Sacanagem em família VI


Um conto erótico de Pedro
Categoria: Homossexual
Data: 26/06/2016 09:51:16
Nota 9.94

Depois desse dia, as coisas pareceram desandar um pouco entre mim e Carlos.

Na segunda-feira acabei acordando bem cedo. Pude ouvir minha mãe se arrumando para sair do trabalho, tomando o café até o barulho do carro saindo da garagem. Carlos, por outro lado, não demonstrou sinal de estar em casa – embora eu soubesse, quase com certeza, que ele estava.

Saí do quarto quando ouvi o som do chuveiro abrindo. Passei pela porta, esperando ela estivesse aberta mas, para minha surpresa, não estava. O quarto do casal, por outro lado, estava com a porta entreaberta, as cortinas fechadas e o notebook ligado. Entrei sem nem pensar duas vezes e corri para a tele do note. Haviam três abas abertas. Uma no PornHub,um vídeo de um garoto que ia até a casa do amigo e era recebido pelo pai dele, só de toalha. Eles vão para a a cozinha, o pai lhe oferece leite e biscoitos, sai e volta com uma bermuda dessas de futsal de barraca armada. Ele senta na ilha da cozinha, sem bermuda, e o menino começa a chupar a pica dele.

As duas outras abas, por outro lado, eram de um bate papo da cidade vizinha, um pouco maior que a nossa. O apelido de Carlos era “H 40 ROLUDO X VIADO” e, obviamente, muitas conversas tinha sido abertas, a maioria de nicks como “garoto que pai”, “passivo submisso”, “17 a hxh”, enfim. Uma em especial, “garoto quer macho”, parecia ter rendido mais que as outras. Rodando pela conversa, tinham marcado de se encontrar dali 1h.

Fiquei bastante confuso. Não sabia o que pensar, nem o que dizer, muito menos se tinha algo para ser dito. Por um lado, ele era marido da minha mãe. Por outro, isso não tinha impedido de que eu transasse com ele. Eu, por outro lado, fizera questão de provocá-lo. Será mesmo que eu fora tão ingênuo acreditando que iria conseguir manipular e dominar um homem daqueles? Chateado era pouco. Saí do quarto e fui para o meu, entrei, tranquei a porta e deitei na cama, esperando.

Nada. O chuveiro se fechou, Carlos andou para lá, para cá, até ouvir a porta da sala trancando, o carro ligando e meu padrasto saindo para comer outro cara. Bom, que seja. Corri para o computador e busquei o site da empresa de ônibus. Arrumei minhas coisas, uma sunga, uma cueca, uma bermuda, uma camiseta, chinelos e me vesti. Saí de casa e liguei para o táxi. Em menos de vinte minutos eu estava no terminal rodoviário embarcando na linha que ia até a área mais rural da cidade. Se meu padrasto podia me ignorar e sair para foder um viado qualquer, pois bem. Mesmo que eu não pudesse entrar no bate papo e arranjar alguém, assim, podia contar com algumas cartas na manga – ou melhor, algumas rolas na cueca. Julio era uma delas.

O ônibus parava à beira da rodovia. Julio e a família dele moravam uns três km para baixo, seguindo por uma estrada bastante irregular em meio a uma plantação de eucalipto. Só não corri para não fazer papel de idiota caso cruzasse com alguém pelo caminho. Não cruzei com ninguém. O máximo que ouvi foi um barulho de carro mas não soube identificar por onde passou.

O sítio não era extraordinário mas era bom. A casa de alvenaria cercada por uma varanda, uns galpões de maquinário e um curral com alguns porcos e uns dois, três cavalos. Não havia piscina mas uma represa um pouco para baixo da casa. Em volta de tudo, algumas árvores nativas e um pomar bastante extenso de laranjas. Bati à porta mas parecia não ter ninguém em casa. Merda. Só essa que me faltava. Deixei minha mochila perto da porta e resolvi andar pelo sítio ver se encontrava alguém.

Dei a volta na casa, fui perto da represa e então até o pomar. Andei a esmo, meio perdido, prestando atenção ao som de alguém. Ouvi um barulho de água caindo e olhei para o lado. Quase infartei.

O marido da minha tia, João Paulo, parado de perfil mirando seu mijo em um pé de laranja. Ele sorria – poucas vezes eu o vira sorrindo – enquanto olhava para mim e o pau endurecia na sua mão fechada.

- Opa, Pedro. Parece que a gente só se encontra nessas situações hein – e riu.

Ele sacudiu a rola antes de guardar na calça jeans apertada. Além dela, vestia uma camiseta branca e uma bota. A rola duraça ficou saltada em um volume gigantesco perna abaixo. João Paulo se aproximou e – a cada hora mais surpreso – me deu um abraço, roçando o corpo no meu. Eu já estava com a rola estourando dentro da cueca e pude sentir que ele percebeu.

- E aí, o que veio fazer aqui?

Optei pela verdade. Tinha pouco a perder.

- Vim atrás do Julio, ele tá por aí?

- Po, não tá Pedro. Acabou de sair com uns amigos para a cidade.

Merda.

Ah, que pena… hum, então vou indo…

- Ah, capaz – ele disse, enrolando o braço no meu pescoço e me conduzindo de volta à casa – todo esse trabalho, fica aí um pouco, almoça, depois você vai.

Eu estava sacando a dele. Enquanto falava isso não parava de coçar a rola na calça.

- Ah, não, não quero dar trabalho pra tia – soltei.

O sorriso dele pareceu se alongar.

- Capaz, ela nem volta hoje, tá cuidando da sua avó.

Puts. Não podia ser verdade, era muita sorte a minha…

- E você, não trabalha hoje não?

- Ah, não, tô de licença. Hein, você me ajuda a da um banho num potro que acabou de chegar pra mim? Só que vai ter de trocar essa roupa aí, haha.

- Ajudo, claro. Mas não trouxe roupa – ele veria depois que, sim, eu havia trazido. Mas só depois…

- Poxa, pena hein – ele disse, chegando na baia, sem desmontar o sorriso – a não ser que fique só de cueca.

Ele disse e me deu as costas, entrando na baia e começando a prender o cavalo para poder levá-lo para fora. Quando terminou e chegou na frente do galpão, eu estava encostado de cueca na parede, o balde, a escova e a mangueira – principalmente ela – à postos.

- Puta que pariu – ele exclamou baixo e o pau dele deu uma bombada na calça. Bom, acho que não é justo você assim e eu todo vestido. Tirou as botas, as meias e a calça jeans. Estava pelado por baixo dela, a rola saltando para fora, dura, 20cm, cabeçuda, grossa, veiuda. Cheguei a salivar.

Começamos a dar banho no cavalo. Não demorou muito e João Paulo começou a chegar mais perto de mim, encostar a rola na minha perna, me encoxar. Não aguentei mais. Abaixei sobre o pretexto de pegar o balde e ele chegou bem perto, a rola a centímetros do meu rosto. Abocanhei aquele caralho.

- Ui, vai Pedrinho, chupa a rola do tio Paulo.

CONTINUA

P.S. A relação com o padrasto não acabou ainda. Só estou introduzindo novos personagens... MUITA coisa ainda está por vir. Revelações. Reviravoltas. Quem sabe um pouco de romance? A putaria, porém, tende a só aumentar.

P.S.2. Aos que não concordaram com o sexo grupal, bom, esse cap., acredito, só fez a diminuir o padrasto no conceito de alguns de vocês rs. Mas aguardem.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
27/06/2016 19:30:32
Muito bom, virei fã. Só fiquei um pouco perdido porque li tudo e não sei qual a versão final kkk
27/06/2016 13:36:44
tá muito bom cara tipo dms e espero q tenha mais putaria sim pf kkk
27/06/2016 10:41:29
muito bom cont
26/06/2016 22:33:02
Li todos os contos e não vi a parte que Pedro deu pro padrasto pela primeira vez, nem o padrasto dando pra ele. Acho que tem alguma parte faltando.
26/06/2016 18:54:07
Não me encanei com a suruba de machos, foi bastante excitante. Conmcordo com o Pedro que o Carlos poderia tê-lo prevenido no caminho. Quanto ao ciúme de tesão porque o Carlos foi comer o viado na outra cidade, o Pedro se deu bem com o tio. Aguardo a continuação.Um abraço carinhoso, Plutão
26/06/2016 18:09:52
nao demora a postar n o conto ta muito bom^^
26/06/2016 15:28:23
Mto bom msm!! Aguardo ansioso pela continuação!!
26/06/2016 13:23:46
Excelente! Estou encantado com seu texto. Continua logo !
26/06/2016 13:02:10
Padrasto cretino. Mas eu amei essa versão! Tio gostoso.
26/06/2016 12:44:52
DELÍCIA.
26/06/2016 11:00:29
Muito bom
26/06/2016 10:49:55
No demora por favor hahahah

Online porn video at mobile phone


baixar videos de porno violento com novinha tentando escapardo negoes mais nao conseguiuconto erótico sequestrada e estuprada parte 5conto de casada com negropirralho esfolando minha mulher no sitio historias eroticascasada semastorba na camaTia de calça leg conto eroticoconto erótico f****** com cunhadopornô doido comadre entre pica grande negãoConto de zofilia de cachorro gosando dentro de mulheres e inundada a bucetinha de porra ? conto erótico irmã amamentandofilmes porno de diarista espiando patrao batendo punheta brasileira maior de idadecontos de mulheres vacas que levam na cona e no cucontos eiroticos leilaporncontos estrupada por agiota minha filhahq eronticosconto dei o cu pro meu tio emganto ele dormia gay 2017contoseroticos/comadre rabudaele desentopiu a bunda delairmalouca pra perdero cabaco pro irmarporno brasil a emtiada amadrasta i o travestisrelato erotico uma madame na reformabrigas de mulheres bofinhof****** titia de ladinhovidioporno casa sensacaosexo ordenha mulher vaca conto eroticogosando n ponto xmaster lindas n metrobrincando de namorar contos gaysboa foda sadomazoquismo amarrada pes e maos com buceta bem aperta de ponta cabecaxividio ta entrano no cuconto erotico tirei a virgidade do meu irmao novinho gayzinhoprovoquei tanto meu motorista e fudehomoprazer.blogspot.com.brgradona abusa do magrelox videostio chupando buceta contoflagrei a cunhada f****** Conto Chinêshttp://transei com homen que instala antena gay contos eroticos gaypegol oirmao batendo puhentataxista roludo em caraguatatubaContos gays passeando de carro vestida de crossdressfilmes online porno com padrasto viu entiada virgens dormindo pelada e deixou a buseta dela rrasgadaporno fui ajudar minha conhada na cozinha qui ela em gancho a mãocontos eiroticos leilapornnovinha mostrando a buceta gozada com 10 picadinhos rabada bucetacarolzinha santos gordinha gostozinha trepano com colega de trabalhonovinha bucetuda perdendo a virjidade .com namorado bem dotadome fode seu desgraçadoyoutube cdzinhas exibidas de baby dollconto erotico envangelica papai foi meu primeiro homemXvideos os seios deinha maesexo gay preparar novinhos a perder o cabacotrês machos rasgando o c* da n***** pedindo mais v**** dupla 300 e relaxada aberta chupando sem parar na boca v****xvideo alisando minha tia dorminocontos eroticos sogras na praiavirei mulher vara do meu papaiporno medico da nestesia pra mulher e ela dorm e ele faz oqie qyiser com elacontos trai meu marido com um cara que era um pe demesacontos eróticos meu irmão pediu pra mim conpra umas coisinhas pra elexxvido vai dormi povoca em kuartoXVídeos a mulher fica pelada dentro da casa e o cálice piaminhavo rebolo gistoso xvideosfugio da aula para da buceda e leva gozada tendrohttp://porno contos eroticos meteu e gozou dentroconto eroticos transformando a santinha em depravadanovinho lendo no park louco de tezao por um homem forte gostoso e peludopsicologia enfrento hiv minha filha e guei ajudaa mãe deixando o negão afrouxa a bucetinha da sua filha novinhairmsa emcoxada no banheiro pelo irmaofui comido e virei mulhervideo porno esposinha no cuinguexvideo comendo mulher dormindo cherando fundiu da calsinhaporno.doido zoofilia ate rasgar com cavaloquero ver mulher de vestido curtinho mostrando o bumbum fazendo movimentona camaasmorena dsbuceta imjadaxvidio mae e filho nupono dano o raboconto erotico bofinhotirando avijidade das novihhawww.xvideo entertida com celularbuceta roza de causiha epena prasimapornoirado.com / casada gritou na rola monstronovinhas blusinha sem sutiaos durinhosnegao com pistolao grande e bem grosso quase nao entra no buctao da coroaVc e feinha buceta tua nao quero nem teu cu mem teu seio nada de voce me interessa ecovila mulher pelada maior metendowww.contos eroticos cunhado caçula pauzudo come cu da cunhada gostosacontos eiroticos leilapornencochadas na multidaocomi uma egua dentro de casa conto