandeasistir video porno angolano de tia e sobrinho.conto gay o marrento do bairroContos eroticos cu de mulher de bebado nao tem donocontos eroticos gordinha foi provocar macho se deu mao ele com baita dum pau socou na buceta dela ela chorava ai minha bucetinhacontoerotico eu namorada mae e tiorubiaebeto quase mulher 114_2Contos eroticos patricinha se apaixona pelo jardineiroContos eróticos procurando aventura no clube de campocasadoscontos estrupada por pivetescostos eroticos madrasta come cu de enteado com pintogaroto gay bem novinho e bem afeminado muito tesouro para dar o c*contos eróticos comendomulher mostrando o capô de fusca na academia bichão Grandefudeu ate o cudela tento fujir nad bebadaconto erotico gay negao dominador gosta de maltratar viado brancomaninho comeu meu cu contosContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de primas que chegaram do trabalhowattpad enteado gay adora chupar a rola do padrasto musculosopiricudo de floripacontos eróticos amiga novinhaConto erotico adoro chupar buceta azedinhaxvideos gay fui estuprado por que nao paguei as drogasmeu ex ele nao mim beijava mindava so um selinho e ele fazia sexo ne mim quando ele queriaxxvibeo fudeno tatinhahttp://www.casadoscontos.com.br/perfil/182713Aliviando os funcionarios contos eróticosvideo de sexo narido xifrado com a comlhadaboyzinha n************ o c****** peidando e olhando para trásMulher gostosa dw vestinho coladinhos fudendocontos de incestos entre tios 18 e sobrinhas 09http://conhecer adolecente de peitinho durinho bucetinha bem apertadinhaeu, minha namorada, minha namorada e meu tiohttps://zdorovsreda.ru/texto/200512799molestando a filhinha inocente....passando a mao na bucetinha de calcibha..esfregando a rola ate gozarxvideos. com as gostsona no rnconto erotico esposa chupando moleque pintudovaretao gg goza dentro novinhowww.videos de lactofilia com animais.comzofilia mulher dependurada pel cu no cãoCumendo rabo das laira rabudaso norabo xvideoadxvidio comendi o cu da virgem de mini saiamulhe pelada putona do cuzao e budona so de vistido ruivaconto erotico filha seduzindo pai velho coroa grisalhonegao arebentou o cu dessa mulher e ate arebentou todas as pregascontos de calcinhas da tiacontos eiroticos leilapornwww.xvideo noivinhos fazendo mão amiga juntos gayconto erotico transei com o irmao do meu esposoo que singnifica a palavra merstubanohistorias eroticas d virgem sangrando ao ser descabacadacoroa faz minete numa cona esporradaconto meu marido me chupou cheia de porra do meu amanteClaudia souta nua mostrando a bucetasenti opau inchar e e a porra saindo em jatos quentecontos de sexo depilando a sograRelato enrabada por um cavalo bem dotado zoofiliacontos eroticos alex mauconconto incesto minha irmãzinha adolecente andando encasa com essa roupinha nao da para resistiapaixonado por um hetero cap 15contos erótico minha irmãzinha de babey dool anal icestoxvideos caindo short do garoto no banho de baldeXvideos frozen ela desmaia namoro que esta fazendo amorvidio mulher casada com roupa fodendo enfrente o marido ate escorrer porrspornodoido entre irmao enteronpido por tia gostosaler contos eroticos de padres reaiskid bengala com meno abuçeta de brazileriaeu e minha patroa praticamos zoofiliaVc e feinha buceta tua nao quero nem teu cu mem teu seio nada de voce me interessa Xvidio.com/iniciador a filha www.xvideo rola fina que a camissinha fica fougada