Casa dos Contos Eróticos


Click to this video!

Eu e mamãe, enfim a sós.

Autor: Gonçalves
Categoria: Heterossexual
Data: 27/01/2017 06:33:17
Nota 10.00
Ler comentários (5) | Adicionar aos favoritos | Fazer denúncia

Quem não acompanhou a minha saga em "Vovó ficou encantada com minha jeba", "Fiquei viciado na vovó" e "Papai pensou que era o garanhão da casa", talvez fique um pouco prejudicado em acompanhar este último conto. Não dá para dar uma resumida porque vai alongar muito este conto e também porque sou preguiçoso para repetir. Posso dizer que mamãe levou um choque em sua vida, sua vida amorosa desmoronou, a família em que ela sempre acreditou ser uma coisa sagrada virou profana - enfim, mamãe estava arrasada; ao descobrir que seu marido a traiu com sua própria mãe, sogra dele e minha avó.

Encontrei-a na pia lavando algumas coisas, cheguei por trás e a enlacei em meus braços. Fiz-lhe carinhos, falei coisas singelas que pudesse trazer-lhe esperanças, beijei seus cabelos, dei uma bicota em sua orelhinha e estava me desvencilhando de sua cintura, quando ela segurou meus braços e pediu-me que ficasse mais um pouco.

Trocamos algumas palavras, minha rola endureceu e ela encostou mais ainda suas nádegas em minha coisa-dura.

-"Meu amor, és a pessoa ideal para eu colocar um par de chifre em seu pai". "Vou falar com ele ainda hoje, quero que ele vá embora". Não quero que ele respire o mesmo ar que respiramos".

Meu pai chegou do serviço, tomou banho, jantou, viu algumas coisas na televisão (todos nós na sala, eu e minha mãe quietos e olhando para ele). Lá pelas 23:00 horas, ele se despede de todo o mundo e vai dormir. Minha mãe vai atrás e logo depois eu e minha vó começamos a ouvir a discussão. Uma hora depois, aparece minha mãe, com lençóis, colcha e travesseiro na sala, toda nervosa.

-"Eu falei para aquele safado sair de casa, não quero ele mais morando conosco". Minha avó percebeu que ela estava no rolo e começou a chorar.

"Não precisa chorar, disse minha mãe, sua velha safada; uma mãe dessa fazendo isso com a própria filha". "Lágrimas de crocodilo". "Seu dia ainda vai chegar, sem-vergonha". Mamãe olhou para mim e disse que eu iria dormir no sofá da sala e ela dormiria no meu quarto, até meu pai ir embora.

Mamãe foi para meu quarto, me acomodei no sofá e vovó foi chorando, para seu quarto.

De madrugada, acordo com alguém mexendo no meu pé; era mamãe me acenando para que eu a acompanhasse.

Entramos em meu quarto e mamãe me dá um abraço e um longo beijo. Tiramos rapidinho nossas roupas e deitei-me sobre ela. Sem mais preambulo, sem dizer palavras - só nossos lábios se encontrando. Ela abriu as coxas, minha coisa-dura estava mais dura que nunca e fui penetrando naquele doce lar. Eu enfiava e tirava, devagar, saboreando e dizendo frente aqueles olhos apaixonados: "Mamãe... mamãe... meu amor... não acredito... você é minha vida... que gostoso está sendo... mamãe te amo..." Ela sorria com os olhos e dava para notar que ali estava um amor por mim. E neste amor de corpo e alma, mamãe não estava aguentando; segurou o lençol e mordeu-me o ombro, para não gritar, para não fazer barulho. Se mexeu, tremendo-se toda, embaixo de meu corpo, sob o comando de minha pica e logo depois eu também atingi o ápice e gozamos juntos, no máximo de silêncio possível. Este encontro foi simples, simples como a descoberta de namorados virgens. Nos beijamos e corri para o sofá.

Todas as madrugadas fazíamos amor. E numa dessas madrugadas, estávamos num bem-bom, bateram na porta.

- "Quem é?" perguntou minha mãe! "Sou eu"!, respondeu meu pai.

Falei para minha mãe deixar, que eu iria abrir a porta.

Ao abrir a porta, meu pai já foi perguntando. - "O que fazes aí?"

Disse-lhe que depois que ele aprontou, minha mãe ficou desolada e dificilmente dorme direito e então acordo com os choros dela e venho reconfortá-la até ela dormir.

Ele abaixou a cabeça e voltou para seu quarto.

Quando voltei para a cama contei o diálogo e ela sorriu.

"Ah! O filho-da-puta ficou enciumado? Então ele vai ver o que é bom para o chifre!" disse minha mãe.

Puxou-me para a cama e abocanhou minha rola, fez uma chupeta maravilhosa e eu não querendo fazer barulho, cerrava os dentes. Ela me disse:

"Pode gemer, meu amor! Vamos fazer barulho, vamos nos soltar! Vamos mostrar a este corno, quem manda aqui. Agora, não vai ter mais madrugada... Vamos dormir juntos... até ele se mancar e ir embora..."

Depois de gozar em sua boca e gemendo gostoso... foi minha vez de cair-de-boca naquela vulva perfumada e deliciosa... mordisquei aquele grelinho... lambuzei e suguei aquelas paredes molhadas de prazer. Meu pai deve ter escutado. Acordamos e ele já tinha saído para trabalhar e a noite, colocou suas roupas em seu carro e se mandou.

Mudamos para o quarto de casal e ficamos amantes. Vovó vivia pelos cantos a chorar.

Na cama, mamãe era a única - como era habilidosa em sugar uma rola com a vagina - a contração e a desenvoltura de prender o pênis, era uma loucura. Por vezes, tive de pedir a ela que ficasse quieta, com a xana imóvel ... para que eu pudesse ter domínio na penetração e nos movimentos. Se não pedisse, eu ia gozar constantemente sem fazer movimentos e sem tirar de dentro.

Mamãe, depois que papai foi embora, se radicalizou - botou prá quebrar - de 8 foi prá 88. Com o calor que está fazendo, ela só anda de calcinha dentro de casa, na parte de cima só camiseta regata. Num destes dias, voltando do colégio, coloquei meu material no quarto e fui encontrar mamãe na beira do tanque. Ela estava de calcinha, aquela bunda maravilhosa... fui chegando e fui encostando a mandioca-dura.

-"Já chegou, amoreco?" - "Já! E com todo o tesão do mundo... doidinho prá comer este bundão..."

- "Ainda não comeste, porque não quiseste..." disse mamãe e completou:

"Estava esperando você pedir ... não sabia se gostavas ou não..." - "Eu não gosto, eu adoro..." respondi e fui me despindo, tirei a calcinha dela e corri para a geladeira; tirei o pote de margarina, untei minha rola e mamãe já estava com o bumbum empinado. Com as mãos puxei seu quadril, empinei a bunda um pouco mais e apontei a coisa-dura no fio-o-fó da mamãe. Fui mirando, fui enfiando e entrou a cabeça... mamãe começou a bambolear devagarinho e a cada contração sua, um pouquinho mais penetrava em seu anus. Eu estava no céu, mamãe contraia e descontraia... apertava meu pênis lá dentro e soltava... nunca vi tanta maestria em meter com o "redondinho"... com o botãozinho. Toda a experiência que ela adquiriu no curso de pompoarismo ela estava aplicando ao dar o cú.

Eu estava no êxtase e mamãe vibrava com seus próprios movimentos e com minha rola lá dentro. E estava maravilhoso, uma foda dos deuses, e de repente... Divisei de esguelha a figura de vovó nos olhando.

- "Mamãe, vovó está nos vendo... mas, eu estou quase gozando..."

- "Goza meu filho, meu querido... deixe esta bruxa prá lá... goze na mamãe... esporra dentro de mim... neste cú que é só teu..."

Gozei, urrei... mamãe apertou e alargou a roela e esporrei toda a minh'alma naquele instante.

Lá pelas quinze horas, vejo minha mãe toda arrumada para sair e pergunto onde ela ia. Respondeu-me que na volta me diria tudo. Assim que mamãe saiu, fui até o quarto de vovó, onde encontrei-a triste.

- "Por que estás triste, vovó?

- "Ainda perguntas seu safado? Na certa tua mãe foi procurar um asilo para mim e vai aprontar como aprontou com teu pai..."

- " Que é isso, vovó? Estás fantasiando..."

- Olha para você, seu moleque, não vais mais atrás de mim... me esqueceu... trocou uma boceta velha por uma nova... e vais fazer com tua mãe o que fizeste comigo... é só achares uma boceta mais nova..."

- " Não é isso vovó... a mãe não sai de casa e não dá chance de eu brincar contigo... não tem nada de trocar de boceta... agora tenho duas mulheres... quando eu casar vou ter quatro mulheres... vou ter a minha esposa, vou ter a mamãe, vou ter você e vou ter a minha sogra..."

Vovó deu um sorriso com o que acabei de falar. Aproveitando a descontração dela, peguei em seu queijo, levantei sua boca e dei-lhe um beijo amoroso e também de tesão. A pica ficou dura e vovó apertou com as mãos, sentindo a pulsação da bicha; abri a bermuda, baixei-a até os joelhos e vovó caiu de boca. Vovó trabalhava bem com a língua, com os lábios e com carinho fazia a berinjela sumir dentro da boca. Estava quase gozando e queria gozar no céu da boca de vovó; quando senti que ia esporrar, segurei com força a cabeça da velha encima de meus pentelhos e o esperma começou a vir e ela querendo tirar a cabeça de minhas mãos e livrar-se da rola dentro da boca; não conseguindo sair daquela situação, vovó entrou em desespero e começou a dar-me socos em minhas coxas e eu me esporrando todo no céu da sua boca. Acabei de gozar maravilhosamente e vovó saiu rapidinho em direção ao banheiro, com lágrimas nos olhos.

Mamãe chegou no final da tarde, nos chamou para sentarmos no sofá da sala e disse que tinha arrumado um Spa de três estrelas para a vovó morar, um Spa somente para idosos. Disse que era excelente, quarto individual com televisão, tinha todas as modalidades de esportes, cinema, fazia-se teatro, dança e etc, etc. Vovó com lágrimas nos olhos perguntou quando que iria embora. No dia seguinte, oito horas da manhã, já estávamos indo para a nova casa de Vovó. Os detalhes sobre a ida ao Spa, a chegada lá, a despedida e etc., não é o principal deste conto e não vão estar relatados aqui.

Chegando em casa, tiramos a roupa e enfim à sós! Foi uma festa de sexo e para arrematar, virei mamãe de bruço,

ela abriu as pernas, dei uma cuspida na cabeça da pica e fui penetrando e mamãe mexendo a bundinha prá esquerda, prá direita, prá cima e prá baixo; em movimentos sincronizados que era uma delícia.

Comer o cú da mãe é uma coisa formidável, uma coisa que te deixa solto, leve. Vai prá puta-que-pariu todas as convenções hipócritas; o moralismo piegas que te coloca algemas psicológicas cai por terra. Você está amando a pessoa que mais te ama no muito e faz tudo por ti. O que te impede de rosetar na mãe? Nada. Não há perigo de ali nascer crianças deficientes, isto sendo o único empecilho.

Sendo a mãe uma pessoa carinhosa por natureza, ela aceita seu carinho com a maior satisfação, com a maior felicidade. Só basta você ser ousado. Aqui vai uma pequena aula.

Você precisa beijá-la sempre; no rosto, na testa, nos cabelos, nos ombros, não esqueça... sempre beijando.

Quando e onde ela estiver, você chega por trás e lhe dá um beijo, uma fungadinha rápida na nuca. Depois de fazer isto umas dúzias de vezes... você, dá um beijinho na nuca e encosta de leve a rola nas nádegas dela... bem de leve. Algumas vezes, você faz de conta que está de passagem, ou procurando alguma coisa e passa a rola de raspão na bunda dela.

Como você está sempre beijando a sua mãe, procure beijá-la sempre mais perto dos lábios dela... e uma hora você acerta e dá uma bicota na boca; faça de conta que foi uma coisa natural, normal. E procure que outras bicotas aconteçam... e depois de muitas bicotas "normais", o beijo na boca acontecerá indubitavelmente.

Acontecendo o beijo na boca, o encosto "sem querer" de sua pica na bunda dela... poderá passar de ralação para encoxada.

Íamos todos os domingos visitar vovó no Spa. Depois passamos a visitá-la de quinze em quinze dias. Depois eu ia sozinho uma vêz por mês e mamãe continuava a ir por quinzena.

Fazendo já seis meses no Spa, vovó estava adorando; se adaptou ao ambiente e tinha muitas atividades.

Numa de minhas visitas, papo-vem, papo-vai... de sacanagem, de brincadeira, perguntei se ela não tinha saudades dos nossos sexos. Vovó disse-me que não e contou a sua atfividade neste campo.

Disse-me ela que no Spa, trabalha um negão de 1,80m de altura e faz plantão noturno. Uma noite ele entrou no quarto dela, dando-lhe maior susto. Ele disse que estava na hora de dar-lhe remédio, sentou na beira da cama e começou a alisar seus cabelos. Ela disse que não tomava remédios. Assim que ela falou, ele puxou sua cabeça prá frente e deu-lhe um beijo na boca; tirou a colcha que lhe cobria, tirou sua camisola, sua calcinha, abriu-lhe as pernas e meteu-lhe a rola.

- "Uma pica enorme, meu neto... E meteu, meteu bastante e gozou. Nos beijamos e ele foi embora..."

- "A senhora, gostou?... Não foi estrupo?"...

- "Não, não foi estrupo e eu adorei. Na noite seguinte ele voltou... eu estava ansiosa pela volta dele..."

Vovó me contou, que na segunda noite ele deitou na cama e fez ela vir por cima. Mas, de costa, para enfiar a rola no rabo dela. Ela então foi se agachando para o colo dele e separando as nádegas para penetração. E a manjuba enorme do crioulo foi entrando e rasgando tudo por dentro. Ela sentindo uma dor enorme, mas sentou por inteiro e a "coisa-dura" do negão entrou tudo e ela pensou que ia estourar todo o seu intestino. Ele esporrou dentro dela e saiu satisfeito. Vovó disse que o esperma do cara, após meia-hora, ainda estava escorrendo pelas pernas dela.

Falar para a vovó se ela quer voltar para casa - é uma briga séria com ela.

Comentários

11/05/2017 06:41:10
Que delicia de relatos, menino! Pensei que eu era libertina transando com meu filho, mas vocês ganharam. Tanto a avó como a tua mãe. Este foi a parte que mais gostei, por sei bem excitante essa ¨vingança¨. Quando puder, leia os meus. Para achá-los, clique em ¨Coroa Libertina¨ aí em cima. Beijos da Vanessa.
25/04/2017 21:52:40
Uma saga familiar maravilhosamente narrada, Gonçalves. Se o pai já tinha transado com a sogra, foi justo a mãe se vingar com o filho. E a sogra-avó ainda acabou fazendo com o netinho. Parabéns pelo enredo altamente incestuoso e excitante. Tenho aqui um relato com meu filho também. Nota dez e beijocas.
28/01/2017 05:27:19
Aí sim comeu a mãe e a Vó sortudo
27/01/2017 10:34:26
escrevam para mim meninas qu tenham fantasias de incestomeu email [email protected] eu passo meu watsaap e realizamos fantasias bjss
27/01/2017 07:58:11
Que vovó sagaz!

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.




Online porn video at mobile phone


conto erotico tio metelãoporno babentaidosa masturbano de saia escpadrasto sodomitasobrinha traza com tio gotinhafiadinho dano o cu gritano de dor pra um ttraveste palzudo pormo brasileiro gratesmulher puxa o saco d marido geynovia mastubano com o pigelo de fora e gritano de tezaofazendeiro malvado mundobichafiltrados xvideos cao fode minha irma a forcazoofiliacontos erótico arrombada por um gorilaconto erotico gay vaquejada capcontos eroticos safados de professoras madurascontos erotico eu moleque vi minha tia amamentando seu bebeivania gemendonovinha indecente nao aquento me ver so de cueca pornocaminhãozinho pelada transando com o meu Vivoconto erotico gay exploradorConto erótico de corno mscasadoscontos casal adora negros comedor de cu c/fotos reaismulheres que redola e os homem beijam a dundacadela lambendo o meu cacete e fudendo conmigo videojoelma da buceta enchada da o cu pro amigo do seu filho porno doidcasa dos contos eroticos o padrasto so quis as pregassexo brutal negão castigando a barriga até machucar outro delacontis eroticos incesto faxina em familiaqual bumbum mais bate qual bumbum mais pula qual bumbum mais bate qual bumbum mais pula a loira morena branquinha e as burraUau cunada que cusinho gostoso dabuceta das gostosa da novela das 9:00contos erótico de massagitas dotados comendo madames e ninfetasFotonovela porno ruiva malvada contos eroticos de nois dois enrrabadosconto erotico mulherzinhaContos.Ingravidei.minha.irmanHaitianos e camareiro mundobichaQuando chego na loja meu patrão enfiou o plug no meu cubrigas de mulheres bofinhoVidios porno mulher centa na agua fria conto gay apaixonado por um traficantevai passar sarrando MTS malvadão na trocaxvideos entertida no computadorcontos eróticos enbebedaram meu marido e a min e fizeram uma orgia comigover contos eroticos de peao comendo o cu de empresariocorno.gue gui esposa ligue pra.u amate delaconto erotico uber passando a mao na.minha bucetinhaVectra no pau de borracha bem grande na buceta no pau de borracha na bucetavidios bullim nua de quatro com pisudoassistir filme prever padrasto comendo enteadanovinhas e mulheres de blusinha degotada sem sutiã aparecendo os peitosapaixonado por um hetero cap 16meu genro conto eroticoporno comendo cu de homêm de bùnda grandenovinha com tesão levantou a noite pegou uma linguiça socando a b*****italiano porno escurinho do cinemaconto erotico meu/marido transou comigo e meu sobrinhohomen bagaça o cu de esposa rabuda com pênisO doce nas suas veias - (Capitulo 2)-zdorovsreda.rutia insistente anal contosIsac -Hugo |Contos Eroticos zdorovsreda.ruver videos de amigas brigando furiosamente por causa de macho e tambem por fofocas cenas reaisadolecente chorando no picao cuzinho virgem incestominha mae so' andava de roupao contos eroticosconticos erodicos gays entre entre desconhecidosUm hétero machista e homofóbico apaixonado por um índio 4filha dengosa e gostosa sendo acariciada pelo pai sexo pornodescabasano a novinha xvideo para baixaXVídeos da Luz Sementinhamulher baita gostosa retocando a maquiagem video pornônovinhos erotizando de fio dental atoladomulher d buceta pequena engastada c pau grandefilho medico vai examinar o cu da mae e acaba em sexo insetoContos eróticos procurando aventura no clube de campoxvidiocasadas pedindo gala na bucetacontos eroticos gay fui cassar passarinhoCorniei em cabine eroticawww.xvideo.com, tio pega subrinha de supresa e fodd seu cuzinhoContos eroticos incestos a forca netinhassmulher casada realisando fantasia e da pra dois negao dt porno doidoeu gosto daquelas gostosas sem vergonha de pomba limpinho e alisa no chuveirovidiodisexonovinhaFoda agressiva ponodoidominha filhinha meu amor conto eroticoporno sarando na coroa na frente do corno no onibosdoce nanda parte cinco contos eroticosvideos porno mulher goza muito se afrouxa as pernasmonlne da boseta grande gosando sozinha da boseta bem traquinhacontos eroticos eu e meu amigo batemos uma punheta bem gostosaContos eróticos de incesto soníferocontos eroticos tenho um amigo roludo tento fazer dp eu ele espoda ta com medoporrnodoido segurançatranvestir de pau grande colica a amiga pra senta no seu pauxvideos.x10.velho.fudeu.o.cu.da.novinha.brasil