Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

Enterrar o Passado - Claudio Capitulo XXXIII

Categoria: Homossexual
Data: 11/07/2018 23:39:16
Nota 10.00

Capitulo XXXIII

0 que eu podia dizer pra ele? O que realmente ele estava preparado pra saber?

Eu realmente não conhecia ele direito, claro já sabia tudo que ele tinha passado mas essa pergunta que o Pedro me fazia agora....

Pra mim até hoje essa pergunta não tinha resposta.

O que fazia uma pessoa, um pai ou uma mãe...simplesmente não gostar de seu filho? Isso estava além da minha compreensão, sempre que eu pensava naquele homem não era como meu pai era como....simplesmente o homem que engravidou a minha mãe e eu nasci...eu não tinha nenhum carinho ou consideração por ele, ele realmente nunca existiu pra mim, mas eu sabia que essa pergunta estava perturbando o menino.

- Olha, sabe que sempre sou sincero e posso dizer coisas que não vão te ajudar em nada, acho que agora realmente não é o momento de tu saber quem foi nosso pai, mas só quero que tu saiba que ele não merece esse pensamento teu, ele nunca foi capaz de amar ninguém. – ainda era muito cedo para ele saber o que passei na mão do nosso "Pai". Ele fico me olhando, acho que tenho que ser um pouco melhor que isso. –

- Olha Pedro, existem pessoas que não conseguem amar ou pelo menos gostar de ninguém ... por que....

- Por que simplesmente elas não se amam, não amam nem a sí mesmo, essas pessoas tem um ódio tão profundo por tudo e por todos que o amor não chega no coração deles, e então elas não são capazes de sentir pelos outros algo que não sentem por eles mesmos tu me entende?....- ele encostou as costas na parede e ficou me olhando. –

- É que as vezes eu via os meninos brincando com o pai deles nas praças ou na rua, e eu nunca soube o que eu tinha feito pra não ter ninguém ...nem pai...nem mãe... – não era hora de falar para ele o que eu sentia, mas eu conseguia odiar aquele homem mesmo depois de morto. -

- Olha pra mim Pedro. – ele me olhou e ver aquela expressão de tristeza no rosto daquele menino estava me quebrando por dentro. -

- Tu não fez nada, e quero que tu pare de pensar assim, tu é um cara incrível que merece toda a felicidade do mundo.

- Olha tu pode não ter pai nem mãe...mas agora tu tem um irmão. Eu quero que tu sabia que eu vou sempre estar do teu lado...claro sabe que as vezes eu sou meio...bom grosso ...mas é justamente por que eu quero que tu seja incrível, que tu seja o melhor ....da melhor forma que tu puder ser....

- Mas eu sou burro Claudio ....tenho medo que um dia tu canse de mim... e não queira mais saber ...olha como eu sou ....eu olho aquelas palavra e eu não entendo nada disso, aqueles números não me dizem nada...até o Tavinho sabe mais do que eu...

Ele me olhava assustado, apontava para os livros e eu sentia cada vez mais ódio do meu pai por ter negado pra ele coisas básicas...ódio dos tios por terem privado ele de uma educação ....mas tudo ia mudar...ele ia mudar. Ele tava olhando pra baixo e eu definitivamente não gosto disso, temos que encarrar nosso problemas de frente e de cabeça erguida. Segurei ele no meu braço o Pedro estava nervoso, assustado isso não era bom coloquei a mão no queixo dele e ergui, fiquei olhando pra ele. -

- Ei ..Ei Pedro nunca baixa o olhar pra mim ...o Tavinho e os meninos só tiveram mais tempo que tu pra estudar...aproveita isso... aproveita que eles podem te ensinar...aprende ...aprende tudo que tu pode...e vai chegar a hora que tu vai ensinar aos outros o que tu sabe...

-Tu acha mesmo...

- Tenho certeza...e eu queria aproveitar pra conversar contigo. – acho que tava na hora dele pensar em outras coisas...estava na hora dele ver que nossa vida ia continuar...

- Diz...

- Eu queria conversar contigo sobre o Fabricio...- ele ficou me olhando, eu sabia que ele estava tentando ver se era o nome de um dos meninos da Fundação...

- Não é ninguém que tu conhece...pelo menos não ainda...

- Ele...ele é teu...quer dizer... – o Gus tinha me falado que ele andava preocupado que estava me atrapalhando, ele achava que era o culpado de eu não ter alguém na minha vida. -

- É ...ou melhor ... – comecei a rir da cara que ele fez...

- Foi sim...pelo menos um tempo da minha vida, depois nos separamos e ...

Contei pra ele toda minha relação com o Fabricio, claro algumas coisas não eram pra ser ditas mas tentei ser o mais sincero possível sobre o que eu sentia por ele ...ele não tirava os olhos de mim e me perguntou muitas coisas...

- Mas Claudio se ele gostava de ti...como ele casou? Quer dizer com uma ..mulher...e tem um filho...mas ele não gosta...bom ele não gosta de ...homem... – ele ficou vermelho na hora. -

Tentei explicar da melhor maneira possível tudo pra ele...até por que ele ia viver conosco e era melhor já ir se

acostumando...

- Vem vamos comer alguma coisa e vou te contando alguns acontecimentos que vai achar engraçado...mas tá preparado pra ser tio??? – segui em direção a portaTio como assim?? – comecei a rir da cara que ele fez. -

- Bem, se eu ficar com o Fabricio e ele tem um filho...e tu é meu irmão ...bem o filho dele vai ser teu sobrinho...

- Eu vou ser tio?

- Sim...gosta da idéia? – percebi que ele estava pensando no assunto tava muito sério...vi uma tristeza ali naqueles olhos. -

- Será que eu vou ser um bom tio?? – Eu sabia pelo rosto dele que ele estava pensando nos tio dele. Saímos pelo corredor. -

- Tenho certeza que vai ser o melhor tio que uma criança pode ter...- parei e ficamos de frente um pro outro. –

- Preciso de tua ajuda...minha vida vai mudar muito e por muitos motivos e eu preciso que tu esteja junto comigo nisso tudo ....vai me ajudar? Eu não sou bom com crianças preciso da tua ajuda preciso que tu seja o tio e o amigo...que cuide e que proteja ... – ele sorriu e me abraçou. -

- Pode deixar eu vou cuidar sim...vou tentar ser o melhor possível...- ele ficou me olhando –

- Eu vou ser sim Mano ...vou ser o melhor tio que ele pode ter....- ele me abriu um lindo sorriso estava feliz novamente, aquela sombra de nosso pai não estava mais na cabeça dele ...ele estava feliz e eu mais ainda ele me chamou de irmão pela primeira vez....era assim que tinha que ser .....era assim que eu queria ver ele...Pedro....meu irmãoAs coisas estavam se organizando, o Gus tinha melhorado agora estava finalizando a academia nova dele, e isso era o que ele precisava, pensar em outras coisas.....os pais dele e do Vini agora só precisavam ficar longe deles. E para isso eu contava com a ajuda do Joca, mesmo conseguindo que eles se afastassem e deixado eles na miséria eu ainda queria que eles ficassem em observação, eu nunca confiaria naqueles homens e agora a segurança do Gus e de todos era a primeira coisa que eu tinha que resolver.

Eu tinha várias fotos na minha frente, eram possíveis casas que eu queria comprar, tinha decidido ficar na cidade manteria o apartamento na capital para quando eu tivesse que resolver alguma coisa por lá...mas a dúvida agora era qual dessas casas? Eu achava melhor a mais moderna era a minha cara, mas tinha uma charmosa mais antiga com a quantidade de quartos que eu iria precisar, para mim e o Fabricio e um para cada menino...fiquei pensando nisso de uma hora pra outra eu teria uma família, e já era enorme...comecei a rir...

- Finalmente consegui te ver sorrindo já achava que isso nunca mais seria possível.... – era o Gus entrando na minha

sala, só ele não era anunciado. –

- Oi grandão como estão as obras?? - Ele sabia que eu estava falando da academia...-

- De vento em popa, claro ninguém deixa eu trabalhar direito culpa tua...

- Sim, eles já sabem o que penso e como as coisas tem que ser feitas – eu tinha proibido o Gus trabalhar demais e ele tinha horários rígidos de descanso meu melhor aliado pra isso era o Tavinho ele me ligava sempre que o Gus se passava. –

- E no mais sabe que o Tavinho tá no teu controle...- começamos a rir...finalmente as coisas iam se arrumando apesar do grande susto que o Gus tinha nos dado agora ele estava melhor e isso me deixava mais calmo, eu ainda teria que conversar com ele sobre o Fabricio e as mudanças que eu faria, mas isso seria depois ele já tinha muitas coisas na cabeça e bom...agora era hora dele se afastar de qualquer tipo de preocupação e eu sabia que ele se preocupava comigo.

Tínhamos ainda a inauguração da nova sede da fundação, as obras na mansão já estavam quase prontas. Parece que a tempestade estava passando. Fiquei mostrando pra ele as casas e o Gus era completamente a favor da mais antiga ele disse que tinha mais cara de lar, e eu não podia discordar dele ia mostrar pro Pedro e ver o que ele achava. -–

- Então quem falta chegar Claudio?- estávamos reunidos pra atender mais um pedido do Tavinho, um pedido que com certeza todos estávamos ansiosos para ver resolvido, ele tinha pedido ajuda pra todo mundo, e hoje estávamos reunidos pra mais um passo em direção ao que o Tavinho queria. –

- Bem o Murilo com os amigos dele, eles fizeram questão de vir aqui conhecer tudo e o Vini com o Tavinho é claro...acho que são só esses. –

Ouvimos um burburinho na rua e a porta foi aberta..

- Pai ..pai eles já chegaram? - Só vi ele correndo e se atirando nos braços do Gus era lindo de ver a forma com que eles se relacionavam, o Vini estava entrando com ele e claro como não poderia deixar de ser os cinco mosqueteiros estavam juntos, afinal todos eles estavam enrolados até o pescoço com as coisas que o Tavinho queria. –

- Não filho ainda, não mas daqui a pouco já chegam...

Fiquei olhando pro Pedro, depois da nossa conversa o Pedro estava mudando, ele estava mais...não sei ao certo... pensativo...entre aqueles meninos existia uma relação interessante ...cada um desempenhava um papel e pelo que eu via agora o Pedro era o que trazia eles para o chão fazia com que os planos do Tavinho virassem realidade...ele calculava as possibilidades e mudava a rota quando era necessário, o Gus ficou me olhando. –

- Ele tá igual a ti...- me falou baixinho –

Era verdade, ele era parecido comigo nesse sentido, o Pedro estava sempre alerta e quando via a necessidade ele resolvia os problemas dos amigos fiquei orgulhoso dele, pedi que sentasse ao meu lado, ficamos conversando ali até ouvir que mais pessoas chegavam a sala de reunião. –

Quando aporta abriu vi que junto com o Murilo chegaram mais dois homens e caralho um deles era...putz um espetáculo, não que o outro não fosse era mais másculo um rosto até agressivo mas o outro cara ... se eu não estivesse apaixonado pelo Fabrício sei lá... o cara estava extremamente bem arrumado, cabelo comprido ...o Gus me olhou na hora

- Sossega Claudio – comecei a rir ele me conhecia realmente. –

- Bem amigos esses são o Ricardo e o Eduardo que eu já tinha falado pra vocês. – o Murilo falou. -

Fiquei olhando pra eles, era um casal e tanto, nós já sabíamos pelo Murilo que eles eram casados, quando o Tavinho soube que eles podiam conseguir casas ecologicamente feitas com material de reciclagem ele não sossegou até o Murilo conseguir contato dos dois pra ele. Claro que eu tive que intervir e falar com os dois mas nós só nos conhecíamos por telefone, e pessoalmente era outra coisa, o Ricardo pelo que me parecia era quem dirigia tudo, fiquei observando os dois, todos estavam em silencio na sala.

- Acho melhor eu começar a falar, tá todo mundo em silencio, podem me chamar de Caco e esse aqui ao meu lado é o Edu, não reparem que ele não fala muito.

- Bom como vocês veem ele não me dá muita chance. – começamos a rir. –

- Oi eu sou o Tavinho. – o Tavinho levantou e estendeu a mão para o Ricardo que ficou olhando pra ele. –

- Então você é o menino que está organizando tudo isso? – O caco se abaixou até ficar na altura dos olhos do Tavinho, realmente ele era um espetáculo de homem. –

- Não tio, somos todos nós...posso chamar o senhor assim. –

- Claro, mas então me apresenta teus amigos e vamos conversar sobre o teu pedido, me explica o que está acontecendo. – o Tavinho apresentou pra eles todos os cinco mosqueteiros e apresentou a mim, o Gus e o Vini. –

- Por favor podem me chamar de Caco e o meu marido de Edu, assim ficamos mais à vontade, mas então me digam... eu fiquei encantado com o projeto de vocês meninos, podem me contar um pouco o que está acontecendo? –

Um a um os meninos começaram a falar sobre as crianças da linha do trem que era atualmente a maior preocupação deles, como o prefeito disse que ia conseguir iluminação e agua para eles os meninos queriam um lugar melhor par eles morarem e claro foram falar com o Murilo afinal ele construía tudo. A ideia das casas ecológicas tinha sido dele, ele falou que tinha conhecido o Caco e o Murilo em uma palestra sobre esse tipo de construção e que os dois podiam ajudar nesse sentido. -

- Então meninos claro que podemos ajudar, eu e o Edu adoramos esse tipo de projeto. – os meninos ficaram falando sobre tudo que as crianças da linha precisavam. O Caco parecia que estava impressionado com tudo, o Edu só nos olhava ele avaliava na realidade tudo que acontecia na volta do marido, era como se cuidasse de tudo para que nada atingisse o Caco, proteger e cuidar essa a impressão que o Edu me passava era o mesmo cuidado do Gus com todos. –

Pedi café pra todos, o Tavinho abriu na mesa o projeto que ele e os meninos com a nossa ajuda tinham organizado vi que o Edu chegou mais perto para observar. –

- Edu olha o que esses meninos estão fazendo, um dia quero que vocês conheçam meus filhos, acho que vocês todos vão se dar muito bem.

- Sim Caco acho que nossos filhos vão ser muito parecidos com esses meninos. – ficaram falando dos filhos deles pros meninos. -

- Sabe Tavinho tenho dois filhos e quero muito que eles tenham um grupo de amigos como o que tu tem agora, esse tipo de amigos que se cuidam e que juntos procuram ajudar os outros....

- Tio, acha que o senhor consegue ajudar a gente com as casas...- o Tavinho ficou olhando pro Caco, estava segurando as mãos era sinal que estava nervoso. –

- Claro querido pode deixar que tudo vai dar certo...- os meninos começaram a rir e comemorar

Enquanto o Caco ficava conversando com os meninos fiquei conversando com o Edu ele era uma cara muito agradável, perguntei sobre os dois, de onde eram e como se conheceram. –

Ele me contou um pouco da história dos dois, fiquei impressionado com tudo. –

- Então quando eu achei que eu tinha perdido o Caco ele me deu a chance de ser feliz novamente, e eu agarro essa chance todo dia, nunca mais quero passar por tudo aquilo de novo, eu não existo sem o Caco e agora tenho dois lindos filhos que são meu orgulho, e o homem mais incrível que eu conheci. – era incrível ver o orgulho que o Edu tinha do marido e dos filhos, era exatamente isso que eu queria pra mim, essa cumplicidade toda.

No final quando nos despedimos iríamos jantar juntos a noite, fiquei com aquela sensação de que esse era o caminho, o Caco e o Edu me mostraram que mesmo depois de tudo que eles passaram o amor dos dois tinha superado tudo e seguido em frente. Eu faria o mesmo eu já tinha visto como eu queria que minha vida fosse, eu o Fabricio, o Pedro e nossos filhos, nada me segura quando eu decido algo.

....

Entrei no orfanato com o Pedro ao meu lado, eu não tinha falado nada pra ele mas queria que ele conhecesse o Tiago.

- Mano eu nunca tinha vindo aqui, o Tavinho tava sempre falando.

- Sim ele gosta muito daqui, queria que tu conhece as crianças, quando tu tiver folga quero que ajude aqui, o Rodrigo sempre precisa de ajuda.

- Isso mesmo Claudio sempre tem lugar para mais mãos...- o Rodrigo estava saindo do escritório dele. -

- Rodrigo meu irmão Pedro....

- Prazer então esse é o famoso Pedro teu irmão fala muito em ti... – o Pedro me olhou e sorriu estendeu a mão pro Rodrigo. -

- É mesmo? – o Pedro ficou me olhando. -

- Sim com certeza...

- Pedro dá uma volta, as crianças estão pelo pátio preciso resolver uns problemas com o Rodrigo e já te encontro.

Saímos andando em direção ao escritório eram problemas contábeis, mas o que tinha me levado ali dizia respeito aos

papéis do Tiago. Eu e o Rodrigo ficamos um bom tempo conversando sobre tudo, quando sai fui em direção ao pátio.

Encontrei o Pedro rodeado de meninos ele estava muito feliz brincando com as crianças, fiquei olhando de longe, ele realmente era mais alto que a média dos meninos seria um homem alto, as crianças pelo que vi gostavam dele. O Pedro tinha um jeito meio estranho me lembrava e muito o Renato, ele era duro numa primeira impressão, mas eu sabia que ele guardava muita coisa ali dentro, aos poucos em nossas conversar eu conseguia ver que muita coisa teria que mudar dentro dele, muitas coisas que ele tinha passado eram como marcas que só o tempo iria apagar.

- Seu Claudio. –

Olhei pra trás eu sabia que ia encontrar ele, o Michel estava trabalhando a tarde no orfanato com as crianças, e isso estava fazendo realmente muito bem pra ele as crianças o deixavam confortável. Estava com uma aparência melhor estava se alimentando e sendo cuidado pelo Vini, pediu pra cortar o cabelo, estava mais curto pelos ombros, aos poucos aquela aparência fragilizada dele estava mudando, mas ele sempre seria mais delicado que os outros e isso era perfeito, ser delicado e frágil era o que ele era, não devia mudar por nenhum motivo a não ser que ele quisesse assim.

Depois de tudo que ele tinha passado os adultos é que eram o problema ele conseguia enxergar que as crianças não fariam mal, todos ficamos muito abalados depois que soubemos da história dele, a Paula até hoje ficava emotiva quando via o menino, mas ele estava melhorando quando os 5 mosqueteiros estavam juntos o Michel se sentia confortável sabia que tinha amigos na volta cuidando dele, e agora com as crianças era incrível ver as mudanças no menino.

- Oi Michel, não te vi na volta.

- Eu estava lá em cima uma das meninas está gripada estava vendo se ela estava bem.

- E está tudo tranquilo?

- Sim senhor, o Pedro está aqui?? – ele viu meu irmão sentado com as crianças.

- Sim eu trouxe ele para conhecer o orfanato e as crianças pode mostrar as coisas pra ele?

- Claro. – Ele saiu andando em direção ao Pedro vi que eles se cumprimentaram e sentaram um ao lado do outro, eu estava feliz por ele, o Michel parecia mais tranquilo, em nada ele mostrava tudo que já tinha passado, lidar com as crianças tinha feito um incrível bem para ele, o Beto já tinha me falado e o Gus também.

Ao longe vi que o Thiago estava sentado com os livros dele, meu coração de encheu de alegria.

Cheguei mais perto e esperei ele me ver como sempre, ele não gostava de surpresas eu já tinha aprendido a lidar com ele

- Tio Claudio o senhor veio, trouxe livros novos pra mim?

- Aqui estão – sempre que eu visitava ele eu trazia os livros que ele gostava tanto. –

- Que bom tá quase acabando esses que o senhor trouxe no outro dia. – ele segurou os livros e ficou me olhando. –

- Aquele menino é o seu irmão??

Sentei do lado dele eu já tinha falado com ele sobre o Pedro.

- É sim ....ele é o Pedro tu vai gostar dele ...ele é meio calado mas vocês vão se dar bem...

Ele ficou silencioso e baixou o rosto.

- O que houve? Por que ficou assim...

- É que agora o senhor não vai ter mais tempo pra vir aqui me ver, agora tem o seu irmão...eu sei que tudo fica mais complicado.

- Não...agora é que vou ter mais tempo.

- Como assim?? – ele levantou os rosto e ficou me olhando o sol refletia nos cabelos dele que eram muito claros. -

- Bom conversei com o Rodrigo e conseguimos dar um jeito de eu conseguir ficar mais tempo contigo e agora com o Pedro vocês podem fazer companhia um pro outro quando eu tiver correndo.

- Como assim??

- Bom tu vai poder passar alguns dias da semana comigo e com ele o que acha? – Finalmente eu tinha conseguido a guarda provisória dele, agora poderíamos ficar mais tempo juntos eu estava imensamente feliz. -

- Sair daqui??

- Sim vai poder sair da escola e ficar comigo passaremos a tarde juntos. – Ele ficou me olhando e abriu um sorriso, isso para mim já era um prêmio ele sorria tão pouco, era tão pequeno e já tinha sofrido tanto, ver ele sorrir me fazia querer ser uma pessoa cada vez melhor. Fiz sinal pro Pedro que estava me olhando, ele falou algo no ouvido do Michel levantou e veio vindo em minha direção, era a hora deles se conhecerem meu coração acelerou eu esperava realmente que eles gostassem um do outro.

Quando o Pedro chegou perto eles ficaram se olhando.

- Pedro esse é o Tiago, espero que vocês fiquem amigos vamos nos ver muito de agora em diante.

O Pedro cumprimentou ele e sentou do lado, mesmo sem saber o Pedro notou que o Tiago era muito retraído.

- Então Tiago eu também tenho esse livro. – O Pedro pegou o livro que o Tiago estava lendo.

- O Mano me deu a pouco, mas é meio grande tu não acha? Tô demorando pra ler...

- Eu gosto de livros grandes...que parte tu tá?ficaram conversando sobre o livro, mesmo sem saber o Pedro estava conseguindo fazer o Tiago falar o que por si só já era um milagre, o menino nunca falava muito com quem ele não conhecia, deixei eles conversarem e fiquei olhando...

Acho que realmente alguém lá em cima gosta de mim...depois de tudo que aconteceu na minha vida ...eu só tinha a agradecer.

...meu filho...meu irmão. ObrigadoHealer - Oi querido Boa noite...com o tempo vai ver que todas as estórias vão acabar se encontrando e algumas vao se entrelaçar...grande abraço

Valter - Oi querido adoro tua forma de ver vida...grande bj

pandinha - Oi querido tava com saudades de todos...grande abaço pra ti...bjao

Arrow - adoro essa carinha - bjss

Favo - Obrigado pelo carinho....as vezes acho que tenho mais sorte que juízo...bjao

Guigo - querido como está? Saudades...grande abraço

raftx - rsrsrsrs...quem sabe um dia ...grande abraço...rsrsrsrs

Suara - sei o que é a correria do dia a dia...obrigado pelo tempo que me da pra ler minhas estórias grande abraço

Comentários

14/07/2018 06:49:32
Sei que o Cláudio vai ser um ótimo pai. Amando cada vez mais. Saudades mesmo moço. Abração. ❤❤❤❤❤
12/07/2018 18:30:07
Aeeee já tava doido esperando o capítulo. Espero que o Fabrício apareça logo ^^
12/07/2018 14:44:01
Empolgante como sempre, mas começa a tornar-se demasiado intrigante a ausência do Fabrício: Por uma lado, aparece como um dado adquirido que vão voltar um para o outro, mas depois do ressurgimento do Fabrício e da decisão que tomou de reatar com o Cláudio, pareceu-me tudo um pouco amorfo entre eles. Parece que a relação deles se mantem cristalizada no passado. Apesar das declarações de amor, não houve paixão. Não me apercebi da explosão sexual que deveria ter ocorrido quando duas pessoas que se amam decidem viver definitivamente esse amor. Fica-nos a sensação de que ainda está a faltar alguma coisa na história da reaproximação do Cláudio e do Fabrício. Por outro lado, sinto cada vez mais uma ausência flagrante de personagens femininas, principalmente no convívio com os rapazes da instituição. Uma coisa é a convivência normal e sadia entre heterossexuais e homossexuais e outra é aquilo que está a faltar: A instituição até parece um reduto de gays, pelo desenrolar da narrativa e não acredito que isto corresponda à realidade pois os rapazes por mais traumatizantes que tenham sido os percursos de vida de alguns deles, deverão ser maioritariamente heterossexuais. Não devemos posicionar-nos como se fossemos o centro do Universo em que tudo gira apenas à nossa volta e em que nos isolamos em guetos. Mesmo casais gays, devemos ter filhos e educa-los como rapazes e raparigas iguais a todos os outros e capazes de se afirmarem socialmente como filhos de casais gays, como algo normal e que de forma alguma afeta a sua sexualidade. O que nunca pode acontecer, é deixar passar a imagem de que os filhos de gays são todos uns coitadinhos condenados a serem-no também, porque além disto ser uma falsidade absurda, é precisamente o argumento bem faccioso dos ultraconservadores contra a adoção de crianças por casais do mesmo sexo.
12/07/2018 06:24:11
Um sonho realizado através da fé,da luta, do amor e principalmente dos amigos.
12/07/2018 01:29:52
BOM SABER QUE JÁ FAZ PLANOS PRA TUA VIDA E INCLUI NELES O FABRÍCIO, PEDRO E TIAGO ALÉM DO FILHO DE FABRÍCIO. UAL A FAMÍLIA FICOU GRANDE DE REPENTE NÉ?
12/07/2018 00:49:21
Adoro teus contos, são muito bem escritos. Sou de POA tbm, moro no centro histórico, general Vitorino com Dr flores, se um dia quiser tomar um café e jogar um papo fora estamos ai. Grande abraço!!
12/07/2018 00:45:09
12/07/2018 00:45:09
Quando leio essa história, fico tão emocionado, feliz, fico imaginando cada personagem. Eu leio sorrindo. Amo essa história

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


bunda nervosa caralho gozoumeu cu geme pornoxxxxxvideo mulher gosando wue nem louca e estralando a bucertaxvidio comendi o cu da virgem de mini saiafazendo buceta sofrer com pau extraordinariamente grosso pornoconto erotico gay macho dominador gosta de maltratar viadota gostano da rola no cu ta contos eroticoconto erotico tia tarada nosobrinhointeada com madrasta lesbicas de shortinho verde v chegando de mancinhoporno vidio chupando o cu dotrVecoas novas novia cenus estrupada pediu virgindadexevedeos vizinha gostosa de biquíni na piscina vedeos caserowww.meu vizinho negao me estuprou mundobicha.comPapai coxudo do caralhoempurando ate o talo na bucta peludinha xvvideocinquentona putona brasileira xmasntercontos de novinhas cearenses em primeira vezmãe xupal e lambe boceta da sua filhaas coroas gemendo e gozando desvairadamente xvideonovinha dando a xota papuda pro primo dormindoContos eroticos ladroes roubao e fodem mulher na frente do maridoBuceta parecendo um cupim deu boisexo brutal negão castigando a barriga até machucar outro delaMullheres gosando igual homem espirando ver de graçaMeu Padrasto parte-01 Autor Alex - Casa Dos ContosMeu marido é um corno e viado do primo deleneguinha tirou a calsibha filsinho e gosouBucetao agoentando pintao no xvidiocontos picantes: comendo o cu da filha do pescadorwww.xvideo.garoto fas sexo com propria tia virgeCriatura estranha achando no açude de oros dadomacho batore conto gayxvideodo novınha fazendo sexo nos matocontos eróticos casei com minha professoramulher buceta apertada chora fudendo ç negro dotadovidios oque casadas safadas fasem de gostoso de supresa pro maridomotorista de onibus que molhou a buceta de tanto prazer em dirigirestupro chupando grelo grande até ferirquadrinhos eroticos cunhada sedentaa dolecente tabom pai ta doendo na camaso contos de ecestos e estrupospapai tirou sangre do cu da filinha peituda ponutaludas d short gostosasasseste video de jovemde dezoito ano fumando cigarro e tranzando no pornoporno sobria vai vizitar tio e esrrupadaContos eroticos elacarecacamera no quarto bundudo experimentando picamae ajuda filho a se masturbar contoomem mesturbano deitado de brusovadadas adoram pauzudo x videosboafodasanguemulequinhos surfistas pauzudos pornogritei quando ele botou na minha bucetacontos eroticos. bi femininoporno minha nora com fomeincesto pai filha eroticos peludo bigode contosgostosa gordinhas tirando cabeçacontos eroticos marcos e juliazoofilia veterinaria tendo orgasmo com cavalosexo conhadas cozinha nua pau bizarro tesaobuçetá enxada dá gordinha pedindo pra por no cu vídeos pra assistir agoracarente abraçadinha no sexo pornoconto erótico meu pai abuso de mim quando eu tinha cincoanoscoroas peladas com o corpo melado de margarinaPeguei minha irmã bêbada de baby doll e não aguenteiconto gay adoro ser esculachado por um machoXvideos japinha Até deu um gritinho Quando o pau entrou conto erotico patrão e empregada e esposapornô pornô socando o pau na b***** da dona Zefa cachorro tocando pau na b***** da donaclimax contos titia carenteOlá meu nome é Alessandra, tenho 29 anos e vou contar minha primeira transa com uma mulher.  porno entre irmao gay o maiorcome o cu do outrocontos eróticos gaúcha solteiranegao arregaca cu de vadia contosLearse:D |zdorovsreda.ruContos um caderante estrupou minha bucetadoce nanda parte IV contos eroticoscontos de afilhada cavalona com padrinho coroa de pauzaocontos erticos novinhos roludos comendo coroascontos er AHHHH OHHHHgordinhas costurado dando 2017 bundão