Casa dos Contos Eróticos


Click to Download this video!

COMPARTILHANDO AS PUTAS 2

Um conto erótico de valeriobh
Categoria: Grupal
Data: 20/09/2011 18:57:14
Nota 10.00
Assuntos: Grupal

Na manhã seguinte Felipe encontrou a camareira Dalva no corredor do hotel onde morava. Precisava conversar com ela, já que ela sabia que ele era casado e o havia flagrado com outra mulher na cama. A chamou pro seu quarto e fechou a porta. Tomando as rédeas, disse que iria reclamar com a direção do hotel pelo fato dela ter entrado no quarto sem bater, lhe vendo pelado Nervosa a camareira pediu desculpas e disse que achava que o quarto já estivesse vazio, e implorou para que Felipe não reclamasse porque ela poderia perder o emprego, e naquela cidade pequena eram poucos os empregos com carteira assinada e benefícios. Felipe então pediu que ela não comentasse com ninguém o fato de tê-lo visto com outra mulher na cama, já que era casado. Dalva perguntou o motivo dele trair a mulher, já que achava a esposa dele linda. Felipe devolveu a pergunta e perguntou ha quantos anos ela estava casada. Dalva respondeu 20, já que havia se casado com 15. Felipe a elogiou dizendo que dava pra ela uns 28 anos, já que era uma morena atraente, e perguntou se durante todo esse tempo ela não sentiu desejo sexual por outro homem. Dalva fez uma ligeira pausa e disse que sim, e já excitada com o teor da conversa, disse que naquela noite nem conseguiu dormir direito lembrando a cena que havia visto, e teve que procurar o marido para aliviar seu tesão. Felipe logo percebeu que a camareira havia ficado com tesão ao vê-lo pelado, e lhe perguntou se ela havia gostado de ver o pau dele. Como Dalva balançou a cabeça afirmativamente, ele perguntou se ela queria ver novamente, já abrindo o zíper da calça e colocando o pau murcho pra fora. Felipe fez alguns movimentos de punheta até deixá-lo meio duro, e olhando pra mandou que chupasse. Como se estivesse hipnotizada, Dalva se abaixou e abocanhou o pau, passando a chupar forte e desajeitadamente. Felipe deu-lhe um leve tapa no rosto, mandando-a parar, porque ela estava machucando seu pau, e notando a passividade dela, mandou que ela ficasse de quatro na beirada da cama. Dalva obedecia sem questionar, e passiva ficou quando Felipe suspendeu seu vestido e literalmente lhe arrebentou a calcinha, passando a lhe dar leves tapas nas nádegas enquanto enfiava dedos na buceta peluda e no cu apertado. Quando conseguiu enfiar 4 dedos na buceta, foi ao criado e pegou uma camisinha, encapando o falo, que logo sumiu dentro da vagina melada. Socava com força, a chamando de esposa adultera, vagabunda que chifrava o marido corno, e que ela seria sua puta particular dali pra frente. Dalva apenas gemia de dor e prazer e passiva tornou a ficar quando percebeu que ele havia retirado o pau da xota e estava ajeitando na olhota do seu cu. Trincou os dentes, mas agüentou firmemente sua primeira penetração anal. Pouco antes de gozar, Felipe retirou o pau e a camisinha forçando o falo na boca dela, a fez engolir toda a porra que saiu do seu saco. Limpou o pau na calcinha dela e sem nada falar saiu do quarto, deixando a camareira semi-nua e desfalecida na sua cama. Assim que chegou ao fórum encontrou Rose (a morena do conto anterior) trabalhando como faxineira. Ele se aproximou dela e perguntou porque estava usando o uniforme de faxineira, tendo Rose dito que o Juiz Luis havia lhe contratado para trabalhar. Felipe se dirigiu pro gabinete do Luis e o elogiou pela contratação da Rose, ressaltando que ela deveria ser putinha dos dois. Naquela tarde Dalva procurou Felipe no fórum e disse que não poderia chegar sem calcinha em casa, porque seu marido era muito ciumento e desconfiado. Felipe lhe entregou um dinheiro para que ela comprasse uma calcinha e quando a camareira estava saindo, se virou e disse que havia visto a mulher que ele havia comido no dia anterior trabalhando na limpeza. Felipe riu e disse que ela fez por onde conseguir o emprego. Dalva então perguntou se Felipe também poderia arrumar um emprego pra filha dela. Disse que a filha tinha 18 anos, era casada ha pouco tempo, mas morava com ela, que seu marido trabalhava no corte de cana em São Paulo, e que eles precisavam juntar dinheiro pra comprar uma casinha. Felipe brincou dizendo se ela fosse tão gostosa quanto a mãe e também fizesse por merecer, falaria com o juiz para contratá-la, mandando a filha dela aparecesse no final do expediente no dia seguinte. Na tarde seguinte a secretária do promotor Felipe anunciou que tinha uma moça de nome Rute, filha de Dalva, querendo falar com ele. Felipe mandou a moça entrar e dispensou a secretária. Rute era uma mulatinha tipo mingnon, baixinha, peitinhos pequenos, cintura fina e bundinha arrebitada (diferente da cavalona da mãe dela). Felipe a mandou sentar e após as perguntas triviais, lhe perguntou se ela estava mesmo disposta ao trabalho, porque além de trabalhar duro na limpeza, deveria atender a outros pedidos dele e do juiz. Rute disse que sim, que precisava trabalhar, e como não tinha experiência anterior, ela faria tudo o que lhe mandassem fazer. Felipe alisou ostensivamente o pau sobre a calça e disse que gostava de mulheres obedientes, e perguntou o até que ponto ela iria em troca do emprego, tendo a moça dito que sua mãe havia conversado com ela, e que sabia que deveria agradar o patrão fazendo tudo o que fosse mandado. Felipe mandou que ela fosse até a porta e a trancasse, mandando que parasse no retorno. Mandou que ela desse uma volta, e elogiando o corpo da moça, mandou que ela tirasse o vestido, logo ficando apenas de calcinha e sutiã. Com a mão fez sinal para que se aproximasse e sentasse no seu colo. Rute não apenas sentou como passou a rebolar como uma cobra no cio. A moça era uma putinha nata. Ele abriu e retirou o sutiã, passando a apertar os bicos dos seios enquanto beijava e lambia a nuca e os lóbulos das orelhas. Rute ficou toda arrepiada e se entregou de vez, levando uma das mãos pra debaixo da bunda, passando a apertar o rígido pau do novo chefe. Ela mesma se abaixou e liberou o falo, e antes de enfiar em sua boca, disse que sua mãe não havia mentido quando disse que ele era grande e grosso. Chupou divinamente até receber uma carga de porra na goela, engolindo tudo. Continuou chupando até deixou-o novamente duro. Somente então se posicionou apoiada na mesa, com a bunda empinada e com olhar de puta carente, pedindo para fudê-la com força, que fazia meses que não transava já que o marido estava fora. Felipe arrancou com violência a calcinha, abrindo as nádegas e passando a chupar a semi-depilada buceta e o cu escuro da mulata. Tinha um cheiro divido de fêmea no cio, e sem pensar meteu a pica sem camisinha na xoxota melada. Quando o pau começou a latejar, dando sinal que ele iria ejacular, a moça apenas pediu que não gozasse dentro da buceta, já que não usava remédio. Felipe tirou o falo da xota e foi empurrando no rabo melado dela, que após uma inicial resistência, recebeu no membro até o final. Bombou com força até despejar nos intestinos da mulata nova carga de porra. Como o pau saiu com a cabeça suja de merda, Felipe limpou o falo na calcinha que estava em cima de sua mesa, tendo Rute brincado com ele dizendo que ele gostava de destruir as calcinhas das mulheres que comia (numa alusão a sua mãe). Após ela colocar o vestido (sem calcinha), Felipe mandou que ela se ajeitasse e permanecesse na sala, e foi conversar com o juiz Luis. Luis ponderou dizendo que não havia mais vagas no fórum, mas diante da insistência do Felipe, ainda mais depois que ele contou o que havia feito com a moça, disse que iria arrumar algo pra ela, mandando que a trouxesse. Felipe falou pra Rute que o emprego estava quase certo, só bastando que ela também fizesse o juiz feliz. Apresentou a moça ao novo chefe, e antes de sair lhe entregou uma camisinha para que pudesse testar toda a qualidade dela. ([email protected]).

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
21/09/2011 18:10:23
Adoro uma mulher safada. Daria tudo prá ter uma mulher assim ao meu lado! Como daria. Qq mulher interessada num cara liberal, de Belo Horizonte/MG, imune a ciúmes e amante de uma mulher que ande com a buceta fervendo de vontade de dar, faça contato. Adoro dividir uma mulher numa transa...rs...




Online porn video at mobile phone


contos eroticos netinha novinha estuprada pelo avocontoerotico eu namorada mae e tioEncoxada Casada com d cord mansa da historias olaine de comtos encantadosver uma crente casada casano um pauzudo pra dar o cucontos erotico dei no churrascocontoerotico eu namorada mae e tiomtk contos eroticos coisas do destino capitulo 1Ta tarada roludo vendo novinhas com cálcinhas melecada pornodoido ninfetas pornodoido entrada c SR DE BGODEno motel eu não tava acreditando que eu tava fundendo a buceta virgem da minha cunhada solteira coroa conto eróticoXXVIDIO.COMEU.ASUACUNHADAEu e minha filha nao resistimos conto erotico de pai e filhaan american tale cornocontos amigo tarado aposta game fui viado sexomulhe tabalado da abudaConto gay - "pede rola"contos eroticos A Dama e o Bruto Conto erotico comadre curiosaXx videos galeginhas do olhos azulMulheres escandalosa fudendo mete que vou. Goja no xvideoscontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgetitio comendo osobrio nosofa vidio gaysexo anal magrinha moises pornodoidocorroas belisca fode com sua filhaponto não. quebrau. cabaso da vigecontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgecontos gays de incestos- machos maduros x meninos ninfetos.comconto erotico - como me tornei amante de um haitianoxxvideos mulatas sugadora de espermacontoseroticos maninho nao faz vai doecontos fudi a irma de caridadexvideos comendo a irmã dormindo de fio dentalminúsculoXvideo chupou o eletricista e tomou choqueyuri palzudoanal maduras criadas viuvascontos eróticos meninas de 22 anos transando com cachorro com calcinha preta com lacinhos vermelhosminha tia Gleice Albuquerque pornôContos erótico deixei minha mulher na balada para me pôr chifresmeu genro me agarrou contosconto nora chupando bucetad sograTia brancona mamando leite da pica do sobrinhobem quietinho cornitudeXvideo a pica do irmao era tao grande que ela nao guetou vercontos anal c cavalos e tourosfilho comendo a mãe dormindo depois de dar boa noite cinderela para elaver video internet menoninha bate.do punheta com vpntade protitioPorno cachorros no cio engatadocontoeroticos namorada rodadaXVídeos real amador verdadeiro marido chega em casa mais cedo ovo gemido da esposa e grava escondidocontos eroticos gay os adultos me dizia filhinho vai chupa é o pirulitaovideos de sexo fodi ela de ladinho ela fechava as pernas e gemia muitoccrioula dando o cuzaohomem casado do Rio de Janeiro Baixada Fluminense quer outro filho para sua esposa que ela adora chupar outra picagozanu nu cu da feirensegozada nu cu qe iscorreupornodoidozoofiliacavaloneide chama encanador e fica sem calcinha videos brasileirossexo mulher e homem laranhando(sexo)prequitinho novo rapadoxvidio:fodanaconstrucaolindas foto d moreninha gostosa nua peitinhno bucetinhamorena de 58kg dando a bucetaconto erotico gay negao dominador gosta de maltratar viado brancowww xvidios gay avatajadofedelhos tesudoscontos eroticos leite vitaminado papaimulhe trazando com dois hemnezinho novinho de pau durinho xvideosx videos sogra da remedio pra genro durmir e senta no pau delecarolzinha santosfoto de mulher bem gorda com a b***** bem arreganhada lâmpadatrali de filmis porno kinbengala com nifetascontos eroticos entre jovens irmaos gemeosentregei uma pizza e mepagou com boquetemulher encapetada sexoXVídeos dando em espera e gostosa queimadinha tirando a roupacontos eu e meu sogro estuprano minha maeo que fazser vi um porno sou casada . Eu pequei o que fazserwww.bbucetas rarasVideo do zapmulher escovando dois dentevídeo da vizinha ela é pornô chama o marido da outra novela saindo