CLUBE DOS PERVERTIDOS I,II,III


Um conto erótico de DIRETOR
Categoria: Heterossexual
Data: 31/07/2012 14:37:51
Nota -

Clube dos pervertidos

Parte I – A iniciação

Era a primeira vez que minha madrinha me levava para aquele lugar. Muito imponente, ficava a quarenta minutos da cidade e era a minha iniciação naquele clube tão seleto. Com vinte e três anos, não muito bonita, mas isto não era requisito básico para entrar. Aquela sociedade era secreta, tão secreta que não sabia o seu nome, por enquanto.

Ao chegarmos ao primeiro portão não vi a casa e pensei que fosse alguma brincadeira, mas não era. A minha madrinha, não era madrinha de batismo, mas sim uma mulher que indicaram para me ensinar as regras do lugar.

Ao chegar, um criado veio abrir a porta do carro, ele estava mascarado e usava um smoking, guiou-nos para uma saleta onde tinha uma pequena poltrona, uma mesinha e um vaso com flores no canto da parede. A mulher seguiu o mordomo, me mandou esperar por alguém; não havia reparado no teto, havia uma pintura em estilo renascentista onde anjos e demônios brincavam de esconde-esconde entre as nuvens; As paredes eram forradas com papel vermelho, com detalhes no rodapé.

Pensei em ter ouvido alguém me chamar e levantei procurando por alguém, mas não havia ninguém. A segunda chamada eu ouvi, era uma voz de mulher, parecia idosa, começou a perguntar coisas e eu respondia sem titubear.

- Qual seu nome completo? – Camile Lamarc.

- Quantos anos você tem? – 22 anos, completados neste mês.

- Quem é a sua madrinha? – A Sra. Lucilia Mardsen.

- Você aceita as regras deste clube? – Sim, estou ciente do que se trata.

- Com quantos anos tirou sua virgindade? – Aos catorze anos.

- Você tem algum pudor ou algo a constrange? – Não.

- Qual a sua opção sexual? – Hetero, mas já tive relações com mulheres.

- O que você acha do incesto? – Aceitável.

As perguntas se seguiam de forma a tirar todas as dúvidas quanto a entrada daquela mulher na associação. Camile respondeu a todas sem o menor problema, mas ficou indecisa em uma:

- Você já se apaixonou por alguém?

Camile ficou indecisa em responder, então lembrou de Marco. O seu corpo gravara todos os toques dele, as sensações emergiam no seu corpo deixando-a excitada.

- Então, você já se apaixonou por alguém antes?

Camile respondeu: - Já, mas há muito tempo atrás. Ele não faz mais parte de minha vida.

Ela pensou que aquela resposta faria perder a oportunidade de entrar no clube, mas a voz saía novamente de um lado das paredes:

- Tire a roupa.

Ela tirou sem pudor e sem pressa.

- Tem uma porta a sua esquerda, entre nela e vista o que tem lá.

Camile mal conseguia ver a maçaneta da porta, mas encontrou e viu lá dentro um pequeno vestuário, um hobby preto estilo oriental. Um outro mordomo entrou no aposento indicando por ela devia passar; ao seguir por um corredor ela chegou num grande salão. Haviam várias portas e cada uma levava para outro ambiente totalmente único. Camile foi recepcionada por muitas pessoas, a maioria de mascaras e roupões, outras nuas, mas de mascaras. Uma senhora sexagenária a recebeu no centro do salão, se apresentou como presidenta e disse seu nome: Lauren StandFord. Aquela era a mansão StandFord. Ao lado daquela senhora se encontravam um homem com seus trinta e poucos anos e uma mulher bem mais nova, mais nova que Camile, devia beirar aos seus dezoito anos.

Lauren pediu a Camile que escolhesse alguém do salão para ser seu guia turístico, havia tantas pessoas, tantos rostos, mas escolheu um que estava meio escondido entre uma das colunas do salão. Apontou para ele. O estranho estava vestido da cintura para baixo, sua máscara era preta e tomava uma taça de champanhe; Lauren o chama para mais perto, ele se aproxima devagar apreciando a mulher a sua frente. Camile o encarava, mostrava não sentir medo daquele estranho e ele ao se aproximar estendeu a mão para cumprimentá-la, dando um beijo e lambendo o seu pulso. Lauren o apresenta, seu nome é Damien; Camile se impressiona com a tonalidade dos olhos dele: dourados, seu corpo esbelto de formas bem delinadas, aparentava ter quarenta anos, talvez tivesse mais, depois descobriria.

As comemorações de iniciação haviam começado, Damien pega na mão de Camile e leva para uma das salas ao lado, vários criados circulavam pelo salão servindo bebidas, havia uma mesa posta com comidas de vários tipos. A primeira sala que Damien a levou foi dos pederastas, em seguida aos zoofilistas, sala dos sado-masoquistas, necrófilos e voyers, não precisava estar dentro das salas para participar das orgias, mas tinha que ter vontade em participar. Uma hora ou outra homens e mulheres puxavam-me para mais perto, fazendo carícias e sussurrando em meu ouvido, pedindo para ser o próximo.

Subimos os degraus e chegamos na parte superior da mansão, onde ficava o escritório, a suíte principal (que era de Lauren), biblioteca e dois quartos vagos. Descemos em direção aos jardins, lá estavam várias pessoas ao ar livre correndo, masturbando, trepando, alguns aproveitavam o dia de sol com o companheiro(a) acariciando; lá não se era permitido ter pudor de qualquer tipo.

Parte II – ... a verdadeira iniciação

Quando Camile e Damien voltaram para o salão, ele se afasta entrando na sala dos pederastas. Ela logo foi abordada por duas mulheres, todas duas com seus quarenta anos de idade; a primeira abraçou ela com força por trás, acariciando os seios e lambendo a nuca, a segunda estava agachada ao chão, colocou a perna de Camile em seu ombro e acariciou a buceta com a língua. Logo um homem chega perto e entrega seu pau para que Camile o acariciasse também. A língua da mulher penetrava com uma suavidade incrível, fazendo Camile erguer o corpo para mais próximo de sua boca. A primeira beijava-lhe, as mãos ainda nos seios até que o homem goza sobre o corpo de Camile, quando as mulheres viram foram lamber o gozo; Um jovem aproxima-se e introduz um dedo no cu de Camile, ela geme um pouco, as mulheres se afastam e chega Damien, o jovem sai. Damien pega na mão de Camile e a leva para uma saleta por trás de uma coluna, lhe dá uma taça de champanhe fazendo-a bebê-la de uma única vez. Havia na saleta uma cadeira, ele a faz sentar-se com as pernas suspensas nos braços da cadeira, começa beijando-a, desce seus beijos em direção aos seios que já estavam excitados devido a mulher que o acariciava antes. Seus dedos deslizavam sobre sua vagina, causando fricção entre a vulva e o clitóris, Camile começa a gozar com os dedos de Damien. Ele segue suas carícias até sua xoxota, lambendo-a, já excitado de ver todo aquele gozo seu pau fica duro, volta a beijá-la na boca e a possui.

Damien não se preocupava se a estava machucando, investia cada vez com mais força fazendo-a erguer o quadril cada vez mais alto. Camile gemia com aquilo, dizia coisas obscenas no ouvido dele, pedia que ele a fodesse mais rápido, mais forte. Ele o fez. Ao ápice do prazer, Damien morde-lhe o bico do seio, fazendo-a gritar. Camile segura nos cabelos dele, puxando para frente, levando em direção ao outro seio; Ela fodia cada vez mais rápido, por um momento Camile pensou que desmaiaria com aquilo, mas não, o que sentiu foi um gozo inacreditável, ele havia explodido em seu interior, mordiscava a orelha dela e dizia que mais tarde teria mais, pois tinha adorado fodê-la e esperava tentar outras coisas. Quando Camile olhou em volta várias pessoas os observavam, ela não entendia o porquê dos outros homens não quererem participar daquilo, percebeu que Damien era temido entre eles.

Ele saiu da saleta. Aproximaram-se vários homens que a rodearam na cadeira. Cada um com o pau ereto, um deles chegou em sua frente e pediu que ela ficasse em pé; quando ela desceu sentiu as pernas dormentes e quase cai no chão. Um deles a segurou e a ergueu, um deles enfiou o pau na xoxota dela e um outro por trás, o terceiro entregara o pau para que ela o acariciasse, e num vai-e-vem ela sentia os cacetes duelarem dentro de seu corpo. Outro aproveitara a ocasião de vê-la com as pernas suspensas e introduz dedos na vagina fazendo a movimentação do pau do primeiro que a introduziu. A pressão em sua buceta era tão grande que ela gozou rapidamente e seu gozo escorreu entre as coxas, outros homens que estavam ali lamberam as coxas e o homem que fodia seu cu saíra da sala. Após lamberem tudo todos saíram.

Ela volta ao salão e petisca algumas das guloseimas, enquanto saboreava aquelas iguarias a presidenta Lauren aproxima-se convidando-a a acompanha-la para outro lugar. Camile acompanhou-a até chegarem numa suíte no primeiro andar, era o quarto de Lauren, ela percebeu que na cama dormia duas meninas; A anfitriã pediu que ela se sentasse o que ela fez prontamente e perguntou se ela qual a opinião dela quanto ao que via ali; Camile sabia que aquele era o teste final para a sua inserção e respondeu:

- Considerando que não sou adepta a certos estilos, considero muito bom.

- Qual estilo você não se adepta?

- A zoofilia.

- E qual você se adequaria mais?

- Não saberia dizer.

- Você gosta de sado-masoquismo?

- Sim, já fui ambos.

- Tem alguma fantasia?

- Sempre há fantasias, só é preciso o momento certo para realizá-los.

- Ótimo.

Lauren continuou perguntando, tirando todas as informações possíveis dela, a considerava uma peça rara, nenhuma das mulheres que iniciaram tinham tanta desprendimento com o sexo quanto ela, sempre existia uma ou outra consideração a levantar e Camile se adequava ao seu perfil, já que ela tinha a mesma opinião quanto ao zoofilismo. Uma das meninas acorda e senta-se no colo de Lauren que imediatamente a acaricia. Lauren explica a Camile que logo haverá uma eleição e que ela poderia se eleger ao cargo de presidente, que tinha considerado seus atributos e características aceitáveis e que daria uma boa presidenta por terem uma visão parecida em questão ao sexo, mas para que isto acontecesse ela tinha que se candidatar. Camile recusou de imediato, não queria ter o controle daquele clube, que era melhor uma pessoa mais experiente. Lauren pediu que ela pensasse no caso e lhe desse a resposta o mais rápido possível.

No corredor se encontrava Darien, que entrou no quarto sem pedir permissão dado um beijo na sexagenária. Naquele momento Lauren o apresentou como seu neto e explicou a Camile que somente mulheres podiam se candidatar a este cargo, antes que Camile perguntasse o por que de Damien não se candidatar.

Clube dos libertinos –

III - A revelação de Camile

Quando Camile saiu do quarto de Lauren ficou pensativa, saiu para o jardim pensando no que ela disse, não entendia muito bem o por quê daquele clube elegerem somente mulheres, mas ficou a pensar no assunto. Um garçom passa perto e ela pega uma taça de champanhe. Caminhava pelo o gramado e observou um grupo de homens e mulheres deitados na relva, estava anoitecendo, o sol se pondo por trás das árvores fazia o ambiente ficar triste, talvez por causa de sua dúvida enquanto aceitar ou não.

Um homem a agarra, ela solta a taça.

Ele a convidava para ir à sala de sado e ela assim o fez. Seguiu segurando a mão. Quando chegaram lá, duas mulheres estavam presas por correntes nos punhos, erguidas um pouco do chão, enquanto outras pessoas (homens e mulheres) as chicoteavam, deixando marcas profundas em suas costas e pernas. Com as chicoteadas elas gemiam e gozavam, a cada lapada sofrida mais o gozo escorria por suas pernas, homens gozavam e as mulheres se masturbavam; Camile não sabia o que aconteceria agora, estava muito concentrada no que iria responder.

O homem que a levou ficou de quatro e mandou ela espancá-lo com socos e ponta pés, ela assim o fez e o fez de maneira gentil.

- Sua vadia, é só isso que me pode oferecer.

Ela ficou furiosa e começou a chutá-lo com força, primeiro foi no rosto, fazendo-o cair no chão, depois suas costelas, suas coxas e quando ele tentou se erguer ela o chuta de novo no rosto, pegando com ironia no queixo e mandando ele ficar de quatro para que lhe chutasse as bolas do saco. Ele assim o fez. E ela chutou com toda a força que tinha; ele acaba desmaiando com a dor, ficando inerte no chão. Uma mulher que assistia a tudo aproximou e pediu que ela fizesse com ela também, sem demora Camile foi até uma estante ali próxima, pegou uma algema e colocou nos punhos daquela mulher, uma venda também foi posta em seus olhos, mandou ela abrir as pernas e quando ela assim o fez Camile sem dó nem piedade pega o maior consolo que tinha no armário e o enfiou com todo prazer na buceta da mulher, esta gritou com o susto e com a dor. Camile puxa os cabelos dela para trás e pergunta: - Está gostando? A mulher não tinha nem voz para responder, então é jogada ao chão e chicoteada, ficando com a bunda em carne viva. Os presentes da sala ficaram olhando a ação de Camile; ela estava como em transe, ousava nas investidas contra aquela mulher, os efeitos que ela causava na pobre infeliz eram tão intensos que chamou a atenção de várias pessoas do salão.

Cansada de chicoteá-la, Camile sai da sala em direção a outra, a do pederasta. Agarrou-se com um jovem, ele era branco de olhos púrpuras, beijou-o com lascívia, pegou em seu pênis e massageou-o de maneira sutil, fazendo ficar ereto. O rapaz começaria a gozar, mas ela por pura maldade deu-lhe uma tapa na cabeça do pau; ele começa a chorar, ela sai da sala. Passou pela sala nos necrófilos, o cheiro estava insuportável, não entendia como pessoas sentiam prazer em fazer sexo com pessoas mortas e entrou na sala dos voyers, Damien estava lá, espiando duas mulheres se acariciarem, ele estava sentado numa poltrona com uma dose de uísque na mão, Camile quando o viu foi diretamente para seu colo, sentando em cima de seu pau que estava duro.

Começou a remexer devagar, subindo e descendo, mordendo sua orelha, beijando seu rosto em várias partes, enquanto ela subia em seu pau ele tomava um gole da bebida. Ela queria fazê-lo gozar, mas parecia que ele não conseguia, sua força de vontade era imensa e intensa. Camile gemia cada vez mais alto, movimentava-se cada vez mais rápido, mas Damien não reagia; ela não entendia como ele não reagia as suas ações, desistiu e saiu da sala, de perto dele, foi diretamente para um corredor onde estava Lauren StandFord, diria a ela que tinha tomado a sua decisão. Quase perto dela Damien a puxa para uma coluna e a fode no cú, encostada ela sentia Damien possuí-la com toda intensidade, falando bobagens em seu ouvido e dizendo que nunca seria dela por inteiro, talvez somente para uma foda, e era isso que ela mais queria, pois ele era o homem que conseguia o máximo dela, ver seu lado mais cruel e selvagem. Quando terminaram os dois chegaram a Lauren e anunciaram que ela iria concorrer a candidatura para presidenta do clube.

Saber se ganhou ou não é outra história......

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.

Online porn video at mobile phone


banho com sobrinha conto sexogrupo gays bundudos whatsappcalça boiando na buceta da morena gostosa rola grossafui viajar com minha nora minha buceta ei cu delaencanador do pau cabecudo comendo o cu da dona de casabuceta d penuartransei com meu paiContos lambendo chuleconto erótico vigilante do bancoxvideo. Agarrõesconto corno diamanteamiguinhos emos loirinhos fazendo sacanagemmarentinhos xvideos morena fofinhado rabao fudendo com dotadoescritor lipe casadoscontosMeu cão ralf me comeu contocontos eróticos na fazenda com maeencoxada e gozada no onibus d na mulher d xortiitextos contos mulheres e viadinhos etrupados por camioneiro dulpa penetracao gozada boquinhaesposa louca por umpauzao contospornodoido filiinho da mamãe erick dotadao acordou namoradopra fudero negro aldo e esposinha contoporno negue pintao comend buctMinha jovem esposa bunduda dando na marra pra outro homem contos corno umilhadopornodoido lesbicas ate os pulçosmulher com aberada da buceta toda esticada pra filha verContos eroticos de podolatria com fotos desejando chupar os pes de primas novinhassou casado mas sempre tive vontade de dar a bundacontos de casadas detonadashomen batendo punheta nbanho e gemendo gostosover mulher preta encurta uma chupando a buceta da outra cima do dente queirosexo fiocado paifudeu ate o cudela tento fujir nad bebadacontos eroticos esposa sem calsinha na baladacontos de sexo no carro com um cara aiii metiii maiscontos eroticos adora q outros oisam suas transascontos eroticos arretando novinha na hora da janta na meaax videos gays heteros operarios cabeçudosadoro ser enrabada conto eroticoporbodoido padrasto come e. a mae pega no fragagozando dentro elas brigamcontos gay: estupro coletivoXVídeos cara tapeando o coroa de motomeu qosanomamei contosgozando na bunda da maninha no onibos lotadosequencia de heteros cacetudos gozandovideo de porno mulir ipinadihamamando o peitinhoduro dafilhacomtos eroticos comi minha filha quamdo ela timha quatro anosporno: lésbicas loucas ralando no chão enfiado a mão no rabocontos: consegui convencer minha esposa ao culckoldingPornô doído melhor femendo ia falando o meu deus o meu deus em inglêsestupro esposa contos eroticosCamioneiro nnervoso xsvidioos cara chegaram passando a mao na gostosa depois fuderam ela porno a.focaquero pesquisar filmes pornor com negros super dotados arregassando cu e bucetas de mulheres loiras tirando sangue do cursinho delasporno conto erotico irmao eguavídeo porno brasileiro de gostosa morena dando o cu pra estranho que come o maridotambémcontos eroticos quando eu tinha doze anos viagei pra fazenda com meu paiporno gey cunhadinho chega en casa seu cuhado se decrarawww.xvideos.com/negao rasgando a esposa do fornoCarnavalnazoofiliacontos gay afeminadosXvideo mobile Filha tem buceta pilumulher dando pa o dog esitadoporno brasilero ela queria fujir de tanta fodanao cnseguioso bosrtonatortura porno linguada no clitorisxvideo..maninho do caralhaocontos gay belmirover contos eroticos em que maes sao flagradas pelas avos fudeno com os filhos pauzudosa bundinha avanço preta gorda dos peitão gorda rabo