Casa dos Contos Eróticos


Click to Download this video!

Como fodi a minha nova irmã :)

Um conto erótico de Fernando!
Categoria: Heterossexual
Data: 20/06/2013 15:55:03
Nota 10.00

Meu nome é Fernando, tenho 17 anos e moro aqui no sul do país desde que nasci. Minha família é descendente de alemães e por isso sou loiro e bem branco. Meus pais sempre foram de brigar, e há 5 anos eles finalmente se separaram. Meu pai sumiu no mundo e eu moro com a minha mãezona, sou filho único. Há três anos ela arranjou um namorado dois anos mais velho, e seis meses atrás eles se casaram. Rafael, o nome do meu padrasto, era viúvo, perdeu a esposa em um acidente de carro quando a filha do casal tinha dois anos, ou seja, 15 anos atrás. Sim, Carol tem a minha idade (dois meses mais nova).

Carol estuda na mesma escola que eu há três anos, pois ela entrou no primeiro ano do ensino médio, e foi em uma reunião escolar que o pai dela e a minha mãe se conheceram. Carol é uma menina alta, porém não tanto quanto eu. Possui um cabelo castanho bem liso que vai até a metade de suas costas. É uma das meninas mais bonitas da sala, sem dúvidas, e também uma das mais gostosas, com um par de seios que deixa muito menino babando e um bumbum bem... brasileiro!

Quando nossos pais se casaram, eles compraram um apartamento novo, e é a partir daí que começa a história. O primeiro fato interessante aconteceu justamente em nossa primeira noite na nova casa. Enquanto nossos pais estavam trancados no quarto deles (rsrs), eu desci até a cozinha para beber água, e quando fui dar a meia volta para retornar ao meu quarto, esbarrei na Carol, minha nova "irmã", de toalha enrolada. Ou melhor, a toalha estava enrolada quando eu esbarrei nela, mas logo se abriu. Eu instintivamente falei um "opa" e me virei de costas bem rápido, sem ter nem visto os peitos dela, e a Carol pegou a toalha no chão bem rápido e deu uma risada envergonhada, falando que eu já podia me virar.

– Ainda não me acostumei - Ela falou, rindo, um pouco constrangida.

– Haha, nem eu!

– Bom, só vim beber uma água que estou morrendo de sede, estou indo tomar banho para dormir.

– Hehe, também estou indo. Ainda bem que aqui temos suíte, porque com os nossos pais trancados, na minha casa antiga só teria um banheiro sobrando.

– É, lá em casa também, e dividir banheiro ninguém merece!

Estávamos no corredor, e eu rindo e balançando a cabeça em sinal positivo olhei para a porta fechada do quarto dos nossos pais.

– Eles dividem mas também usam de uma forma bem prazerosa para os dois - Disse ela, começando a rir logo depois de falar - Se é que você me entende.

– Prefiro não imaginar esse tipo de coisa kkkkkkkkkkkk - E eu realmente não imaginava minha mãe e meu padrasto transando u_u.

– Eu também não - Ela completou logo em seguida - Mas é o que casais fazem - E riu novamente - Enfim, vou lá para o meu banho.

– É nois!

Nós éramos próximos desde o início do relacionamento dos nossos pais, mas nunca passou disso. Essa situação, porém, não demorou muito tempo para mudar, foi no primeiro fim de semana. Nossos pais viajaram para a Europa em lua de mel no início do ano, no fim de Janeiro. A viajem durou duas semanas, e durante esse período eu e Carol ficamos sozinhos em casa. Tínhamos apenas mais uma semana de férias antes de começar as aulas. Nós dois fomos juntos a uma festa que só foi o pessoal da escola, festa comemorativa do fim das férias. Saímos juntos e fomos a pé mesmo, foi a festa era no mesmo quarteirão.

Durante toda a festa, o que eu mais ouvi foi os meus amigos me chamando de cunhado, me testando. Porém, vendo-a dançar junto com as amigas, não posso negar que a minha nova irmã chamava atenção de fato. Ela estava com um vestidinho azul bem colado que realçava as suas belas curvas, e isso causava várias curvas nas calças dos meus amigos, e, por que não, na minha também. A festa foi acabando e eu fui pra casa junto com a minha irmã. No caminho, falei sobre como as notícias correram rápido e como meus amigos ficaram enchendo o meu saco durante a festa, e Carol ia só rindo, falando sobre como homem é besta.

Chegamos no prédio às duas da manhã, conversando bastante, imaginando como seria o ano escolar, fazendo planos de estudos. Quando entramos no elevador, porém, não falamos mais nada, e foi quando o marcador mostrava que estávamos passando pelo terceiro andar que aconteceu, eu me lembro bem. Eu avancei em Carol, por impulso, e colamos nossas bocas. Instantaneamente eu senti suas mãos nas minhas costas, me segurando, em sinal de aprovação, e nossas línguas começaram a se tocar. Noas bocas estavam com gosto de álcool, e o beijo estava muito bom mesmo. Carol dava umas mordidinhas no meu lábio inferior e minha mão repousava "inocentemente" em sua bunda. Foi quando percebemos que o elevador estava parado. Ele já havia chegado ao nosso andar e nem tínhamos percebido, apertamos o botão para abrir, e Carol tirou a chave de sua bolsa, abrindo a porta enquanto eu a abraçava por trás.

Ela rapidamente entrou, e eu fui junto, trancando a porta atrás de mim e jogando a chave em cima da mesa. Quando me virei, Carol já foi me agarrando, me beijando loucamente, e eu tirei minha camisa. Em poucos segundos, já estávamos no quarto dela, deitados na cama dela, nos beijando de forma intensa. Eu puxei o seu vestidinho colado para baixo e aqueles peitões saltaram na minha cara, pois ela não estava de sutiã (não lembro se ela tirou ou se foi à festa sem). Eu chupei os peitos dela como se não houvesse amanhã, dando leves mordidas naqueles mamilos durinhos, enquanto Carol gemia acima de mim. Então, senti a mão dela passar por baixo da minha calça, e ela começou a acariciar meu pau, por cima da cueca, apertando-o. Eu enlouqueci.

Subi um pouco e passei a lamber seu pescoço, até que voltamos a um beijo desenfreado, bem molhado e muito gostoso. Carol resolveu por sua boca em ação também, e começou a descer um pouco, beijando meu pescoço e lambendo os meus mamilos. Ninguém nunca tinha feito isso antes, e embora tenha feito cócegas a princípio, depois foi gostoso, e ela começou a descer a boca. Meu pau estava quase explodindo dentro da minha calça, ela sabia disso e quis provocar. Subiu novamente para me beijar, e eu levei minhas mãos até a sua bunda, e puxei a sua calcinha, que desceu com facilidade pelas suas coxas macias.

Aí Carol parou de me beijar e ficou erguida, por cima de mim, naquela posição de joelhos na cama, como se estivéssemos transando, porém ela estava apenas esfregando para frente e para trás a sua boceta no meu pênis por cima da cueca... "apenas". Eu subi as minhas mãos até os seus seios e fiquei acariciando eles, recebendo alguns gemidos de aprovação. Eu brincava com o biquinho dos seios dela apertando a ponta de leve, então eu me "levantei" também, ficando sentado e abracei ela novamente, beijando sua boca e me deitando novamente, desta vez agarrado a ela. Depois de nos beijarmos bastante, Carol saiu de cima de mim, desceu da cama e tirou o vestido ali na minha frente, ficando completamente nua.

Eu estava sem reação, encantado com a cena, e a única coisa que eu pude fazer foi abrir a boca em um sorriso involuntário. Carol veio então e puxou a minha cueca, foi aí que eu voltei ao controle do meu corpo. Minha pica pulou para fora da cueca, dura feito uma barra de ferro, e eu não estava com forças pedir. Ainda bem que Carol entendeu o que eu queria. Ela desceu com a boca no meu pau de forma maestral, mexendo a língua freneticamente em torno da minha cabeça vermelha. Meu pênis tem um pouquinho mais de 17cm e não tem pelos, que eu tiro. Carol não tentava engolir tudo, mas o seu trabalho com as mãos completava o serviço no meu membro. Quando eu me sentei e peguei em sua cintura, Carol entendeu novamente o que eu queria fazer.

Fizemos um 69 intenso, com minha língua chupando toda a região daquela boceta lisinha. Eu mexia em seu clítoris com uma mão e com a outra eu apertava a sua bunda descontroladamente, enquanto enfiava o máximo que conseguia a minha língua dentro da vagina dela. Então, Carol se levantou e me mandou ficar deitado como estava, e então foi, metaforicamente, ter um papo sério com o meu pênis, que insistia em ficar de pé. Carol se deitou em cima de mim de forma que o meu pau ficou erguido por trás de sua bunda, passando pela boceta e repousando a cabecinha em cima do cu dela. Voltamos a nos beijar e Carol, usando as mãos, prendeu meu pênis no meio da sua bunda e começou a se mexer. Aquilo foi muito bom, véi!

Quando eu levei minha mão ao meu pau, mirando na entradinha dela, ela levou prontamente a mão à minha e tirou de lá, parando de me beijar.

– Isso que estamos fazendo é errado - Falou ela.

– Nós não somos irmão de sangue - Respondi rapidamente, caindo de boca nos seios dela.

– Não é disso que eu estou falando - Ela respondeu entre gemidos.

– Humm? - "Falei" sem tirar a boca daqueles peitos maravilhosos

– Camisinha.

– Ahh - Falei, com uma mão em suas nádegas, girando-as - Não precisa...

– Claro que precisa - Ela falou isso punhetando meu pau.

– Eu não tenho doença, você também não deve ter, vamos lá.

– Não quero uma surpresinha daqui a nove meses.

– Eu gozo fora - Falei, depois de ficar um tempo chupando os seios dela.

– Espero.

Então ela se ajeitou e pude sentir que a cabeça do meu pau agora estava em um lugar mais quentinho, e apertado. Carol começou a descer por inteiro no meu pau, e quando sentiu minhas bolas, começou a rebolar. Eu me sentia no paraíso, com minha "maninha" gostosa rebolando na minha pica. Eu estava com os olhos fechados e as mãos na cintura dela, e nesse momento Carol já pulava loucamente no meu membro. Eu pedi para ela parar, pois eu sabia que daquele jeito eu ia gozar em pouco tempo. Fiz ela se levantar e a coloquei de quatro. Dei uma nova chupada na xota dela e meti o pau. Depois de algumas estocadas, com o meu saco batendo nela, eu dei uma parada e ela também. Então, eu me "deitei" por cima das costas dela e levei uma mão ao seus seios e a outra à sua vagina.

Fiquei acariciando os mamilos alternadamente com uma mão e com a outra eu fiquei acariciando o clítoris dela. Então, comecei a fazer movimento bem lentos com o meu pau, até que não aguentei e levei minhas duas mãos à bunda dela, para segurar, pois eu comecei a meter com força. Carol estava com as duas mãos no clítoris quando eu escutei ela começar a gemer bem alto e contrair o meu pênis de leve, ela estava gozando no meu pau. Eu não aguentei, e tirei ele de dentro dela o mais rápido que pude, e despejei a minha porra na bunda dela e nas costas, em meio a gemidos vindo dos dois lados.

Sem falar nada, fomos para o banheiro dela e tomamos um banho, cada um lavando o outro. Carol ainda me pagou outro boquete embaixo do chuveiro e ficou apoiada na parede para eu meter nela novamente, e eu meti com força. Eu sei que tinha acabado de gozar, mas já me sentia novamente pronto. Depois de alguns minutos por trás dela, com a mão nos seus peitos e chupando o seu pescoço, eu anunciei que ia gozar. Dessa vez, Carol queria beber o leitinho, direto da fonte. Ela se ajoelhou e voltou a me chupar com vontade, e embora eu tenha ejaculado pouca porra nessa segunda rodada, ela engoliu tudo com um sorriso feliz no rosto.

– Cara, foi muito bom - Falou ela.

– Você não imagina a quanto tempo eu queria fazer isso - Falei.

– Devia ter pedido antes né bobão.

– Ah, sei lá - Falei, rindo.

Ainda estávamos pelados. Ela deu um selinho na minha boca e eu fui para o meu quarto. Não me dei ao trabalho de vestir um pijama e quando caí na cama, já estava dormindo. No outro dia eu acordei com aquela menina linda deitada comigo na cama, também pelada com a perna por cima de mim, e meu pau já estava fazendo força contra aquela coxa deliciosa. Eu fiquei fazendo carinho na bunda dela enquanto observava seu rostinho lindo enquanto ela dormia, e fiquei lembrando de tudo o que fizemos na madrugada, feliz por ainda ter duas semanas pra me divertir como quisesse com minha nova irmã.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
06/09/2013 10:55:10
Puts que conto fantástico
31/07/2013 22:58:30
Muito bom Estou iniciando um novo site e gostaria de contar com tua participação. http://supersacana.com.br/modules/profile/register.php
22/06/2013 07:10:01
Não sei se li direito ou não. Mas não faltou comer o rabinho dela? Se esqueceu, faça como ela disse: é só pedir, bobão! Come logo e conta prá gente, viu? E com detalhes...
21/06/2013 00:03:21
mt bom!
20/06/2013 18:04:27
Muito bom. pode contar o restante das ferias.
20/06/2013 17:27:42
Ai ai...achei o conto muito bom...mas não existe isso de gozar fora não engravida..peloamordezeus!
20/06/2013 16:56:46
gostosinho
20/06/2013 16:44:01
Muito bom amigo, parabéns pelo conto e pela escrita. Tens a manha!




Online porn video at mobile phone


conto erotico gay narrado yootubecheirando o cuzinho do afeminada bebado.aproveitandowww xvidios .com coroa recomprnsa a passada a mao na bunda delaConto erotico estou louca pela picona do meu cunhadocontos de sexo minha mae sento no meu colomorena d********* de ladinho atropeladacontos eroticos um velho me pegou na praiaAbaixar videos de porno para celulasinhoadorei a enconxada que ele medeu erotico aldiContos de inseto com o irmao casula search xvideoexperimentar sexo anal mesmo sendo heterossexual pode ser perigoso19 redação do c* e o negão enfiando a picadepilando o'pé grosso do genroConto gay - "veio todo dengoso"esposapediu prasua irmà ver ela gemer no pau grande do maridocontoseróticospublicadosempornota doendo gosa logohtts:you.comtube ponodoidoXsvideos artista pintando macho numulher.fudendo.com.pombagira.x vidios pornos amadora nefinhas gravida fudeno com seu machogey fazendo fime porno com homem infindo garrafas no geycontos eroticos encoxada no metro levei porra na bucetaporno atedente.da.claro.tocando.siririca.no.zphq eronticosadvogada abrindo sua buceta no motelsotou dentro escoeu porramalandro gay passivo dando o cu contoaluno fodendo professor de educacao fisica gay animadopornô com magrinhas bem branquinhas e Dalvinhaxvideosó no cu pracaga grossoa loira do olho azul me chamou de Zé tacudo e eu falei assim vai tomar no seuxvideosdificil pra vc lukadeixei a vendedora ver meu pau no provador de roupas xvideosmeniniha delirando xvideocontos eroticos embreaguei minha mulher e comi outracontos eroticos netinha novinha estuprada pelo avomarido gosta de ver sua. muler com outro pintudocontos eroticos de quem perdeu a virgindade com a empregadamtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1xvideos safada dirigindo e batendo punheta p pistoludojoponezinha dormindo e entra um cara e comi elaquero ver um filme pornô porreta Mel com muita mulher gostosa tomando no c* de calcinha de ladinhocrente fudendo e narrando pro maridonao adianta chorar vou rasgar sua bucetinhacontos gay afeminadosCoroa dorme e a rola entrandoxnnvídeos porno em mendigos pede esmolas e a safada dá pra ele a bucetafotos de mulheres com camksinhas nas bucetasXVídeos sobrinhas trombada virgemcontos eroticos sexo oralmulher tomando banho encabulando a bucetavidiopono mulher bica texvideo mulher passa por baixo da corda e arrebenta maiorCharlene muito gostosa fode com negão dotadomulher que gosta de ser encostada no ônibus contosabaixa x video mulher ingulindo muita gozaEnteada fica sem calcinha e vai deitar mais o padrastonovinha moreninhafazendo sexo nachácara com tiocontos eroticos da mulher vxs negao dando o cuirmã linda gostosa dando sua bucetinha virgem para o sermão do atadoela soquiria chupa e inguli pora dos pau grandeconto erotico novinhado dando pos priminhos novinhoscoroa.gemendo na pica de.com30centimetroimpressando gostosa na parede porno doido analconto erotico sou tratada como puta pelo meu sogro ele adora me chingarContos eróticos de traindo o noivo no capô do carroXVídeos dando o c****** apertadinho evitando a raivaemcoxando a novinha de sches e saiagata apertadinha pulou pra frente ante pau grande / pornoirado.comcache:O6GiaR9Gb0sJ:zdorovsreda.ru/texto/20180120 contos de coroas lesbicas.taradas em calcinhas fiu toladas no rabocomtos de maes que bate punheta no filho com seu pesinho calcado em sandalia de saltopornor.homem.gazando.nadunda.no.onibusvídeo de pornô senta na minha pica rebola Dodôvelhopintudocontoscontos eróticos de mulheres se vingando de rivalassistir videos oline gratis mendigo chupando a buceta da mendigacontos - traí meu maridotransei com a sobrinha no baile funk contovidioporno/fodanaconstrucaocontos de mae.putona tarada pela rola do filhoxvidei de hmen batendo solaSou coroa casada os mulekes rasgaram minha calcinhaLipeSonhador-CASA DOS CONTOS EROTICOS |zdorovsreda.ru