Casa dos Contos Eróticos


Click to Download this video!

Alexander No País De Oz Capítulo 6

Um conto erótico de ©@M£;)
Categoria: Homossexual
Data: 24/06/2014 00:22:18
Nota 10.00

O Torneio De Sangue e O Assassino.

Tsol estava sentado no chão, com os braços em volta de seus joelhos e a boca apoiada neles. Uma raiva mensurante corria pelas suas veias e vagava pela sua mente.

Alec.

Desde o momento em que conheceu esse garoto, só vem tendo problemas cada vez piores. E agora, por causa dele, vai pro torneio. No País de Oz, algumas famílias, de tanta vergonha, por seus parentes irem pro torneio, os expulsam de casa. E Tsol só tem sua mãe e seu irmão. Nada mais. E justamente isso lhe dava medo*Alec, encolhido no seu canto da cela, começou a listar as idiotices

que havia feito até agora:

-Estourei os tímpanos do Jub Jub com uma música de rock;

-Derrubei um garoto de uma carroça;

-Em vez de ir pra casa, fui pra um jantar real idiota, onde bati no Príncipe mais bonito do mundo, que me amou loucamente sabe-se-lá-porque;

E só aumentando...

Tsol tinha gritado uma série de palavrões embaralhados com ele e o acusado de várias coisas, mas ele continuou lá, deitado e se odiando. Alec se recusava incessantemente a chorar. Nunca chorou na frente de ninguém e não seria agora que seu orgulho falharia. Ele apenas mastigava pedaços de pão que vinham dos restos do jantar, almoço e café da manhã e bebia água. No segundo dia, já estava atônito. O nervosismo percorria sua mente.

"E agora? E agora? E agora? ... " -Ele não sabe coisa alguma desse torneio, o que significa que seus riscos de perder são maiores....

-Alec? -À meia noite, enquanto Alec engolia goles e mais goles de água, ele ouviu o chamar -Aqui, no portão.

Os enormes olhos castanhos de Alec miraram no portão, onde uma sobra se estendia. Ele se aproximou cautelosamente e observou o rosto da pessoa e não pôde deixar de ficar surpreso.

-Ás? -Ás!! O comandante dos arqueiros, como o Príncipe Vermelho lhe explicara! O Ás é uma carta muito importante no baralho e ele é a mão direita do Príncipe. -O que você tá fazendo aqui?!

O jovem Ás sorriu solene e fez um cumprimento.

-Fiquei sabendo do que houve. -Ele fez uma expressão divertida -Parabéns, Alec. Poucos têm a coragem que você teve. Não que eu aprove tudo o que fez.

-Coragem? -Alec perguntou, descrente -Tá mais pra ousadia e burrice, mas considere como quiser.

Ás sorriu.

-Olha, eu vim te ajudar.

-Me ajudar?! Como? -Alec se agarrou ao portão.

-Infelizmente, você não pode mais sair do torneio, mas... -Ele pegou um livro livro com a capa cinza numa bolsa e entregou a Alec -Aqui fala tudo o que você queira saber do Torneio.

Alec pegou o livro pela abertura da grade e tentou ler um parágrafo, mas aquela letra era confusa.

"๏ †๏яиэเ๏ ∂э รลиφµэ ƒ๏เ ¢яเล∂๏ קэℓล яลเиђล קลя¢ลвэ†ђ, קลяล ล¢ลвลя ¢๏м ล ∂э¢ลקเ†ลçã๏ ợµэ мล†ล√ล ∂эžэиลร ∂э קэรร๏ร ק๏я ∂เล... "

Aquilo não tinha o mínimo sentido. Parecia que tinham reconfigurado a ordem das letras e palavras e inventado algo estranho e diferente.

" ]···[ иล éק๏¢ล ∂๏ яэเи๏ ∂ล φяลи∂э яลเиђล √эямэℓђล, √áяเ๏ร †яลเ∂๏яэร э ℓล∂яõэร ลรร๏мвяล√ลм ล √เ∂ล ∂๏ร ¢ลмק๏иэรэร э ∂๏ร ¢เ∂ล∂õэร ∂๏ яэเи๏. ק๏я เรร๏, ƒ๏เ ∂э¢ℓลяล∂๏ ợµэ ล √เ๏ℓêи¢เล иã๏ รэяเล µรล∂ล, мลร †๏∂๏ร ๏ร ℓล∂яõэร รэяเลм קяэร๏ร э ∂эק๏เร, эм µмล ∂ล†ล эรקэ¢íƒเ¢ล } ล ¢ђэφล∂ล ∂๏ เи√эяи๏ { รэяเลм эҗקµℓร๏ร ∂๏ яэเи๏ √эямэℓђ๏ э รэяเลм ק๏ร†๏ร ล √áяเ๏ร ợµเℓôмэ†я๏ร, ๏и∂э †эяเลм ợµэ ¢๏мэçลя รµล נ๏яиล∂ล ∂э √๏ℓ†ล ล๏ яэเи๏. ๏ร ∂эž ợµэ ¢๏иรэφµเяэм ¢ђэφลя קяเмэเя๏, √ã๏ †эя รэµ קэя∂ã๏, ∂เลи†э ล ร๏вэяลиเล รµקяэмล ∂๏ яэเи๏ э ๏ ∂เяэเ†๏ ล µм קэ∂เ∂๏, ợµэ ƒเ¢ลяá ק๏я ∂э¢เรã๏ ∂๏ √эи¢э∂๏я... ]···["

-Conseguiu entender algo? -Ás perguntou. -Essa é nosso único tipo de letra em inglês.

-Sim, entendi. Mais ou menos -Alec -Já tinha lido mais ou menos algo útil e que já poderia lhe ajudar em alguma coisa. -Posso te perguntar uma coisa?

-Claro, o quê? -Ás arrastou seu caixote para frente de forma silenciosa e atenta.

-Os participantes do Torneio usam armas? Armas mortíferas?

-Oh, Sim. -Ás assentiu e sua expressão tornou-se amarga -Muitas. O Reino Vermelho providencia essas armas, se o jogador se mostra capaz de proporcionar um bom... -Ele se aproximou do ouvido de Alec e sussurrou -Um bom "Show" .

Alec olhou para trás, para ver se Tsol observava a conversa, mas o garoto já estava no silêncio do sono.

-Eles GRAVAM a gente no Torneio? -Alec estava incrédulo.

-Oh, Sim! E Todos os oito vilarejos que têm em volta do reino são obrigados a assistir.

-E na época medieval eles têm câmeras?

-Cão o quê? -Ás fez uma careta dej descrença -Concerteza não temos isso aí não.

Alec segurou um sorriso.

-Não é cão. É câ. Câmera.

-E as câmeras têm a mesma função função que os olhos de Balrog?

-E o que são olhos de balrog?

Alec e Ás passaram passaram a noite toda conversando. Ás explicou sobre os olhos de dragão enfeitiçados (olhos de Balrog), as regras do jogo e as coisas que podiam o ajudar a chegar rápido ao reino. Alec decidiu confiar em Ás. Ele não parece ensandecido como o Príncipe Vermelho, ou maluco como o Valete, que quase o matou e matou Tsol. No outro dia, Alec acordou com um plano proposto por Ás na cabeça: Se esconder e Avançar.

-Alec! -No outro dia, bem cedo, Ás apareceu de novo -Novidades. O Príncipe Vermelho mandou os ferreiros reais fundirem um arco e flecha de Alumínio pra você! Alec... -O garoto arregalou os olhos castanhos -Não fica assim! São uma arma boa de caça e você sabe.sabe, que quando chegar a hora, todos nós teremos que matar.

-Você já matou alguém? -Perguntou Alec.

-Já. Numa guerra.

-Você participou de uma GUERRA?! -Ás assentiu -Uau, que demais!

-E nessa guerra, o Príncipe matou os pais.

Aquilo causou arrepios em Alec. Bem que o esse príncipezinho de araque estava lhe inspirando a desconfiança.

"É... Eu sabia que ele é louco e isso só confirma minhas suspeitas " -Shulåãn reapareceu na mente de Alec depois desse tempo.

"Ah, aí está você, Né?! " -Alec estava furioso com ele.

"Argh, que porra, você nunca mais vai esquecer isso?! " -Cëla reclamou, num choramingo irritado.

-Ah, Shulåãn!! -Alec gritou enraivecido.

-Quem é Sulam? -Perguntou Ás.

-Ah, não, não é ninguém. Nada. -Tsol resmungou irritado, acordando.

-Está na hora de ir - Ás deu um sorriso pra Alec. -Até breve.

-Eu não vou voltar. -Disse Alec, indiferente.

-Vai sim. -Ás deu um sorriso de apoio -Você é inteligente, Alec. Você sabe disso!

-Certo, eu vou tentar.

-Assim que se fala! -Dois guardas apareceram com lanças com corações de rubi afiados na ponta. -Hora de tomar minha posição!

Ás foi para uma fila que se formava. Haviam mais três. Overt, Dlog e o Valete. Ás havia falado deles. Eles formam a Ordem Armada do Reino Vermelho.

O Príncipe Vermelho apareceu com uma expressão dura e maligna no olhar. Os olhos de sangue dele tiveram um breve contato com os castanhos de Alec. Havia uma faísca de bondade nos olhos do Príncipe. Mas ela foi afogada num mar de frieza que foi adotada por ele. Uma velha com a pele acinzentada, olhos pretos como carvão e corcunda, mancou, arrastando os trapos de roupa do corpo consigo. Ela jogou pelo chão, várias bolinhas de vidro no chão. Alec só pode receber o poderoso impacto da explosão, antes de voar pra trás. Ele estava tirando a atadura que Darla havia feito nele, então foi lançado pra trás com os braços abertos. Bateu contra uma parede e caiu no chão.

-Ai... -Ele se levantou dolorido e viu a expressão do Príncipe mudar, enquanto todos os criminosos se encolhiam assutados.

-ACORDEM, MISERÁVEIS TRAIDORES, LADRÕES QUE SE ASSEMELHAM A RATOS E DESORDEIROS, SUAS PROLES DO INFERNO!!! ESTÁ CHEGANDO A HORA DA MATANÇA, QUANDO VÁRIOS DOS INCÔMODOS QUE SÃO VOCÊS, SERÃO ELIMINADOS!!

Esse lado do Príncipe Alec não conhecia. Ele parecia feliz de falar da morte de cada um ali. Inclusive ele.

"É, agora fudeu tudo!! Tamo desgraçado. Tamo lascado. Agora tudo vai-se pra porra!!! " -Shulåãn resfolgou.

O Príncipe ordenou os condenados para várias carroças gigantescas, puxadas por vários cavalos. Não eram alguns cavalos que puxavam. Eram milhares de animais, puxando os camburões de criminosos. Depois, uma bruxa, (Alec já tinha certeza ) muito diferente da que explodiu as bolinhas da morte - como Alec decidiu apelida - eleva uma mão para as carroças e centelhas de um fogo roxo queimaram o ar e voaram numa velocidade anormal em volta delas. Então Alec viu o Reino Vermelho se afastar e o muro em volta do Castelo e vários aglomerados de casas -Concerteza os oito vilarejos de que Ás lhe falou antes - e então an floresta... Milhares e mais milhares de quilômetros de florestas e cada vez mais longe... Então tudo parou. O impacto da parada foi tanto, que Alec foi lançado para trás de vez.

"Ai, e minhas costas que sofrem " -Alec imaginou, ponderando seriamente a idéia de se matar.

Então foi que ele percebeu. Só Tsol estava no mesmo Camburão que ele e Alec só teve a oportunidade de ver de relance, os os olhos Azuis dele e os cabelos loiros claros e fofos dele.

-Levanta, Alec . -Ele se ordenou, com a cabeça, dando alfinetadas de dor, levantando e saindo da carroceria fechada. Lá fora, o Valete estava com um revólver e antes que pudesse se preparar psicologicamente, Alec ouviu o disparo.

Então, começou a matança...

-Várias pessoas rasgando a garganta das que estivessem mais perto com facas ou espadas. O Valete Jogou um arco e uma aljava de flechas no ar e elas caíram np meio dos ladrões e foram pisoteados.

"Corra!! Corra, Alec!! " -Cëla gritou em seus pensamentos.

Alec corria o mais rápido o que suas pernas fracas lhe permitiam sentia-se INFINITAMENTE grato a Ás, por ter mandado uma bruxa desidratar todo o peso de sua mochila, que agora eram cápsulas coloridas rotuladas. Até suas roupas e seu tablet passaram por esse processo mágico.

No campo de visão de Alec, surgiu um garoto, que corria violentamente em sua direção.

-ALEC!!!! -Berrou Tsol. Seu rosto pálido agora estava vermelho.

Alec arquejou e esqueceu o seu cansaço. Correu tão rápido, que corredores de maratona chorariam de inveja. Correu pelo menos dez metros, até parar para avaliar o local. Ruínas. De uma cidade, vilarejos ou algo do tipo. Ele caminhou até o sol se por, então arriscou se abrigar debaixo de uma carroceria. Alec mastigou algumas jujubas, que conseguiu, lambendo uma cápsula roxa, até dormir, mas essa foi a pior idéia do mundo, por quê ele sonhou com Tsol, brandindo uma espada e enfiando-a em suas costelas. Por um momento, Alec o considerou seu amigo, mas agora, sabia o que Tsol é de verdade...

Um Frio, Cruel, Horrível e Diabólico... ASSASINO.

Obrigado à: Ru/Ruanito, Perley, finnhaaa3, ¤«Trick»¤ & Gleyson

Duarte. Que bom saber que estão gostando do conto, por quê ainda temos muito chão pela frente!! Postarei em breve outro capítulo ;)

Abraços Do Came;)

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
24/06/2014 19:39:32
10.
24/06/2014 19:32:55
Adorando 10 pra você.
24/06/2014 13:31:18
To sentindo cheiro de jogos vorazes no ar !!!
24/06/2014 05:39:08
O Letrinha viu. dificil de ler kkkkk demorei 1 minuto pra desvendar




Online porn video at mobile phone


ma nininha sendo enconxadaasistir video pornoirado insesto forsados brutalimolhes pela porno vida de meninas de 19 anos shopar moto fazer campo grande msconto erotico dei para um estranho na casa de swingtransa de Roberto gabirobaNovinha da cuzinho no enlevadox porno velho fedeno nefinha novinha amadoraporno contos casal de inquilioxvideo casalkentenovınha transando com ırmaocontos de desmaiei na pica grande de meu irmão no meu cugostosa sendo assediada abusada a forca perdendo cabacolesbica fode a outra com dildo entroduzido na buceta e sentada na cadeirascontos eróticos eu novinha fui comiida por meu paidoce nanda parte IV contos eroticosnovinho lendo no park louco de tezao por um homem forte gostoso e peludovideo porno sexo depois da perineo ai ai ai ta doendo minha buceta escandalosas de vagarx vidio comtos eroticos flaguei mamãe eporno sem casaminhascontos eróticos flanelinha filme os seios e coxasgosando no rabo da madura e deixa o cacete dentro ate sae toda porra"adolecente chorando no picao cuzinho virgem incestoconto porno me depilaram todinhacontos sobrinha meu presente2coisinha do pornô bumbum na nucame fizeram de vaca no ordenhador contos eroticosmarido .que gosta de ser corno xpirnconto erotico primo safadonovinhos chinêses comendo cadela zoofiliaaluna do mar Ivone da chupando o pau do caradespregando o cusinho da mulherSou coroa casada os mulekes rasgaram minha calcinhabucetamelecavidii lesbica cozando turmidoxvideoscomeu por engano Contos eroticos gay pegando no pau do meu irmao por cima da toalha dpois do banho na belichecontos de zoofila novinha gritando de dor na rola gigantescacontod eroticos um negao velho encheu.minha xaninha de.porrameu corno troxe um negão para me foder e tirou fotosvideos de sexo de travestis com cheiro a chulefotos de bucetas beiçudas pono doidoIrmao come cú irma dormímdo ela gostapausudo de 25cm come minha esposa gostosa e gosa nela pro corno verprica cavalafilha da buceta cabeluda dando banho no pai doente e trazAcom eleXvedeos colossopegandoafilha quesair com o carrodeixa eu por só a cabecinha, conto eroticocontos meu tio.chupou minha xana com o bigode Contos Eroticos submissãomulata da buceta volumosa trazendo no pau groso novinha xeia de pintas na bct na siriricacontos porno cabelos da buceta chegaram a enrolanovinhas.abrir.buzentasafado dando pirocudo vídeo xxvbvideos nacional gritos e gemidps de homens passivos embaixo dos machos caralhudosfilha minha femea contocoroa mais safada q conhesoconto erotico fui comida pelo mendigo de fio dentalcontos picantes: cutucando o cuzinho da enteadinhacssadoscontos sarrando a bunda da maecorno prefere se masturbareu qero asistir videos porno os caras do pau grande regaçado as mulheris e elas gritado sen aquetarchantagiei e comi o viadinho magrinho contosContos terror na tailandiavideo porno irmao tarado meteu na irma sem camisinha acabou ingravidando elacontos esposas putas castigadas no cuconto de arrombaram o meu cu me dando dinheiroconto erotico, fodida da janelacontos eroticos de mulheres evangelicas que adoram provocarvidio de bucetilha novilhacuzao areganhado p cavaloto cagando nessa pica gozandono swing marido nao permite que metam na esposaconto erotico chantageando filha prostituta