Uma viagem de excursão muito gostosa


Um conto erótico de Loirinha Goiana
Categoria: Heterossexual
Data: 10/09/2014 09:14:18
Última revisão: 20/12/2014 03:53:57
Nota 9.17

Eu havia acabado de entrar para o curso técnico de enfermagem, estava apenas com 15 anos de idade, completei no mesmo mês que iniciei o curso. Naquela época era um curso disputado e tinha duração de três longos anos, pois ele equivalia ao segundo grau. Poucos meses e nas férias de julho a turma de funcionários do hospital escola marcou uma daquelas excursões para uma cidade turística. Minha tia trabalhava no hospital há alguns anos e iria também, assim convenci minha mãe a me deixar ir. Ela nunca me deixava sair sozinha, ainda era proibida de namorar. ela dizia que só quando eu completasse o segundo grau ou seja isso seria com meus 18 anos completos. Eu nessa época já era taradinha, adorava me masturbar, tinha meus namoricos escondida, mas nada sério, ainda era virgem apesar das investidas do meu único tio, dos primos e do ex namorado safado da minha mãe.

Bom voltando a viagem, passei um mês me preparando e tive de estudar muito para ser a primeira da turma, só assim eu poderia viajar mas consegui e o grande dia chegou...minha primeira viagem sozinha iria durar apenas um dia, sairíamos meia noite para estar as 7 da manhã em nosso destino.

Minha tia me buscou em casa, ouviu todas as recomendações da minha mãe e então enfim pude sair, um pouco antes do horário chegamos no local da partida, eu estava a vontade pois conhecia a maioria das pessoas que iria na excursão, todos funcionários do hospital escola e apenas eu e mais duas estudantes.Minha tia assim que saímos da minha casa, me deu um sorriso e disse para eu relaxar e aproveitar, que não iria ficar no meu pé pois sabia que eu sempre me comportava, só me pediu cuidado e disse para não me afastar dela pois precisava me entregar inteira em casa.Ela na verdade estava de rolo com um carinha da farmácia do hospital, então queria mais era namorar sossegada.

Depois de uma meia hora de atraso, todos já estavam dentro do ônibus e prontos para o inicio de nossa viagem. Eu e minha tia nos sentamos uma do lado da outra,e como eram dois ônibus aconteceu que o namorado dela acabou ficando no outro ônibus, assim ele pediu para eu que trocasse com ele. Eu doida para ficar mesmo sozinha e mais a vontade prontamente passei para o outro ônibus.Quando cheguei em meu novo assento olhei e vi que ficaria no fundo, nos últimos assentos, ao lado de um homem...ele se levantou e me deixou passar para o assento da janela. Me acomodei meio chateada porque ali eu ficaria isolada da bagunça que acontecia na frente... lá o povo estava rindo, contando piadinhas, em pé, todos muito animados. Mas estava satisfeita e assim minha tia ficaria me devendo o favor. A bagunça era do meio para frente. Se passaram alguns minutos e eu nem olhei ao lado, nem me interessei em ver quem era meu companheiro de viagem,me virei para a janela e me concentrei em tentar ver alguma coisa do lado de fora. A minha tia foi lá dar uma olhadinha, me perguntou se eu estava bem, me deixou um travesseiro, um cobertor e um monte de coisas para comer durante a viagem,percebeu que eu estava chateada, me pediu para ter paciência porque ela queria ficar com o namorado. Eu sorri e disse tudo bem, vou dormir logo mesmo, já estou com sono. Antes de voltar para o lugar dela, ele se dirigiu ao homem do meu lado e disse: Vadinho cuida dela pra mim? deu um sorriso e continuou : minha sobrinha viu!

Ele me olhou bem nos olhos e se voltou para minha tia sorrindo: mesmo? nossa cuido sim, não se preocupe.

Então eu vi melhor quem estava do meu lado... ele devia ter quase uns quarenta anos, magro, alto, cabelos meio crespos com entradas...não era bonito,nem o tipo que uma garota de 15 anos queria do seu lado em sua primeira viagem quase sozinha.

Assim que a viagem iniciou, as luzes do interior do ônibus se apagaram, eu tentei ficar olhando pela janela mas a escuridão não permitia ver muito ali. Vadinho,o moço da poltrona ao lado puxou assunto...me perguntou sobre o curso, minha idade, falou que trabalhava no turno noturno e que era técnico em RX e gesso. Falou um pouco de como conheceu minha tia e assim ficamos um pouco mais íntimos. Isso me relaxou mais e comecei a curtir minha viagem.

Eu aos quinze anos me achava magrela, desengonçada e morria de vergonha dos meus seios que se destacavam pelo tamanho desde cedo. Ainda era morena, cabelos negros e lisos, bem compridos em um corte de franja que me deixava com cara de muito mais nova ainda. Estava vestida em um vestidinho floral, com manguinhas curtas, um decote em v que marcava bem o volume dos meus seios e deixava uma pequena parte a mostra, de botão na frente, daqueles rodadinhos da cintura para baixo, um pouco acima do joelho. Tipicamente uma adolescente, sem muito glamour. Por baixo usava um conjuntinho rosa de algodão. Eu sempre tive rostinho bonito, olhos grandes e a boca bem carnuda com lábios grossos, apesar de usar aparelho nos dentes, minha boca sempre chamou atenção.

Durante nossa conversa Vadinho brincou muito e falamos de tudo como se não houvesse diferença de idade entre nós dois, assim logo a conversa tomou o rumo sobre namoro, com ele me perguntando porque meu namorado não foi e eu me explicando que ainda não podia namorar... ele aproveitou esse momento e me deu uma olhada bem safada que no dia eu nem percebi e me elogiou dizendo que eu era bonita e tal. Passado um tempo eu disse que ia tentar dormir um pouco e ele solicito me ajudou a abaixar o encosto da cadeira para eu deitar. O barulho no ônibus era de mais, o povo quase todo estava em pé, do meio do ônibus para frente, tocando violão, bebendo e cantando. A farra rolava solta e as poucas pessoas sentadas eram casais ou pessoas mais velhas, mas ali atrás apenas nós dois.Vadinho se levantou e voltou com uma cerveja na mão...eu me deitei, coloquei o travesseiro e abri a coberta, me virei de lado, virada de frente para ele tentando achar uma posição para dormir,fechei os olhos, mas não tinha sono, apenas queria que o tempo passasse logo para eu curtir meu passeio.

Vadinho assim que me viu de olhos fechados, ajeitou sua cadeira também e se esticou, com a cerveja na mão ele tirou uma revista da sua bolsa e começou a folhear, eu fingindo dormir, mas com os olhos semi serrados, pude ver que a revista era bem interessante... uma daquelas de contos ilustrados com desenhos bem sacanas, tipo um gibi pornográfico. Acabou de vez a possibilidade de eu conseguir dormir, mesmo no escuro, os desenhos eram nítidos e eu conseguia acompanhar bem a história...vi uma loira peituda, bem rabuda chupando um pau, depois ela de quatro com aquele negro de pau enorme enrabando ela bem gostoso. Comecei a me molhar toda e a pensar em sacanagem, a vontade de me masturbar era enorme e ali não podia...Vadinho nem percebeu ou fingiu que não me viu acordada, tomava sua cerveja e babava na sua revista safada...olhei e vi o volume que se formou em seu jeans e percebi que ele colocava a mão em cima, mesmo segurando a cerveja esfregava aquele volume que quase perfurava sua calça.

Ele terminou a cerveja e se levantou buscando mais uma, voltou e novamente se deitou em sua poltrona, eu aproveitei para me ajeitar também e me virei de barriga para cima, mas ainda com a cabeça de lado para poder ver a revista caso ele fosse novamente ler. Minha bucetinha virgem ardia molhada de tesão... eu abri os olhos e sorri fingindo acordar, ele me ofereceu a bebida e eu recusei, não podia beber ainda, mas ele insistiu que eu provasse, não iria contar pra ninguém ...então ele se curvou um pouco sobre mim e colocou a latinha na minha boca, virando devagar um gole pequeno. Eu senti seu corpo encostar no meu e como já estava excitada com a história da revista,senti um arrepio no corpo e ele percebeu, abriu um sorriso,senti seu hálito de cerveja bem próximo, mas ele voltou para seu lugar. Eu então meio envergonhada voltei a fingir o sono. Ele resolveu dormir também... se virou para meu lado e se aconchegou no travesseiro, fechou os olhos e por um tempo ficou assim... eu ainda fingindo dormir observava seu rosto com os meus olhos semi serrados, sentia sua respiração próxima a mim... mas acabei dormindo mesmo, apesar do tesão que eu estava eu não senti nada por ele, achei ele feio e meio velho pra mim. Não sei quanto tempo passou até eu sentir a mão de Vadinho em mim...senti um beijo nos seios e uma mão em meu bumbum apertando por baixo do meu vestido, o safado estava se masturbando ali e havia puxado minha coberta e agora se cobria com ela também, ouvi sua respiração ofegante, e ele beijando meus seios por cima do meu vestido, a mão passeava e apertava levemente meu bumbum...a outra mão eu percebi os movimentos e sabia o que ele estava fazendo.Eu me mexi e ele ficou parado, observando se eu estava acordando, mas como fiquei quieta ele continuou...passava aquela mão áspera em meu bumbum, me puxando bem suavemente para encostar nele, parou a punheta por um momento e abriu o primeiro botão do meu vestido, permitindo assim que ele colocasse a mão e puxasse para fora meu seio, ele passou a língua bem de leve no biquinho, me beijou a boca com um selinho e voltou para o seio...nesse momento meu tesão já tinha voltado todo e minha calcinha estava encharcando de tanto que minha bucetinha virgem estava doida para receber um pau.

Na posição que eu estava ele não podia fazer mais que isso, e eu queria mais, então resolvi ajudar, respirei fundo e fui me virando para ficar de costas. Virei e dobrei as pernas, empinando o bumbum em sua direção de propósito, me oferecendo para uma encoxada, o vestido curto ajudou ficando levantado e voltei a ficar quieta fingindo dormir.Com a coberta nos tampando e as luzes apagadas ficava muito fácil aproveitar, fora que a maioria das pessoas já tinham se acomodado e o ônibus estava calmo agora, apenas algumas conversas e risadas mais a frente, o que até ajudava a disfarçar qualquer barulho. Vários casais deveriam estar fazendo o mesmo, pois vi muita gente se aconchegando em baixo de cobertas.

Mal me virei e fiquei quieta Vadinho levantou a divisão das poltronas e chegou mais perto,senti ele se encaixar em mim em uma conchinha perfeita e então pude sentir seu pau molhado e duro em minha bundinha, era um pau grande,não muito grosso, bem liso e estava quase estourando de tesão. Ele se encaixou bem no meu reguinho me puxando devagar pela cintura, senti sua mão sobre minha calcinha e seu hálito no meu pescoço, me beijando a nuca. Começou a se esfregar lentamente em mim, enquanto passava os dedos por cima de minha bucetinha.Ele puxou minha calcinha de lado e enfiou o dedo por dentro procurando meu clitóris... ficou massageando de leve. Eu já não aguentava mais aquela tortura, ter de ficar quieta, fingindo dormir e doida para gozar gostoso. Ele desceu a mão e abriu minha bucetinha, percebeu ela completamente molhada e meu tremor, nesse momento ele percebeu que eu fingia e ficou mais a vontade. Passou a me beijar a nuca com mais força e a empurrar seu pau contra minha bunda, fazendo um vai e vem, se masturbando com vontade. A mão tentava chegar na minha bucetinha, mas eu com a perna fechada não permitia, tinha medo de perder a virgindade. Então senti ele se afastar um pouco e me puxar para me colocar de barriga para cima...eu ajudei e me virei já de olhos abertos.Não aguentava mais fingir, então ele me olhou e sorriu, não disse nada, veio para perto de novo e me beijou...um beijo molhado, enfiou sua língua em minha boca com vontade enquanto suas mãos apertavam meus seios e minhas coxas.Ele pegou minha mão e levou até seu pau, segurando ela e me ensinando a punhetar para ele. Subiu e soltou mais dois botões do meu vestido e caiu de boca em meus peitos...seu movimentos eram leves e com cuidado para que ninguém percebesse o que a gente estava fazendo... o barulho do ônibus, a conversa de alguns e os sussurros de outros nos ajudava,senti sua mão subir das minhas coxas e ir em direção a minha bucetinha de novo... afastou de lado minha calcinha e começou a me masturbar gostoso, fui relaxando e abrindo as pernas e ele percebeu que estava conseguindo o que queria. Eu estava vivendo um turbilhão de emoções, já tinha passado por momentos assim antes de ser bulinada, de amassos gostosos, mas nada tinha ido tão longe assim e sempre tinha acontecido com meu tio ou com meus primos,e as últimas vezes foi o ex namorado da minha mãe que quase me estuprou e eu não tinha deixado e muito menos gostado.

Agora ali com um homem mais velho,sozinha, cheia de tesão e gostando do que estava fazendo era diferente. Era um misto de proibido com medo e muita curiosidade, mas eu não podia perder a virgindade assim, com um estranho e dentro de um ônibus. Quando ele tentou colocar o dedo na minha bucetinha eu me afastei e empurrei ele, olhei em seus olhos e disse que não. Ele me perguntou baixinho, ainda me beijando o por que e eu disse no ouvido dele...sou virgem ainda! Senti seu pau pulsar forte em minha mão e ele tornar a me beijar com mais vontade. Então ele disse :

_ Não vou te penetrar, me deixa só gozar esfregando nela? posso? deixa minha gatinha ?

Eu fiquei com medo, mas o tesão e a vontade de sentir ele era muita... acenei que sim e abri a perna. Ele veio por cima de mim, abriu minhas pernas e se ajoelhou na minha frente ainda se cobrindo com a coberta. Levantou minhas pernas dobradas, me deixando na posição de um frango assado e começou a me chupar, passar aquela língua na minha bucetinha fazendo um oral delicioso,mas sem colocar o dedo, apenas segurava minhas pernas e me chupava, colocava a pontinha da língua na entradinha da minha buceta e ficava passando ele devagar, depois subia e chupava meu clitóris, mordiscava e tornava a repetir...gozei rápido e mordendo a coberta para não gemer.Quando sentiu meu melzinho em sua boca ele veio pra cima de mim, posicionou seu pau entre minhas pernas e as fechou apertando seu pau. senti aquela vara dura roçando minha buceta ainda melada pelo meu gozo e ele começou a se mover como se tivesse me comendo, fazia um vai e vem roçando minha bucetinha, me beijava e apertava meus seios e isso me fez gozar novamente em minutos.Ele me disse que ia gozar também e tirou seu pau da minha bucetinha, me puxou para baixo e gozou nos meus peitos...senti esporrar em mim e gotas de esperma em meu rosto, aquele cheiro forte de sexo me fez sentir uma ânsia de vômito, mas me segurei. Ele usou nossa coberta para limpar, voltou ao seu lugar e fechou a calça enquanto eu arrumava meu vestido de novo. Assim que terminamos o nosso ônibus parou em um posto, eram três e meia da madrugada. voltamos as cadeiras, as luzes se acenderam, dobrei a coberta, olhei para ele e sorri.

As portas se abriram e todos saíram, era uma parada rápida, fui lá fora, falei com minha tia, disse que tinha dormido a viagem toda e que nem vi nada. Ela estava abraçada com o namorado e o frio tinha aumentado muito, me perguntou se usei a coberta e eu disse que sim, há e como usei. Fomos ao banheiro e voltamos para o ônibus para seguir viagem. Entrei e ainda vi minha tia falando com Vadinho antes dele voltar. Ele retornou e quando se sentou de novo nossa viagem recomeçou.

Dessa vez sem cerimônia ele sentou, deitou nossos assentos e jogou a coberta sobre nós, me puxou e me aconchegou em seus braços, me abraçando e me beijando longamente na boca. Adorei aquela posição mas confortável, fiquei de lado e deitei em seu braço, passei minha perna em cima da dele. Ele começou uma conversa e logo me perguntou se eu tinha gostado, eu disse que sim e ele sorriu e me beijou. Passou a mão em meus seios e me disse que queria ser o primeiro.Eu gelei, e senti aquele arrepio de novo, o tesão tomou conta de mim, mas eu respondi que não ali daquele jeito e ele respondeu que esperava. Ele pegou minha mão colocou em pau novamente e já senti ele pulsar duro pronto de novo. Abri seu zipper e fiquei punhetando aquela vara, enquanto ele me beijava, eu mesma abri meu vestido e ofereci meus seios fartos para que ele chupasse... estava doida de vontade de dar para ele ali mesmo e me segurando.

Que amasso mais gostoso, o tesão era enorme e a viagem deliciosa... Vadinho estava fazendo valer a pena. Senti ele apertar meu bumbum e puxar minha calcinha que dava para torcer de tanto que eu estava molhada, ele passou o dedo naquele liquido e levou até a entrada do meu cuzinho...ficou fazendo um movimento circular com o polegar. Eu nunca havia dado o rabinho...era virgem de cuzinho de boca e de bucetinha. Apesar dos amassos safados eu sempre consegui escapar e me manter virgem.Vadinho então forçou o polegar e enfiou ele no meu cuzinho. Foi a primeira vez que fui invadida assim, acho que o susto e a dor me fizeram dar um gemido que ele abafou com um beijo, me segurou forte e permaneceu com o dedo lá dentro. Aos poucos fui relaxando e comecei a gostar da sensação. Ele percebeu e começou o movimento com o dedo lá dentro, enquanto me beijava forte e amassava meus seios. Ele me puxou e encaixou o pau de novo entre minhas pernas, sem tirar o dedo do meu rabinho... começou a roçar o pau na minha bucetinha e várias vezes senti ele forçar a entrada, tentando enfiar e me comer ali mesmo. Eu fechava a perna e apertava seu pau, ele retornava e apenas esfregava novamente... o dedo foi ficando mais rápido e ele dedava meu cuzinho com vontade, me fazendo gemer baixinho.Assim logo gozei...tremi e me apertei contra o peito dele. Ele também gozou...dessa vez entre minhas pernas, sujou até o banco do ônibus.

Novamente nos recompomos...vadinho foi no banheiro do ônibus e molhou uma toalha, trouxe e passou em mim e no banco, retirando o cheiro forte que tinha ficado e com cuidado para não escorrer para dentro da minha bucetinha.

Me aninhei em seus braços e dormi profundamente sentindo sua respiração... ele também adormeceu e só acordamos já em nosso destino.

Quando chegamos já era dia, descemos do ônibus, encontrei minha tia e seu namorado com cara de que a viagem lá tinha sido boa de mais também, afinal os dois estavam com cara que não dormiram e felizes de mais. Todos animados,chamei Vadinho para se juntar com a gente, mas estávamos nos tratando como amigos, apenas disse para minha tia que ele era legal e que tinha sido um ótimo companheiro de viagem. Entramos no clube quase 8 da manhã e já nos dirigimos as piscinas. Chegamos lá e o frio era intenso...mas água termal é perfeita nesse clima.

Minha tia rapidinho estava na água se agarrando e esfregando no namorado, fiquei sem graça e não entrei na mesma hora. Esperei esquentar um pouco e de olho em Vadinho que se afastou conversando com umas mulheres, mais velhas e que também estavam em nossa excursão. Ele dava atenção a todas, ria, bebia, estava totalmente a vontade.

O dia foi passando normalmente, trocamos poucas palavras e ele se manteve afastado sempre bem acompanhado. Almoçamos todos juntos e depois do almoço minha tia disse que iria deitar um pouco na área de camping...lá se foi ela e o namorado para um local afastado e para dentro de uma barraca. Eu bem sabia o que iriam fazer.Senti inveja.

Resolvi ir dar uma volta, conhecer o lugar enquanto estava sozinha...andei por várias partes do clube,me diverti, conversei com muita gente, me sentia adulta e livre ali... não percebi Vadinho me vigiando de longe. Eu entrei na sauna e asim que me sentei ele chegou e se sentou ao meu lado... olhei e percebi seu corpo magro, com pelos no peito, um calção de banho azul meio largo e percebi o rosto cansado, entregando seus quarenta e poucos anos. Não me a atraia mesmo mas tinha sido muito gostosa nossa viagem. Ele se sentou do meu lado e me deu um beijo, disse que já estava com saudades e que queria mais... eu me acendi na hora, afinal o dia estava bem sem graça. Mas entrou mais gente na sauna e tivemos de sair dali. Ele me pegou pela mão e me levou para um pequeno bosque onde tinha uma trilha, andamos um pedaço e ele me puxou para um lado entrando na mata... andamos mais um pouco e encontramos uma pequena clareira, sem trilhas que levassem até ali. Então ele me encostou em uma árvore e começou a me beijar, eu estava só de biquíni, facilitando o acesso ao meu corpo, ele somente de sunga de banho. Senti seu volume crescer e encher os espaços da sunga que ele apertava contra meu corpo imprensado na árvore. Ele desceu a boca molhada e começou a me chupar toda, cada pedaço do meu corpo, desceu minha calcinha e meteu a língua na minha bucetinha... eu apertava sua cabeça contra meu corpo e gemia muito, meu dia estava perfeito agora. Gozei em sua língua. Ele se levantou e me pediu para chupar seu pau... eu disse que não tinha coragem ainda, mas me ajoelhei coloquei o pau em meus seios e fiz uma espanhola, deixando só a ponta encostar em minha boca. Não era frescura...nessa época eu sentia o cheiro de porra e me dava vômitos. Tentava não sentir, queria chupar um cacete e não conseguia. Eu me lembrava da porra do meu tio escorrendo em mim quando ainda tinha 7 anos de idade e isso me deixava enojada.

Ele não gozou assim...então me virou de costas abriu meu bumbum e passou seu cacete duro nele,me abraçou apertado e começou a forçar a entrada no meu cuzinho, senti forçar minhas pregas e ele cuspir tentando lubrificar para ajudar na entrada. Mas eu me contraia e não ajudava com medo. Lembrei da dor quando ele enfiou o dedo e pensei como seria ter aquela vara atolada no meu rabo. Ficamos assim um tempo e ele se encaixou entre minhas pernas, na posição que roçava minha bucetinha, iniciou o vai e vem ritmado, me masturbando com a mão e gozamos assim. Nos vestimos e percebi sua decepção por nao me comer de vez, de ficar só nos amassos, mas ele foi carinhoso e me beijou, voltamos para as piscinas um pouco antes de minha tia retornar. Assim ela não percebeu meu sumiço.

O resto do dia foi normal... mas eu não parava de pensar na nossa volta.

Retornamos ao ônibus as sete da noite e começamos nossa viagem de volta..mesmo ritual. Esperamos todos se acomodarem, a maioria estava bêbada, outros já dormindo e rápido estava tudo quieto e luzes apagadas. Peguei meu cobertor e me cobri, Vado se levantou, foi ao banheiro e depois foi para um banco na nossa frente conversar com uma garota que ele passou o dia de conversinha. Fiquei um pouco frustrada, mas eu estava um pouco cansada e achei normal que ele também estivesse, de onde eu estava no último banco eu via a poltrona deles... do lado contrário e apenas um pouco a frente. Fiquei deitada, coberta e quando ele olhava eu fingia dormir. Logo vi os dois se beijando bem na minha frente. Ele puxou ela e começou a alisar seus seios, vi ela passar a mão em seu pau que já estava duro.

Eles não perderam tempo e vi ela jogar um cobertor por cima deles e de la eu ouvia os beijos. Fiquei com raiva dele, mas entendi que ele queria mesmo comer alguém, afinal um homem feito, bem mais velho passar o dia se esfregando em uma menina e não meter. Ele devia estar doido para fuder uma buceta com vontade. Percebi ele se posicionando sobre ela embaixo do cobertor e os movimentos de vai e vem... alguns minutos depois e ele cessou ficando deitado sobre ela. Eu via tudo aquilo com a buceta encharcada querendo que fosse eu ali, mas com raiva de ser trocada assim.

Ele se sentou, conversaram e trocaram alguns beijos. Me virei de costas para não ver mais e fiquei ali molhada e cheia de tesão. Adormeci e quando acordei ele estava lá de novo, colado em mim adormecido. Empurrei ele e me afastei. Ele acordou e me olhou sério...percebeu meu olhar, passou as mãos em meus cabelos e disse:

_ Eu precisava bb ou ia fazer com você aqui, a força. Estava doido de tesão e quero ser bom com você.

Me puxou e me deu um longo beijo, me acariciando os seios e me acalmando.

Eu sorri e disse que estava tudo bem. Mas no fundo eu sabia que depois dali eu não queria mais nada e nem queria que ele fosse meu primeiro.Deixei ele me beijar, me passar a mão, aproveitar mais um pouco até o fim da viagem e sabe o melhor, a cara da menina que ele trepou nos olhando do outro banco. Me vinguei enquanto beijava ele embaixo da coberta e olhava pra ela de lá... nos tornamos rivais desde esse dia e nunca mais paramos.

Chegamos, despedimos, tudo normal e minha tia nem desconfiou de nada.

Fui para casa e voltei a minha rotina de me masturbar no banho com o chuveirinho.

Uns dois meses depois, minha mãe disse que tinha um novo namorado e que ele iria lá a noite.

Naquela noite quando ela abriu a porta eu escutei uma voz familiar...

me levantei da cadeira na mesa em que eu estudava e fui até a sala e tive certeza... era Vadinho.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
23/02/2017 11:43:38
Conto muito bom parabéns, depois ele comeu vc?
19/02/2017 19:30:03
Que conto maravilhosoooooo, gozei muito. Nunca para de escrever.
09/06/2016 10:42:54
E COMO CONTINUA A HISTÓRIA ???????????????????????????
08/02/2015 09:22:34
Sensacionais seus contos...Tesão e erotismo total..Melação das boas...
11/09/2014 15:47:27
Adorei os comentários e não uso o whatssap para contato, mas podem me add no Skype ... Apenas gostaria de dizer que adoro conversar e quero apenas amizade, eu não marco encontros e e nem planejo aventuras. Atualmente estou namorando e feliz.Podem add desde que respeitem minha privacidade ok.
10/09/2014 19:23:12
Muito bom parabéns, é cada coincidência nesta vida que contando ate deus duvida.
10/09/2014 14:37:34
Obrigada Guille... a história é bem real e fico orgulhosa de deixar seu dia mais alegre, de poder deixara vocês com mais idéias e motivos para alguns momentos bem gostosos. Beijinhos ;)
10/09/2014 13:54:26
Acho que nenhum conto sobre esfregação, masturbação me deixou tão excitado, e como estou na rua preso dentro de uma cueca e uma calça jeans fiquei dolorido!kkkkkkParabéns Goiana pelo conto, por fazer a viajem do vovô feliz (se o conto for real)Foi uns dos melhores que ja li aqui e olha que não é de hj que sou leitor.Parabens Delicia de Gostosa essa história e tenho certeza que vc tb.

Online porn video at mobile phone


contos eroticos/dois gorotos negros picudos fuderam minha namorada a forcacontoseroticos mulher lactante amamentandovih a madrasta de shortinho e n aguentei pornocontos de casadas dando uma rapidinha com outros no carnavalrabuda que foi tirar satisfação fodeu com vizinhoRelatos gemeas moreninhas levando na bundinha contos eróticosmonlne da boseta grande gosando sozinha da boseta bem traquinhaseduzindo novinha escondidopornodoidoxvideo firmozacarlos chupando uma buceta com muito prazerXvideo realisei minha vondade de der dois paus sopramim um infiado no e outro na buceta trai meu marido vou contar como foifazendo a filha chorar de dor sexo anal tv insentosobrenatural nxvideosmulher dano cuzinho de fildental a toladoxvideoa aventuras anal gay sexo anal ate goza dentro no peloconto erótico dopando pra meter gostosoEu sou domestica eu dei a buceta para meu patraocontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgeincesto com meu vô contosgozano nos etra xesualporno sombra brasileiro pauzudo so com vovo 60anosxvideos calibrosasvideos e tags de coroas sentindo tesao vemdo filme de fodabundudas na piscina em golindo galaconto erotico gay com padrasto velho coroa grisalhonegao pausudo enfoorca a novinha enquanto fode elavideo gay negro dotado coneu rssgou cu viafo que contratou programa com negraoquero ver madrasta chupa sua em teada dormindopesquisar por mega dotado cintilografia de mulher pelada com os negão metendo e g****** em vídeomeu subrinho comeu a bunda da minha esposarelatos selvagens de zoofilia com cachorroporno brasileiro cunhada vai na chacara com cunhado acaba trazzado com elecontos eiroticos leilapornver contos eroticos em que maes sao flagradas pelas avos fudeno com os filhos pauzudosporno mae e filha transformadas em puta contorelatoeroticoloiracontos de uma depravadaFudendo a prima ela pidiu arego mais eu nao deixeigorila fêmia dando o cuxvidiomai gostoza do meu amigo deudeu o cu si arenpendeu pornocontos eroticos picantes camioneiros estuprando putas na estradapasei amao nela eila goistou nuonibuhttp://www.casadoscontos.com.br/perfil/182713Xvidio minha conhada so usa curtinhobracas novas putihnasporno pago pra fazer faxina pagor tirar a blusa pagor pra tira a calsa pagor pra fazer boquete pago pra come a bucetacontos eróticos peguei minha mulher e me vingueinao resistiu ao corpo lindo da cunhada cinquentona gostosanegao rascando roupa de mulheres brancas page 1 xxxxxx vídeos enquantoo novinho se masturbavaaté gozar o negão metia lhe a picaContos eroticos de velhoatacada em estrada deserta pornodoidosucos ontem pego comendo o cu a buceta bem gostosoamiga tô aqui sentado comendo aquela saidinha que o baile não chegou amigaxvideos roleudo comodo sanquecontos eroticos desejo de uma mulher tomar porra de negros na frente do parceiroler conto erotio descabaçando irma peludavirei mulher na cama contos wconto erotico com nora puta e gostosacache:gSqqIFTr6BkJ:zdorovsreda.ru/texto/2014111101 www.x10 porno incesto mãe e filha obrigando ao filho para transar com elasvideo porno doido gratis casal convida amiga p churrascoconto erótico de familiaesse cachorro foi preparado para fuder buceta de mulhermentendo o pepino na buceta e no meu rabao contoscoisa bramca bem groso saindo da nuceta sai so quando coloco o dedocontos crossdresspai esfrega a ponba n clitoris d filha e faz goxaro negro aldo e esposinha contoAjudante de pedreiro dando a bunda grande