Minha toalhinha de chorar - Parte 2 (an american tale)


Um conto erótico de guido
Categoria: Heterossexual
Data: 06/07/2013 10:33:08
Nota 9.50

Minha toalhinha de chorar - Parte 2 (an american tale)

Eu estava ansioso por vários dias. Minha esposa e seu garanhão negro me disseram que Tawanda estava ansiosa para cobrar a dívida. No último fim de semana, Treat apareceu. Minha esposa ficou emocionada e se jogou nos braços dele. O homem inclinou a cabeça para baixo para dar-lhe um beijo longo e apaixonado. Ele deixou suas mãos correrem para cima e para baixo no corpo sexy dela. Antes que eles terminassem o abraço, Tawanda apareceu na nossa porta da frente. Ela era apenas um pouco mais alta do que eu, com a pele cor de café, e seus longos cabelos em tranças. O mais importante para mim foi notar que, apesar de uma figura que era apenas ligeiramente rechonchuda na maioria dos lugares, ela tinha seios redondos do tamanho de melões, e uma bunda proporcionalmente grande. Eu estava atordoado. Mesmo que ela tivesse vindo para se aproveitar de mim, eu ainda era incapaz de ignorar sua sexualidade evidente. "Muito bem...", disse Tawanda. "Tire suas calças e shorts, maricas. Vamos ver se você é tão patético nas partes intimas como sua esposa e Treat dizem." Corei imediatamente, mas estava tão bem condicionado a fazer o que me era dito, que eu imediatamente abri meu cinto e abaixei a calça. Tawanda nem sequer olhou direito. Ela sorriu largamente para mim, quando eu deixei cair minhas calças e mantive meus dedos sob o cós da cueca, baixando-a até os meus tornozelos. A voluptuosa garota negra riu ruidosamente. Eu queria me arrastar para longe dela, mas sabia que tinha de ficar onde estava. Ela então virou-se para minha esposa Ann e disse: "Porra menina, eu estou surpresa por você não chutá-lo para fora da cama durante a lua de mel." "Bem, eu deveria ter feito isso. Mas pelo menos o problema está corrigido agora." Ela disse, dando no aperto no bíceps poderoso de Treat. "Eu preciso usar o meu marido covarde por alguns minutos. Gosto de vê-lo me deixar molhada e pronta para Treat". Tawanda me olhou com crítica nos olhos. "Rapaz, você ainda tem que deixar ela molhada para o negão dela... Você realmente é um perdedor de merda." Eu estava envergonhado, mas ainda consegui balbuciar um cortês, "Sim, senhorita". Ann tirou a saia para revelar que ela não tinha calcinha. Com um gesto de seu dedo indicador, ela levou-me para um ponto à frente dela, e em seguida, apontando para o chão, me fez ajoelhar. Eu tive que usar minha boca sobre ela numa postura desajeitada, fazendo minha desgraça ainda pior. Todo mundo ria enquanto eu preparava a minha mulher para fazer sexo com seu amante. Quando eu terminei, Treat levou Ann para nosso quarto. Havia um quarto diretamente ao lado, para onde Tawanda me levou. Eu tirei a minha camisa e fiquei nu diante dela enquanto ela zombava do meu corpo magro e quase sem pêlos. Apertei as coxas nervosamente. Sem dizer uma palavra, ela tirou o suéter. Ela não usava mais nada por baixo. Eu cobicei aqueles seios maduros e senti a agitação no meu pequeno pinto. Ela tirou as calças e sua calcinha de renda preta. Eu estava a meio mastro. Então ela fez uma reviravolta lenta e deixou-me ver seu traseiro nu. Levantei-me para uma ereção completa, com todas as quatro polegadas. Isso levou a outra risada dela. No quarto ao lado, eu ouvia os sons dos parceiros sexuais desfrutando de suas preliminares barulhentas, falando sujo uns com os outros, e verbalizando suas paixões com grunhidos e gemidos. Tawanda se deitou na cama e deixou as coxas grossas longe uma da outra. Ela tinha poucos pêlos pubianos, mas os lábios vaginais proeminentes. Engoli em seco. "Vamos lá, garoto. Hora de trabalhar. Você começa beijando meus pés e vem subindo. Sem beijar acima da cintura, no entanto. Isso é só para homens de verdade." Eu não consegui segurar um gemido. Ela não tinha qualquer respeito por mim. Comecei a beijar e massagear seus pés lisos, com medo de fazer algo para aborrecê-la e sofrer as consequências. Ann tinha dito que eu iria servir Tawanda por um ano, e eu não queria começar mal. Então eu continuei sem pressa, cada vez mais excitado a cada centímetro que avançava. Seus calcanhares sob meus dedos, suas coxas grossas sob minhas palmas. Eu estava ofegante de ansiedade. Do quarto ao lado minha esposa gritou. "Isso mesmo Treat. Todinho dentro! Você é incrível. Meu marido idiota tem o pau de um menino de 11 anos de idade. Posso sentir suas bolas enormes batendo contra a minha bunda. Isso é fantástico!" Imediatamente eu estava chorando. Tawanda me ouviu e apertou as coxas poderosas contra a minha cabeça. "Vamos," ela rosnou. " Vamos ao ato principal. E é melhor você fazer um bom trabalho e lamber-me como sua esposa diz que você sabe, já que com esse pau de lápis você não vai me fazer feliz de outra maneira". Com o rosto amassado entre suas coxas, me posicionei diante de seus lábios vaginais úmidos e pungentes, e mergulhei a minha língua para dentro dela. Era infernal, estar na cama com uma mulher tão obviamente feita para o sexo e não ser autorizado a fazer mais do que tocá-la abaixo da cintura e agradá-la com a boca. Eu trabalhei duro e ela começou a responder em voz alta ao mesmo tempo, chamando os outros na sala ao lado, dizendo-lhes o que eu estava fazendo. Ela me deu instruções para sugar seus lábios vaginais. Ela até me fez falar com o sexo dela com palavras de amor. Eu tive que beijá-la na boceta como se fosse na sua boca, e estivesse tentando seduzi-la. Isso deu mais fôlego a Tawanda e então ela me fez voltar a lhe lamber e chupar. No quarto principal, Ann estava a beira de um clímax. Treat então diminuiu o ritmo e ela fez o mesmo, reafirmando sua entrega com palavras de carinho. Ele estava brincando com ela e ela estava adorando, especialmente sabendo que eu estava sendo humilhado na sala ao lado. Finalmente minha esposa teve por um orgasmo, gritando. Então Treat rosnou enquanto dava a si mesmo um acabamento satisfatório. Em seguida Tawanda me agarrou pelos cabelos e arrastou meu rosto em sua virilha e segurou lá até que eu quase estva sufocado. Eu continuei lambendo seu clitóris inchado, segurando seus quadris arredondados, e finalmente fui capaz de trazê-la para a felicidade antes que ela pudesse me sufocar. Todos os três tiveram relações sexuais gratificantes. Só eu fiquei insatisfeito, e dolorido. Tawanda até mesmo deixou-me ensaiar uma relação com ela, na posição de missionário, mas me avisou para não deixar o meu "pequeno pipi" tocá-la. Enquanto eu segurava-me com os meus braços, meu pau a centímetros de seu buraco, ela estendeu a mão e brincou com meus mamilos com os dedos. Eu respirava ansioso. Ela riu da minha situação, mas sem parar de me estimular. Eu comecei a chorar novamente de frustração. Eles fizeram uma pausa e me mandaram ir buscar cerveja na geladeira. Treat me surpreendeu dizendo que eu deveria trazer uma para mim. Quando eu trouxe as bebidas, onde eles conversavam naturalmente, ele me fez sentar e segurar a minha cerveja gelada contra a minha virilha. Naturalmente, meu pau murchou até suas menores dimensões. Mais uma vez, fui coberto de vergonha. "Então," Treat disse a Tawanda. "Por que você não mostra a surpresa que você trouxe para ele?" Ela estendeu a mão para a mochila dela. "Está bem aqui." O que ela tirou da bolsa era um dispositivo pequeno, apenas um tubo curto e estreito, e um anel. Tawanda veio até mim e colocou o tubo no meu órgão encolhido. Ela fechou o anel atrás do meu escroto e clicou-o, lacrando-o. Então ela pegou um pequeno cadeado e trancou o anel. Não havia nenhuma maneira que eu poderia remover a castidade que ela tinha colocado em mim. Eu não seria capaz de obter uma ereção. Não seria capaz de ter um orgasmo. Eu não tinha ejaculado a semanas, portanto, ver tirada a minha capacidade de obter um clímax era impensável, ainda que fosse exatamente o que ela tinha acabado de fazer. "Aqui está", disse ela a Ann, e ofereceu-lhe uma chave. "No caso de você quiser tirá-lo para fora." "Ah, isso não vai acontecer tão cedo. Porque você não fica com ela, querida? Estando super excitado e sabendo você é a única que pode deixá-lo sair, vai fazer ele continuar pensando em novas maneiras de te fazer feliz". "Obrigada, querida." Ela acatou a ideia perversa da minha esposa, sorriu e estalou os dedos para mim. "Vamos lá, garoto. Mostre a todos que você é um chupador. Queremos ver o que vai acontecer quando você ficar quente, mas não puder estar solto!" Eu estava nu na frente deles, em um ângulo que os três poderiam assistir, e brinquei com meus mamilos. Meu pau tentou levantar-se. Ele levantou o tubo, mas não conseguiu se ampliar, no interior do mesmo. Eu gemia de ansiedade. Eles ficaram sentados ali bebendo suas cervejas e fazendo piadas às minhas custas. "Não se preocupe, querido marido," Ann me disse. "Tenho certeza que sua nova namorada vai lhe dar muitas coisas novas para fazer, para você mostrar a ela que está tentando fazê-la feliz. Talvez até ela te solte de sua jaula minúscula. E se não, pelo menos você só terá que ser o maricas dela por três anos. " "Tr... três? Mas você disse que apenas um!" "Foi um ano para pagar-lhe a toalha, lembra-se, estúpido? Agora você deve a ela mais dois anos de serviço para pagar-lhe por esse moderno acessório que ela colocou em você". Todos três se arrebentaram em gargalhadas. Foi quando eu comecei a chorar incontrolavelmente. Treat então me jogou a toalhinha de chorar. "Limpe seu rosto, condenado! E não se preocupe, com certeza deixaremos o seu lenço sempre bem sujo, para te lembrar do grande sexo que tivemos. Isso vai dar-lhe algo para pensar depois que Ann e Tawanda passarem horas brincando com você e depois te enviarem para a cama sem poder esvaziar suas bolas". Isso foi há um ano. Tem sido horrível desde então. Eu não tive a liberação sexual uma vez sequer, em 12 meses. É tudo em que eu posso pensar. Minha esposa e seu amante vivem uma constante lua de mel. Muitas vezes, eles me assistem servindo a buceta de Tawanda - e agora também a sua bunda. Eu me tornei obcecado por sua intimidade ampla e saliente. Eu acho que eu desenvolvi um fetiche por isso. Ela olha para baixo e me chama de nomes como "pauzinho-de-lápis”. Minha situação é um sonho ruim sem fim, que eu não consigo acordar. E eu ainda devo a Tawanda mais dois longos anos de serviços a prestar...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
17/07/2013 01:31:42
Nyaaa que perfeito estou morrendo de inveja*-----* 10 pra esse conto sem duvida*-*
06/07/2013 14:19:12
Bem cruel.

Online porn video at mobile phone


gozada nu cu qe iscorreucontos eróticos fui da o cu e cagueicadelas casadoscontoszoofiliainsesto istorias eroticas pai filas novinasDesabafo real de uma mae contos ero cap,IXcomendo a elaine no cantteito de obras xvdeosconto erotico de irmao do meu colegar saradao mim comeu brutalmente gayimagens de mulheres infiandos objetivos na bucetagrelinho branquinho dessa buceta virgem deliciatransei com meu paiconto erotico funk peladaConto com cheirador short da maecontoeroticosfudenofoto de uma buceta nasendo os cabelos quando depila de estojocontos sou lesbica e gosto de scatconto gay lavando o carro de cuecaMania de fica pelada acabei dando pro meu paiOdesafio esposa Liberada Contos Eroticos corno.levando chifre na sua carAcontostitia gostosa peituda bate punheta enquanto o sobrinho novo lhe aperta as mamas peitudas wwwxxvideo novinha sabe fuderconto erótico gaay sonbra de gaelvelinha gosando em pinto muito grande dabuceta das gostosa da novela das 9:00contos eroticas provoquei meu cunhadodezejo ver corpo nua de uma mulher que nuca teve sexo contos eróticos com mulher gostosa de Biguaçu Santa Catarinacontos eiroticos leilapornmulherquerum amorXvideos pecavelHESTORIAS DE VIDA DE TIAS QUE FODEM COM SEUS SUBRINHOvidioporno ae menias que xoro no pouempregadas dona de casa de calcinha cuidando de tudo mas provocando o patrao com o seu rabu gigante xnxvidiocontoseroticosfXVídeos novinhas bicos poupadocontos eroticos escravasmãe chega do serviço e faz a sua filha dando o c****** no XVídeo ela ainda virgem nunca tinha dado minha b***** nem um pouquinho e ela Fraga fica Vista irritada e entra na bagunçacontos eiroticos leilapornminha sobrinha pequena pediu um celular e sentou no meu colo e se esfregava contosgay ficou so roçando no meu cu eu arrupiava tudocontos eróticos suportando três cacetes com carinho e amorgozou q muleceu as pernas convenci minha irmã fuder comigo e gozei dentrorelatos reais de meu tio me diz que é macho alfaperdendo as prega saindo bosta caseiroo surfista loiro me comeu contovidos pea a.baca irmao meteu a pica na irmanovia e gozo dento da bucetona delaxxxxxvideos os travegos mais gostoso do Brasilenfiando o dedo na cabacinha delaconto gay internatomulata com pratinho xvideos.commulher do bocetao e cuzao cache pequeno bairros spconto gay o meu sonho de consumoxvideo irma delicia centa no colo do irmao e ñ aguenta o tesaoxvd irma bati punheta para o irmao e nao rezisti e da pra elemostrei a buceta meu genro comeu conto eroticocachorro engata no cu da mulhercontos sou um rainha do analporno de coroucom novinhasXVídeos marido dela não tem pica para comer ela ela vai lá no mercado e compra o vibrador da grossura da vida de um cavalo e da o marido dela tá empurrando o cu dela grita demaisconto erotico com o senhor ditaoNando Mota-Casa Dos Contos Eroticos| zdorovsreda.rugalson come a vagabunda no bar enquanto conversa com amiga pornoConto tirei o biquine no quarto do meu paimae foi na missa e ilha toco siririca pornôconto porno amor em londres guilherme e felipexvideos gordinha bem feitinhamano nao me tente incesto contossexo anal hAaaaamulher traindo namorado com a redinhanegao finca tudo dentro da buseta da menina virge e goza dentroxvideos ruansafado e a coroa chupanocomendo o cu da enteada ela nao cobttia doida dançando o créu sem sutiã na frente do sobrinhoO verdadeiro marido Corno . . . Simplemente adora lamber o clitoris da esposa . . . Enquanto o amante dela enche sua buceta de Porra