O Sibilino I


Um conto erótico de Irish
Categoria: Homossexual
Data: 06/04/2015 16:48:05
Nota 9.71

1902

Na epoca em que Luiz Alfredo Fleury acabara de regressar de Paris, eu estava noivo de Georgiana havia quase dois meses. Para mim, foi como a surpresa de um mundo novo, vibrante e enlouquecedor a chegada daquele jovem louro e exuberante que, de braços dados escandalosamente com seu amante Emanuel, exibia para quem quisesse ver a sua conduta sexual que chocava a todos.

Ele era o filho unico de um casal descendente da aristocracia carioca, dois primos que se casaram para deixar a fortuna entre a familia. Quando Luiz Alfredo tinha doze anos, seus pais faleceram num acidente estupido com uma balsa que acabou virando na baia da Guanabara durante um passeio. Ele, entao, foi mandado à Paris para estudar e viver com uns parentes distantes, e agora, dez anos depois, retornava com seu curso de Direito incompleto, o amante à tiracolo, e muita soberba.

Eu contava entao vinte e tres anos. Um advogado recem-formado, entre tantos, com clientela razoavel, noivo sem paixao nenhuma de uma moça nervosa, ciumenta e esquisita. Eu mesmo nao sabia o que de fato me prendia à ela. Talvez uma divida de gratidao com seu pai, que me abrira as portas de seu escritorio assim que me formei, possibilitando que lá eu trabalhasse. Entrando para aquela familia, eu esperava um progresso rapido e facil, e apenas isso, talvez, me fazia aturar minha noiva.

Assim que o jovem Fleury chegou ao Rio de Janeiro, se estabelecendo no palacete que pertencera aos pais, na Gavea, foi dada uma festa suntuosa da qual nao participei, mas que ouvi muito falar por varios dias. O escandalo que era a relaçao daquele bacante com o outro, Emanuel, deixou os cariocas perplexos. Deram- lhe apelidos grosseiros: "meretriz", "hermafrodita", "Madame Lu", descrevendo sua festa como o inferno na Terra, um bacanal, Sodoma revisitada num recanto pacato e luxuoso da Gavea.

Mas eu apenas tive a honra de ve -lo na ocasiao da apresentaçao de La Traviata, cerca de quinze dias depois. O teatro lotado, à espera da opera que viera de Roma para uma temporada de apresentaçoes, fervilhava de elegancia. Reservei com antecedencia o camarote para Georgiana, meus sogros e eu, e em meio à sobriedade dos fraques, das cartolas, dos vestidos espartilhados, e à sombra opulenta dos camarotes, pude entao divisar o magnifico rosto do jovem pederasta que chocava nossa sociedade.

Disfarçadamente, assim que começou o espetaculo, meu binoculo seguiu Fleury, estando eu previamente informado de suas caracteristicas. Estavam ele e o sujeito que julguei ser Emanuel num camarote à minha esquerda, observando com o binoculo as pessoas e rindo entre si. Fleury era maravilhoso, louro, de traços delicados, alto, um porte de nadador; Emanuel era moreno, um ar debochado, imberbe, e tambem muito bem apessoado.

- Vejam! Aquele sodomita... _ disse Georgiana com desprezo, abanando -se com o leque de renda perolada; me fitou com superioridade _ E esta olhando para voce, Julio! Que devasso esse rapaz! Jà o detesto sem conhece-lo.

De fato, Luiz Alfredo nos observava com curiosidade, alheio ao espetaculo. Sua mao na luva branca tamborilava levemente o parapeito de carvalho do camarote, enquanto a outra segurava o binoculo. Tirou-o, de repente, e me olhando diretamente no rosto, esboçou um sorriso vago e estranho, especie de ironia desenhada em seus labios bonitos. Meu rosto esquentou de rubor, e debaixo da cartola minha testa cobriu-se de leve suor frio que nao pude compreender.

Terminado o espetaculo, esforcei-me para chegar perto dele. Queria ve-lo melhor, dominado por uma certa curiosidade compulsiva. Nao foi dificil acha-los, pois todos os evitavam, como se ambos fossem cachorros sarnentos. Entretanto eles là estavam, de braços dados, altivos, com uma expressao de constante cinismo e desafio. De subito, no meio do corredor esfumaçado que levava à saida do teatro, a voz alta e impertinente de Fleury se fez ouvir.

- Um minuto, senhores! _ disse ele, olhando todo aquele povo rico e vulgar que os fitava com espanto, asco e raiva _ Apesar de saber que, infelizmente, muitos aqui tiveram pessima impressao em minha festa de recepçao, dias atras, quero convida-los para uma ceia logo mais, em minha casa. Algo bem "comportado", que espero nao os desagradar.

- Voce ainda esta ai! _ disse Georgiana, vindo atras de mim e me pegando pelo braço _ Venha. O coche esta esperando e papai esta com sono.

Enquanto ela tentava me arrastar consigo, ainda pude encarar Fleury por mais um segundo, sua figura alta, de fraque preto e cartola, a bengala de cabo de prata tocando o chao, seu olhar de um azul translucido carregado de ironia e desprezo observando toda aquela gente que o odiava, e Emanuel ao lado. Ele me olhou uma ultima vez e pareceu sorrir levemente, numa mistura rapida de zombaria e curiosidade, enquanto eu era puxado para fora do teatro como um menino desobediente.

*

*

*

De volta, e voltando no tempo ainda mais, na chamada belle epoque, onde a superficialidade de uma elite que idolatrava a França era evidente (e ridicula, convenhamos).

Espero que curtam, amigos!

Abraços!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
14/04/2015 02:47:52
Ain... Como tu consegues prender o leitor hein? Nossa, que espetáculo, de fato eu estou amando já.kkkk confio em ti... Vamos que vamos.. Rs
12/04/2015 22:31:12
Sem comentários
07/04/2015 19:13:00
kkkkkkkkkkkkkkk tipo aula de3 história #MORRI
07/04/2015 06:44:01
Jesus! Maria e José! Continue o mais rápido que puder! Pelo amor de Deus. Perfeita a historia, a escrita, a ambientação, a autora, enfim, tudo!
06/04/2015 23:06:05
Eu já ia reclamar que vc naum tinha avisado, mas vi o seu pedido de desculpas adiantado rsrsrs Amo a maneira pela qual você escreve. O gaydar do Fleury está super ligado. Georgianna chata aff rsrs O boy narrador é o típico novo gay enrustido, gostei dele.
06/04/2015 22:30:52
JesusMariaeJosé! Continue o mais rápido que puder! Pelo amor do 100or. Perfeita a historia, a escrita, a ambientação, a autora, enfim, tudo!
06/04/2015 19:54:29
muito bom!!!
06/04/2015 16:51:59
Gente, quem me acompanha sabe que posto todo dia,,mas nao posso prometer isso agora. Minha net esta falhando ha dias, portanto... Quem tiver preguiça de pesquisar,,sibilino quer dizer o mesmo que enigmatico, misterioso. Quin, caso leia,,desculpe nao avisa -lo da postagem. Resolvi de ultima hora, impulsividade geminiana :)

Online porn video at mobile phone


XVídeos sobrinhas trombada virgemfiui porno gozada dentro sequiso roti so buceta grandeindo até ejacular até gozar gritando de tanto prazer XVídeos pornô pornô doido pornô irado"safadeza entre irmãos"Em puro arola no cu do bebofotoas de travetias bonitas vom caseto grandicomedo aentiada dorminoenfiando o dedo na viver a na praia de nudismocontos eroticos gay filho pegador de mulher vira gaypica da cabesa grade colocono na buseta pornomeu padastro ne colocava para xupar a sua rola ele fala engole sua putinha todo este leitinho q eu gardei para vc sua putinha em portuguesContos de papai e mamae sempre examina minha xotacaiu na net contos reais de genro flagra a sogra nua engravida elaXvidio brasileiro patroa de caucinha dando para ogarotocontos eróticos minha esposa bebeu porra no leite sem sabergostosa gordinhas tirando cabeçalevei minha vizinha madura pra praia contos pornoeu nunca eu tinha fundido a buceta da minha esposa ela mestruada minha esposa tava mestruada eu comecei a chupar sua buceta mestruada ela gozo na minha boca ela chupou meu pau eu comecei a fuder sua buceta mestruada eu gozei dentro da buceta dela conto eróticocontos eiroticos leilapornconto tirei o cabaco do meu vizinho novinho ele adorou minha bucetabiombo banheiro xupa casada videoxvideos com mulheres dos seios fragidosporno brasileiro cunhada vai na chacara com cunhado acaba trazzado com elepai coza na buseda da filha presa na janelamulheres gordas olhando homem negros Andarilho mijandoMoreena Fudendo A Mil So Na Bucetaquero baixa contor d bixinha azulcontos eroticos gay dei a bunda dentro do cemitériode sunga lavano carro no pornopirocas enormes pornodoido garganta profunda imensas que fazem um estragoporn contos eroticos negao foi entregador fudeu minha esposaxvideo gozeiiiiiiii amo que deliciahomem fudendo oltro homem enprensando na parede fudendo pornocontos eróticos gay fui transformado em putinha e fizeram dupla penetração no meu cuzinho e me arrombaramconto de encesto filho 32 de pau quadrinhoestupro esposa contos eroticosVelhos que mamam seios de sua neta contos eróticosnovinha da barriga do umbigo fundinho lindo trepando XVídeosContos pornos-botei o bebe pra tomar leite do meu pauvideos reais p baixar coxudas de saia descuidadas realnegão machucando o c****** da japa pornô XVídeos tadinhaxvideos com meninaxataMeu sogro me comeu a forcacunhada bucetuda e deboxadafolha da a buceta ao seu pai pra tira o seu cabaconegao fodefo cu forcamulher gorda se masturbando e g****** e gritando no meio do pitiúcontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgeconto porno paixao escandalosatrazano buceta inchada no buraco do prazer ponodoido filha novinha enche a mae solteira de beijos e carinho porno doidoporno mulhers efomeadascontos/arrebentei meu cabacobrincando de namorar contos gaysvara no bundao do novinho contosconto erotico vizinha me pediu q eu cuidasse da sua filhaeu e meu irmao fomos brincar de medico pornodoidohomen toma banho de coeca pica fica dura mundobichahomem se enxuga nu e a mulher abre a porta senquerer pornocontos porno vinha casada Marileneminha esposa me trocou pelo travesti contocontos eroticos no rodeioConto erótico chupa bucetaxvideosdificil pra vc lukavideo mendingas sentando na cabeceirarelato sexi miha noiva a putinha da turmaXvideos. Esposinha de vestidinho piscando a xerecaconto dupla penetracao com negrasconto erótico sequestrada e estuprada parte 5tentando meter com pinto inchadogostosas apimentadinha de tesaoassistir pectomia brincando com gorilacontos sexo anal concunhada concunhadocomendo o moto taxi no mato contos erodicoscontoseroticos/comadre rabudaapostei minha mãe com meus amigos conto erotico analcontos eiroticos leilapornporno com homem com baita tigãofilho secava tanto a mae que ela resolveu. provocar ele pornocontos eróticos da tia com seu sobrinho jovemcontos eroticoflagrei esposa com garotos de progamatranzei com a safada da minha cunhada e ela emplorava pra meter mais forte contosconto gay o meu sonho de consumoContoeroticogey