Casa dos Contos Eróticos


Click to Download this video!

Leve Confiança 5

Um conto erótico de Victorm
Categoria: Homossexual
Data: 18/08/2014 17:34:08
Nota 10.00

Quando acordo faço minha higiene e tomo um banho quente para tirar o sono que me perseguiu até o banheiro. Coloco um shorts branco,uma camisa salmão e um All star branco. Arrumo meu cabelo e vou para a cozinha tomar o meu café/almoço, e falando em almoço ligo para o Gabriel desmarcando o convite que havia me feito.

- Oi Gabriel!

- Oi meu lindo! Tudo certo para o nosso almoço? - ele pergunta

- É sobre isso que eu quero falar. Quando me convidou ontem eu esqueci que meu pai me levaria à um jogo de futebol. O que eu adoraria desmarcar, mas ele me prometeu um carro! Desculpe! - dou uma risadinha.

- Sem problema algum - ele ri do outro lado da linha. - Outro dia nós marcamos! Tenho que ir aqui! Esta vindo um paciente! Um beijo! Eu ainda estou te sentindo no meu corpo! - quando ele falou isso senti um arrepio.

- Tudo bem! Prometo que vou recompensar! Até mais!

- Até! - ele desliga.

Mesmo não tendo nenhum vínculo com Gabriel eu me sinto bem ao lado dele, mas não é com a mesma intensidade de quando Hélio está por perto.

Entro na cozinha, dou bom dia para os meus pais e meu pai me pergunta se estou empolgado para ir ao jogo! Respondo com um sorriso falso e ele entende rindo da minha cara.

- O Hélio vai levar a Laura hoje pra estádio filho! Você vai adorar ela! - minha mãe fala. Eu vou jogar ela dá arquibancada isso sim!

- Estou ansioso pra conhecer ela! - reviro os olhos.

Minha mãe olha pra mim como se quisesse falar algo com seus olhos e depois faz um gesto para que eu sente ao lado dela. Depois que sento ela puxa minha cabeça e começa a me fazer um cafuné e fala:

- Você gosta mesmo desse tal de Hélio não é meu filho?! - ela sorri confiante de que sua dedução está correta. - Eu sinto isso e percebo o jeito que você fica quando ele está perto de você ou quando ele te olha nos olhos. Fala a verdade pra mamãe aqui.

- Eu não sei na verdade o que eu realmente sinto por ele, mas eu sei que toda fez que eu sinto a presença dele é como se eu explodisse por dentro. Eu me sinto fraco e vulnerável e com um frio. Eu sempre quero que ele me abrace.

- Isso é normal meu filho! Quando se ama é assim mesmo! - minha mãe olha para cima como se lembrasse de algo e volta a falar. - Toda a vez que seu pai se aproxima de mim eu me sinto completamente frágil e necessitada de seus toques. Eu me sinto forte e fraca ao mesmo tempo e um medo toma conta de mim quando eu penso que ele pode ir embora e me deixar. Isso se chama amor!

- Mas eu sei que eu não tenho chances com ele. Ele é casado e tem um filho.

- Quem disse que ele é casado? - minha mãe pergunta.

- Quem é essa Laura então? - levanto.

- Ela é a irmã dele que veio passar uns dias com ele e esse filho que você está falando não é dele! É dela! - ela me olha como seu quisesse rir por eu ter inventado tudo isso.Mas quem não iria pensar nisso?

- Eu não sabia disso e provavelmente ele nem deve ser gay. É mais um amor platônico na minha vida! - olho pra ela.

- É aí que você se engana meu amor! Ele é gay. Por que você acha que seu pai trouxe ele aqui no almoço de domingo? - ela começou a rir e eu a entender o que realmente estava acontecendo diante dos meus olhos.

- Eu não acredito! Como ele pode fazer isso?

- Como que pode o que? - Meu pai entra na cozinha. - E o que você não acredita?

- Que você mentiu para mim! - Fui pra perto dele. - Você disse que não estava mais tentando me arrumar um namorado e traz o seu "amigo" para falar de " negócios", mas na verdade os "negócios" tratavam sobre mim. Mas me responda uma coisa! Ele sabia motivo de vir aqui?

- Não - meu pai responde. - Ele não sabia de nada quando eu o convidei. Ele veio como uma visita, porém quando lembrei desse fato sobre ele eu decidi tentar! Mas perdoa o pai vai?! - ele veio tentando me abraçar.

- Pense no carro! Pense no carro! - Repetia pra mim mesmo enquanto meu pai me abraçava.

- Vamos então?! - Ele diz e mostra a camisa de um time que eu não sei. Como disse, não tenho conhecimento algum sobre futebol.

- Vamos!

Nos despedimos de minha mãe e fomos em direção ao estádio. Dentro do carro eu pergunto sobre Hélio para o meu pai. Ele é delegado, mora sozinho e tinha 29 anos. Não sabia o que pensar. Completamente perdido em meus pensamentos e não vi quando chegamos estádio. Meu pai e eu esperávamos por Hélio e sua irmã Laura. E quando chegaram pude ver suas semelhanças. Olhos azuis, cabelos pretos, o formato dos olhos e a expressão facial, que dá um ar misterioso e de que estão aprontando algo.

- E aí cara?! - meu pai cumprimenta o outro homem com um aperto de mão e um abraço bruto e que o outro retribui da mesma forma. - Vai beber hoje pra comemorar a vitória do time não é?!

- Pode ter certeza! Tenho uma motorista comigo hoje então posso passar um pouco da conta. - Hélio responde. - Essa é a Laura. Minha irmã! - e olha para mim como se estivesse se explicando por algo.

- Um prazer te conhecer! - cumprimentei-a com um beijo no rosto.

- O prazer foi meu - ela retribui.

Cumprimento Hélio e ele estende sua mão para mim em um aperto de mão. A sensação em minha barriga volta e eu fico indeciso se devo ceder a ele e apertar sua mão. Seu rosto sem expressão nenhuma mas com uma ar de quem vai aprontar me deixa receoso quanto a minha próxima atitude, porém para não parecer mal educado eu aperto sua mão e sinto a textura dela, grossa e forte. Automaticamente penso nelas ao redor de minha cintura e me segurando forte, não me deixando sair de perto daquele corpo que me faz sentir sensações que não consigo explicar, mas que desejo a todo momento. Porém logo depois desse pensamento ele se realiza, e estou no lugar onde desejei estar a alguns milésimos atrás.

Seu perfume entra pelas minhas narinas e me sinto no dever de tentar resistir, mas em um ato impensado tudo que consegui fazer foi afundar minha cabeça em seu peito e fechar os olhos sentindo aquele corpo grudado ao meu. Sendo separado somente pela camiseta de um time que eu não conhecia, mas que naquele momento queria que deixasse de existir para que só houvesse a camada de pelos no peito daquele homem em contato com o meu rosto. A sensação ruim que antes sentia em minha barriga agora já não mais existia e só uma sensação de conforto fica em meu corpo.

- Vamos? - Hélio diz e ainda em meu transe falo que sim.

- Ele está bem? - Laura pergunta. - Ele vai conseguir ficar no estádio desse jeito? - e foi aí que eu acordei e voltei ao meu normal.

- É claro que consigo! - volto ao meu normal e saio de perto de Hélio e dou a volta ficando ao lado de meu pai. - Afinal eu preciso de um carro!

- Como assim? - Laura vem para o meu lado e começamos a conversar enquanto os dois torcedores foram comprar cervejas e os ingressos, então entramos no estádio e fomos para nossos respectivos lugares na arquibancada. Meu pai, Hélio, eu e Laura, pois falou que queria ficar perto das escadas caso precisasse ir ao banheiro por que está naqueles dias.

O jogo começa e depois de alguns minutos os três já estão gritando igual uns loucos. Eu acho que sou o único no estádio inteiro que está sentado. Logo o local fica com um cheiro de suor e perfume misturado com cerveja. Meu pai e Hélio já estão com a camisa grudando o corpo. Meu pai grita e sorri e quase chora em alguns momentos e Laura o acompanha. Hélio faz o mesmo só que se controla um pouco mais,quando os jogadores perdem um passe ou uma chance de fazer um gol. No intervalo todos estão vermelhos e suados e eu sou o único intacto.

- Está gostando? - Meu pai me pergunta.

- Não estou gostando muito, mas ver vocês três igual uns loucos é divertido. - respondo.

Ficamos conversando e quando o jogo volta eles se transformam nos jogadores fanáticos novamente. Laura fala que vai ao banheiro e falo que vou junto, pois quero beber água. Avisamos os dois e Hélio pede para termos cuidado e não falarmos com ninguém. Então fomos.

Enquanto ela foi ao banheiro eu fui beber minha água. Depois de alguns minutos que me olhando a imensidão daquele lugar vou em direção ao banheiro para buscar Laura, porém quando chego dois homens estão cercando minha nova amiga e ela já está em prantos.

- O que foi gostosinha? - um careca, com barriga e cheio de pelos pelo corpo fala tentando passar a mão no rosto dela.

- Tire a mão de mim. - Laura bate tenta empurrar o cara.

- Calma linda! - o outro homem calvo e também sem camisa, gordo e com pelos, a segura por trás prendendo seus braços.

- Solte ela agora! - grito e empurro o homem calvo soltando Laura. - Você está bem?

- Esses nojentos estavam tentando me estuprar! - ela fala.

- Seus desgraçados! Não tem vergonha na cara? Aposto que tem mulheres e filhos em casa esperando vocês voltarem do jogo. Se for o caso eu tenho dó deles por não perceberem os monstros com quem estão vivendo. - Pego a mão de Laura e vou em direção à arquibancada.

- Pode ir parando por aí garoto. - o careca entra na minha frente e impede a minha passagem. Empurro Laura e ela consegue correr.

- Chame alguém! - ela olha para mim e sai correndo.

- Vamos nos divertir com você então bonitinho! - o calvo passa a mão em minha cintura me puxando para perto de si e sinto seu membro duro. - Ele tem uma bundinha gostosa!

- Deixa eu ver! - o outro vem querendo me tocar.

- NÃO CHEGA PERTO DE MIM SEU NOJENTO! - grito e dou um chute no saco dele que cai no chão gemendo de dor. Tento correr mas o calvo pega o meu braço e me joga na parede. Fico tonto e vejo tudo embaçado.

- Filho da puta! Vai pagar pelo que fez. - o que estava no chão fala e sinto o bafo de cerveja.

Ele segura em meu cabelo e me levanta. segura meu rosto com uma mão e o aperta. Fico imóvel e gelado pois estou prestes a ser estuprado e ninguém está por perto para me ajudar.

- Vamos levar ele daqui e dar um trato nesse rabinho. - ele fala perto do meu rosto e novamente sinto o cheiro da cerveja.

- Solta ele agora! - Escuto a voz de Hélio e começo a chorar.

- Ele vai pagar. Ele estragou todo o meu lance com uma gostosa. - o nojento fala.

- Acontece que a gostosa era minha irmã seu bosta! - Hélio fica com os olhos vermelhos de raiva e parte pra cima dos dois.

Escuto o barulho de murros e dentes se quebrando e logo depois e mais algumas repetições do mesmo som os dois homens caem no chão.

Ainda estou no chão quando sinto a mão de Hélio em meu corpo.

- Acabou! - ele me diz e me abraça.

- Meu filho! - meu pai se aproxima e me olha. - Esses malditos! Eu vou matar eles! - elê vai em direção dos dois nojentos desmatados no chão, mas antes dele fazer algo eu o chamo.

- Pai! Me tire daqui por favor! - eu falo tentando levantar. Ele vem e me ajuda. - Meu nariz! Devo estar horrível!

- Não está quebrado. - Hélio me examinando. - Mas vai inchar.

- Sério?! - pergunto. - Não vou sair de casa.

Todos riem e Hélio faz um telefonema e depois de uns minutos a polícia está prendendo os dois estupradores. Vamos para a delegacia de Hélio damos posso depoimento e fazemos nossa queixa e como eu disse antes as duas mulheres dos dois nojentos entraram e foram informadas pelo ocorrido. Uma delas estava com o olho roxo e quando foi questionada revelou que apanhava do marido.

Me despeço de Laura e quando Hélio aparece em minha frente me abraça repousando minha cabeça em seu peito.

- Cuida desse narizinho. - ele se afasta e me olha sorrindo. Um sorriso lindo e sincero. -

- Eu vou! - sorrio de volta.

- Eu vou te ver mais tarde! - ele fala.

- Tudo bem. - digo. - Vou esperar.

No caminho de casa meu pai foi se desculpando e falando que iria comprar não só um carro para mim, mas o que eu quisesse comprar.

Quando chego em casa minha mãe me encheu de perguntas e colocou a culpa em meu pai, que ficou se sentindo mais culpado ainda. Porém logo ela se desculpou e eu subi tomar um banho e tirar o cheiro daquele estádio de meu corpo, deixaindo tudo que eu passei escorrer pelo ralo do banheiro.

Depois me deito e passo uma pomada anestésica que meu pai comprou. Algumas lágrimas saíram de meus olhos, mas não pelo medo que eu passei e sim pois agora eu tenho certeza de que eu possuo alguém para cuidar de mimDesculpem pela demora.

Faculdade e trabalho! Não nasci pra essa vida! kkkk

Espero gostem dessa parte!

Beijos beijos!

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
18/08/2014 22:52:55
eita coitado do gayb.sinto que o helio esta interessado em voce .conto perfeito .
18/08/2014 22:03:52
gostei




Online porn video at mobile phone


meu corno troxe um negão para me foder e tirou fotosdavs contos eróticosconto patricinha escravanovinha deixa cao dotado engatao no cu e se arrepende zoofilia gratisnovinho lendo no park louco de tezao por um homem forte gostoso e peludoencoxando as meninas na baladacache:I20bmnqm678J:gtavicity.ru/texto/2016115 Menina enprensando priquito nas pernascomedo a tia de xortiu xvideoConto erotico mãe transando com pedreiro e filho vendo e depois vai querer tranzar com mãenegrinhos novato favelado mega dotadoXVídeos novinhas Idelmar negão arrombando tudovideos de sexo gay imperador sendo puta dos guardas do palaciowww.casadoscontoseroticos/tema/por que eu te amo amarreiintiada briga com a mae vai dar pro padastro sexocomi o cu da gringa contosmae sai do banhero e toalha cai pornonovinha bem safadaxvicontos sadomazoquismo estuprocontos eróticos fui da o cu e cagueiContos eroticos socaram a rola na buceta da minha esposa e a engravidaraoconto erotico gay macho dominador gosta de maltratar viadoconto chupei meu avô cadeiranteconto de casada putafui so dar uma alisadinha nao deu mandei pra dentro video casero pornovania varetao de cu foraConto irmao tira cabaço a irma de 13 gostosaxvideos marquinhos atletico mglesbicas picando rebolando gozando chupandos colososcontos eróticos putinha e escrava da namorada sissyvilmer pornomamãe+mamãe.papai++nuaSou coroa casada os mulekes rasgaram minha calcinhaporno sacana mao na bucetta no cu nojento ao vivoSou coroa casada os mulekes rasgaram minha calcinhawxvidio de coroaxvd kakaumeu namorado quer fazer sexo comigo menstruada conto eroticonovinhareboa iotubeabusada cruelmente por um negro roludo pornoxvideos.comi o'cuda maemostrei a buceta meu genro comeu conto eroticomulherer pediu mais piroca mais nao rinha mais e endiou a mao ate o corovelo pornocaralhinho do prazer contoscasadoscontos estrupada por pivetesnovinhas lesbicas brasileiras dos peitinhos bem pequeninos gozando loucamente em trio.sexo quente incestomadrasta vendo futebol na tvmeu marido viciou em porra de machovidios pono sohentecache:q9F574EmG_EJ:zdorovsreda.ru/texto/201511582 irmao gozou na irma e amiga se. elas quererpornovídeo pornô da cachorro satisfazê-lo cachorro satisfazendo sua donao votarde corme um cu um bucetavovô idoso chupando o cuzinho do Netinho o pinto contos eróticosmalandro se asusta com o tamanho da buceta da novinha bebadaxvideo pau pesado na sunga marcado direitinhonovinha você não afrouxe do cabelo que se não for a música completohomens de de sambacancao cossando o pau diro e peludocoroa grisalho boa pinta fudendo hdcontos de fada.dava a bucetinha quando tinha entre 6 e 7anis de idadevideos novinha reagindo um compo malhadoPapai goza na minha boquinhaeu quero ver mulher excitada sela de cavalo de p*******tia toinha tem 50 anos e 1 quilo de bucetaAliviando os funcionarios contos eróticosgorila fêmia dando o cuxvideominha sobrinha fazendo um stripmenininhas com bucetinha apetadinha gritando tirá tirá taduedocasadoscontos-escrava dos/marginaisViolentei menina conto eroticomanmando no glelinho sem pararestorei a travesti safada contocuzao areganhado p cavaloContos ertcos me mastubei na sala de aula flagada pelo garoto novinhonefinhas gostosas fodendo muito