O nascimento de uma vadia - garganta profunda


Um conto erótico de Ivy
Categoria: Heterossexual
Data: 06/06/2016 11:53:28
Nota 10.00

Continuando:

http://zdorovsreda.ru/texto/ Me come, repeti já nua em pelo.

- Gata, você não quer mexer comigo. Eu gosto de coisas diferentes. Você é nova, acabou de mudar para cá. Como assim diferentes, pensei? Mesmo reticente, ele parecia estar gostando do que via.

- Diferentes, tipo, você é gay?

- Não, gata. Só diferente.

- Então me come!

Ele parou de resistir, e com uma cara de "eu avisei" sacou o pinto para fora, se livrando da bermuda. Me ajoelhei entre as suas pernas e fiquei olhando bem de perto. Estava tudo lisinho. Ele raspava tudo, o que fazia que o pinto dele que já era grande parecesse enorme. Sim, era proporcional aos seus 1,90 m. Segurei o instrumento com uma mão, e dei uma lambida desde a base até quase cabeça. Fiz isso várias vezes, subindo e descendo com a língua aquele longo trajeto. Quando o pinto já estava todo molhado, eu vim subindo com a língua desde baixo até lá em cima, mas dessa vez, ao invés de descer, e botei a cabeça toda dentro da boca, e comecei a mamar. Ele suspirou de prazer. Eu sentia minha buceta melar. De vez enquanto eu tirava da boca e lambia desde lá de baixo, recolhendo a minha saliva que escorria e voltava a mamar. No começo só tinha entrado a cabecinha, mas eu comecei a me animar, e cada vez mais o pinto dele entrava na minha boca. Comecei a quase tirar da boca e depois engolir tudo num movimento cada vez mais rápido. Uma hora foi fundo demais, e eu engasguei. Tirei o pinto para fora e ri. Respirei e voltei a mamar. Até aquele momento o Luciano punha-se passivo. Mas acho que o barulho da engasgada deve ter ativado algum gene primitivo nele. Ele botou a mão na minha cabeça, e começou a forçar garganta a dentro:

- Quero ver você engolir tudo.

O pinto começou e entrar cada vez mais, e cada vez mais eu engasgava. E quanto mais eu engasgava, mas ele gostava, e mais ele forçava. Eu tentava não fugir. Se por reflexo eu me tentava me esquivar era prontamente impedida. Comecei a salivar. Primeiro aos poucos e depois aos montes. Com o tempo meu nariz começou a escorrer e meus olhos a lacrimejar. Ele ficou um bom tempo fudendo minha boca assim. Nessa hora era tanta saliva que já havia um rastro dela que saia do meu queixo e ia até minha buceta. Até hoje eu não sei se eu tava adorando ter a garganta destruída porque eu estava gostado mesmo de ter a garganta destruída ou se era porque aquilo me tornava oficialmente uma vadia.

Comecei a tocar uma siririca usando a baba que escorria para melar ainda mais minha buceta.

Como que se ele quisesse me impedir de me tocar, bem nessa hora ele me pegou pela mão e me levou até a cama, e me mandou deitar de barriga para cima. De maneira meio rude ele me puxou por debaixo dos braços, deixando meu corpo na cama mas com minha cabeça pendendo para fora. Vendo o mundo de ponta cabeça, eis que surge o pinto dele na minha boca novamente. E tome rola! A posição era extremamente propicia. Para ele. Para mim também, na realidade, parecia engasgar um pouco menos. O Luciano então me agarrou pelas tetas, deixando marcar que ficaram nelas nos próximos dias. Naquela posição minha cabeça não tinha para onde ir, e me restava tentar não gorfar. A baba que jorrava ia agora para baixo, embaçando minha vista e grudando no meu cabelo. Parou o vai e vem e começou só o vai. Ele foi enfiando cada vez mais fundo, mais fundo, mais fundo, e finalmente venceu os centímetros que faltava para o pinto dele sumir totalmente na minha garganta. Tão fundo foi que o saco dele ficou esmagado contra o meu nariz. Eu não conseguia respirar, mas ao mesmo tempo havia uma sensação estranha e prazerosa de que as coisas tinha se encaixado. Aguentei o máximo que consegui. Mas não foi muito. Tentei me desvencilhas em buscar de ar, mas fui facilmente contida. Ele me segurou um tempinho assim, e depois com o timming de quem não fazia aquilo pela primeira vez, me libertou. Finalmente recolhendo todo oxigênio do cômodo.

Ele me colocou de joelhos de novo, e tive então a real dimensão da quantidade de salivar que ele tinha ordenhado de mim. Fiquei um pouco envergonhada pela sujeira que eu tinha feito.

Uma punheta finalizou o massacre, alagando minhas já alagadas tetas de porra.

Pedi para usar o banheiro.

- Tem toalha no armário, ele disse.

Vestida, sai do banheiro. Ele ainda nú na sala exibia o pinto, que mesmo mole não era nada pequeno. Viu meu desconforto em ver aquele chão todo sujo.

- Não se preocupe com isso, ele disse, e me deu um beijo na testa. Ele parecia duas pessoas completamente diferentes: uma de pinto duro e outra de pinto mole. Nos despedimos e ele me abraçou ternamente. Eu morava meio longe, mas resolvi ir andando. Imaginei a cara do mala do meu irmão. Ri alto, sozinha na rua. Imaginava também que a garganta em carne viva e os roxos nos seios eram cicatrizes de uma batalha que eu havia vencido. Cheguei em casa já com vontade de voltar.

continua

[email protected]

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
16/11/2016 20:56:34
Parabéns pelo excelente conto. Sou um apreciador incondicional do boquete. Leio com avidez todos os contos que abordam o tema.
21/06/2016 18:39:46
Li,gostei!! Mas esqueci de votar!! Maravilhoso
06/06/2016 13:44:23
Ivy, Ivy, leia o meu conto e veja se nossas histórias não são bem parecidas. Me deu muito tesão de ler os seus dois contos.

Online porn video at mobile phone


contos eroticos com madrinha e afilhadocontos eritico acustumou da o cu com tudo mundo dormindocontos eroticos privateenfermeira tarada fudendo com seu pascientebaixar pornô sogro ditas com novinhas greludascontos eroticos comi a crentezdorovsreda.rumuitas fotos dela da Gretchen nua em casa tem um arrombado desgraçadobelmiro caseiro caralhudoContos eroticos das mamae que ensina seu filhinho a namorarquadradinho da crente inocente safada em conto eróticosvídeo pornô zoofilia bundudo comendo a cachorrinha bem pequenininhanovinha deu debaixo do edredom porque estava frio me deu de ladinhoContos coloquei um shortinho d menina e acabei estupradocontos cu da tiacontos mae filho lambe cona esporradaestupro esposa contos eroticospenis fino pode sastifaze uma mulhehomen chupano rola nacabineContos eroticos gay mlk da oficina novinha virgem no vídeo caseiro transando com padrasto e botando a Nova Palmawww.contos eróticos meu paideixo eu fude minha mae.commulher chama encanador para o manobrista shortvideo de homens que ficaram garrados depois que homen enfiou o pinto e seu saco dentra do cu de homen porno e ficaram grudadosbaxa vidilho di orasao fosdi paraselolavideos porno tio estrupando a sobrinha no cu er na buceta agoca com seu iaocontos erotico saido escola onibusContos jovem faz anal varios homens e cuzinho fica dilatado e dilaceradoConto comi minha irmãconto meu sobrinho cheirou minha calcinhavideos de porno de cunhadabraquinha gostosa dando para cunadoConto erotico de pai cheirando as calcinhas sujas da filha bucetudahomens peru gigantes pocando bucetas cusexo entre.lutadores perdeu auta da ocuzinho pro vencedor ver pornochoramuitoxvideosXvideo negra dormindo domado rolaxvideos calibrosasconto fui comida por um cavalo pauzudogravei escondido dizendo vou gozar aiPorno contos de traicoes dentro da propria casagangbang casada promete voltar sozinha pros dotados xvideopassando a mao no peitoral beijando o ouvido beijando o pescoco pornvideo porno gay chatageado meu o namorado da irma xvideovideotiafodenosou encanador sexoconto mulher casada fode com flanelinhas roludocontos de filho encoxando mae no onibussexotesaogostososou vagabunda amo.fodeai meu cu tira esse pau tá doendo tiroteio loucoprimos flagrados fofemdo no porao da familhacontos eiroticos leilapornContos no banho coirma mais velhamulher fazendo a sobrinha gosar pela primeira ves tocando uma ciririca e chumpadoxvedeos timidavideos de mulheres ficando toda impinadinha ao perceber a encoxadafilinha novinha chega. colegio corre senta colo pai pra senti pau pai vibra na sua bundinha contosX video maê fas boguetivideo de um homen chupano a buceta da mulher a te dar istralosentrequei minha vigidade pri maridi da minha tia contonao resiste as investidas do meu genro contocontos-a menina se confessou e deu o czinho para o padreComi o rabo sujo de bosta do Lukinha contos eróticos gaysminha irmanzinha perdeno cabainho pro cachorro enormexvideos sheila bordel novelao dia em que tirei a virgindade de minha cunhadinhadeu pro time todoconto erotico huntergirls71porno: lésbicas loucas ralando no chão enfiado a mão no rabobaixar vídeo das negras de 1413 anos de 12 perdendo a virgindadecontos eiroticos leilapornxvideos essa mulher fezes 32 homens de trouxavídeo dos anjos guerreiros vídeos pornô sem jeito malcasada com raiva do marido so querer ir para o bar sai e da a buceta para estranho no motelcontos eróticos intiada gravidacontos eiroticos leilapornxividio vo come teu cu bem devagaFeitichi d evangelica c homemquadrinhos eroticos cunhada sedentaporno fodie minha entiada no cusaoas penujinhas do pornomulhe com ceceta ano fazeno sexoconto erotico novinha caseiro negroconto erótico titia celulitee essa tua carinha síndico na me olhandofui enrabada por meu padrinho sem doXvideosarretadaconto gay com meu cunhado juniorxvideo.esposa na primera veź com outroxvideo tadinha papai socou até a mão na buceta delaentregafor fundeno a cliente na casa dela sem o marido saber contos eróticosxividio. vai maxuca meu cuxiv padrasto peganfo aentiada sexso analfilha gulosa senta o cu na rola do pai de 40cm desce devagarvideo. pono mulheres guichado porra de tezaoxvideoscomedo atia.comCONTOS EROTICOS DE ZELADOR PIROCUDO COM MORADORA DO CONDOMINIOviadogostosinholactofilia porno em sao carlos spconto erotico soquei um pau de borracha na minha esposa sem ela perceber