Casa dos Contos Eróticos

Click to this video!

NA LUZ DO TEU OLHAR 6

NO CAPÍTULO ANTERIOR:

Finalmente chegou o dia do aniversário de Cleber, e André resolveu fazer uma pequena festinha pra comemorar só entre eles ali. No caso, os pais de Cleber, ele, o Cleber e seu irmão se viesse, mas é claro que ele não viria. Já tinha voltado a morar com os pais novamente assim que soube que Cleber estava fora de casa e morando com André. Mas ele deu a desculpa de não esta passando bem para os pais e assim que os pais saíram, ele logo tratou de ir atrás da namorada e levou ele até sua casa para transar com ela. Enquanto os pais estavam comemorando com alegria o aniversário de Cleber, ele estava em casa trepando com a namorada e pouco se importando com o irmão mais novo.

FIQUEM AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE:

Cleber estava adorando tudo, era a primeira vez em que ele comemorava um aniversário em sua vida. O bolo estava tão gostoso, poucas vezes em sua vida ele tinha saboreado um bolo confeitado. Comer docinhos e salgadinhos. Aquilo tudo era pra ele, era tão bom. Quase que um momento mágico na vida do menino. E então ele tinha agora 15 anos. Cinco dos quais ele foi feliz por ainda enxergar até que um dia em uma tarde tudo mudou. E sua vida passou a ser mergulhada em uma completa escuridão. E desde então se passaram dez anos de sofrimento, dificuldades sem sua visão; tudo isso até aquele momento em que conheceu André e sua vida mudou. Ele ainda era cego e talvez isso nunca mais pudesse ser concertado, ele já se resiguinava, a saber, que teria para sempre uma vida mergulhada na escuridão. Mas nem por isso deixaria de ser feliz, como estava sendo naquele momento, e André era o causador da felicidade dele. Ele ainda não tinha muita noção de como seria esse relacionamento entre os dois. Pra ele tudo aquilo era muito novo, mas... Sabia que era tão bom estar com André, viver com André, e ser feliz ao lado de André. Sobre tudo amar e sentir-se amado como nunca se sentiu antes ao lado de André. Ele voltou-se dos seus pensamentos quando ouviu André dizendo ao lado dele:

- Esta bem?

- To sim!

- A tá! - Te vi parado ai, quetinho olhando o horizonte...

- Nem sei pra que lado estou olhando. Disse Cleber rindo.

André também sorrindo respondeu - Por incrível que pareça você estava olhando para o horizonte... Estava pensando em que?

- Em você André e em tudo que aconteceu comigo até hoje, em tudo que você fez pra mim.

- E ainda vou fazer muito mais, sabe por quê?

- Porque te amo seu bobo. André disse isso baixinho no ouvido de Cleber e beijou sua Cabeça. Clebinho sentiu o beijo de André por entre seus cabelos, sorriu e disse:

- Também te amo.

Dois dias se passaram e numa noite enquanto André beijava Cleber na sala, ele viu o garoto com seu pênis duro,evidenciado pela bermuda de tecido fino e colocou a mão sobre ele acariciando de leve, dizendo:

- Posso?

- Pode!

André deu outro beijo em Cleber e intensificou a pega no pau dele, mastubando ele por cima da bermuda, quando o beijo acabou André disse:

-Acho que esta na hora de você aprender mais coisas, você quer?

- Quero!

- Confia em mim?

- Confio! - Eu confio...

André começou a puxar a bermuda de Cleber, mas Cleber segurou com a mão e André perguntou:

- O que foi?

- Vergonha!

- Você não disse que confia em mim? - Pois então... Calma que não vou te fazer mal.

- Eu sei, mas vou ter que ficar pelado na sua frente! - Ai André! - Que vergonha... Cleber respondeu timidamente.

André sabia que ele era diferente, era especial e dócio, se fosse com qualquer garoto de 15 anos desses da vida, já estaria tirando a roupa louco pra meter a piroca. Mas Cleber... Cleber tinha uma inocência e uma doçura como se não se via mais nos tempos de hoje. Então ele resolveu acalmar Cleber e disse:

- Calma meu amor. Eu sei o que estou fazendo, não precisa ter vergonha de mim. Relaxa, fecha seus olhos e relaxa.

Cleber fechou os olhos, e recostou-se mais no sofá, sentiu sua bermuda saindo de seu corpo de leve e logo depois uma sensação maravilhosa, o seu pau estava dentro de algo quente, macio e úmido. Em segundos ele sabia que André estava com seu pau dentro da boca e agora começava a chuapa-lo. Como aquilo era maravilhoso, que sensação deliciosa e indescritível. Seu corpo estava mole e ao mesmo tempo quente. Suas mãos suavam frio. Sua boquinha entreaberta respirava forte. Seu coração disparado, ele não sabia explicar o que estava acontecendo com ele, mas sabia que aquilo era maravilhoso, tão bom, tão gostoso. Agora ele sentia a boca de André chupando seu saco redondinho e firme, estava rígido e duro como seu pênis. A mão de André tocava-lhe uma punheta enquanto sua língua hábil deslizava pelo meio de seu saco, quase chegando ao buraquinho de seu cu. O próprio cu dele dava contrações de espasmos de tesão e piscava. Mas André não chegou com a língua até o seu buraco. Ele estava extasiado de tesão. E gemendo bem baixinho.

Enquanto isso André maravilhado chupava e ora olhava para aquele pau negro, de cor mais escura que a pele morena jambo de Cleber. Não era um pau imenso, deveria ter entre 16 a 17 cm. Afinal Cleber ainda era um adolescente em fase de crescimento, mas era tão lindo quanto o dono e tão delicioso, que fazia André chupá-lo com volúpia e desejo.

Um tempo depois, Cleber sentiu como algo forte dentro dele, seu corpo tremeu e parecia que ia mijar, mas de uma maneira diferente e num gemido mais alto ele gozou, sentindo a cabecinha de seu pau sendo chupada por André. E como gozou. Ele gozou fartamente dando bastante leite quentinho e fresquinho a André, que ficou com sua boca cheia e bebendo ao poucos. Depois de engolir tudo, Andre ainda deu uma chupada forte na cabeça do pau de Cleber que fez ele ainda sentir um tesão forte causando um espasmo involuntário em sua perna direita que se tremeu e se repuxou, tamanho foi o tesão que ele sentiu.

André sentou-se ao lado de Cleber ainda nu da cintura para baixo e abraçou seu corpo ainda quente, Cleber ainda recuperava a respiração que ia aos poucos voltando ao normal. André beijou o rosto de Cleber e disse:

- Gostou?

- Gostei muito...

- Ta feliz?

- Demais...

- Eu te amo sabia?

- Também te amo André.

- Vem vamos tomar um banho juntos?

- Vamos então.

- Então deixa eu pegar meu príncipe lindo no colo, que ele ta cansado. Cleber sorriu feliz, André pegou ele no colo e levou ele até o banheiro. E lá tirou sua roupa enquanto Cleber tirava sua camisa, a única peça de roupa que ainda estava no corpo.

André ligou o chuveiro e abraçou Cleber forte, a água morna deslizava pelo corpo dos dois. Cleber disse rindo:

- Quero mijar!

- Mija ué! E então André beijou Cleber com vontade e abraçado com ele sentiu os jatos quentinhos de mijo que vinham com força sobre sua barriga. Os dois começaram a rir no meio do beijo e se descolaram as bocas rindo, Cleber estava mesmo com muita vontade e mijava forte sobre a barriga de André e rindo feito criança arteira que acabava de aprontar...

Quando terminou André falou:

- Hum! - Agora que acabou já posso te chupar de novo...

Cleber deu um riso e disse exclamando em bom som: - Nossaaa!!!!

Mas dizendo isso e ouvindo as palavras de André, automaticamente seu pau começou a dar sinal de vida novamente já ficando meia bomba e logo ele sentiu seu pênis sendo engolido por André e la dentro da boquinha de André seu pau endureceu de vez. Como aquilo estava maravilhoso, a água caindo em seu corpo e ele sendo chupado com vontade; logo ele gozou espirrando jatos e mais jatos de leitinho quente pela boca de Andre. Cleber precisou se apoiar na parede para não cair, pois foi tão forte a sensação da gozada que suas pernas bambearam.

Logo depois do banho eles foram dormir cada um em seu quarto, não queriam dormir juntos, pois os pais de Cleber não sabiam ainda do namoro deles. E seria uma situação desagradável se a mãe de Cleber chegasse pela manhã na casa e encontrasse o filho dormindo na mesma cama que o patrão dela. Seria bem estranho e não era desta maneira que os dois queriam que eles soubessem de tudo.

No dia seguinte uma surpresa desagradável viria até André.

Ele e Cleber estavam conversando tomando um solzinho da manhã de Sábado na beira da piscina, deitados sobre espreguiçadeiras, quando seu Antonio chegou e disse:

- Patão preciso falar com o senhor!

- Diga! - Do que se trata...

- O caso é que sei que o sinhô é um home bão, mas o combinado é que meu filho ficava aqui uns tempos e já ta se passando pra mais de dois mês que ele ta aqui.

- Sim e o que é que tem isso de mais?

- É que ele também tem casa. O irmão dele voltou pra casa, e quero que ele veja o irmão dele. Ele tem que ficar ao menos nos fins de semana com nós.

André ia falar mais foi Cleber quem disse:

- Pai pra que; que vou ficar em casa, o senhor não me ver todo dia aqui com a mãe?

- Vejo, mas seu irmão não.

André disse: - O irmão dele nem gosta dele. E mesmo assim porque então que ele não aparece aqui para ver o Cleber? - Qual foi o dia que proibi ele de vir aqui ver o irmão?

- Mesmo assim, quero que os dois pare com essa pendenga deles. De maneiras que meu filho Lucio hoje me pediu pra mode deixar ele ir na festa la no centro e eu só dexei ele ir se levar o irmão, e Cleber vai pra casa hoje pra sair com o irmão dele mas velho.

- E que festa é essa que o senhor esta falando? Perguntou André.

- Então o senhor num sabe que estamos em mês de Junho e nos fins de semana o centro daqui fica cheio de barracas e tem as quadrilhas se apresentando, é festa Junina, todo o pessoar daqui da região vai pra lá.

- Eu não vou pai, não vou mesmo.

- Vai sim que tu não tem querer, teu pai sou eu.

André então falou: - Tudo bem seu Antonio, o senhor já disse tudo o pai dele é você. Mas só quero lhe advertir de uma coisa, como pai o seu dever é zelar por seu filho, veja bem o que o senhor vai arrumar só isso que lhe aviso.

Então André levantou-se visivelmente aborrecido e pegou na mão de Cleber dizendo: - Venha Cleber, vamos entrar... E os dois saíram, com André dando as costas para Antonio e levando Cleber para dentro de casa.

No fim do dia André viu preocupado Cleber ir embora com os pais. Ele nada podia fazer. Entrou e andou de um lado para o outro. Viu TV, tomou banho, comeu, andou pra la, andou pra cá, ficou pensativo olhando o céu escuro pela janela da sala. Olhou no relógio impaciente e preocupado e viu que já era oito e meia da noite. E então resolveu ir até o centro que ficava bem perto dele. Se arrumou e pôs um casaco pois estava um frio medonho. Não estava chovendo, mas o frio estava castigando.

Chegando próximo ele estacionou o carro em uma calçada de barro, e saindo do carro já viu um palanque montado e de lá de cima um locutor já anunciava a próxima quadrilha:

- Senhoras e senhores, dentro de instantes a quadrilha "Balança o Rabo" estará se apresentando e logo após a quadrilha "Casa Nova".

André se esqueceu um momento de que estava indo ali para ver se Cleber estava bem, pois achou graça no nome e pensou: "Balança o Rabo", isso lá é nome, que engraçado isso. E ele então foi caminhando para o centro da praça onde se aglomerava gente para ver a quadrilha que iria dançar ali, ele foi pedindo licença e se chegando cada vez mais próximo, queria ver pela primeira vez uma quadrilha dançar já que ele sempre foi muito rico e nunca tinha visto aquilo de perto, no máximo tinha visto algo na televisão. Ele chegou perto da corda que separava as pessoas da quadrilha, e o locutor anunciou novamente que a quadrilha ia se apresentar agora. André estava maravilhado vendo aquelas pessoas com aquelas roupas coloridas com remendos nas calças, chapéus de piões. As meninas com longos vestidos de sinhazinha. Aquilo parecia fascinante e diferente aos olhos de André. Foi quando das caixas de som do palanque começou vir à voz mansa de Amelinha cantando "Amar quem já amei". A quadrilha com seus pares formados pareciam desfilar bem devagar, bem lentamente. Moças e rapazes de mãos dadas E a musica tocando:

"Seu moço eu venho de longe não sei onde vou chegar

Não tenho medo de seguir, mas tenho medo de voltar

Plantar, plantar porque homem sou

Plantar, colher para quem não plantou

Amar, amar quem nunca me amou

Ser mais escravo do que hoje sou"

André via a quadrilha entrando lentamente e eis que de repente o som da música com a voz inconfundível de Amelinha se tornava mais rápida e ritmada, o povo assistindo se remexia e involuntariamente o corpo de André também balançava ao ritmo da música. Os rapazes dançavam de forma engraçada levantando poeira com suas botas e em coreografias ritmadas as moças rodavam os imensos vestidos rodados com bambolês. Tudo aquilo era contagiante, os olhos de André nem piscavam maravilhados com a dança. E a música continuava:

"Quando a ida não é boa, a volta não pode prestar

Não tenho medo de seguir, mas tenho medo de voltar

Acreditar no que acreditei, e trabalhar pra quem trabalhei

Amar, amar quem eu já amei

Passar caminhos que já passei."

E quando acabou essa, veio, mas outra de Luis Gonzaga ao som de "Pagode Russo", a quadrilha estava pra lá de animada. E André se remexia junto do povo involuntariamente batendo palmas e escutando a música:

"Ontem eu sonhei que estava em Moscou

Dançando pagode russo na boate Cossacou

Ontem eu sonhei que estava em Moscou

Dançando pagode russo na boate Cossacou

Parecia até um frevo naquele cai e não cai

Parecia até um frevo naquele vai e não vai

Parecia até um frevo naquele cai e não cai

Parecia até um frevo naquele vai e não vai

Vem cá cossaco, cossaco dança agora

Na dança do cossaco, não fica cossaco fora

Vem cá cossaco, cossaco dança agora

Na dança do cossaco, não fica cossaco fora".

E então depois dessa veio outra e mais uma outra música para finalizar. A quadrilha já ia saindo e se despedindo e foi ai que André lembrou que precisava procurar por Cleber. Ele saiu rápido pelo meio do povo, que já esperava vir outra quadrilha, e começou a procurar pelo meio de tanta gente, sem rumo e sem direção, olhava para todos os cantos e avistou ao longe Lucio, chegando mais perto viu ele enganchado com uma garota magrinha e morena, parecendo ter por volta da idade dele, os dois se beijavam e lanchavam, ambos tinham um cachorro quente nas mãos, a menina tomava refrigerante e Lucio estava com um copo de cerveja. Ele ia caminhando e da rua onde estava para atravessar e ir para o outro lado quando ao olhar a esquina, ele viu no canto, sentado ao chão na porta de uma lojinha, sozinho e abandonado, tremendo de frio e completamente esquecido ali, o seu amor Cleber. Ele se enfureceu, mas raciocinou primeiro, puxou o seu celular do bolso e tirou uma foto do Lucio aos amassos com a moreninha e um copo de cerveja na mão e depois tirou outra foto de Clebinho largado ao chão como um mendigo. Ele guardou o seu celular no bolso e foi até Cleber e chegando próximo abaixou-se e chamou ele:

- Cleber!

Cleber sorriu feliz e respondeu: - André!

- Sim, sou eu. Vem levanta dai. - Cadê seu irmão?

- Pedi a ele que comprasse algo pra mim, porque estou com fome e ele esta com o dinheiro que meu pai nos deu, mas ate agora ele não voltou isso já faz muito tempo. Estou varado de fome.

- Calma meu anjo, vem comigo, vou comprar um lanche pra você e depois vamos para casa.

- Mas e meu irmão, se ele aparecer com meu lanche e não me achar?

André olhou para frente do outro lado da rua e vendo Lucio aos risos e todo cheio de galanteios com a moreninha, ele respondeu:

- Ele não vai aparecer, não se preocupe, vamos para casa esta muito frio.

- Esta mesmo estou tremendo de frio.

- Tome meu casaco, pra você se aquecer. - Porque não veio de casaco?

- Eu vim, mas meu irmão pediu para me emprestar ele um minutinho para ele poder ir comprar o lanche e sei lá para onde ele foi com meu casaco.

André tornou olhar para Lucio ao longe enfurecido e pra piorar ele constatou que a moreninha dentro de um vestidinho preto de puta, estava aquecida com o casaco de Cleber por sobre os ombros. Ele pensou: "Desgraçado, hoje não... Mas amanhã você me paga".

Depois de comer e beber, André perguntou:

- Encheu o estomago meu príncipe?

Sorrindo Cleber disse: - Enchi já to satisfeito!

- Então vamos pra casa. E André foi conduzindo Cleber até o carro, eles entraram e foram pra casa.

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

A descoberta,

O primeiro amor,

O abandono

E a esperança...

Tudo isso em: NA LUZ DO TEU OLHAR...

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

A SEGUIR CENAS DO PRÓXIMO CAPÍTULO:

- Você não vai levar meu filho nessa festa, de maneira nenhuma!

- Não só vou como já estou levando ele...

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

- Que horror! - Isso é um escândalo...

- Agora que não perco mesmo nada dessa festa!

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

- Tenho certeza que a morte dele foi por sua culpa André.

- Meu filho morreu por sua culpa...

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

AMADOS LEITORES OBRIGADO A TODOS PELO CARINHO. E PELA RECEPTIVIDADE POR ESSA MINHA HISTÓRIA. ESTOU TENTANDO ME ESFORÇAR AO MÁXIMO PARA QUE SEJA ALGO LEVE E AGRADÁVEL A TODOS VOCÊS. POR CONTA DISSO, QUE FIZ A PRIMEIRA CENA DE SEXO ENTRE O CASAL PROTAGONISTA DA FORMA MAIS LEVE E SUTIL POSSÍVEL. COMO DEVERIA SER A DESCOBERTA DE UM JOVEM ADOLESCENTE INGÊNUO DO INTERIOR. AGUARDEM OS PRÓXIMOS CAPÍTULOS, MUITAS SURPRESAS E REVIRAVOLTAS ESTARÃO POR VIR...

NÃO ESQUEÇAM, TEM CAPÍTULO NOVO DE RAPHAELO TAMBÉM E AMANHÃ SAI OUTRO CAPITULO NOVO. E ESTOU RESPONDENDO SEMPRE O COMENTÁRIO DE VOCÊS, BASTA OLHAR LÁ NO CAPÍTULO ANTERIOR.

QUEM QUISER ENTRAR PRO BATE PAPO DO ZAP O LINK É:

http://chat.whatsapp.com/7jVHR5BZ8rH2FpL0zpYmBM

bJS DO rEnAtO [email protected]@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Comentários

12/07/2018 13:45:11
Eu não estou suportando mais esse Lucio.... Se pudesse arrebentava ele... E que pai é esse Antonio? por mais que ele sea humilde, ele não é burro e isso que ele fez é burrice... Deixar o Cleber ir para a festa no Centro só com o irmão? Ora faça-me o favor... Linda cena de sublime amor entre André e Clebinho!
19/05/2018 17:37:40
TatahFuracao: amiga, saudades de vc. Agora comentando aqui também. quero ver vc comentando em Raphaelo também. publiquei capitulo novo lá e vou publicar um capitulo novo desse aqui também. bjs com saudades.
18/05/2018 02:04:56
Adoreiiiii Me vi numa festa junina! A cegueira afetou Antônio que não enxerga quem é Lucio. Clebinho tem uma pureza d'alma que é encantadora. André um bezerro guloso e justiceiro! Ansiosa pelos próximos capítulos! Bjs migo querido, saudades!
18/05/2018 00:00:47
Healer mas repararam nisso. Tanto que iram falar com o pai dele. Isso aconteceria no próximo capitulo. Mas vc se antecipou. 😂😂😂😂😂😂😂😂😂 agora ja nao vai ser mais surpresa. 😢😢😢😢😢
17/05/2018 22:45:57
Que bom que André tirou fotos para provar aos pais dos garotos a forma que Lucio trata Cleber. Só achei curioso ninguém da comunidade ali prestar atenção nisso, nem um conhecido passando por perto reparou nesse descaso com o rapaz cego, mesmo com a festividade no local. Muito curioso isso.
17/05/2018 18:56:04
Qdo será q esse irmão irá parar de aterrorizar o Cleber. Esperando ansiosa pelo próximo capítulo. Bjs qrdo.
17/05/2018 13:33:09
Geomateus obrigado querido. Se puder leia Raphaelo tambem. Estou agora escrevendo mais um capitulo dessa historia. E mas tarde publico outro capitulo desse conto aqui.💓💞💓💞💓💞💓💞
17/05/2018 13:08:14
Renato Mota te admiro demais.
17/05/2018 11:41:17
Lili93. Êre não. Pq Êre é bonzinho e eu sou atentado e pertubado. Vou voltar como um Exu Mirin. Cantando: é mirim, é mirim,é mirin. É mirim de perlim pimpim... Salve meu Exu Mirim Pedrinho do Cimintério. Um dia te apresento esse garoto endemoniado. 😈😈😈😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂😂
17/05/2018 10:27:43
Amei o capítulo... Exceto pelo monstro do Lúcio, mais tenho certeza que o André vai dar um jeito nisso... Anciosa pelo próximo. E quase morro de rir com o seu comentário no outro capítulo, tenho certeza que você vai voltar do nada como um êre só pra nos matar do coração
17/05/2018 03:42:35
Geomateus vc vai ter um conto cheio de amor e emoçao eu te prometo
17/05/2018 03:41:16
Geomateus obrigado por seu meu fã. Seu carinho é maravilhoso. Bjs
17/05/2018 03:40:18
vit.will o irmao dele vai ter o que merece.
17/05/2018 02:52:32
Gostando muito desse encontro.
17/05/2018 02:51:32
Quero um conto cheio de amor e paixão.
17/05/2018 02:48:16
😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😊😊😁😁😁😀😁😁😁😁😁😁😁😁😁😁😀😀😀😁😀😀😀😀😀😀
17/05/2018 02:47:38
Nota mil para ti.
17/05/2018 02:47:24
Esperamos pela continuação deste linda narrativa.
17/05/2018 02:46:42
Boa noite.
17/05/2018 02:46:29
Cheiro.
17/05/2018 02:46:17
O bem tem que vencer sempre. Um abraço do seu fã que te admira muito.
17/05/2018 02:45:24
O amor é tudo de bom.
16/05/2018 23:38:20
lucio é um desgraçado, fazr maldade com o proprio irmão isso não se faz. já a cena de sexo dos dois foi linda, maravilhosa cena de amor, sentimento sem maldade, apenas inocente...

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


Conto erotico tirando a roupa no baralho pro tioporno negra sitorinha rabu enpinadoSocorro me apaixonei pelo meu filho sexo incesto videosxvidio denguinho analcomtos exitantesO dinha que comi o cu da minhA mae bebAda contos,porno raissa do te peguei gostosasexo oral 2016 nos mamilos bicudos das mulataspapai e filhinha parte3sou travesti eu tirei a virgidade da minha amiga ela chorouxvidio no binha petdeno ocabadoai.minha.bocetamusica.fode.a.minha.boceta.fodenovinhas brazileira tesuda pediu pro macho todado soca ate o talo ela por cima pra levantar mesmo taradaconto comi minha sobrinha na pescariacontos de gozadas nas bundas grande de coroaswww.hentai desenhos descabaçando alunas vigens safadasmenina orfanato cu conto contos eróticos de submissão e pregadores nos seioscasadas traidora não aguentou a jeba grande e se arenpendeu caiu na netprovoquei tanto meu motorista e fudeporno-fodas no quarto e o vinnho maltravesri pau 40centrimo fode amigocontoerotico eu namorada mae e tiocontos eroticos , meu padastro sempre mim desejava , mim pegou a força , dou o cuzinho mas sofro muito ele tem um pauzaomulhes fudedo deto do karo o cupadrasto covarde dano o pau pra sua entiada de nove anos chuparvídeo pornô vídeo pornô novinha mais gostosa que tem um cavaquinho seco e gostosocontos eroticos sogro com genronovinha arregaca buceta doendo muitochupeicontoscontos eroticos betty vagabundaXVídeos mulheres de baby doll calcinha quando a pele já mostrando para os visitantesvidioporno/fodanaconstrucaoeu chego do meu colégio tenho 18 anos e estou louca para transar com meu tio e meu tio tá com a piroca dura e parado para responder agora e vou deixar ele gozar no meio da minha Rachinhanao resistiu ao corpo lindo da cunhada cinquentona gostosaincesto com meu vô contosmulheres mortas com a bucta scheia de porraPadre não é homem conto eróticosroçadinha menininha gostosinha japinhaesposa fica locona e da pra varios porno nacionalvideos curtos de cunhado fudendo gostoso o cu de cunhada negra brasileiravideo de incesto nisseibabá da nuvem passageira filme pornôvideo curtinhonovinha gozando pelo cuzinhomeninas caipirinhas lindas com a buceta encharcada de tesao metendo muito paus grandesxvidio fudelaNçaacontos crente casada quis experimentar no cu e se arrependeudiscabacando o cu do gordinhoconto+inquilino pirocudose esfragando na rabuda até comer elaConto gay - "fodido por um tritão"ksalswing2011ver gostosas que presisou rasgar o seu chortinho de putinha para dar a bucetavídeo de uma mulher é o cara para tirar a virgindade dela pegando ela pulsacontos erotico curvada frente namoradocretinha vergonhosa mas gosta de mastubanovinha parece um anjodando o cu fotosXVídeos sobrinho comendo a buceta de mulhe de tio45 anosconto cumenndo o cu da sogra afosacontos erticos negão de pau gigante ragando cu de passivo sem dogerusa chupando minha picacontos eroticos de nois dois enrrabadosvideos de com mulheres muito gostosa muito esitada dizendo qui ta muito gosto que è pra comer o cuzao delasfemera gorda. sexo traficanteConto erotico filha apanha pq estourou o cartãocontos,eroticos,de,gays novinhos sendo estuprado por jovens craquesbaiano chupando clitori e falando besteirascontos eroticos gay de novinho sentei no pau grande e judiei deleContos wroticos raspei a xoxota da minha enteas