GRÁVIDA E DANDO PARA UM BEM-DOTADO.


Click to Download this video!
Um conto erótico de Viuvinha
Categoria: Heterossexual
Data: 18/11/2011 03:51:25
Última revisão: 09/07/2018 20:34:07
Nota 9.79

Quem leu meus contos, sabe que com quase 30 anos, precisei trabalhar como garota de programa e engravidei do meu sogro. Quem não leu, é só clicar encima do meu pseudônimo ¨viuvinha¨ que acha.

Tive sorte até então. Várias vezes a camisinha se rompeu no meio da transa. E também aconteceu do penis do cliente, amolecer rápido depois do gozo e na hora de tirar, a camisinha ter ficado lá dentro, cheia de porra.

Quem transa bastante, está sujeito a esses acidentes de trabalho. Quase sempre sem problemas, só uma vez, deu mais trabalho. Foi no começo, quando eu era inexperiente.

O preservativo ficou lá dentro e não notei. No afã de faturar, transei com outro que empurrou a camisinha mais fundo e só com o desconforto, percebí o que tinha acontecido.

Tentei tirar com os dedos, sem sucesso. Já tinha até marcado consulta com a ginecologista quando, no dia seguinte, ao urinar, minha xoxotinha expeliu o corpo estranho. Felizmente!

Faço regularmente testes de DST, HIV e hepatites B e C. Com a gravidez, minhas idas à médica se tornaram mais constantes e tenho mantido a xaninha depilada.

Nos meses iniciais, no meu caso, as alterações hormonais são acentuadas. O seios ficam sensíveis e doloridos. Tenho muito sono, nauseas e pouco apetite pelo sexo. Foi um verdadeiro suplício transar nessas condições, mas, pensando em melhorar as finanças, tive de trabalhar bastante.

O difícil era fazer boquete, disfarçando a ansia de vômito. Mas ao acrescentar a palavra ¨grávida¨ nos anúncios de jornal, a clientela aumentou. Foi uma surpresa constatar, como existem homens com o fetiche de comer uma gestante.

Quando a barriga ficou evidente, tudo mudou. E para melhor. O desejo sexual voltou e de forma mais intensa. Vivia tarada como uma ninfomaníaca. E sem os incomodos da mestruação. Tive orgasmos com quase todos os clientes.

Meu medo era os bem-dotados. Mas eles são raros, um em cada cem, se muito. Nesses casos, uso a mesma técnica de quando faço anal. Fico por cima e controlo a penetração.

Apesar da médica ter explicado que o perigo de aborto ou parto prematuro ser ínfimo, tenho a impressão que o colo do útero está dilatado e a ponta da pica pode atingir o feto.

Por falar em caras com pau gigantes, um que vive me azucrinando é o Paulão. Ele é casado há anos e não tem filhos. A esposa dele não consegue engravidar, por problemas de aderências. Certa vez, me propos ter um filho dele. Ele assumiria tudo financeiramente. Recusei, é claro.

Quando soube que eu estava grávida, Paulão ficou maluco:

- Porra, Sheila, você emprenhada? Quem é o pai? Puta que pariu! Não podia ser comigo? Já disse que grana não é problema, pô!

- Pois é, Paulão, aconteceu. Eu não queria. Aconteceu, fazer o que? Se soubesse, teria feito contigo. Mas assumirias a criança? E tua esposa?

- Isso é o de menos! Você sabe que tô louco prá ter um filho, pô! Meus amigos tiram sarro por eu não ter filhos. Os caras gozam da minha masculinidade. Plantei uma árvore, escrevi um livro e não tenho filhos!

Bem, depois disso, Paulão que antes me ligava uma vez por mês, passou a fazer toda semana. E a medida que a barriga crescia, duas e até três vezes por semana.

Do sétimo mês em diante, começei a diminuir o ritmo, recusando muitos ¨serviços¨. Só atendia os conhecidos, bons clientes, carinhosos, pouco dotados, alguns me tratando como se eu fosse feita de cristal frágil. E evitava muitos, entre eles o Paulão, que vivia ligando, oferecendo grana alta, implorando por uma transa.

No oitavo mês, o medo de ter algum problema, me fez parar por completo. O risco de um descolamento da placenta era bem maior. Os seios tinham dobrado de tamanho, sensíveis, doloridos e cheios de leite. Os biquinhos que eram rosados, também estavam maiores e escurecidos.

A barriga pesava, alterando o equilibrio, obrigando-me a mover de forma lenta e cuidadosa. Até coisas simples como deitar e levantar da cama eram dificultados. Mas o desejo sexual persistia. A vontade de transar era intensa e cada vez mais acentuada pela abstinência. Vivia com a xoxotinha úmida, piscando por uma rola.

E Paulão insistindo. Ele tinha sido meu cliente mais constante. Coitado, tanto pediu que, hesitante, acabei saindo com ele, com a condição de que deixaria por só um pouquinho. E fomos para um motel.

No quarto, tirando a bata de grávida, olhei no espelho no teto a minha silhueta toda deformada. A barrigona ocultava os pentelhos. Há muito que não me depilava por essa razão. E estava apreensiva, pois quando tive os outros filhos, não transei nos últimos dois meses.

Paulão já nú, sentado na cama, me admirando como se estive diante de uma deusa, com aquele pauzão rígido, apontado para o teto. Se aproximou e me beijou voluptosamente. E apesar da barriga volumosa entre nós, seu mastro estava lá, firme forçando entre minhas coxas, se esfregando na vulva molhadinha.

Ele foi se abaixando, beijando as auréolas dos seios e agachado, passeava os lábios pelo ventre, adorando o volume. Lembrei que Fabrício, meu marido também fazia isso. Só que ele era o pai e ficávamos só no sexo oral. Desta vez era diferente. Além de tudo, a vara do Paulão era o dobro na grossura e comprimento.

Quando Paulão começou a chupar minha xaninha, esquecí de tudo. É o meu ponto fraco, ainda mais depois de semanas sem sexo, bastou a lingua quente e molhada tocar meu clítoris, já atingí um orgasmo arrebatador, que me deixou de pernas bambas e quase caí.

Fomos para a cama, fiz ele deitar de costas e coloquei a pirocona do Paulão na boca, mamando sofregamente. Eu estava realmente tarada, no cio. Fiz uma gulosa daquelas, com sentimentos contraditórios.

Por um lado estava com receio e queria satisfazê-lo bebendo seu leitinho. E por outro, ansiava com ter aquele naco gigante de carne dura dentro da bocetinha.

Paulão pareceu adivinhar minhas dúvidas e disse enquanto gemia:

- Uhhh, Sheila, deliiiiciiia! Deixa eu meter um pouquinho, deixa! Ahhhh, vamos meter, vamos!

Nessa hora, de tão adoidada pelo tesão, esquecí até da camisinha. Fui de cócoras e procurei a vara, tateando com a xoxotinha. Paulão ajudou, segurando e direcionando a pica.

Temerosa, fui descendo, devagar. E quando a chapeleta rombuda invadiu a grutinha, deixei escapar um gemido forte. E ela foi abrindo caminho na minha bocetinha encharcada de mel. Parecia que há anos eu não tinha uma vara dentro de mim.

O tesão me fazia descer e a prudência brecava e fazia recuar. Nesse vai-e-vem, quando dei por mim, já tinha entrado bastante. E Paulão mais do que excitado, estocava de baixo para cima, provocando sustos, ardência, prazer e fugas.

Ficamos metendo assim. A posição era cansativa, pois, o temor me fazia segurar as descidas do corpo pesado, todo ele apoiado nas pernas. Assim agachada, sentí algumas constrações musculares, avisando que viriam caimbras.

Saí de cima e deitei de lado, sugerindo que ele metesse por trás, na posição conchinha:

- Paulão, metas com cuidado! Ó, faz favor hein, não coloques tudo, tá?

E ele me penetrou de novo, devagar como pedí. A posição agora era bem confortável e até passei a rebolar participando mais. E Paulão foi metendo cada vez mais rápido e vigorosamente.

O pauzão me arrombando, mais fundo na bocetinha. Ardia mas estava gostoso demais. E fui deixando, consentindo, o desejo sobrepondo à prudência.

E tive outro orgasmo e outro. E Paulão com aquela pirocona bombando para valer. Nisso a ponta rombuda bateu lá no fundo. Nem tanto pela dor, mais pelo susto, gritei:

- Para, Paulão, para!

- Não amor, só mais um pouquinho. Aguenta aí. Tô quase gozando!

Assustada, só então, dei conta que ele estava sem camisinha e imaginei aquele cabeçorra me enchendo de porra e até chegando no meu bebe. No desespero, pensei até em oferecer o cuzinho para ele gozar nele. Não, o melhor era fazer um boquete, masturbando-o para arrancar o leitinho com os lábios. Tudo que eu queria era desengatar e fugir.

Mas Paulão me prendeu minha perna com a sua e com as mãos, imobilizou fortemente meu quadril, enquando acelerou as metidas. Acho que o pauzão já estava tudo dentro de mim, dando uma surra de pica na xoxotinha e no meu mais profundo âmago.

A sensação que o momento do parto estava chegando, me fez ficar desesperada. Eu tentando fugir e ele alí, engatado e bombando fundo, enquanto dizia ofegando:

- Vou por um filho nessa barriga, gostosa! Vou te emprenhar também! Ahhh, vou gozar! Toma meu neném! Ahhh, to gozandoooo!

E soltou jatos de semen. Deu para sentir dentro da xaninha cada ejaculada, quente, viscosa, quando tocou lá no fundo. Mal Paulão relaxou, me soltei desesperada.

Na hora fiquei tão irada que o xinguei de tudo que é nome. Me levantei o mais rápido que a barrigona permitiu e corrí para o banheiro com a porra escorrendo farta pela virilha e coxas.

Ainda bem que essa transa não trouxe maiores consequências. Depois dessa, estou me segurando. Homem agora, só depois do parto e resguardo.

*********************************

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
12/11/2018 15:27:50
Transei muito com minha esposa grávida, a gravidez torna a mulher mais sensual, ótimo conto.
03/11/2018 16:39:59
Excitante
12/10/2018 10:26:44
Get
18/08/2018 20:10:32
Viuvinha, tenho um tesão imenso por voce, e por seus relatos de seu dia-a-dia. Sou de Curitiba.
08/08/2018 23:45:17
Viuvinha, Você surpreende a cada conto! COnseguiu passar sua preocupação com o neném e mesmo assim me encheu de tesão. Tive algumas experiencias com putas, mas nunca dei a sorte de encontrar uma como você. Acho que é porque eu ia naquelas "sauna for men" ou peguava na rua Augusta. Uma GP como você certamente era fora das minhas possibilidades. VOu continuar lendo seus contos pois cada vez gosto mais de como você escreve !0!
06/08/2018 20:45:24
É foda...mesmo com prudência o tesão sempre fala mais alto...certa vez com uma das minhas ex mulheres fizemos amor após uma reconciliação...ela gravida da minha segunda filha hj com 14 anos. Foi maravilhoso...aqueles seios enormes,a ppk gorda,que delícia. Ops voltei pra terra...dez bb pelo conto.
05/08/2018 09:17:55
Gostei do seu conto
05/08/2018 08:32:17
no site de contos eróticos BH me chama no meu zap casal liberal buscamos parceiros para realizar fantasias sexuais Enviado do meu Telefone LG
30/07/2018 15:39:07
EXCELENTE.
09/07/2018 17:42:58
08/07/2018 18:38:38
Delícia de conto
04/07/2018 17:21:33
uma profissional, mas do ramo da escrita ...isso é o q vc aparenta reunindo essas letras...nao existe visão mais linda do que uma fêmea gastando outra vida dentro dela...a ereção é certa! corajosa assim vc é uma guerreira tendo como sua maior arma a sedução
29/06/2018 15:53:44
Seus contos são excelentes, me deixam louco de tesã
26/06/2018 19:55:55
Retribuindo a visita e me deliciando nesse conto fantástico. Que delícia, sou tarado numa gravidinha... Adoraria fuder uma casadinha gravidinha bem gostoso. Se tiver alguma com tesão, faço muito gosto de te dar
23/06/2018 11:48:56
Olá Scheila, me chamo Fabrício, e gostaria de receber suas fotos:
13/04/2018 18:48:53
Quando o tesão bate... sai de baixo!!!! Se tiver fotos diferentes
25/03/2018 11:28:12
Meu e-mail é:
25/03/2018 11:26:30
Olá. OBRIGADO!!! Seu conto é fantástico. Gostaria de fazer contato com voê.
14/02/2018 14:51:19
A cada conto seu que leio fico mais tarado ainda, vontade de ter conhecer, de ter comer gostoso, estou amando seus contos se puder me envie fotos suas e-mail:
16/01/2018 02:48:19




Online porn video at mobile phone


Contos Eroticos Roberta no Cruzeirocasada viciada porra relatosContos eroticos boa noite cinderelacontos eroticos de putas e putosai mae maei pornoContos eróticos entre marido e mulher que se reconciliaramjaponesa de Cubatão novinha porno com endereço telefoneMeu marido virou minha putinha safadaxvídeos brinquei de lutinha com a minha mãe bêbadaConto erotico casada polpinha bundaohttps://www.casadoscontos.com.br/perfil/185159XVídeo pornô a mulher se masturbando na rua andando no meio da rua Rosada molhadinha nenhuma Bruno metrô de todo canto g***** molhadinhadois homens a baterem punheta fantaziando ate gozarvocê vai aguenta minha pica inteira vadiamulheres passa margarina uma na outra peladascontos eróticos comi a ciganacontos eroticos sou safada mostrei meu cu para amiga como estava largorelato d novinha perdendo o cabacinho com padrasto e mae juntoxvideo irma delicia centa no colo do irmao e ñ aguenta o tesaoxvidiocasadas na baladasporno sem casaminhasRelatos de marido corno manso e otariomaraadoro goza comegua no cio carameteuHistorias erosticas viadinho dano o rabo para o pedreiro da obra .. E choraporno interesesexual conto sexo chantagiei a bundudavídeo porno brasileiro de gostosa morena dando o cu pra estranho que come o maridotambémcomendo a netinha de vestido e pedindo para meter a chibata nela para gozarxvidei sonovirconto erotico funk peladamulher fudeno com outro e marido esprando na/salatrepando bem gostoso com a ginecologista mulhercontosPorno contos familia incestuosas ninfetinhas comecando cedoai meu cu tira esse pau tá doendo tiroteio loucoxvideos viu mae dormindo de boca aberta e fico doidinhoencoxando rabuda no trem casa dos contosmarido nem percebeu que sua mulher tava dancando de pijama sem causinha na frente do computador que outros homem tava vendo xvidiioscontos eróticos encapuzado dominador come viadomeu corno troxe um negão para me foder e tirou fotosbonezinho é bem novinha pornô abrindo a sua x********Contos eroticos novinha o velho mr pegoxvídeosbuceta da linguonaBAIXA VIDEO PORNO APROFESSORA ELIZABETI DA ESCOLA NANDEJAcontos encoxei mamae rabudacontos o pecado de uma casadafilme potnou vide mateTias fodendo na sala com subrinho e marido outro comodonovinhas esfregando buceta na sela do cavalo videos de porno doidoxvideo entiada gozando e perdendo a vidadecontos mulher encoxada na borrachariaquero ver cachorro enganchado com essas gostosas por favorver somete vidio alugaro uma mulher pra fude na chacar mais ela nao que da o cu comedoo cara e pauzudomulher da o cu na cozinha segurando na piacontos eróticos sinhozinho comendo negrasler contos eroticos de padres reaismãe e filha fudendo com travesti de calcinhaomem mesturbano deitado de brusocontos como tirei a virgindadeMeu marido é um corno e viado do primo deleConto de incesto de ferias com meu pai na prai de nudismocontos eroticos de incesto seduzir meu pai sentando so de calcinha no colocontos eroticos cona madura sofre com piça ggteem calça jeans justo magrinha pornocoroa.gemendo na pica de.com30centimetromínha avô chupou minha xotacomendo a sogra tatiane bem gostosoo negro aldo e esposinha contoincesto amador no surdãocontos eroticos 2018 com velhosconto cadela sub