Casa dos Contos Eróticos


Click to this video!

Transformei-me em Amante da minha Tia (Relato 100% verídico)

Autor: Professor JR
Categoria: Heterossexual
Data: 08/05/2017 17:28:18
Última revisão: 08/05/2017 18:06:16
Nota 9.89

Esse é um relato completamente real, que aconteceu comigo a quase um ano atrás, e como está quase fazendo aniversario do acontecimento, sinto que tenho que compartilhar o ocorrido.Sei que talvez o relato até os dias atuais fique um pouco comprido, então provavelmente terei que dividir por etapas, embora tentarei resumir somente aos detalhes mais pertinentes.Aqui, a única coisa que aqui irei mudar, é meu nome e talvez o nome de todos envolvidos, mas tudo aqui citado é verídico, primeiramente vou me apresentar. Meu nome é Denis (Deninho), moro na cidade de Jundiaí SP, tenho 27 anos, me considero um cara normal, não sou do tipo bonitão, mas também não sou um cara feio,trabalho como professor de musica e toco na noite, não sou do tipo baladeiro, que sai apenas para putaria e se vangloriando por isso, sou um cara relativamente reservado, muito discreto em praticamente tudo o que faço, sou considerado por muitos amigos e familiares, um cara serio, embora sempre brincalhão, leva tudo com muita seriedade.Tenho 1,73 de altura, e talvez um pouquinho acima do peso, mas ainda assim fortinho, sou moreno claro, tenho cabelo cumprido ondulado e a barba grande(sim,praticamente um estereótipo de um clássico “roqueiro”, mas como professor de musica, sou um cara que ouve de tudo mesmo). Não me considero um cara dotado, mas creio que estou dentro da media, ainda que seja um cara bem reservado tenho uma disposição imensa. sempre pronto para o que vier.

Mas enfim, sempre gostei de todo tipo de mulher, desde que não seja frescurenta, o que de certa forma é bem raro nos dias de hoje, mas de certa forma sempre fui atraído mais por mulheres maduras que não seria tão frescurentas e sabem exatamente o que quere, como certas menininhas que vemos por ai; e claro, sempre gostei muito de gordinhas, seja das que apenas estão um pouco acima do peso, ou das bem mais cheinhas, tanto que o meu primeiro namoro na escola foi com uma gordinha, e ainda algum tempo depois, um dos primeiros contatos que tive com pornografia foi na escola, quando em uma das aulas de informática que tínhamos, um colega colocou fotos de uma mulher bem gorda que achara em algum site e enquanto todos riam e zoavam, eu no fundo me senti algo diferente, e a partir de então, mesmo sendo algo diferente e até repudiado pelos colegas, passei a pesquisar por quase tudo o que era relacionado a gordinhas, bbw, mulheres grandes, etc. seja vídeo ou fotos, o que na época rendia inúmeras punhetas... Tenho que confessar que mesmo me relacionando com mulheres de todo tipo, ainda sinto um tesão gigantesco e inexplicável por gordinhas, só de ver alguma passando na rua, já fico maluco...nunca parei para contar, mas creio que muitas relações e namoradas que tive, maior parte era com gordinhas, que futuramente posso vir a relatar alguns casos, porém o que aconteceu, foi além disso,muito além, algo que sinceramente, nunca tinha imaginado que aconteceria comigo.

Tudo começou de forma mais inesperada possível, há mais ou menos um ano e meio, fomos visitar parentes que moravam em outra cidade, fomos todos para ficar um final de semana, na casa dos meus tios, éramos eu, meus pais e minha irmã que é mais velha que eu. Meus tios não moram tão longe assim, porém devido a correria do dia a dia, era meio complicado deles poderem vir nos visitar, e já fazia um bom tempo que não nos víamos,acho que por volta de oito anos ou bem mais que isso, que nem me recordo. Eles moram em um apartamento relativamente pequeno em um condomínio, que na realidade não tinha muito espaço para tantas visitas, ainda mais inesperadas, no caso era nós quatro, mas como de costume, desde pequeno me lembro de que sempre se dava um jeitinho e arrumava um lugarzinho para todos, tendo o quarto da minha prima e um quarto de visitas que na realidade era usado como "oficina" para concertos de computadores, que meu tio trabalhava ou mesmo na sala, sempre puxando um colchão ou mesmo dormindo no sofá.

Fazia um bom tempo que não nos víamos, e devido ao tempo, muitas mudanças ocorrem, tanto físicas quanto comportamentais, nossa forma de pensar muda e pequenas coisas que não damos tanto valor, com o tempo passamos a observar e talvez valorizar. Não pude deixar de reparar que minha tia, uma mulher muito simpática, brincalhona com um sorriso lindo, me chamara muito a atenção, uma coroa beirando os cinquenta, embora ela tivesse mania de andar dentro de casa meio desajeitada,com roupas bem folgadas e até meio descabelada, mas não sei bem o porque, agora ela despertava sentimentos diferentes em minha mente.Uma morena, de cabelos escuros e cacheados, estatura media, com uma bunda bem avantajada que se destaca com uma curva deliciosa na cintura, do tipo "pera" com umas coxas bem grandes e um belo par de peitos gigantes, de certa forma, ela é uma mulher bem simples, não do tipo que se produz e que vive apenas para ficar se maquiando nem nada do tipo,ao meu ver, a beleza está na simplicidade,pra mim, era bonita não só pelas características físicas que me atraia, mas como um todo, sei que não seria disputada pela maioria dos homens, mas é justamente nessa simplicidade que eu gostava.

Momentaneamente, pensei: "nossa, a titia está bem diferente, ou será que não tinha reparado antes? já vi filmes pornô com mulheres bem menos atraentes que ela, acho que daria até pra ela fazer um filme pornô com essas características... o que será que está escondido por baixo desses panos?? ah pare com isso cara, ela é sua tia". Me auto reprovava...

Em meio às conversas que iam e vinham entre todos na sala, me peguei varias vezes secando as pernas dela, e às vezes, ao cruzar olhares, eu dava uma bela disfarçada, e novamente me reprovando: "o que é isso cara, ta ficando louco? respeite, pois ela é sua tia". Realmente achava aquilo errado, não poderia ficar pensando nisso.

A partir dai, comecei a perceber comecei a me policiar para evitar tais pensamentos, que julgava ser errado e acreditava que passaria em breve, seria apenas coisas do momento e esqueceria isso tudo em breve. Porém aqueles pensamentos estavam cada vez mais fortes, fazendo com que em certos momentos, durante conversas eu não prestava a atenção, tendo que pedir desculpas e perguntar qual mesmo era a pergunta, gerando risadas e até perguntas;

- "Está viajando no mundo da lua? Acooorda!"

Realmente estava viajando, mas no mundo diferente, naquele mundo, a putaria que reinava, e que se expandira em minha mente, o que fez com que eu dormisse bem pouco aquela noite, apenas pensando em minha tia:

- como seria ela completamente nua?, Como seria fazer sexo com ela? Seria isso errado, um caso entre tia e sobrinho? Será que estou ficando louco?

E entre labirintos mentais sempre terminava em um bloqueio, dizendo o quanto isso era errado e impossível de acontecer.

No dia seguinte, todos tomavam café e conversavam a respeito do que faríamos naquele domingo, entre ideias de irem para um parque ou shopping, depois de um bom tempo de conversa fiada, chegamos à conclusão de ir ao parque, um lugar bem tranquilo para se passar em família, que teria lago, pedalinho e até local para se fazer churrasco, entre outras coisas que todos adoram ir quando vão pra lá como musica ao vivo, brincadeira para a criançada etc..

Quando estava praticamente desligado daquelas ideias que teria no dia anterior, assistindo tv na sala com minha prima e minha irmã às vezes jogando conversa fora, quando escuto o barulho da porta do banheiro se abrindo,como era minha vez de ir tomar banho já me levantei para ir ao banheiro e não ficar embaçando, já que tinha passado um bom tempo e eu seria o ultimo a ir tomar banho, quando sai minha tia correndo com uma toalha enrolada ao corpo, rindo e dizendo "não olhem, não olhem, esqueci de pegar minha roupa!" e correu para o quarto dela se trancando enquanto ainda ria alto, Momento em que fiquei paralisado ao meio da sala, ao me ligar que enquanto ela corria e a toalha se balançava, pude ver aquela bunda branca enorme por alguns milésimos de segundos, o que foi o suficiente para me dar novamente aquela explosão de ideias em minha cabeça, e voltar a pensar a respeito da minha querida tia...fui tomar banho e não pude deixar de imaginar o quanto seria bom trepar com ela, só de lembrar daquela bunda gostosa balançando em câmera lenta enquanto corria,lembro que tive a ideia até de tocar uma punha enquanto tomava banho, mas nem mesmo comecei, já que novamente, ainda uma parte de mim, reprovava essa ideia, que isso seria muito errado e eu deveria esquecer de uma vez por todas...

Depois do banho que tomei rapidamente, sai do banheiro, e ao chegar à cozinha onde quase todos estavam presentes e conversando, notei que a minha tia estava lá sentada na cadeira da mesa,ela estava de cabelo preso, tipo coque, com algumas mechas sobre o rosto, vestia uma roupa do tipo "esportiva" e digo que até bem ousada pra alguém que era bem religiosa no passado, uma camiseta ligeiramente larga que foi rasgada as mangas e a gola propositalmente, muito usado por pessoas em meio esportivo para correr e fazer atividades físicas, com um tipo de top por baixo, aquilo me deixou louco, mas sem deixar transparecer, sempre dava umas olhadas, vendo seus braços bem gordinhos balançavam enquanto ela gesticulava ou ria de algo,quando pra minha surpresa, ela levantou e foi até o filtro da pia pegar água e pude ver que ela vestia uma calça clara, muito apertada, toda estampada que era bem apertada e valorizava ainda mais as curvas de sua bunda além de deixar marcado a sua calcinha, aquela bunda redonda, que parecia um uma sessão de hipnose a cada passo que dava... Já não conseguia mais negar meus sentimentos, eu queria e precisava chegar junto, mas não sabia como. Eu tinha que bolar algum plano, agora como faria isso, tendo apenas menos de um dia de visita até regressar pra minha casa? Fomos em dois carros separados, mas acabei indo junto com meu tio, minha tia e minha prima e pude perceber que rolava um clima meio estranho entre eles, e na realidade quando eu conversava, era mais com a minha prima ou minha tia, só ai que percebi que meu tio respondia tudo de forma muito monossilábica pra mim, a principio achei estranho, mas ai foi que percebi que na noite passada, ele sempre estava muito distante e bem fechado na dele, mal conversava e quando respondia era apenas o básico, não fazia muitas perguntas e nem fazia muita questão de dar continuidade nas conversas, a partir dai, já fazia ideia de que havia tido algum tipo de discussão entre os dois e provavelmente por isso estava aquele clima estranho.

Entre uma conversa e outra a caminho do parque, sempre puxava assunto para quebrar o gelo, e talvez pelo momento estava um pouco nervoso com a situação de sentir atração pela minha tia, tentar não deixar isso a vista e tentar ainda contornar aquele clima estranho entre os dois era algo bem difícil,quase sempre que o assunto terminava, ficava aquele silencio atordoante, qual me dei por vencido e desisti de ficar puxando assunto,participando também do silencio,aproveitei o momento para refletir e planejar como que um sobrinho de 25 anos na época poderia chegar junto em uma tia de quarenta e poucos anos a beira dos 50ão??. tudo que pensava tinha falhas,entre as principais, era que o apartamento era um local pequeno, tenho poucas horas para criar e por o plano em ação, muitas pessoas próximas que sequer podiam imaginar que eu estava com más intenções pra cima de minha própria tia, eu não dirijo e não tenho como pegar o carro, além do mais não queria fazer nada correndo, pra não acabar estragando aquele vinculo familiar,ou seja, não tinha como fazer esquema algum, provavelmente essa ideia maluca não tinha como dar certo, já tinha dado errado antes mesmo de começar, e eu ficaria só na vontade mesmo...

Chegando ao parque, estacionamos o carro e nos encontramos lá num quiosque, qual vendia sorvete, lanches e tal, e enquanto todos pegavam algo, percebi que minha tia estava meio inquieta e chamou minha irmã de lado e logo após sairão em direção a pista de caminhada dizendo que iriam em busca do aluguel de bicicletas que tinha por ali e seguiram adiante, dei alguma desculpa e segui elas de longe, olhando aquela bunda que se destacava no meio das pessoas correndo e caminhando, mas o que martelava em minha cabeça era que eu tinha que me conformar que não iria conseguir nada.

Depois de alguns minutos caminhando, vi elas pararam em outro quiosque mais a frente e ela comprou uma latinha de cerveja, achei estranho, pois não me lembrava de vê-la bebendo em nenhuma outra situação nem mesmo em festa, mas também não lembrava de vela se vestindo daquele jeito, então deixei quieto pois as coisas mudam,e voltei dali mesmo, sem que elas me vissem e novamente me juntei a família toda que estava sentado numa área tipo de alimentação.

Enquanto todos riam e conversavam, eu estava lá, quieto, com a cabeça ainda tentando maquinar algum plano, lembro até que minha prima brincou:

-Nossa Denis, você está muito calado, distante, o que estava acontecendo? Deixou alguma namorada pra trás é? Fica triste não, logo você volta pra ela, rsrs

Passado algum tempo, minha tia e minha irmã apareceram empurrando duas bicicleta, ambas suadas, talvez devido ao calor imenso que fazia no dia e por terem dado umas pedaladas, novamente se juntaram a nós, notei que minha tia estava mais alegre, um pouco além do normal, brincando um pouco mais do que estava mais cedo no carro,mas novamente deixei quieto e não comentei nada, apenas observando...ela toda suada, transpirava muito, parece que quando batia o vento, podia sentir o cheiro dela, um cheiro doce e forte que eu podia sentir de longe,até pensei que parecia que ela estava no cio, e eu era um cachorro louco e ensandecido querendo correr atrás dela...

Pegando a bicicleta da minha irmã sai em direção a pista para dar umas pedaladas, quando escuto a minha dizendo pra esperar por ela, que iria junto comigo, pois ela precisava se movimentar mais... Pedalando devagar, propositalmente a deixei quase sempre ficar em minha frente, para ver aquela bunda por trás, movimentando lentamente enquanto ela pedalava, ainda sentia seu cheiro que ficava pra trás, com a brisa que batia, coisa linda de se ver, era praticamente uma obra de arte aquela bunda em movimento. Depois de algumas voltas pela pista, paramos no quiosque novamente, e pegamos água e paramos para descansar daquele sol que parecia vir diretamente do deserto, ao sentar em uma pedra debaixo de algumas arvores, vi a roda de suor que se formara discretamente aquela calça clara bem no meio das pernas, entre sua bunda e a boceta, bem na parte que fica apoiada no banco da bicicleta, ficamos por um bom tempo lá, sem dizer nada, ela vendo de longe o lago cheio as pessoas brincando com pedalinho, nadando, pescando e eu de óculos escuro, que estava ao meu favor, pois poderia ficar admiranda aquela visão linda em minha frente, que me deixastes de pau duro, só imaginando o quão molhadinha devia estar e o quanto seria bom lamber aquela xoxota gordinha toda suada e meter gostoso, e ainda imaginava tudo aquilo ali mesmo, realmente devia estar ficando louco, não conseguia mais negar aquele instinto e que teria de ser acalmado antes que eu me descontrola-se.

Quando era por volta do meio dia, estávamos conversando a respeito de pegar alguns lanches para cobrir o almoço que não iríamos ter, minha tia disse que iria conversar com minha mãe, enquanto minha prima e minha irmã estavam no lago se divertindo no pedalinho, meu tio conversando com meu pai bem distante, e eu acabei ficando sozinho um pouco mais afastado das duas, ouvindo musica no celular pelo fone de ouvido, quando retirei o fone e entre barulhos de crianças correndo e gritando e até o som ambiente, pude ouvir pequenas partes da conversa entre elas duas, que era algo do tipo em que meu tio andava traindo minha tia, por muito tempo ela se fez de tola e tentava não dava importância com medo de separação e o que seria da minha prima nessa situação, mas chegou a certo momento que não dava mais, além deles não transarem mais, eles trocavam insultos quando a minha prima não estava presente, mas com o decorrer do tempo isso foi ficando cada vez mais frequente e as discussões passaram a ser na frente de minha prima, além de avançar para agressões físicas, do tipo, empurrão, apertos no pescoço, safanão e ameaças com qualquer coisa que tivesse a mão. Minha mãe apenas ouvia enquanto minha tia desabafava, com a voz tremula e quase chorando, dizendo que ali, não havia mais amor e agora nem mesmo respeito tinha mais e assim não dava mais pra continuar.

De certa forma fiquei triste, pois essas coisas em família é realmente complicado, ainda que todos sempre foram muito unidos, e jamais pude imaginar que aconteceria isso com eles, não consegui ouvir muito da conversa, já que uma banda começava a testar o som no palco de apresentação ali perto e fazia muito barulho

Algum tempo depois, todos se reuniram novamente, comemos alguns lanches, vimos um show que estava rolando e voltamos para o apartamento, mas dessa vez fui com meus pais,para evitar aquele tipo de clima novamente.

Dessa vez fui apenas escutando a conversa dos meus pais, minha mãe contou meio por cima o que ouvira de minha tia, "relevando" algumas coisas que talvez achasse "desnecessário" que eu ouvisse no momento, mas que eu já havia escutado antes durante a conversa entre as duas e pude ligar as pontas soltas, e logo após, meu pai foi quem disse que da mesma forma, meu tio veio conversar com ele, disse praticamente a mesma coisa, porém com a ideia de que está a um fio da separação ainda mais que minha tia havia se tornado uma alcoólatra e fumante, minha mãe confirmando tudo isso ainda disse por cima, que a tia havia falado a mesma coisa, porém que ela "quase" se tornara uma viciada,mas não uma completa alcoólatra, e que isso era apenas para "afogar as magoas" ainda acrescentando que a cada dia que se passa, a separação se tornaria inevitável. Pensei comigo, agora entendi o porquê do "climão" estranho e a troca de palavras bem curta e grossa...

Chegando ao apartamento, já estava quase na hora de irmos embora, mas pelo horário e como de costume, minha tia não queria que fossemos embora sem comer nada e queria que esperássemos a janta, mas como ainda era meio cedo pra isso, insistiu que ficássemos para tomar pelo menos um café com eles. Ela pediu para minha prima e minha irmã irem comprar pão e frios para o café da tarde, mas as duas estavam cansadas demais por passarem quase a tarde toda no pedalinho. Apesar de a padaria ser bem próxima a apenas alguns quarteirões dali, sabia que ia sobrar pra mim, mas pra minha surpresa minha tia falou;

- E ai sobrinho, vamos à padaria comigo? Essas duas só querem assistir televisão mesmo haha.

Concordei e fomos, embora pouco tempo, vi a chance de talvez investir um pouco mais na situação pra ver se colhia algo em longo prazo, já que estávamos finalmente sozinhos, mas tinha que ser bem cuidadoso. Puxei assunto no elevador de que achei estranho o clima que estava de manhã no carro entre ela e o tio, e dando uma de quem não sabia de nada perguntei se ele estava bravo com a nossa visita inesperada. Ela respondeu;

-Que nada Deninho, magina, você não conhece seu tio, ele mudou muito nos últimos anos, está muito invocado, brigão e a gente discutiu recentemente e ele está assim, mas não fique chateado com isso não... Não tem nada a ver com vocês!

Entre uma conversa e outra já na rua falando a respeito de trabalho, estudo, não sei bem como, mas chegamos ao assunto de uma festa tradicional italiana que tem onde moro.

-Então tia, faz um tempão que vocês não nos visitam lá em casa, qualquer dia vocês poderiam ir em casa,ai podemos ir lá na festa italiana, alias,sei que a senhora adora essas coisas, e faz muito tempo que disse que iria passar algum dia por lá, a festa é típica, cheia de comida, vinho, musica boa e tal...

-Nossa! É mesmo, não é uma má ideia, á muito tempo, eu e seu tio combinávamos de ir a Jundiaí para visitar vocês e justamente ir nessa festa além da festa da uva que é bem conhecida por lá, mas como sempre é tudo muito corrido por aqui e fica complicado de sair agora, mas um dia podemos ver certinho e vamos todos lá... Ahhh como eu adoro vinho, e falando nisso, acho que vou comprar uma garrafa na volta, fiquei com vontade agora que você comentou, vou ter que dar uma bicadinha... hahaha

Chegando a padaria, pegamos os pães, os frios e estávamos voltando, quando ela relembra ao ver o barzinho ainda aberto;

-Ahh é, já tava me esquecendo, o vinho!!!

Desviamos para o bar e ela foi pegar o vinho, mas para o meu espanto, ela não queria levar a garrafa para beber em casa, e disse:

-Senta ai, vamos beber um pouco e colocar a conversa em dia, faz tempo que não conversamos!

Apesar de não gostar muito de beber, acompanhei ela que logo no primeiro copo quase que numa golada só, levou metade do copo, que não era tão pequeno assim,eu disse a ela:

-Calma tia, não é água pra matar sede não, dessa maneira vai subir rápido e vou ter que te carregar para casa, haha, não é melhor deixar pra tomar em casa?

-Não, estou bem acostumada com isso, não é de hoje que venho bebendo, confesso que venho bebendo consideravelmente, mas não faço mal a ninguém, não tem nada demais, só não quero que sua prima veja e fique me julgando mal...

-Tia, mas é melhor ir mais devagar!

-Que nada! Para de se preocupar!

Entre conversas bobas do dia a dia, coisas tolas eu terminava meu primeiro copo ainda e ela já tinha virado uns três ou quatro, e pude perceber que a voz dela começou a ficar meio mole, e de certa forma me preocupei, pois tínhamos que voltar pra casa ainda pra tomar café, ela já estava meio alterada. Eis que pego a garrafa, fecho e digo:

-Vamos tia, estão nos esperando para tomar café, e esse pão ta demorado demais pra chegar hein? Vamos embora, levo a garrafa e escondo na geladeira pra senhora, além do mais, o tempo está fechando, capaz de ficarmos presos por aqui, pois essa chuva não vai demorar.

-Ta bom, vamos embora então, parece mais velho que eu, credo! hahaha

E seguimos em direção ao prédio, quando em passos lentos, novamente pra minha surpresa, ela começa a desabafar com a voz meio chorosa, falando o quanto meu tio era sem vergonha, havia lhe traído, inclusive com amigas dela que morava no mesmo condomínio.

Tentando contornar a situação falei:

-É complicado isso tia, infelizmente isso acontece, mas não consigo imaginar como é possível trocar você por uma mulher qualquer, ainda mais depois de tanto tempo de convivência...

-Ah filho, olhe só pra mim, uma mulher praticamente na meia idade, gorda, enorme, feia, seu tio se cansou e agora quer mulheres mais jovens, não sou mais como era antigamente...

Me vi na oportunidade e soltei:

-Tia, me desculpa a sinceridade, mas não é bem assim as coisas, tu és bonita, continua sendo uma pessoa incrível,é gordinha sim,cada um tem uma preferência diferente, mas eu prefiro assim, e além do mais a idade lhe tornou tão boa quanto antes, faça a comparação do vinho que a senhora tanto gosta! Sabe que quanto mais se passa o tempo, melhor fica e ainda mais se for cuidada com carinho.

Ela sorriu;

-Hahaha, menino, você mudou muito, quem dera se as pessoas da sua idade tivessem esse seu modo de pensar, quem dera se o seu tio pensasse dessa forma, nosso casamento não estaria a beira do precipício como está, (uma pausa de alguns segundos olhando pra cima como se pensasse se diria ou não). Daria tudo para voltar no tempo e encontrar alguém que pensasse como você...

Eu novamente tentando quebrar o clima meio triste que ficou por parte dela, disse;

-Oi, tudo bem?, Prazer em conhecê-la! Você vem sempre aqui? hahaha

Ela sorriu, me dando um tapa no ombro

- Só você mesmo viu, aiaiai

Chegando no andar, perguntei:

-a senhora está mesmo bem?,Talvez fosse melhor tomar um banho gelado pra dar uma despertada e talvez dar uma disfarçada, o que acha?

-Boa ideia, vou mesmo, pois ainda estou toda suada, e estou bem cansadinha, talvez ajude a dar uma despertada...

-Mas consegue ir sozinha? não precisa de ajuda? hahaha (no momento o coração quase sai pela boca)

Ela ficou em silencio, novamente me deu um tapa no braço, percebi um leve sorriso em seu rosto tentando disfarça-lo cobrindo com a mão, logo pensei comigo, "certamente aquele caminho que estava a percorrer era o certo para o que eu queria... estou trilhando corretamente, não tem como voltar mais"

Entrando no apartamento, ela foi direto para o quarto pegar as roupas e foi pro banheiro, enquanto eu levei para a cozinha o pão e os frios, e escondi a garrafa na geladeira. Engraçado que de certa forma ninguém percebeu a demora, e estavam todos assistindo filme da tv, me juntei a eles e assim que a tia saiu do banho, vejo ela novamente em casa com aquelas roupas que se sente a vontade em casa, dessa vez com um vestido claro, florido, largo e um pouco mais abaixo dos joelhos, nada demais mesmo, mas aquelas pernas a mostra estavam me deixando maluco...minha vontade era de ataca-la ali mesmo, mas, fazer o que? Não teria jeito mesmo, não naquele momento...

Fomos todos para a cozinha tomar café juntos, antes falei no ouvido dela:

-O vinho está no fundo da geladeira... E ela apenas responde com uma piscada pra mim.

Ela nem aparentava ter bebido, conversava normal, brincava como de costume, apenas um pouco mais alegre que o normal, não sei se já é o costume de beber e disfarçar quando tinha alguém por perto, mas estava tudo normal.

Quando meu tio que a encarava fixamente do nada solta:

-Bebeu de novo, não é?

Ela responde:

-Se toca, fica todo esse tempo sem conversar comigo, e quando fala algo é para me deixar pra baixo? Se for pra falar asneira, por favor, continue quieto...

Ele a interrompe falando alto, quase gritando:

-Eu sei que você bebeu, demora nas suas saídas para a rua, volta, e sempre age toda estranha quando faz isso, e não pude deixar de notar que ele (apontando com a cabeça pra mim) trouxe uma garrafa de vinho enrustida e escondeu em algum lugar enquanto você correu para o banheiro e depois sai vestida dessa maneira, você nem costuma se vestir assim, deve estar é muito chapada, sem duvidas!

Achei estranho, e talvez fosse neura dele, pois ela estava vestida normal, podia ver o espanto no rosto de todos com aquela situação, que provavelmente também não viam nada demais, o grande problema era que eu, via maldade em quase tudo relacionado a minha tia, e que de certa tudo estava sendo distorcido pelo tesão que estava sentindo por ela, não debati, mas minha vontade era debater,jogar na cara dele as merdas que ele fez e fazia,e não tinha moral alguma para falar algo e talvez, até dar uns murros nele, mas não queria criar um clima pior do que já estava, o que está acontecendo comigo pra ficar desse jeito?

Eles ainda trocaram algumas ofensas e a cada tentativa de mudar o assunto por parte de minha tia, ele bufava e fazia barulho ou balançava a cabeça em forma de negação. Até o momento em que ele acabou se levantando da mesa, pegou as chaves do carro e saiu, batendo a porta sem falar uma palavra.

Minha tia:

-Não liguem ultimamente ele está assim, por favor, me desculpem... Não sei nem o que falar...

foi quando sugeri:

-Que tal tomarmos café??? o pão ainda está quente (mentira, já tinha esfriado fazia tempo), estou com fome, não sei quanto a vocês, mas eu vou comer e é agora!

Todos riram e aos poucos o clima pesado foi se desfazendo.

Depois do café sentamos na sala para continuar assistindo o filme que estava pausado, e minha tia se sentou no outro sofá próximo a tv, o que deixava ela no meu campo de visão, aquelas pernas pareciam imãs, pois meus olhos eram cada vez mais atraídos e eu não conseguia mais assistir o filme, apenas imaginando tudo aquilo pra mim, apenas pra mim, nem conseguia mais ter peso na consciência em imaginar nada com ela, ainda mais depois de saber como meu tio era, o que ele falou, e como ele a tratava, ele não a merecia.Varias vezes nossos olhares se cruzaram, e eu disfarçava, não sabia se ela percebeu meu olhar mal intencionado e se foi proposital, mas com o tempo ela abriu as pernas e ficou assim, deixando a mostra parte a calcinha, o angulo que eu estava era um privilegio, tão bom quanto o que tive mais cedo no parque, pois ninguém mais teria essa visão e sequer perceberia que eu aqui, estava comendo a titia com os olhos.

Em alguns momentos que a luz da tv ficava um pouco mais claras e intensas, que revelava os olhos da minha tia, que de lado, ficava olhando de canto pra mim, talvez para ver se eu estaria a olhando, e não olhava mais diretamente pra mim,apenas de canto. Só pude pensar o seguinte, ela já sacou tudo ou ainda deve estar sob efeito do vinho e nem percebeu o que está fazendo, mas com essas olhadinhas de lado,só me faz pensar que não seria essa opção, ela já percebeu e está ciente da minha malandragem e entrou no jogo também.

Acabando o filme já era por volta das 19hrs, já até tinha passado da hora de irmos embora, e estávamos pronto para ir, quando olhamos o tempo, e o tempo estava muito fechado, lembro que no celular já havia marcado a possibilidade de tempestade e daquela vez, provavelmente iria cair um pé dágua daqueles, meu pai preocupado, conversando com minha mãe resolveram ficar até o tempo melhorar e sair um pouco mais tarde que o combinado, ficando para a janta, e ainda achavam que seria chato sairmos sem se despedir do meu tio, mesmo depois de tudo o que houve. Realmente não demorou muito, a água desabou com muito vento e trovões que caiam pelas proximidades e logo na sequencia,a energia caiu, deixando todos no escuro, foi quando notei que a titia havia saído da sala e passado para a cozinha, fui atrás dela na cozinha, enquanto todos ficaram na sala conversando..

- Hei tia, ta fazendo o que aqui sozinha no escuro?

- Ah, estou aqui dando um gole no vinho, estou chateada com tudo isso que ocorreu, to acostumada com seu tio falando um monte pra mim, mas envolver você daquele jeito e por minha culpa, foi algo que me chateou demais... Realmente preciso beber um pouquinho..

- Ué, pensei que estava relaxada depois de tomar aquele vinho mais tarde comigo e olhe que não faz muito tempo, reparei que estava bem mais feliz e a tristeza passou, eu devia imaginar que isso aconteceria, mas fazer o que, acontece. Mas não precisa descontar tudo na bebida também né tia?

- Sim, concordo, mas meus únicos companheiros no momento é o cigarro e a bebida, não tenho mais nada a fazer, é triste dizer isso, mas sinto que não sirvo para mais nada... Mas aqui, me diga uma coisa, como assim você "reparou"? Anda me observando é? por qual motivo? é um espião por acaso é? Saiba que não fiz nada haha

- Sim, andei observando e muito, realmente sou um espião, sabia?, e estou de olho em você

- Hahaha,mas é muito bobo mesmo viu...

- Então, estou de olho sim, e faço uma ideia do que anda acontecendo por aqui!

- O que?

- Posso falar a verdade, não ficará chateada comigo? (coração a mil, quase explodindo)

- Claro que pode, fale!

- Você precisa mesmo é de um homem, um homem que lhe de atenção, que lhe de carinho,um homem que não te veja como uma empregada, mas sim como a mulher incrível que você é.

Ela responde abaixando ainda mais o tom de voz, quase sussurrando:

- Tenho muita lenha pra queimar, mas ultimamente só tenho levado balde água fria, além de não ser mais jovenzinha e seu tio não dar mais valor a mim, além do mais nenhum homem me olha como antigamente, me diga onde encontro um homem desses?

-Olha só, deve existir muito homem por ai que daria tudo para ter você, mas sei de um, aqui e agora! Sabia que não consigo parar de pensar em você? Depois que vi correndo do banheiro ao seu quarto daquela maneira, não consigo pensar em mais nada. Coloquei a mão no seu ombro dando uma leve apertada, enquanto podia ouvir que a respiração dela ficou mais rápida e forte, e ela:

- Denis, não brinque com essas coisas, é melhor parar com isso menino, você sabe que estou passando por maus bocados, e ainda estou carente, não quero chegar nesse ponto de envolver você nisso. Imagina o que todos pensariam!?

- Tia, fique tranquila, estou aqui e agora, posso ser o homem que você nunca teve! Ninguém precisa saber de nada!

Foi quando senti o braço dela se curvando, e sua mão passando no meu queixo, acariciando minha barba em um toque suave, mas ao mesmo tempo eletrizante, que não era mais carinho de tia para sobrinho, meu pau ameaçou ficar duro só pensando no que viria a seguir quando o clima foi interrompido pela luz que volta repentinamente e o barulho da geladeira ligando somado com os gritos de todos na sala "AEEEEEEEEEEEE VOLTOUUU!", que fez nós dois se assustar e rirmos juntos da situação, estávamos meio tontos e ainda fora de si, que ela até esqueceu a garrafa de vinho em cima da mesa, e continuou sentada bebendo quando a prima aparece na porta da cozinha e vê eu de pé perto da pia, e a tia ainda sentada, que se assusta ao ver ela:

-Mãe, por quê?

-Ah filha, deixa a mãe vai, não tenho vicio algum, eu apenas gosto de beber, não sou uma completa viciada, apenas gosto de beber um pouco as vezes

-Mas mãe, o papai ja disse que a senhora era viciada, que bebe demais, e que o medico falou para parar com isso, é perigoso para a sua saúde! Será que não aprende?

-Já disse filha, eu não bebo para ficar bêbada, apenas gosto, você toma refrigerante que faz mal e eu tomo minhas bebidinhas que também faz mal, tudo faz mal e não faço mal a ninguém, concorda?

-Aff, não tem como discutir mesmo. E foi embora pra sala

Vendo a situação, perguntei a ela, porque fora proibida de beber, o que estava acontecendo e ela:

-Ah sobrinho, é uma longa historia, mas a algum tempo venho de fato bebendo e fumando, nunca fui disso, sempre tive muito apego a família,a igreja, mas com o passar do tempo percebi que minha vida faltava muita coisa,minha família se resume a mim e sua prima,que aos poucos vai se distanciando, passando mais tempos com as amigas que comigo e o desgosto pelo o que o seu tio vem fazendo é muito grande, acabei começando a beber sem perceber,com a companhia de algumas amigas aqui do condomínio, mas foi aumentando cada vez mais com o passar dos anos, até que descobri que tinha pancreatite, tive que operar, mas ninguém da família ficou sabendo,você é o primeiro que eu conto isso, nem mesmo sua prima soube a principio, só depois de muito tempo que ela ficou sabendo, pelo seu tio ficar jogando isso na minha cara...

-Mas tia, se tratando de saúde, não pode brincar com a sorte, isso é muito grave, dar continuidade a isso está fazendo jogar toda sua vida fora.

-É eu sei (de cabeça baixa) tentando sair de um vicio entramos em outro, e quase sempre nos damos mal, acho que por isso que quando não bebo estou louca para fumar ou comer, olha pra mim, estou acabada...

Cheguei bem perto e falei:

-Tia, tenho uma proposta...

-Humm?

-Porque você não troca um vicio por outro então?

-Como assim? Quer que eu fume mais para largar a bebida? Você está ficando lou..

Interrompi pegando a mão dela e trazendo bem devagar até minha calça (rezando pra não dar merda) e fazendo com que ela sentisse o volume do meu pau, quando ela apertou sentiu e disse:

-Realmente, você está louco, e pior, eu também estou. Ficando vermelha e olhando de canto para mim, tentando disfarçar ainda disse:

-Vamos parar, com isso, antes que alguém veja isso, (retirando a mão de mim)

Dei um abraço nela por trás, beijei a cabeça e falei:

-Tudo bem tia, vamos fingir que nada aconteceu, acho que isso poderia ajudar na sua recuperação, mas me desculpe qualquer coisa tá? Não queria provocar mal algum, só o seu bem...

Ela me deu um tapa muito forte na minha bunda e falou:

-Não vem de sarcasmo comigo não, seu sem vergonha, sai já daqui...

Eu sai dando risada, para a sala mas por dentro pensando, a sorte foi lançada,espero que eu não tenha estragado tudo e que isso não gere inimizade familiar...estou na merda caso isso caia no consentimento de qualquer um da família, portanto é bom ser mais cuidado...talvez

Já era mais de 20hrs, e minha tia preparava a janta e nada do meu tio chegar, e meu pai estava ansioso para poder ir embora, já que no dia seguinte teria que trabalhar, mas ainda naquela ideia de esperar o meu tio chegar ficamos até essa hora, porém pelo visto, ele não viria tão cedo. Pela internet vimos que em vários pontos de São Paulo estava tudo alagado,arvores quebradas e todo aquele caos típico de tempestade e que carro algum passaria, foi quando minha prima ligou para meu tio e descobriu que ele estava preso num ponto alto de SP, e dali ele não sairia tão cedo,ele falou pra ela pedir desculpas para nós, e disse que entenderia se tivéssemos que ir embora.

O único problema é que dada as circunstancias, não teríamos como ir embora mais naquele dia, teríamos que ficar por lá mesmo e ir embora no outro dia de madrugada, que já programamos de sair entre 4/5hrs da manhã no máximo, para chegar a tempo em casa.

Por dentro fiquei bem feliz, pois sabia que iria ter mais algumas horas para poder investir na titia, mas preocupado ainda com todos ali presente, e como iria fazer isso dar certo.

Fomos jantar e percebi que minha tia não tirava o olho do prato, não levantava a cabeça pra nada, e terminando, fomos para a sala ver esses programas chatos de final de domingo que minha tia gosta e minha mãe gosta tanto, já passava das 22hrs, meu pai já estava com sono, e aproveitou o embalo de minha prima que teria aula no dia seguinte cedo,que também saiu para ir dormir junto de minha mãe, só restara eu, minha irmã e a minha tia.

Ficamos um bom tempo assistindo e já que estavam todos dormindo, sempre que falávamos algo, era bem baixo, para não acordar ninguém, e minha tia sequer dava uma olhadinha pra mim, estava sentada por cima da própria perna, e com almofada por cima. Comecei a pensar nesse tempo todo que as coisas tinham realmente tinha ido por água abaixo,e que coloquei tudo a perder... Ainda mais depois de um bocejo bem alto e minha tia se esticou toda e disse que iria dormir, pois estava muito cansada, minha irmã aproveitando a saída de minha tia, aproveitou e foi também, dando boa noite e se retirou. No caso, minha irmã estava no quarto da minha prima, meus pais no quarto de visitas, e eu podia escolher onde dormir com o colchão inflável, tanto no quarto da minha prima, no das visitas ou mesmo na sala. Minha tia saiu do banheiro, veio dar boa noite, e disse o que sempre era de costume "fique a vontade,se quiser comer algo é só pegar na geladeira e tal" me deu um beijo no rosto e disse:

-Boa noite Denis, tenha bons sonhos!

Retribui dizendo a ela:

-Tenha bons sonhos também tia, sonhe comigo tá?...hehe

Ela sorriu e foi embora.

Era quase meia noite, mas resolvi ficar assistindo um filme interessante que havia começado pelo fim da noite para a madrugada, sempre fui um cara que dorme tarde, e mesmo na casa dos outros tinha esse habito e fiquei assistindo por um bom tempo e resolvi que ia dormir por ali mesmo, assim que todos acordassem cedo, eu já estaria ali,e acordaria mais fácil e praticamente estaria pronto pra ir também.

Passava de meia noite e pouco, e comecei a dar umas cochiladas na frente da Tv, mas ainda insistindo no filme afirmava a vista, mas logo cochilava de novo, quando tomo um susto desgraçado que quase faz meu coração sair pela boca, vejo minha sussurrando ao meu lado em meu ouvido:

-Denis, vai dormir e se cobre,já é tarde e você já está quase dormindo no sofá, vai acordar todo quebrado.deita no colchão!

Eu meio sonolento/zonzo e assustado respondi:

-Ta bom, ta bom tia, que susto!já vou dormir (meio puto pelo susto)

Desliguei a tv e puxei o colchão inflável que estava ao lado do sofá e peguei uma colcha para me cobrir enquanto deitava, mas vi que a luz do corredor não se apagava, foi quando virei para o lado e vejo minha tia sentada no sofá,estava com uma camisola branca, mas bem parecido com seu vestido que vestira um pouco mais cedo, porém meio transparente mostrando a marca de seu sutiã, ela estava olhando fixamente pra mim no colchão no chão, então questionei ainda meio puto:

-Que foi tia, a senhora está bem? Perdeu o sono?

-Não, nada não!

-Como assim nada?

Ela fez sinal com a mão pra mim falar mais baixo e chegar perto pra conversar com ela, batendo a mão no sofá.

-Estava te observando, assim como você passou o dia todo fazendo comigo.

-Como assim?

-Você acha que não percebi você me encarando? Percebi desde sábado quando chegastes você não sabe disfarçar, mas percebi que sempre você estava me encarando, aqui em casa, na rua, no parque, no bar, aqui no sofá, em todo lugar, mas tive total certeza depois de nossa conversa na cozinha!fiquei sem resposta e sorri baixo acenando com a cabeça que sim)

-Mas é serio tudo isso que disse?, Você iria em frente com uma mulher como eu? Mais velha e você sabe...gorda? Rapazes como você estão atrás de jovens, bonitas, magrinhas, você só pode estar de brincadeira comigo, não é?

-Tia, se lembra da minha sugestão de trocar seu vicio?

-Como é que iria esquecer isso?

-Então, a senhora acha que eu estava brincando? Mesmo sentindo do jeito que eu estava?

Nisso, inesperadamente ela pega e junta a mão em cheio no meu pau, por fora da bermuda ainda dormente, mas que acordara imediatamente já quase pulando da cueca:

-Você está falando disso? Saiba que não esqueci, na realidade passei a noite toda pensando nisso. (enquanto ainda o apalpava de fora a fora, quase me punhetando por cima da bermuda)

Não acreditei no que estava acontecendo, aquilo estava acontecendo comigo mesmo?, só podia ser um sonho,costumo ter sonhos estranhos e principalmente com putaria, ainda mais agora com tamanha loucura dos últimos dois dias, ainda meio sonolento, confirmo olhando minha mão e dando um beliscão em meu braço, e confirmo; "porra, estou acordado mesmo!

Minha tia ainda me acariciando, me beija no rosto, descendo para o meu queixo e mordiscando meu lábio inferior e sussurra no meu ouvido com uma voz muito safada:

-Por que se beliscou? Não, está acreditando? Isso não é um sonho querido, estou aqui e agora, e você é meu! (parafraseando o que eu disse a ela mais cedo no dia anterior)

Comecei a beija-la devagar, que foi tomando um ritmo mais rápido e forte, quando me dei conta ela estava me beijando feita uma louca, um beijo molhado, cheio de mordiscadas em minha língua e meus lábios, só nessa brincadeira percebi o quanto titia estava faminta por sexo, anos sem saber o que era isso a deixou assim, ela ainda me beijava quando sinto sua mão cheinha e quente invadindo minha cueca e agarrando meu pau, sentia ele pulsando em sua mão ainda dentro da cueca, enquanto forçava meu braço e minha mão direita por trás dela, até alcançar suas pernas, que fui alisando desde o joelho até chegar em parte da sua xoxota, senti sua calcinha,e enquanto a apertava parte daquelas coxas enormes que tanto admirei e desejava, ela ainda me beijava, porém começando a querer suspirar e gemer.

Confesso que comecei a pensar a respeito,que ali, qualquer um poderia acordar vendo a luz do corredor acesa e ainda ver eu com a tia no sofá, não iria ter nenhuma explicação nesse mundo que justificasse aquilo, mas a coisa estava tão louca, quando que parece que estávamos ligados mentalmente, que ela já lera meus pensamentos, e disse:

-Vamos para o quarto, hoje você é meu macho, tem que ir para minha cama

-Huhum, vamos!

Chegando lá, ela fecha a porta com a chave,e a luz do abajur já acesa, que era bem fraca, mas dava pra ver tão bem quanto na sala com a luz do corredor que iluminava parcialmente a sala, quando não perdi tempo, e jogo ela nos pés da cama, enquanto ergo sua camisola e vejo uma calcinha, preta normal, mas que já estava toda atolada em sua bunda pelas trocas de caricias no sofá. Sua bunda grande devia ter engolido toda aquela calcinha, deixando parecida com um fio dental. Abaixei devagar enquanto beijava mordiscando a sua barriga, parte dela caia por cima da pélvis, quando que levantando a barriga revelo aquela xoxota maravilhosa, gordinha quando ela sem pensar muito passa suas mãos por trás da minha nuca entrelaçando os dedos entre meus cabelos e puxa em direção a sua boceta, comecei a lamber ela, ela começou a querer gemer alto, enquanto passava a língua em seu clitóris, olhava para o rosto dela e via ela viajando loucamente naquelas linguadas que eu dava, ela apanhou um travesseiro, e colocou sobre o próprio rosto, e ai sim ela gemia com gosto, mas dessa vez abafado, aquilo me deixou muito louco, ergui as pernas e abrindo, fazendo com que deixasse aquela boceta molhadinha toda a mostra em meu rosto, eu a lambia, quanto mais ela gemia, mais eu ficava louco, e invadia cada vez mais com boca sua xoxota, e tacando a língua nos lábios e no grelo, via que ela se tremia toda, gemia, e ameaçava se torcer,parecia que estava tendo um ataque, só tinha medo dela começar a gritar, e todos acordarem, mas tentei não ligar pra isso,queria mesmo curtir aquele momento o máximo possível, se fosse possível nem iria mais dormir, para aproveitar cada minuto com minha querida e amada titia que estava ali, toda aberta, só pra mim. Puxei-a mais pra frente ainda segurando as pernas dela colocando-as por cima do meu ombro, e ajoelhado no chão para melhor apoio, ainda lambia aquela boceta doce e gostosa, que exalava aquele mesmo perfume que sentia o dia todo dela,realmente parecia que o cheiro me atiçava ainda mais. Estava com vontade de ir mais além, algo que imaginara mais cedo, ao ver titia sentada com a calça toda suada no parque, queria era invadir aquela bunda então, pedi para ela se virar, e apoiar com os pés no chão, com a bunda virada pra cima, foi ai que enquanto ela apertando e abrindo e fechando aquela bundona gostosa, lasquei uma linguada de fora a fora, da sua boceta até chegar em seu cuzinho, que fez as pernas dela amolecerem e cair na cama, fazendo que a posicionar novamente, e apertando aquele a cintura dela, continuei a chupar aquele cuzinho,era apertadinho, parecia que nunca tinha visto uma língua antes tão pouco uma rola, não pensei duas vezes, sugava aquele cuzinho loucamente intercalando com linguadas tentando invadir aquele cuzinho que ficava piscando pra mim, como se fosse uma provocação, e não deixava entrar completamente, empurrando pra fora, ela gemia muito e mordendo o travesseiro, ela delirava

-Ahhhh que delicia,ahhhhhmmm continua,ahhhh não para não Denis, vai, vai! continua!

Então lentamente ficava subindo e descendo entre sua xoxota e seu cuzinho, varias vezes, ainda apertando sua bunda, e a abrindo com um certo ritmo enquanto a lambia, introduziu meus dedos da mão esquerda em sua boceta, foi que percebi que seu gemido começou a mudar, ficar mais sufocado e gutural, foi quando forcei ainda mais a lingua colocando ela quase que inteira dentro do seu rabinho, e senti seu corpo todo tremendo e seguindo de um: "AHHHHHHHHHHH" quase interminável, seu corpo se retraiu todo, ficando com a bunda toda dura, e entre espasmos, começou a esguichar na minha cara, gozou feita uma louca por muito tempo, enquanto eu ainda a chupava toda melada, meu rosto pingando seu doce néctar, minha camiseta ficou toda ensopada de suor e gozo dela, senti que ela ficou toda mole e até parecia ter adormecido, quando subi para a cama, e perguntei:

-Gostou?

Gaguejando, ela respondeu:

-Dedenis,assim vovocê me mata, nununca gozei assim.igualgual hoje, você é dedemais. Encerrou me beijando ainda deitado e puxando meu cabelo.

Algum tempo depois se levantando ainda tremula com a sua camisola parcialmente levantada, ela retirou rapidamente jogando na cama, revelando o resto do corpo, nossa, que delicia de mulher, aquilo só me deixava cada vez mais louco,parecia uma escultura não me recordo de ter ficado assim com outra mulher, não sei se era pelo fato dela ser minha tia, ou se era algo que seria condenado por todos, e o perigo dos outros ali ao lado ou pelo fato dela ser uma mulher bem madura e com vontades reprimidas ou tudo isso junto, mas uma coisa era certa, nunca havia sentindo tesão como naquele momento,e foi ai,quando ela retirou aquele sutiã revelando aquele belo par de seios gigantes, que não era nada do que aparentavam quando de roupas, eram muito maiores e dignos de serem mamados que novamente apoiei ela pelos braços jogando-a na cama mas dessa vez caindo por cima dela e começo a chupar aqueles peitos que deitada, se esparramou todo por cima dela, dando uma impressão de ainda mais fartos e cheios e balançando por qualquer movimento que fazia na cama, eu a chupava loucamente, lambia seu pescoço, voltava e me alto sufocava com eles em seguida mordendo aquela perfeição, descia e lambia toda sua barrida, sentindo sua pele tremendo, e arrepiando, Ela se acariciava e se torcia toda,gemia e dizia coisas sussurradas incompreensíveis, foi quando subi por cima dela e meio que ajoelhado com uma perna de cada lado e meu pau por cima da barriga dela ainda dentro da cueca,foi quando ela se forçou para o lado, retirando minha cueca até a altura do joelho, terminei de tirar jogando para cima, agora podia sentir seu calor, fervendo embaixo de mim, parecia até febril, sentia ela quentinha com meu saco e meu pau roçando ele naquela barriga fofinha, quando ela se curva para frente,e começou a me punhetar devagar, isso enquanto eu a apertava e rodava seus seios de um lado para o outro e forçando minha cabeça para baixo, ia de encontro com aqueles peitos, que estava deixando todo babado de lamber, chupar e morder intercalado com beijos curtos porém bem mais fortes, qual novamente ela estava a puxar meu lábio inferior com os dentes, e ai soltava, deixava escapar certos:

-Ahhhhhhh, você gosta disso é? hummm? você gosta seu safado?

-huhum, delicia, você é muito gostosa

-então goza pra titia vai!??, Goza gostoso, agora sou em que quero sentir seu gosto!

Acelerando o modo em que me punhetava, ela me jogou para o lado, parecia até cena de luta, e subiu em cima de mim,quando vejo aqueles peitos caindo em cima de mim, e ela ainda me punhetando mas meio desajeitada, com a mão um pouco torta devido a posição e apertando meu saco,foi descendo devagar, varrendo meu tórax e barriga com aqueles peitos enormes, foi quando vi estrelas, ela caiu de boca em minha rola deixando só as bolas para fora, qual ela não parava de amassar com as mãos, estava tão gostoso que, agora era eu quem quase estava soltando uns berros, tive que me segurar de fato, mordendo meu proprio braço, tanto pra não fazer barulho quanto pra não gozar, ela é uma artista,sabia exatamente o que estava fazendo, e novamente, parecia que nossa ligação era tão grande, que sabia o que passava pela minha mente, enquanto estava todo esticado na cama segurando firme pra ainda não gozar,ela intercalava entre dar uma bocada em minha rola, e outra bocada em meu saco, fazendo com que minhas bolas dançasse dentro de sua boca com a sua língua as massageando, dava outra bocada, e dessa vez subia e descia numa punheta lenta e compassada com uma bela pegada, estava fora de mim, não sei como titia sabia das coisas, mas ela era muito boa no que fazia, quando ai sim começou a gradativamente aumentar a velocidade da punha, e ainda lambendo minhas bolas, eis que escutamos um barulho de chave na porta da sala: eu desesperado:

-Puta que pariu tia, o ele chegou!

-Ai minha nossa, e agora?

-Se veste e vai para a cozinha, vou tentar dar um jeito aqui,

Ela se vestiu rapidamente, apenas a camisola mesmo e foi em direção a porta do quarto, abrindo a fresta e vendo a luz da sala acesa, fez sinal pra mim ficar ali, e saiu, em direção a cozinha. Peguei minhas roupas que estava em cada canto do quarto, foi só o tempo de pegar a calcinha dela, enrolar, esconder debaixo do travesseiro dela vestir a cueca e colocar a camiseta que ainda estava toda úmida das múltiplas gozadas de minha tia, e fiquei com a bermuda na mão sem saber o que fazer, pois ele ja havia entrado em casa, não tinha pra onde correr, quando surge a ideia: se esconder no guarda roupas? Abro a porta, e não tinha espaço, pular a janela? porra a queda era alta pra caralho afinal era o terceiro andar, e como eu entraria depois? já sei, vou ficar debaixo da cama, quando o corno pegar no sono, eu caio fora.

Devo ter ficado lá, uns cinco minutos ou mais, que pareciam uma eternidade, escutando meu coração batendo, parecia uma marreta no peito, quando escutei algumas tossidas da minha tia, tinha um padrão que parecia um sinal e de certa forma era bem forçado, será mesmo? ou uma coincidência? Que merda, e agora? Sai me arrastando debaixo da cama, abro a porta e pela fresta vejo ela no corredor de costas pra mim, ainda tossindo tipo limpando a garganta "RAAAM RAMMMMM".

Com a bermuda na mão, corri para o banheiro e coloquei a bermuda, lavei o rosto, queria mesmo era tomar um banho, mas olhando no celular, puta merda, ja eram três e pouco da manhã, nem tinha visto a hora passar realmente perdi completamente a noção do tempo, parecia alguns minutos, quando na verdade se passou horas. Sequei o rosto, abri a porta e apaguei a luz, fiz uma cara de sono bem falsa, quando saindo do banheiro dou de frente com meu tio, ele gesticula com a cabeça em forma de cumprimento, e avança para o banheiro, minha tia tinha ido para a cozinha. Estava tomando água, eu deitei no colchão, e me cobri (ainda com a camisa fria toda ensopada de gozo), quando escutei o interruptor se apagando, e em passos leves, minha tia se aproxima e sussurra com uma voz bem doce e safada:

-Denis, ainda não acabamos!

Olhei pra ela e balancei a cabeça que sim, mas na realidade fiquei sem saber como acabaríamos, não tinha mais como as situações mudaram completamente já era bem tarde pra isso, fiquei olhando fixamente para o teto, creio que de olhos estalados, mal conseguia piscar, passando tudo como um filme cada minuto do que acabara de acontecer, passava os minutos e não conseguia pregar os olhos, virava de um lado para o outro e nada de pegar no sono, meu coração ainda batia muito forte, dessa vez mais lentamente, mas muito forte. ainda com aqueles flashs de imagens que passavam, desde os momentos observando minha tia, ela saindo do banheiro, me provocando sentada no sofá, chegando daquela maneira enquanto eu dormia de madrugada, me chamando ao quarto, puta merda realmente eu estava pirando.

Já passava das quatro da manhã e estava decidido a terminar aquilo sozinho tocando uma punhazinha bem rápida, pois não conseguiria dormir mesmo e certamente naquele dia, não teria mais jeito de fazer mais nada com minha tia.

Coloco o pau ainda duro devido aos pensamentos,e começo a tocar uma, que novamente, foi interrompido por pequenos barulhos que em ouvido de quem está fazendo algo do tipo, se torna um barulhão! Eram passos no corredor, pensei; "O puta que pariu, estou sem sorte mesmo, que merda, não vou conseguir aliviar isso nunca...pelo jeito só quando chegar em casa mesmo..."

Certamente, devia ser meu pai ou minha mãe que acabara de acordar, ja que estava próximo do horário combinado de voltarmos para casa sem pegar a hora do rush,e ter tempo de tomar banho e poder ir trabalhar. Mais que rápido, numa velocidade quase supersônica, escondo minha rola, levanto minha bermuda, e dou uma virada para o lado oposto do corredor para disfarçar, mas nenhuma luz acendeu. Como um filme de terror, escutava passos bem leves que vinha pisando bem macio, quase arrastando os pés, evitando fazer barulho, percebi que os passos pararam próximos, e podia escutar uma respiração atrás de mim, que depois de alguns segundos sem falar nada me cutucou com o pé nas minhas costas, isso seria bem típico da minha irmã, mas ao virar e pegar o celular pra acender a tela pra ver quem e o que estava fazendo, vejo que era a minha tia,como uma assombração, que se transformara em um anjo na minha frente e ainda com a tela do celular acesa, naquela escuridão, vejo aquela minha deusa gordinha na porta do corredor, que fez sinal com a cabeça pra me levantar e ir para o sofá, ela não disse uma palavra, totalmente em silencio, tirou meu pau pra fora que ainda estava duro da punheta que tinha começado a um minuto atrás, e no escuro mesmo, ela começou a me chupar minhas bolas e punhetando novamente,dessa vez bem mais forte, com uma pegada bem mais firme e mais rápido, eu estava meio nervoso, pois estava beirando o horário dos meus pais acordarem para irmos embora, falei baixinho:

-Meus pais vão levantar a qualquer momento, podemos ser pegos...

-SSShhhhhh, cala a boca, odeio coisas inacabadas,relaxa ai e aproveite...já vamos acabar!

Olho no celular e era quatro e quinze, meu ouvido já estava a pregar peças, qualquer barulhinho eu já ficava alerta e pronto pra sair correndo sei la pra onde. ela empurrava meu peito fazendo com que eu ficasse encostado ao sofá e aumentava ainda mais a velocidade, aquilo estava delicioso demais, pegava o celular e clareava o rosto dela, e ela olhava pra cima, ainda chupando com meu pau todo lambuzado de saliva, com um olhar safado dando umas piscadas do tipo, calma rapaz! aproveita o momento...

Não demorou muito e senti aquela onda vindo, tão forte e rapido que nem deu tempo de avisar, foi uma explosão imensa de porra na boca dela, soltei um aaaaahhhhhhhhhhh que não consegui segurar enquanto ela colocava a mão da minha boca tentando abafar, ela ainda sugando meu pau, parecia não querer largar mais, parecia que ia explodir e entre espasmos ainda em sua mão sentia que não parava mais de escorrer, e ela lambendo tudinho mesmo e não queria deixar uma gota sequer desperdiçada.

Atordoado, acabei relaxando no sofá meio ofegante, e ela sentou por cima de mim apoiada em minhas pernas, falando não temos tempo, mas quero você pra mim:

- Denis, sempre gostei de você como sobrinho, mas agora como jamais imaginaria, gosto de você como meu macho, o homem que nunca tive, agora você é meu, todinho meu, me aguarde, pois da próxima, teremos que dar um jeito. Quero que você me possua,todinha!. ouviu? T O D I N H A!

Puta merda, pensei, a apenas dois dias pensava nisso tudo,planejava e só pensava em como come-la, mas e agora estava me tornando um amante de minha própria tia.nunca podia imaginar que em tão pouco tempo, aconteceria tudo isso...A duvida agora era, como e quando seria a próxima vez? tudo conspirou a nosso favor, mesmo com tanta coisa dando errado misturado com a sorte.Será que teríamos essa mesma sorte final da próxima? Pensamento que foi interrompido com um beijo muito mas muito gostoso, cheio de malicia, enquanto eu corria a mão por suas costas e descia para sua bunda e percorrendo a caminho de sua xoxota que ainda estava sem a calcinha apoiada em minhas pernas,sentia toda molhada, sentia ela toda arrepiada e começara a soltar leves suspiros novamente me disse:

-obrigada, encontrei a calcinha que você escondeu debaixo do travesseiro, e quando corria a mão para sua boceta ja deixando ela maluca,que se não fosse pela hora, provavelmente teríamos metido freneticamente ali mesmo, que novamente foi interrompido pelo barulho de algum interruptor sendo ligado em algum quarto. Minha tia pulou de cima de

mim, e saiu correndo para a cozinha,e eu meio que desconcertado,ainda com a bermuda abaixada me joguei no colchão, me cobri e levantei a bermuda por baixo da colcha fingi estar dormindo mas ainda de pau duro, meio melado de saliva e porra ainda escorrendo pela cabeça. Realmente aquela sensação de perigo de talvez ser pego realmente dá um puta tesão a mais, é uma coisa absurda.

Por um bom tempo fingi estar dormindo, para não dar na vista de maneira alguma, quando escuto o bom dia de minha mãe e logo mais do meu pai a minha tia na cozinha:

-Bom dia!

-Oiii Boom Diaa!

-Segunda feira, quanta animação hein? Acordada tão cedo assim, já tomando café?

-Pois é, ultimamente ando dormindo pouco, e vou sair pra fazer caminhada mais cedo hoje, então já estou disposta a fazer isso logo mais, rsrs

-Legal caminhada matinal faz bem

-Verdade, mas viu, ouvi um barulho estranho a pouco, como se fosse um grito, algo meio abafado, você também escutou? (perguntou minha mãe)

-Sim, ouvi também, levantei essa hora pra ver o que era, mas não vi nada demais. Talvez seja até do vizinho, sempre acontece isso...

-Ah sim, mas provavelmente que seja o Denis, as vezes ele tens sonhos e fala sozinho,talvez tenha tido algum pesadelo, sei lá.

-Verdade, pode ser isso também...

Ouvindo aquilo sorri e pensei, "pesadelo nada, muito pelo contrario... se soubessem o que houve talvez fosse deserdado. ainda bem que a tia sabe enrolar bem haha"

Algum tempo depois fazendo hora, resolvi levantar, era quase cinco da manhã,estava com um sono fodido de tanto fingir estar dormindo somado a uma noite daquelas,mas levantei e fui tomar um café, dei bom dia a todos:

-Bom dia gente!

-Bom dia.

-Bom dia.

-Bom dia Sobrinho, dormiu bem?

-Ah, dormi sim

-Humm,por acaso você sonhou ou teve pesadelo? ouvi um barulho na sala, foi você?

-hahaha, deve ser, não me lembro de nada... (ambos com um olhar sacana um para o outro...)

Meu pai rindo diz:

-Esse ai é quase um sonambulo, direto tem dessas em casa, quando dorme fora provavelmente fica pior...

-Verdade pai, as vezes a gente estranha um pouco o ambiente, hahaha, mas to de boa, tudo tranquilo

Terminei meu café, e finalmente fui tomar um banho, estava todo grudento, tive que colocar minha camiseta usada do outro dia, pois ainda estava com aquela que seria quase um troféu, que estava todo sujo de gozo da titia. Enquanto tomava banho, toquei outra punha pensando em tudo aquilo que ocorreu naquela noite, já imaginando metendo gostoso com ela.ahhh que tia gostosa... Terminado, fui para a sala, minha irmã também ja tinha se levantado e esperava eu sair do banheiro pra tomar banho. Fui arrumando as minhas coisas na mochila e em seguida esvaziando o colchão inflável, quando minha tia chega e diz:

-Denis, a tia agradece muito por tudo tá? Espero q não seja somente dessa vez, em breve estarei visitando vocês, e teremos mais oportunidades como essa, só que melhores ainda.

-Beleza tia, aguardo ansiosamente por isso, estarei contanto os dias para sua visita, mas aqui, vamos combinar o seguinte? Lembra da minha proposta? espero que você pare com um vicio e troque uma coisa pela outra. Quero ver apenas o seu bem tia, é serio, por favor, se cuida.

-Ok, vou me esforçar, vai ser difícil, mas vou parar, agora estou viciada em você! seu merdinha!, olha só o que fez comigo! Ahhh, deixei um presentinho pra você na mochila, está bem no fundo, cuidado ao tirar hahahahah

-Hahahaha, antes isso que não tem mal algum do que a bebida, pense mesmo nisso, quero só ver hein.Presente? nem sei o que é, mas obrigado, (tentando ver o que era, mas tinha muita coisa por cima, impossibilitando ver o fundo da mochila e minha tia da um tapa na mão, como se fosse pra parar de procurar...)

Ainda tomei um tapa na bunda, que se virando ela foi fazer alguma coisa na cozinha.

Dado o horário, já estávamos meio atrasados do que tínhamos combinado, então correndo nos despedimos de todos,juro que por mim não sairia dali, mas tinha que voltar para casa, acho que isso transparecia em meu rosto, quando na despedida, titia chega em mim e disse;

-Logo nós iremos visitar vocês, não precisa chorar! hahaha

-Hahaha, to triste não,só to com sono,meio cansado (ainda brinquei) não vejo a hora de chegar em casa pra dormir de verdade em minha cama, to todo dolorido por causa desse colchão inflável ruim ai hahahaha

Todos riram, e se despediram. Ela me abraçou bem forte, me beijou na testa e disse:

-Tchau querido, quando quiser pode voltar tá?

-Valeu tia, beleza!, Pode deixar, volto sim pra atormentar vocês novamente quando puder. Tchau!

Chegando em casa, ao desfazer a mochila, vejo ao fundo dela, a calcinha, que ela vestia quando começamos tudo aquilo e escondi no travesseiro dela, enrolado no meio, tinha um bilhete, que dizia: "voltarei para pegar, e o que veste ela, será toda sua”

Desde então, nunca mais me esqueci da minha querida tia que passou a ser minha musa inspiradora da maior parte de minhas punhetas, fantasiando ela em vídeos pornôs, a noite sozinho relembrando de tudo aquilo ou mesmo com alguma outra que transaria posteriormente, sempre lembrava da titia...Acho que não esqueceria tão fácil dela depois disso tudo.

Alguns meses depois, recebemos uma ligação, era minha tia, conversando por quase horas com minha mãe, que pra minha surpresa e felicidade ao desligar o telefone,ela disse que a titia iria vir pra nossa casa no final de semana com a minha prima, e que ela estaria vindo para nos visitar e também ir para a festa italiana,que estamos devendo de leva-la até lá, e ela queria muito ir dessa vez.

Como prometido, ela apareceu em casa na sexta feira, dessa vez ela estava muito, mas muito diferente que antes, muitas coisas havia mudado nesses últimos meses, creio que fui um dos causadores disso tudo... Mas isso vai ficar pra outro relato.

Se vocês gostarem e quiserem a continuação, deixem nos comentários!!

Comentários

03/12/2017 02:54:24
http://kxcontos.blogspot.com.br/ novo site galera! Visitem! contos e muita putaria
19/11/2017 00:08:09
Muito gostoso! Também amo gordinhaseu e maduras.
30/08/2017 23:27:03
Ahhh sim, já ia esquecendo, acabei de postar a parte quatro, deem uma olhada lá!
30/08/2017 23:25:50
Olá Mallu, que bom que gostou, fico feliz em compartilhar gostos iguais com outras pessoas aqui no site, sempre adorei maduras e acima ou não do peso, admito que a principio condenava tudo isso em família, mas acho que não existe nada mais puro que seguir as nossas vontades, por mais "estranhas" que pareçam e ou possam nos condenar, o importante é se sentir bem consigo mesmo, ser feliz e aproveitar o máximo que a vida nos dá, pode apostar que vou ler seus relatos, em breve estarei por lá para ler com mais calma e atenção, Valeu! Beijão!
27/08/2017 11:52:30
Que delicia de conto, JR. Já me animei quando você disse gostar de maduras e acima do peso. Acho que me enquadro nas duas situações. Rs. Adoro histórias assim de tia e sobrinho. Tenho um sobrinho como amante também e a nossa primeira vez narrei aqui. Quando puder, leia ele. Para achar, clique no meu nome. Voltarei depois para ler a continuação desse caso excitante. Beijos.
12/08/2017 13:04:49
E ai pessoal. acabei de postar a terceira parte, confiram lá!
09/08/2017 02:28:21
Muito bom, ótima narrativa esperando mais relatos!
08/08/2017 03:01:35
Acabei de publicar a parte 2. confiram lá!
05/08/2017 15:47:55
Valeu LeoLB! estive ausente por momento, mas estou para postar a continuação em breve!
28/06/2017 18:31:08
O melhor que ja li, posta a continuação
10/05/2017 01:37:01
Valeu pela critica Tania, vou me atentar a isso nos próximos, beijão!
09/05/2017 22:18:03
Um pouco prolixo... Está bom, mas precisa aprender a resumir.. Beijo.
09/05/2017 14:19:04
Realmente ficou um pouco extenso,e mesmo tentando resumir tive que separar em partes, estou escrevendo ainda a continuação, mas tentarei resumir ainda mais da próxima, Valeu!
08/05/2017 20:21:34
maravilhoso gatas chamem no whats para novas amizades 9_6_9_9_7_3_6_9_9 bjs
08/05/2017 19:39:50
um pouco longo, mas muito excitante.

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


kero ver mulher kevandi maozada na bucetaadorocuzinho cabacocaderante. rabudas de. porto alegrecontos eroticos menage femininoxsvidio dois pistoludo comendo gostosacasa dos contos eroticos senzala esposa. filhawattpad historias gays sobre escravo finalistasmúsica filme pornô 2018 também é gostosa negona acelerei muito do negãonovınha dancando de short xvıdeoscondo o marido sai potrabalho pornoas novinhas do Alto do Mateus quebrando o c***** dando o c*****conto erotico gay com amigo velho coroa grisalho do trabalhoTraveti bhnariz estourando a tanga vídeosIsac -Hugo |Contos Eroticos zdorovsreda.rutitia pediu pra enpurrar.no.cu pornoliberei minha filha pro meu amante tirou o cabacinho contosvideo porno cavalgada forte so loiras em cacete de 30cmChevette com tesão na sobrinhasexocunetebuceta de carla visgando xvideosrelato sexi miha noiva a putinha da turmaasseste o maiores filme de porno com mulheres que fuma cigarroconto de estrupo em família rasgou meu cuComtos erotica's ninfeta mestada adoramdoXvideo com a mulhe grita esperneia pra nao emtra na picagritos choros edelirios no porno curtoFazendeiras e seus contos eroticos picantestia puta cer rola do sobrim no iotubcssadoscontos sarrando a bunda da maeincesto:mae amamentando filha adulta contosreaiscontos eróticos eu em casa a sós com tio do meu maridoconto erótico fui obrigada a f**** minha irmãzinha novinhapornodoido genicologista safado com a paciente inocente japonesacontos menina chuponacontos lactofiliavideo porno novinha de 16 domdo p negao da rola de70 ctm carroesposas nuasconto erótico esposa arruma travesti para maridoWww xvideo.com depiladora ñ resistiu a picacomi a minha tia pela primeira vezvideos d cao metendo nasgostosonasProvocando priminho nerd cantorporno cazeiro com novinhs do zp so cu pretoGotosas de minisaia provocando xv o porteirpcontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgevirando a buceta do averso com pauzao monstrocontos eróticos babá olhando só de short sem cuecaesposa abriu a bundinha para aquele homem barrigudo e pirocudo/relato eroticovaldenicepornomulheres casadas fazendo sarrada dentro do ônibus estando acompanhada do maridonovinhas da bucetinha lisinha e rosinha garotinhoxexoleitinhoquando ela me pede .me bate com forca me xinga de puta safada vadia eu urrava de tesao.conto erotico incestocomo daesem doer a bucetahttp://mefaz gz gostosocontos lesbicos com buceta greluda encaixada na outra at gozar gostosoXxvideo pausao negaoas buceta sussurrantemelhores vídeos porno de primos que reduziram seus primoscracuda sapecaconto foto pirua cacetao gozada muher oha irmao mesturbanoconto sexo "Minha Filha II"Um Anjo Em Minha Vida 25.2(Final)- Casa Dos Contosincesto tirando virgindade de garota de oito anos no semáforoContos eroticos gravida evangelicabundinha redondinha do viadinho.contos eroticoscontos eróticos xingando quando era enrabadaHistorias erosticas baitola sendo enrabado pelo o padrasto e chorahomem que fode muitohttps://www.yahoo.com/comendo a buceta da cabra eda ovelha novinha xhansterrelato esposa cincoentona timida primeiro amanteAliviando os funcionarios contos eróticosrelatos de homens e mulheres praticantes da lactofiliapprno doido no escurunho debaixo do lençolputaria brasileira com esfrega cospida no rosto da amigaa mulher se arreba negao em fim todinho na buceta sua bola entra na bucetacontos eroticos desconhecido tirando cabaço d mulecaxvideosdificil pra vc lukagosando no rabo da madura e deixa o cacete dentro ate sae toda porrahttp://comto erotico onibus lotado encostando pau na bunda menina virgemCumeno madura no quintau morenas,magras,cabelos pretos,peitinhos videos sexcontos sobrinha meu presente2mulher com bermudacurtinha paceando na ruaconto gay "macho entendeu"conto mendingo goza no meu cuzaixvideo voces que achar que sua mulher e santinhaoutro lado do paraíso xivideoMeti+bem+gostozona+mia+netia+safada+que+me+deu+o+cuzio+conto+eroticoxxxxvideos mae bate punlheta pro filhocontei como foi minha noite com meu amigo para meu marido porno