CE2/21 – Arco-Íris de Paixão


Click to Download this video!
Um conto erótico de ASmedeiros
Categoria: Heterossexual
Data: 20/09/2012 19:28:07
Nota 10.00

21 – A TINTA E O PINCEL

14 de julho de 1979 – sábado.

NO CAPÍTULO ANTERIOR (20):

● Olga briga com Fabíola que não cala e discutem forte, a mãe solta os cachorros em uma verborragia chula e insana contra Mário. Fabíola enfrenta a mãe que fica possessa quando a filha diz que iria passar as férias com o pai e que já não aguentava mais viver naquela casa, Olga manda que ela vá embora e rasga a roupa da filha e Fabíola sai de casa vestindo apenas calcinha, uma visinha lhe acolhe e ela vai para a casa do avô e liga para o pai contando o que aconteceu. Mário resolve levar a filha para Candeias e convida Amanda que será pivô de muita sacanagem e orgiaO dia parecia morno demais, os pais de Henrique tinham tido uma briga daquelas que azedou a vontade de brincar, Mário conversava com Marina e Jaqueline perto do galinheiro.

– Tem nada a ver essa briga do papai – Jaqueline era a mais chateada – A mamãe é um pé do saco...

– A gente não vai mais pro cachorro? – Marina ainda não conhecia o riacho do cachorro.

– É bom a gente nem falar mais disso... O Ric disse que vai pro Abraão – Mário levantou e atirou um cascalho atrapalhando o galo que cobria uma galinha – Vamos pro rio...

– Tem graça não, a gente nunca vai no cachorro e no rio sempre tem gente – Marina coçou a perna.

Jaqueline também não via graça nenhuma ficar tão perto de casa, mas sem a proteção de Henrique não seria a mesma coisa. Dona Ximena gritou seus nomes, voltaram para a casa cabisbaixos.

– Vão ficar o dia todo de ti-ti-ti? – passou o braço pelo ombro de Mário – Vocês estão muito quietos... Cadê o Henrique?

O filho apareceu como por mágica, não ia perder a merenda por nada nesse mundo. Na mesa os bolos, broas e chocolate deixou a cozinha com cheiro de coisa boa.

– Tu não ia pro Abraão? – Mário cochichou com o amigo.

– Cala mano, a mãe não sabe... – empurrou o amigo – Tu vai levar elas no cachorro?

– Sei não... Parece que caiu no poço...

– Cê besta Mário, aproveita que Jasmim foi com o papai pra cidade...

– Mas... – olhou para dona Ximena que conversava com dona Margarida – Tua mãe não vai deixar...

– E tu vai pedir?

– Quem cochicha o rabo espicha! – doba Ximena olhou para os dois – Estão aprontando alguma não é?

– Né nada não mãe, tava conversando com Mario sobre a gente ir pro Abraão...

– E não vão se meter no rio?

– Sei não mãe... É que o Berto convidou a gente pra ir no Argolo... – tocou na perna do amigo – A senhora deixa a gente ir?

– Vão passar o dia lá? – sentou pensando e olhou para Mário – Está bom, mas olhe lá rapazinho, cuida bem da namoradinha e nada de passar dos limites...

– Que é isso dona Ximena, a gente só vai pra conhecer...

– Conheço muito bem minha cabrita! – acariciou o braço de Jaqueline – Mas Carminha também vai pra ficar de olho, viu dona Carmem? Não desgruda desses dois e... – riu alto como fazia quando estava de bem – Estou brincando crianças, vão passear e aproveitar as férias...

Na varanda Henrique combinou tudo com Mário e saíram juntos para que a mãe não desconfiasse de nada, andaram conversando animados por uns trezentos metros.

– Tu vai ficar com a Solange, não vai? – Mário sabia muito bem o que Henrique estava querendo – E tu vai mesmo pro Argolo?

– Vamos... A Nissinha e o Abrãozinho vão com a gente – pararam na bifurcação – A gente se encontra aqui cinco horas tá?

– Quem chegar primeiro espera o outro... – Marina estava eufórica – E a gente vai ficar sem comer o dia todo?

– Vai não sua besta! – Carmem brincou e abriu a sacola de pano – Tô levando lanche e lá tem muita coisa no mato pra gente comer...

– Tu parece morta de fome Ina... – abraçou a irmã.

Seguiram o cachorro e subiram a encosta da pedra até chegarem nas grotas e piscinas naturais. Marina era a mais animada e afoita e Carminha logo puxou a colega para mostrar o lugar.

– Tu tá muito calado hoje moleque... – Jaqueline sentou em seu colo de frente pra ele – Porque tu não foi on-tem?

– Peguei no sono... – sorriu – Tu esperou?

– Tu sabes que sim... Ina também pensava que tu ia...

– Tem vez que penso que ela vai contar...

– Conta nada! – tirou a camisa de meia – Ela disse que nunca vai contar... E tu também gosta de bolinar ela, não gosta?

– E tu não fica com ciúmes?

– Fico não, com ela eu deixo... Tô pensando que Carminha também quer brincar contigo... Tu é muito é safado Felipe, dá em cima de tudo que usa saia...

– Dô não, elas é que querem... - sorriu e puxou o corpinho do biquine – Mas a Carminha...

– Tu pensa que eu não vejo as puxadas de olho que tu dá pra ela? – olhava para os pequenos seios fora do corpinho – Tu gosta muito de mim?

– Tu sabe que gosto... – aproximou o rosto e lambeu o biquinho do peito – Gosto muito...

– Tu me amas? – a voz saiu fininha, o corpo ponteado de montinhos – Tu me amas? – perguntou novamente.

– Amo, amo muito e tu vai ser minha mulher pro resto da vida...

Um pouco afastadas Marina e Carmem olhavam para eles.

– Tu já deu Carminha? – Marina sentia o corpo quente.

– Só a bunda... – riu divertida pensando em Henrique – E tu, já deu?

– Só a bunda também... Ela também já deu a bunda pro Lipe – olhavam para os dois namorando – Tu dá pro Ric, não dá?

Carmem sentiu a barriga esfriar, mas sabia que entre eles não poderia haver segredos.

– Só dou pra ele... E tu, dá pra quem?

Foi a vez de Marina sentir desconforto, sua relação com o irmão só tinha sido compartilhado com Jaqueline quando viu que ela queria dar para ele.

– Tá bom, se tu não quiser pode não dizer...

– Não Carminha... – respirou nervosa – Dou pro Lipe... Só pra ele...

– E tu aguenta ele? – olhou para a amiga – O pau dele é maior que o do Ric... Não sei se ia aguentar... – riu e lembrou do que ela tinha falado – A Jac também dá pra ele?

– Ora se dá! – estava cansada de ficar de cócoras e sentou – Toda noite ele vai pro quarto e... Tu sabe...

– Na casa da vó? – também sentou – Ele tá é doido, se o vô descobrir vai ser a maior merda! E tu fica lá quando ele vai?

– Tenho de ficar né? – abriu as pernas para ventilar – Onde eu ia ficar?

– Sei lá?! E tu vê eles meter?

– Não sou cega né? – riu, sentia calor entre as pernas – Mas até que é bom, ela dá e eu...

– Ele te come também? – parecia escandalizada – E ela não diz nada?

– Dizer o que, só diz que gosta de sentir o cu cheio... – sorriu – Ela não queria dar, mas eu conversei com ela e... Eu dei pra ele e ela viu e também quis dar... Mas a gente só dá a bunda...

– E ele não pede a xixita?

– Pedir pede, mas ela não dá... – tirou a blusa – Se ele quisesse eu dava, mas ele diz que na frente só quando eu for casar... O Ric não pede pra ti não?

– Não... Ele só quer na bunda, mas a piroca dele não é nem grande como a do Felipe...

– E tu já deu pra ele?

– Tu tá é doida... – tirou o vestido, não usava biquine – Já vi o tamanho da mandioca dele... Tu aguenta mes-mo?

Jaqueline estava no mundo da lua, os beijos cada vez mais violentos e a mão segurando seus peitinhos parecia passaporte para ser feliz.

– Ta fazendo muito calor, vamos banhar? – se afastou, não conseguia pensar em nada, mas tinha medo de não querer que ele parasse.

Mário suspirou e deitou na folhagem seca, Jaqueline levantou e tirou a roupa sem ter coragem de tirar o biquine, os peitinhos pequenos estavam vermelhos das chupadas.

– Caminha! Carminha! Marina! – chamou enquanto olhava para ele deitado, viu o que tinha sentido – Tu não vem?

Mário sentou novamente, estava agoniado e morrendo de vontade de comer a bundinha arrebitada. Ia levantar quando as duas desceram correndo a encosta, Carminha girava o vestido sobre a cabeça e a irmã tentava tirar a roupa sem parar de correr.

– Vumbora cambada! – Caminha jogou o vestido no chão e pulou dentro da cacimba.

– Vem Lipe! – Marina também pulou e depois Jaqueline.

Olhou para as três brincando dentro da água e, quase sem sentir, tirou a bermuda e o calção e mergulhou nu.

– Tu tá doido moleque! – Jaqueline empurrou quando ele tentou lhe abraçar – Olha as pequenas!

– Deixa de ser besta! – Carmem tirou a calcinha e jogou para a beira – Pensa que eu não sei?

Marina olhou para o irmão e ele desconfiou que tinha contado, mas não se importou depois que Jaqueline havia falado que ela também queria brincar. Mário largou a namorada e mergulhou abraçando a irmã, Jaqueline olhou para eles e sorriu quando Mário jogou o biquine de Marina.

– Tu quer? – Marina sussurrou ao sentir o pau duro entre as pernas – Se tu quiser pode meter... Até na fren-te...

Mas ele não queria na frente, segurou o pau e espremeu na bunda macia. Jaqueline conversava com a negrinha e não viram e nem notaram nada de diferente, mas Marina tinha aberto as bandas da bunda e forçou como se fizesse cocô quando sentiu a cabeça do pau forçando o cuzinho.

– Devagar Lipe, assim dói – reclamou baixinho quando ele empurrou com força – Espera, não mete tudo – tentou segurar o talo do pau.

– Deixa mana, larga... – respirou, o cuzinho da irmã estava quentinho – Bate siririca, bate...

Um pouco afastadas Jaqueline conversava nervosa com a negrinha que ria.

– E tu vai dar a xixita pra ele?

– Sei não, a piroca dele é muito grande... – Jaqueline colocou a mão entre as pernas sentindo um gostinho bom – E tu, vai dar?

– Se tu jurar que também vai dar eu dou... – olhou para os dois parados como se também conversassem bai-xinho – Mas ninguém pode contar nada viu?

– E tu pensa que eu sou doida?

– Me fala, doeu muito na primeira vez?

– Doeu um pouquinho... – espiou e desconfiou que Marina estava dando – Mas a Marina passou creme de pentear na piroca e entrou facinho...

– Ela é muito doida mesmo... E... Ele goza dentro?

Jaqueline teve certeza de que ele estava comendo Marina e sentou na beira tirando o biquine, estava decidida, ia dar.

– Ai Lipe, não mexe muito senão elas vão ver... – o corpo mexia cada vez mais forte – Goza logo, vai, goza...

Sentiu o pau ficar mais grosso e aquela sensação gostosa, ele tinha gozado, o cu ardia um pouco, mas o gosto de estar cheia era maior.

– Eita! Tu parece uma cachorrinha, sua danada! – Jaqueline – atirou um punhado de areia na direção dos dois – Tá de cu cheio, né santinha?

Mário mergulhou e nadou submerso, Marina não sentia vergonha em ter sido descoberta e andou segurando a bunda, em direção das duas.

– Tu bem que tá querendo também, né vaquinha! – passou a perna sobre ela e soltou a bunda – Toma, tu não quer?

– Deixa de ser nojenta! – Jaqueline empurrou a amiga, mas a gosma que saia da bunda dela escorria pelo seu peito – Marina! Porra, tu me sujou toda...

Carmem riu e jogou água nos peitos da amiga, Mário olhava as três e teve certeza de que Marina não era certa da cabeça.

– Lipe! Vem pra cá mano! – chamou.

As três estavam deitadas na beira, as bundas fora da água, a de Jaqueline era a maior e a de Carmem a mais aberta. Conversavam animados sobre a vida, a negrinha contava das aventuras na Canaã, Jaqueline das coisas dos colégio de freiras em Candeias e os irmãos das aventuras na cidade onde moravam.

– Alguém tá com fome? – Marina levantou.

– Eita! Essa tua irmã vive morrendo de fome... – Jaqueline virou e ficou de papo pro ar.

– Tadinha dela – Carmem olhou para Mário – Levar uma varada na bunda deve de dar fome...

Da sacola tiraram pão e a carne que havia sobrado no jantar, comeram sanduiches traçando planos para os dias seguintes e beberam suco de caju morno, em um embrulho em jornal Marina viu ovos cozidos que descascou pensando em sacanagem.

– Vamos fazer um concurso! – olhou para Jaqueline – A vencedora é quem melhor botar ovo...

– E eu lá sou galinha? – Jaqueline estranhou – Que diacho de concurso é esse?

Carmem viu a cara safada e desconfiou do que ela falava, Mário também já sabia e balançou a cabeça sem acreditar que a irmã ia fazer mesmo. Foi ele quem meteu, uma vez em casa, um ovo na bunda da irmã, mas daquela vez era ovo de codorna e não aquele ovo grande.

– Tu para com essas brincadeiras Ina! – a irmã sorriu – Me dá esse ovo!

Marina pegou os seis ovos e correu para a cacimba com o irmão correndo atrás.

– Elas não vão gostar disso Ina... – abraçou a irmã – Tu não tinha nada de inventar...

– Deixa eu falar... – segurava os ovos presos nas mãos – Se elas não quiserem...

– Tu é doida Ina... Aquele era ovo de codorna...

– Deixa, elas vão topar, quer ver?

Mário largou a irmã e mergulhou, Marina conversou com as duas e Jaqueline segurou um ovo.

– Isso não entra, sua doida!

– Entra sim! – Carmem olhava o seu – Se entra a piroca dele, vai entrar lizinho...

– E tu já meteu um ovo? – perguntou para Marina.

– Juro que já! – lambeu o seu – A gente bota e depois ele lambe a gente... Perde quem deixar o ovo sair, to-pa?

Carmem pegou o seu e tentou colocar, empurrou e ficou frustrada quando o ovo esbagaçou.

– Não dá, quebra... – mostrou o ovo esbagaçado – Só se a gente der a bunda e ele meter...

– Meter junto com o ovo? – Jaqueline olhou para a negrinha.

– Não sua doida... Ele mete na gente e quando tira é que mete o ovo...

– Isso não vai dar certo, é muito grande, não cabe...

– Cabe sim, ele meteu em mim...

– Meteu direto?

– Não... – resolveu inventar – Depois que ele me comeu é que botou... Do jeito que Carminha disse... Como é, topam?

– Isso não cabe Marina – olhava para o ovo.

– Ora! Se sai do cu da galinha deve de caber... – Carmem parecia eufórica com a nova brincadeira – Eu topo!

Marina deixou os ovos com as meninas e foi contar para o irmão que não queria participar da loucura inventada pela irmã.

– Isso não dá certo Ina, o ovo é muito grande!

– Tu não quer é brincar, isso sim! – sentou no colo dele – Pelo menos vamos tentar... Olha, tu mete primeiro em mim, minha bunda tá meia aberta ainda e se couber tu come elas... Vamos Lipe, vai ser bom...

Deu um beijo estralado no rosto dele e voltou para as meninas que já morriam de vontade.

– A gente fica de boi e ele primeiro come a gente e depois dota o ovo... Ele vai pra cacimba e chama uma e vai lamber a gente, quem deixar o ovo sair perde...

– E quem não deixar o ovo cair, ganha o que? – Carminha estava eufórica.

– Ganha pau na bunda! – Jaqueline deu um tapinha na bunda da negrinha – Tu quer ganhar o que mais?

– Não! Tá bom! Quem ganhar passa a noite com ele... – Marina sugeriu – E aí pode fazer o que quizer...

– Passa como?

– Tu dorme lá em casa Carminha! – Jaqueline parecia animada – E quem começa?

– Deixa que eu dou primeiro – Marina se animou e chamou o irmão – Lipe, quem ganhar vai dormir contigo e tu pode fazer o que quiser, tu topa?

Jaqueline apesar de animada sentia um pouco de vergonha e sorriu nervosa vendo Marina ficar de boi e arrebitar a bunda.

– Vem logo Lipe, pode meter... – o rosto encostado na toalha, abriu a bunda com a mão e esperou.

Carmem sentou perto dela e de sacanagem apertou o biquinho do peito, Jaqueline olhou vendo ele mexer no pau e esbugalhou os olhos quando a negrinha tirou sua mão e engoliu, o cuzinho de Marina piscava e ela sentia o vento entrando.

– Lipe, mete... – pediu.

Carminha olhou e viu o buraquinho meio aberto, cuspiu na mão e lambregou a cabeça do pau que guiou para a bunda aberta da colega sem acreditar que, mesmo não sendo fechadinho, ia caber nem o pau e nem o ovo.

– Vai Felipe, mete logo... – quando viu que tinha começado entrar sentiu uma cócega gostosa como se fosse nela – Elas! Tá entrando mesmo...

– Hum! Mete tudo Lipe, mete... – sentiu o cu cheio e começou bolinar na xoxota, Mário empurrou até sentir a pélvis na bunda – Não tira ainda, mete só um pouquinho mais... – ele meteu e tirou e meteu de novo – Pega o ovo, pega o ovo... – pediu e Jaqueline entregou, ela colocou dentro da boca e cuspiu – Agora tira e bota o ovo...

Mário tirou e empurrou o ovo que escapuliu para dentro, Marina suspirou e ainda ficou um pouco na mesma posição antes de levantar cruzando as pernas. Mário repetiu com Carminha que gemeu sentindo dor, o pau era maior e mais grosso que o de Henrique.

– Tô arrombada! Ai! Teu pau é muito grosso, espera... – tateou a bunda e tocou no que ainda estava de fora – Ainda tem tudo isso... Ai! Hum! Não vou aguentar...

– Mete logo tudo Lipe... – Marina segurava o cu com medo que o ovo saísse – Aguenta, tu não falou que a-guentava!

– Vai, mete de uma vez... – a negrinha abriu o que pode a bunda e arrebitou mais – Mete, pode meter que eu aguento... – ele empurrou e ela sentiu que tinha entrado tudo – Pera! Pera! Não mexe... Porra! Tô entupida... – levantou a cabeça e viu que Jaqueline já estava com o ovo na boca, sentiu medo – Dá pra ele Jac, mete logo que não vou aguentar... Isso, mete... – quando sentiu o ovo escapulir para dentro olhou para Marina – E o teu, tá dentro ainda?

– Essa galinha tá querendo botar ovo... – Jaqueline riu das duas.

– Não me faz rir senão escapole – Marina meteu o dedo no cu para empurrar o ovo – Não demora, to quase botando...

Em Jaqueline foi mais rápido e quando os três ficaram em pé trançando as pernas Marina mandou Mário para a cacimba, Carminha entregou os palitos para apostarem porrinha e verem quem seria a primeira.

– Vai logo! – Jaqueline já estava agoniada – Primeiro é tu e depois ela... Moleque, deita que a gente fica na tua boca...

– Ai!... Não viu aguentar... – Carmem sentiu a vagina tremer quando ele lambeu – Porra Felipe, isso é muito bom...

– Perdeu! – Marina gritou – Vai logo, o meu tá quase saindo...

Não era a primeira vez que sentia a língua mexendo na xoxota e aguentou até Marina pedir que ela saísse e saiu ainda com o ovo dentro da bunda. Marina ainda aguentou mais que Carmem, mas gozou e o ovo escapuliu.

– Merda! – levantou – Só não ganhei porque tava a mais tempo... – mergulhou.

– Vem agora, mete com o ovo dentro... – Jaqueline ficou de boi – Quero ver o que acontece.

– Ela tá é doida! – Carmem viu a garota se preparar – Vai ficar uma meleca só...

Mário olhou para a bunda e viu o branquinho do ovo como se fosse um olho, ficou atrás e meteu de uma só vez.

– Aiii! Não era pra meter tudo! – Jaqueline tentou sair, mas ele segurou em seu vazio – O ovo entrou mais, sai... Sai moleque, tá doendo lá dentro...

Ele não saiu, continuou estocando e Jaqueline sentia um incomodo gostoso dentro dela, ainda pediu para ele sair, mas quando viu que ele estava para gozar deixou de mão, estava gostando.

– Porra moleque, porra... Tá entrando mais... Hum! Hum! Ui! Vai, não demora, vai... Hum! Porra, tá bom, é bom, mete, mete...

Mário gozou bufando e quando tirou o pau um jato de gosma misturado com pedaços de ovo escapuliu da bunda e Jaqueline ficou deitada de pernas abertas...

●●●●●●●●●●

NO PRÓXIMO CAPITULO (22):

● Henrique está tomando banho e não consegue desviar o olhar do pau de Mário, os dois conversam sobre a brincadeira do ovo e pergunta se o amigo já tinha metido na irmã. Mário fala que não tinha coragem de comer a irmã, mas Henrique fala que ele teria se Jaqueline lhe desse. A conversa toma outro rumo até que Henrique confessa brincar de troca-troca com um vizinho, Mário pergunta se ele não queria dar para ele. Henrique fala que seu pau era muito grande, Mário começa a sentir vontade e termina comendo a bunda do amigo...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
20/09/2012 20:38:41
ADOREI




Online porn video at mobile phone


relatos selvagens de zoofilia com cachorrovideos pornos de mulheres de cor amarradas e amordaçadasesposa abriu a bundinha para aquele homem barrigudo e pirocudo/relato eroticowww sexo adulto 18 anos sem preconceito so com cavalos metendo forte na novinha magrinha forsada.zoofilia.porno . com brconto erótico com irmão cavalocontos eroticos dei para um estranho no escurinhocaete na porca pornonovinhas delicia purasexoZoofilia caes encangados em mulheresadvogada bem casada rabuda em viagem de trabalho é seduzida e fode gostosovideo levei dois mendigos pra fude minha mullhe ela so quis um roludoEu e mamãe pelados em casa contos eróticosvidio di hme k toroco disexosó loirinha magrinha a pererec do Chacrinhaconto erotico dominador pauzudoxvideos irma dormimdi de ladinho com seu irmaoarrombando.o cu da deisy a forçanovinho do cuzinho virgem contos eroticoscoroa loira tranzado até gouzawww.xvideocasada/proibidoconto gay meu amor psicopatacomendo a irmã moeda meu irmão gostoso ela geme na vara XVídeosxxvidios.com portuguesbrasileirascontos eróticos surpenatural incestoxnnx cretes do rabo grande com calcinha enfiada no cuhoje a bu tá bonita hoje ela Ta Tarada depois que ficou grandinha a blusinha tá tarada taca taca taca bunda taca taca tacacontos eroticos jatos de porra na gargantacarota catarinese gemendo na boca da sua amigarelaro erotifo mae bucetuda e filho pau gigant..vidio porno de padrasto fica com a intiada ruivinhaXVídeos mulher e sastifaze elaisso papai soca fundocontos eroticos professora casada chantageada por alunocontos mostrei minha buceta pro moo do gasso.gays.ei.gangbang.com.picao.gigantesxvideos brasileiras q nao aguentaram no cu e tenta fugir mas o parceiro nao deixarmomento de carinho dando mordidinhas na nuca e desce lambendo as costas até chegar no cuzinhocontos erotico fudendo gostoso com o meu compadrexvideos estralando no socavideo porno botei meu pau ate as bolas na boca da tiaconto porno paixao escandalosasignifica sonhar que estou de sutiã e tanguinha dentro de casa e depois me sinto vergonhanegao fodefo cu forcaTopes fotos de menianas dormindo de shortinho atololado e com um penis fincado no meionovinha deixou o cara passar a mao no peitoxvideoporno++o++encanadorcontos sou lesbica e gosto de scatcontos eroticos gay SEQUESTRO Conto de encoxando a nora na cozinha escondidoConto erotico encochada incestx videos.com enrolando o priquito da novinhaprofesor gozano dentro da buceta da japonesa alunavedio caseiro minha conhadsa da pro cachorro. seomae de filho gozando muito com brutamonte e corno filmando xnxxnabuceta vcaguentar amorcontos eroticos nao aguentei e transei com a minha cadelameu cunhado tirou meu cabacinhox vidios comedo a ludinha ate gozar na cara delaWww.testedefudeludade.comx videoContos transformaçao femea pornistorias eroticas de insesto filias mas novinas y pai en la rosaxvideo chinesa se encabulou com o pau do negão e foi arronbadaminha vizinha puta contoEu durmo no quarto com ela e comi a coroa durante a noitePapai goza na minha boquinhaconto erotico vadia cadela sitiocontos eróticos incesto mae filho exército menino enbebada menina pra come ela no colegio xnxxxFamiliasacana queridi.ho da mamaeconto filho pirocundo dando banho na maemulher casada em ogia corninho tirando fotos ela com dois pal en fiadonoPorno gratis xvideos fogo cruzadoxvideos de primo dera ocabaso da primahistorias eroticas heretossexuaisporno para deixar aqecidarvideos porno fodendo mae emprensadacontos eroticos amiguinhaspornodoido sogra da cugrade a genro e filha na salacontos de zoo gayscontos eroticos levei piça gg no cu ( madura ) naugr sexo69 no sofáWwwx vidios .con tirano cabaso con pene de borachahomen toma banho de coeca pica fica dura mundobichaconto erotico meninodescreva como se sente ao esfregaren seu clitoresvıdeos de novınhas tendo bebevideos sexo incesto filha reda calcinha pro papai fude elaputas brasileiras bucetas rasgadas zoofiliapornopontoerotycoempurando o gatilho no prikito dela