Joguinho de sedução da detenta - terceiro dia


Click to Download this video!
Um conto erótico de jornalista77
Categoria: Heterossexual
Data: 09/08/2017 23:55:49
Nota 10.00

O terceiro dia de viagem começaria cedo. Luciano queria recuperar o tempo perdido do dia anterior e entregar logo Dana na cadeia. Tudo pronto, a morena resolveu irritar seu carcereiro mais um pouco.

- Meus queridos, antes de retomarmos nossa deliciosa viagem, gostaria de agradecer a noite maravilhosa que vocês me proporcionaram, algemada nesse sofá do século passado. O século que você nasceu, não foi lindinho? – provocou, olhando para Luciano. Nicole segurou o riso, virando de costas, e ele deu um passo na direção de Dana com o punho cerrado. - Preciso ir ao banheiro - falou, fazendo-o parar. Luciano não gostou nada e tentou recusar, mas Nicole interveio.

- Eu a levo. Você pode nos esperar no carro, Luciano - afirmou. Pegou Dana pela mão e foram ao banheiro. Mal fecharam a porta, a morena espremeu a policial contra a parede e a beijou com paixão. Nicole retribuiu e ergueu a perna dela, tocando sua boceta por cima da roupa. - Nós somos loucas. Ele ainda pode estar no quarto e nos ouvir - disse Nicole, sem parar de beijá-la um instante sequer.

- Eu quero que ele se foda. Por causa dele, perdi a chance de dormir com você, de conchinha, sentindo teu corpinho nu, quente, suado, teu peitinho na minha mão. E agora só teremos mais uma noite. Precisamos dar um jeito de dormir juntas ou eu vou enlouquecer - afirmou.

- Mas, como? Só se pegássemos dois quartos, o que não vai acontecer. Eu também quero, mas não dá - concluiu Nicole.

- Tem um jeito, Nicky. Se a gente drogar o sacripanta. Esses remédios pra dormir são tiro e queda. Coloca na bebida dele o suficiente para só acordar de manhã. O imbecil desaba e a gente passa a noite nos braços uma da outra. Será como nossa noite de núpcias - Nicole ficou pensativa e Dana abriu o zíper da calça dela. Meteu a mão livre da algema e começou a masturbá-la. Nicole se encostou na porta e fechou os olhos, puxando a cabeça de Dana para abraçá-la. A morena beijou seu pescoço e seus lábios. Os dedinhos dela se movimentavam deliciosamente dentro da calcinha da loira, sentindo a xoxota pulsar e ter espasmos. Por fim, Nicole gozou e seu corpo teve contrações fortes. Se abraçaram e se beijaram mais uma vez. Dana retirou os dedos e os chupou. - Teu gostinho é maravilhoso. Vou adorar te chupar a noite toda, meu amor – sussurrou.

Reiniciaram a viagem. Dana foi algemada ao banco traseiro e Nicole se acomodou no banco do passageiro. Luciano perguntou se ela queria dirigir, mas ela recusou.

- O que eu quero mesmo é soltar a Dana daquelas algemas. O pulso dela tá machucado – falou.

- De jeito nenhum. É até bom que esteja mesmo muito machucado. Quanto mais, melhor. Assim, ela se lembra do que fez e se arrepende. Com marginais como ela, todo sofrimento é pouco – afirmou o policial.

- Pelo amor de Deus, Luciano, para de falar isso. Você é um agente da lei e não um vingador, um cara sem coração. Ela já foi julgada e sentenciada. Nosso papel é apenas transportá-la e não torturá-la – disse Nicole. Luciano não falou mais e Dana vibrou com a defesa de Nicky. Esperou que ela a olhasse pelo retrovisor e mandou um beijo. A viagem seguiu em silêncio absoluto. Apenas Dana cantarolava baixinho e assobiava. Luciano a mandou calar a boca. – Ela não pode nem mesmo assobiar? Quando você se tornou esse tirano, Luciano? – reagiu Nicole.

- Escuta aqui, Agente Nicole, estou ficando de saco cheio dessa sua atitude e dessa proteção toda com a assassina. Acho melhor você começar a me respeitar – exigiu Luciano.

- E eu estou de saco cheio de ver você ser grosseiro e maltratá-la sem razão nenhuma. A Dana tem tido um comportamento exemplar até aqui e você só faz ameaçá-la e ofendê-la. Quer meu respeito? Mereça-o – rebateu Nicole. – E entre na cidade porque eu preciso ir a uma farmácia – determinou, se recusando a dizer o motivo. Dana entendeu e riu baixinho. Luciano não teve escolha a não ser entrar na cidade seguinte e parar em frente a uma farmácia. Perguntou o que ela queria que ele compraria. – Você fica aqui e eu vou. E não quero vê-la machucada quando voltar – avisou. Nicole entrou na drogaria e voltou de lá com uma sacola cheia. Em vez de entrar no banco da frente, entrou no traseiro e fechou a janelinha, isolando os bancos frontais. – Pode dirigir que vou cuidar do pulso dela – falou. Virou-se para Dana e beijou sua boca. – Deixa eu tirar essa algema e cuidar de você – disse ela. A morena sorriu feliz e, assim que foi solta, a abraçou e trocaram um longo e delicioso beijo de língua.

- Amei as coisas que você falou pra ele. Você é maravilhosa – disse.

- Não tava mais aguentando ele falar com você daquele jeito e eu ficar calada. Ele precisa respeitar você – afirmou Nicole, limpando o pulso de Dana e passando um antisséptico. Enrolou uma gaze e perguntou se estava melhor. Dana respondeu com outro beijo. – Olha o que eu trouxe pra você – disse Nicky, mostrando um pote de sorvete de chocolate. – Gosta? – perguntou. Dana disse que amava e Nicole começou a lhe servir na boca. Dana melou o dedo no sorvete e levou à boca da policial, que o chupou lentamente. Nicole a deitou no seu braço e colocou a mão por dentro da sua calça. Começou a masturbá-la bem devagar, olhando-a apaixonadamente nos olhos. Dana se contorcia nos braços dela e gemia baixinho para não chamar a atenção de Luciano. Nicole beijou sua boca, ajudando-a a abafar os gemidos. A xota de Dana começou a pulsar e seu corpo tinha espasmos fortes. Ela gozou, melando a mão de Nicole. Ambas chuparam seu mel e voltaram a se beijar. Dana se deitou nos braços de Nicky e continuaram a viagem.

- Você comprou o remédio? – perguntou baixinho. Nicole respondeu, mostrando o frasco.

- Esta noite será só nossa, sem nenhum sacripanta para nos atrapalhar – afirmou a agente federal. Dana riu e a beijou. Nicole permaneceu no banco traseiro e com a janelinha fechada. Perto de anoitecer, Luciano parou em um restaurante para jantarem.

- Escute, não quero mais brigar com você. Nossa missão está quase completa, mais algumas horas e entregamos a assassina. Aí, podemos voltar ao que éramos antes. Por isso, eu quero te propor que nós sigamos viagem na madrugada. Se você dirigir uma parte do caminho, eu assumo o resto e resolvemos isso logo no começo do dia – falou ele. Nicole pensou um pouco antes de responder.

- Tudo bem, como você quiser. Vamos jantar que estou morrendo de fome – respondeu. Dana não entendeu por que ela aceitou aquela ideia já que iria contra os planos das duas de dormirem juntas. – Confia em mim – cochichou Nicole. Sentaram à mesa e fizeram os pedidos. Dana se sentou ao lado de Nicole e colocou sua mão na coxa da policial, por baixo da mesa. – Luciano, você poderia pegar guardanapo no bar, por favor? – pediu Nicole. Luciano se levantou e, na sua ausência, Nicky tirou o frasco de sonífero da bolsa e pingou algumas gotas no suco que ele tomava. Dana começou a rir, entendendo o plano da amante. – Ele vai capotar e dormir a noite inteira. Amanhã, digo que não seguimos viagem porque ele dormiu – falou Nicole.

- Maravilha. Bota mais um pouquinho pra ele dormir até mais tarde – sugeriu Dana. Nicole pingou mais algumas gotas e guardou o frasco. O plano começou a dar resultado no final do jantar. Luciano se desequilibrou ao se levantar e reclamou de muito cansaço no caminho para o carro. Nicole abriu a porta traseira e Dana o empurrou para dentro. As duas entraram na parte da frente e trocaram um longo beijo de língua. – Vamos a um motel. Quero saborear teu corpo a noite todinha – disse Dana. Nicole parou no primeiro motel que viu e as duas pediram o melhor quarto que houvesse. Carregaram Luciano para dentro e o jogaram em cima do sofá. – A gente podia algemar esse desgraçado e deixá-lo preso a noite toda, como fez comigo ontem – falou Dana. Nicole começou a rir da ideia e entregou suas algemas a ela. Dana vibrou e prendeu os pulsos do policial de um modo a machucá-los. – Pronto. Estou parcialmente vingada – afirmou. Nicole a abraçou por trás e beijou seu pescoço, acariciando seus seios.

- Esquece ele e se concentra em mim – sussurrou. Dana se virou e se beijaram. Em seguida, pediu que Nicky a esperasse na cama que ela já voltava. Foi ao banheiro e fechou a porta. Nicole tirou a roupa e se deitou por baixo das cobertas. Iniciou uma masturbação lenta e gostosa, querendo ficar meladinha para quando Dana voltasse. Acariciou os seios e gemeu baixinho. – Vem logo, amor. Tá demorando demais – gritou. Dana voltou ao quarto e surgiu completamente nua e com os cabelos molhados. Apagou as luzes, deixando o quarto na penumbra, e se aproximou da cama lentamente. Nicole sentiu sua boceta piscar de tesão. Dana parou ao lado da cama e se curvou sobre ela. Segurou o pezinho de Nicole e o beijou delicadamente. Passou a língua pelos dedos e colocou o dedão na boca, sugando-o deliciosamente. O corpo de Nicole ardia intensamente e ela gemia de olhos fechados. Dana lambeu a sola dos pés, voltou a beijá-los e a sugar os dedos. Foi subindo com a língua pelas pernas, passando pelas panturrilhas, joelhos e coxas. Concentrou-se na parte interna delas, beijando e dando mordidinhas. Sentia o cheiro delicioso da boceta melada e excitada de Nicole. Esfregou o nariz nela e circulou os grandes lábios com a língua. – Que delícia... meu corpo tá quase explodindo – falou Nicky. Dana passou direto pela boceta, lambeu a cinturinha da policial, beijou sua barriga, umbigo e chegou aos seios. Segurou um deles, pincelou o mamilo com a língua e o colocou na boca, sugando-o delicadamente. Após mamar os dois seios, ajoelhou-se na cama e encaixou suas pernas entre as de Nicole, encostando as vaginas e esfregando-as. Nicole foi à loucura e gemeu escandalosamente enquanto ambas atingiam seus primeiros orgasmos da noite.

- Pela primeira vez, estou gostando de estar presa. Me deu a chance de conhecer você e me apaixonar de verdade. Agora, eu sei que jamais amei ninguém na minha vida, pois nunca senti por elas o que eu sinto por você – disse Dana. As duas se abraçaram e se beijaram, rolando na cama de um lado para o outro. As mãos passeavam pelo corpo da outra, acariciando as costas, seios e bundas. Não paravam de se beijar ou chupar as línguas. Nicole revirava os olhos de prazer com os toques de Dana. Seu corpo estava em brasa e a morena sabia os locais certos para excitar a loirinha. Nicole pediu para chupá-la e Dana se sentou em seu rosto. A loira segurou sua bunda e enfiou a língua na xoxota da morena. Dana uivou de tesão e começou a rebolar, melando o rostinho de Nicole. A policial a lambeu e a sugou com enorme competência, fazendo-a gozar mais uma vez. Dana se virou e iniciaram um 69. Nicole continuava com acesso total à bunda da amante e resolveu brincar com seu cuzinho. Lambeu e babou bastante antes de enfiar um dedo. Dana contraiu o corpo todo com a invasão e não conteve um gemido longo e prazeroso. – Come minha bunda, amor. Eu adoro – falou. Nicole atendeu ao seu pedido e passou a fodê-la com o dedo. – Mete mais. Eu aguento – pediu. A loira, então, enfiou um segundo e, pouco depois, um terceiro. Passou a fodê-la com três dedos totalmente enfiados e Dana enlouqueceu, gritando sem controle e jogando a cabeça para todos os lados. Nicole engoliu seu clitóris, sugando com força e sem tirar os dedos do cuzinho. Dana não resistiu e gozou mais uma vez. As duas pararam para descansar um pouco e retomar o fôlego, deitando-se uma nos braços da outra.

- Você é a primeira mulher com quem eu transo e jamais senti tanto prazer na cama. Você me conquistou naquele beijo na delegacia. Ele acendeu um fogareiro em mim que não tive mais controle – contou Nicole.

- Meu fogareiro foi aceso quando você entrou na sala. Depois do beijo, comecei a pensar em maneiras de ter você nos meus braços, de sentir teu gostinho outra vez. Jamais iria me perdoar se não te tivesse de novo – afirmou Dana. A morena abraçou Nicole por trás, de conchinha, e beijou suavemente seu pescoço. A loirinha estremeceu e sentiu a mãozinha de Dana tocando seus seios e os dedinhos dela descendo pelo corpo em direção à vagina. A pontinha deles tocou o clitóris e Nicole levou um choque, gemendo baixinho e se encolhendo mais nos braços da outra. Dana lambeu sua orelha, mordeu a pontinha e começou a masturbá-la. Meteu o dedo médio na boceta. Nicole agarrou a outra mão dela e se derreteu com a siririca. Não demorou muito e gozou. Dana retirou a mão melada e a ofereceu para Nicky lamber o próprio mel. A virou de frente e se beijaram. Tiraram um tempinho mais uma vez para descansar e namorar um pouco. – Me fala da tua filhinha – pediu Dana. Os olhos de Nicole brilharam nesse momento e ela buscou o celular para mostrar fotos da garotinha.

- O nome dela é Julia, tem quatro aninhos. É o grande amor da minha vida, minha bonequinha e minha parceirinha – se derramou.

- Ela é lindinha demais. Parece com você. Onde ela está? Com o pai? – perguntou Dana.

- Com meus pais. O pai dela nem liga pra bichinha. O máximo que faz é mandar presente no aniversário dela e no Natal. Ele foi a maior burrada da minha vida. Era casado e me garantiu que se separaria para ficar comigo. Tudo mentira e a estúpida aqui acreditou. Hoje, tá lá com a esposa. Ao menos, paga pensão. Tem medo por eu ser policial federal – contou.

- Você não é estúpida. Ele sim é um canalha. Como todos os homens, aliás. Sua filhinha não precisa de um pai desses – afirmou Dana. As duas se levantaram e foram tomar um banho. Na passagem, Dana deu um tapa em Luciano. Riu e se sentou no sofá, dando vários outros e rindo. – É tão legal – falou. Nicole a puxou pela mão e a levou pro chuveiro. Tomaram um banho em meio a muitos beijos, carinhos e mais masturbações e orgasmos. Voltaram pra cama e dormiram nuas e abraçadas. Nicole acordou primeiro e ficou olhando Dana dormindo em seus braços. A garota acordou e sorriu ao vê-la observando-a. – Bom dia, amorzinho – falou, se espreguiçando.

- Bom dia. Dana, vai embora. Aproveita que o Luciano tá ferrado no sono e foge. Não vou conseguir te entregar na cadeia. Vai embora, por favor – sugeriu Nicole.

No próximo conto, o fechamento da história. O que vocês acham, ela foge ou não???

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
10/08/2017 08:33:37
Vc já escreveu contos com final alternativo. Não creio ser o caso, mas final sugestionado nunca agrada a todos. As duas poderiam fugir e termina o conto sendo procuradas
10/08/2017 07:53:18
Muito bom.
10/08/2017 01:38:38
Bom vc poderia narrar a prisão e depois ela saindo e as duas ficando juntas uma sugestão
10/08/2017 00:58:18
mto bom




Online porn video at mobile phone


Xxvidios meninas bem nobonha no cio loca pra fodersilenciosa porno parte 2 contosporno primo cupinsquero ver a xoxotinha da minha irmã de Lurdinharelato d novinha perdendo o cabacinho com padrasto e mae juntocasa dos contos eroticos com sobrinhos chupador de bucetamarisa chupando meu paucontos incesto mae gtsconto erotico sexo com soldadoquero ver um filme de pornô de um veado perdendo a virgindade do c****** pela primeira vez sendo bem judiadoporno doido eu vinha na rua naprasa de noite mim fudeiroXVídeos brasileiras mulheres Mutantes para marido chamando nome de outro caseirogostosas com traseiro largo de biquinesgostosa.foi.faser.xixi e.tarado.atacolContos porno com motoristacarolzinha ninja trepanoporno piruca cabeçuda na novinhaAmém tempinho comendo veado vídeo pornô vídeoContos chupei a buceta da janaraacetona gulosa chorando engolindo picaxvideo gratis nao nao para to com dor de barria esse pau muito grande no meu cypatrao do pao gigante fode estagiario mundobichaporno travesti enbebedando omemconto marido pagou home de progama para come sua mulher ela ainda deu cufui foder com o cara do pau enormi e min lasqei xvideos xxxxeu quero pornografia pornografia as meninas retada os cabelo achando tudo grandepornordoido mulher gostosa em garganta profunda engolindo opau todomulher caga incontrolavelmente no sexoconto erotico fudendo fudendo uma velha feia e fedidavideos de homem pecando na puçeta de a coroasorvetinho com vovo. incestocontos traindo meu marido com ele do meu ladodeixou até ele chupar o pescoço dela porque a pessoa só deixa quando está bem estigado alixxvideospauzaopastora bucetuda de fil dentalcontos erótico com marido tampa os olhos da esposaContos eroticos sexo a 3 no acampamentocontos incestos mãe mais lidos 2017tarado nuonibuporno mirou na buceta e acentou o cux videos sogra da remedio pra genro durmir e senta no pau delex vidio vovinha safada caiuhomem metendo a pica no c* da Ravenajenivan porno gay xvideosxvídéo homem agarrar a mulher com outro homem e pegar o cu delebucetinha novinha estralandoxvideoscontos erotico chantagiei e depilei minha sogracasa dos contos/turbo negroxvideos com pomba gira brasileiros encorporadasdoce nanda parte cinco contos eroticosconto erotico gay vovo deu leite pro netinhocontos eroticos , isso geme putinhanegão pegando as baixinhas danadinha e g******Aliviando os funcionarios contos eróticoscasa dos contos de nick malconcontos eroticos de putas e putoscontos gay de escravos e o filho do patrãocontos de sexo quente com mendigos sujos e taradosporno namorada nao gue da cu mai eu votetacontos eu novinha negao empurrou baita pintao no meu cuXVídeos de debulha sercocontos erotico,meu genro me enrrabou dormindoaluna novinha boqueteira eu confessoquero ver mulher de vestido curtinho mostrando o bumbum fazendo movimentona camapornodoido homen de quecao com o pau duroaluna do mar Ivone da chupando o pau do caraporno doido prima 18 anos escurinha afoorsaconto erotico com anal arrombei a mulher do meu compadreBuceta de porca ou cadela qual mas apertadasedusio empregadinha virgem ate fude laxvidiomulheres do olho puxadofilha novinha enbebedano o paicasada sendo enrabada no forro conto eroticobotando a garganta da gostosa pra estufarOs garotos me comeram contoela vingi q ta dormindo .mas a pica ja/entroumtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1rairodigo