Casa dos Contos Eróticos


Click to Download this video!

Terror na chácara - parte 2 - A Tortura

Um conto erótico de Mau70
Categoria: Sadomasoquismo
Data: 25/09/2010 16:40:07
Nota 10.00

Continuação do conto Terror na chácara - parte 1 - O estupro

Após ele, o estuprador sair do quarto, eu lá, pés amarrados juntos, mãos amarradas para trás nas costas, nua na cama,fico chorando; os minutos passando, tudo que sofri, os estupros relembro, choro, sinto nojo, ainda sinto a bunda ardida, incomodando. Lembro de minha famiília, que nem desconficava o que estava acontecendo comigo, choro mais, me debato em vão...o tempo passando, eu ali amarrada, talvez com o tempo, imaginando, ele foi embora; assim fico la, sem saber quanto tempo, até cochilo; quando acordo, sem noção de tempo, me mexo, me debato, volto a relembrar tudo que passei, choro, ao mesmo tempo que vem uma esperança de alguem aparecer, me ajudar, de meus pais de alguma forma perceberem que tem algo errado; novamente o tempo vai passando, eu ali, deitada...chego até a gritar..'SOCORRO...SOCORRO...ALGUEM ME AJUDA..SOCORRO..."..em vão...

Não sei quanto tempo passou, eu ali, encolhida, virada contra a porta, amarrada, nua...rezando..sonhando que alguem me salvasse; e estava nesses pensamentos quando escuto, percebo a porta abrir; instintivamente me encolho um pouco, com o coração acelerando...pressinto alguem se aproximar, me encolho mais, sem coragem de me virar...mas percebendo alguem ali; e meu pior medo acontece....escuto uma voz...."Ola Juliana...."...uma voz diferente, forte, grossa...tremo...e sinto uma mão me pegar pelo pescoço, fazendo eu virar o rosto pra cima...é quando vejo ele...mulato, uma cicatriz no rosto, braços fortes tatuados, de camiseta regata, cabelo curto...sério..."Sou o Chicão..."..olho estarrecida...meu deus..não...penso na hora...sabendo que ainda sofreria muito...mas nem imaginando quanto seria esse muito. Ele me solta...e se afasta, escuto sair da sala.... encolhida, sinto por dentro desespero.

Demora uns 10 minutos, e ele volta...eu ainda de costas...tremendo, percebo ele aproximar-se de novo...sem falar nada, pego meu rosto segurando, e coloca uma venda em meus olhos...apavorada, antes de falar, gritar..ele coloca uma fita na minha boca..me amordaça...fico vendada, amordaçada...ele começa a me puxar..nua, pernas presas, mãos atadas pra tras, vendada e amordaçada...ele me segurando pelos braços começa a me levar, me puxando, me arrastando...."hhhhhhhh hhhhhhhhh"...consigo abafada pela fita na boca gemer, ele me levando, como um bicho...levada, sinto ele me pegar, e me colocar de barriga pra baixo, provavemente sobre uma mesa...que deduzo ser na cozinha.."hhhhhh"...sem falar nada, corta a fita que prendia meus braços, mas rapidamente força eles para frente da minha cabeça, prendendo-os um em cada pé na mesa em uma corda provavelmente já preparada...choro..ele corta a fita das minhas pernas, e tambem rapidamente, as prende, uma em cada pé da mesa...me mexo, bem presa...sem ver, sem poder falar...costas para cima..choro, apavorada, indefesa...é quando escuto ele começar a falar..."Juliana, Juliana......sabe Juliana...eu já roubei.....ja matei...ja fui preso...fugi da prisão..."..falando pausadamente..eu presa..me mexo..em vão..."tive que fugir...passei 6 meses junto de um grupo de guerrilha colombiana....aprendi técnicas de torturas lá....e hoje...trabalho para um chefe do tráfico.."..ele falando, como se quisesse me abalar, me apavorar..me mexo mais..."sabe Juliana...quando alguem nos trai...sou eu que dou um jeito, faço os traidores se arrependerem de ter nascido....quando pegamos inimigos, sei fazer eles falarem..."..eu chorando..me mexo mais..."E nessa vida Juliana, uma coisa que aprendi.....nao ter dó....e de vez em quando, fora do serviço...me distraio....como farei hoje com você..."..choro desesperada...totalmente indefesa...sinto ele passar a mão na minha bunda, apalpando sem dó..forte....falando.."Juliana..não terei dó, pena de você.....você verá que o inferno é melhor que passar uma tarde comigo...garanto.."..sempre apalpando fortemente minha bunda..eu toda presa..choro me debatendo, molho a venda...ainda apalpando..."você é bonita, ...deliciosa...um tesáo de mulher...por isso terei mais prazer ainda em brincar com você...".fala...e sem avisar..preparar...sinto ele forçar o dedo na minha bunda...sem dó..força um dedo dentro da minha bunda..."hhhhhhhhhhh hhhhhhhhhhhhhhhhh hhhhhhhhhhhhhhhhhhh"..amordaçada...gemo, tentando me debater..ele enfia, e não tira..."hhhhhhhhhhhhhhhhhhhh"....ele la...olhando..eu toda presa...me debatendo..."hhhhhhhhhhhhhhhh"...sem tirar ele fala...."Juliana...você ainda vai implorar para eu enfiar um dedo no seu cú...você vai ver"...tirando...apesar do alivio..choro muito......presa naquela mesa..."hhhhhhhh hhhhhhhhh"..querendo gritar, apavorada; escuto uns barulhos..um silencio, só minha respiração ofegante, mas sabendo que ele estava lá...e estava, me olhando presa e nua...com uma cinta na mão...eu ofegante, sem saber...até que....VRUMMMMMMMMMMM....."hhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh"...desesperada de dor grito me debatenmdo toda...recebo uma baita cintada na bunda, que dói, arde..."hhhhhhhh hhhhhhhhhhhhhh"..fico gemendo amordaçada..."Essa cinta, Juliana, é de couro legitimo...dói,dói muito receber cintadas com ela"..ele falando, como se quisesse me torturar com palavras...e...VRUMMMMMMMMMMMMM..outra...."HHHHHHHHHHHHHHHHHH"...gemendo amordaçada...tremendo toda, me debatendo desesperada....fica dois vergões na minha bunda vermelhos, em forma de X...sinto ele passar a mão...apalpar de novo...soltar....eu chorando, sinto ele me pegar pelos cabelos, forçando eu levantar o rosto; mesmo vendada, amordaçada...ele fala..."Tem três partes do corpo de uma mulher que são meus preferidos para brincar...."....continua segurando meus cabelos..."uma é a bunda...adoro deixar a bunda de uma mulher vermelha..a outra são os seios...os bicos...sei fazer uma mulher se arrepender de ter bicos nos seios....e a terceira parte..a principal..a buceta..."..e fica me segurando...sabendo que as palavras, o silencio era torturante....fica uns 30 segundos em silencio...eu tremendo..."a buceta, Juliana...sua buceta....meu camarada disse que você tem uma buceta deliciosa, uma bucetona...e é verdade...vou brincar, judiar muito de sua buceta Juliana..."..fala largando..sabendo que as palavras eram uma tortura...choro muito.

As palavras...o silêncio...eu sem ver, presa..ele fica me olhando, sem pressa...uma forma de tortura psicologica, porque eu, sem saber,...choro, agoniada...ele pega um copo com água gelada, e começa, joga um pouco nas minhas costas..."hhhhhhh"..ao sentir...joga mais um pouco...me mexo mais....joga na minha bunda, bem no meio...joga sem parar, sinto aquela água gelada escorrer pela minha bunda..."hhhhh hhhhhhhh hhhhhhhhh"..me debatendo...joga até acabar a água...e apalpa minha buda molhada...dá uns tapinhas leves comigo chorando.

Logo percebo ele soltar meus braços, e de novo, antes de qualquer reação minha, puxa eles para tras, prendendo-os juntos..choro....ele solta minhas pernas...e rapidamente me puxa, me tirando da mesa...com rapidez, me coloca em pe....fico em pé, braços presos para trás.....vendada e amordaçada...nua, corpo secando....fico desesperada..olho pros lados sem ver....sinto ele perto...eu em pé, sem ver..nua...apavorada, percebendo ele andar por lá...ele tava andando em volta de mim...me olhando..dando voltas ...terror horrivel...sem saber o que ele faria..angustiante...sinto ele fortemente arrancar a mordaça..."hhhhhhhh...aaaaaaaaaa"...respiro ofegante..."por favor...por favor...não me machuca...não machuca..."..falo, ao sentir-me sem a mordaça...tremendo...ofegante...ele olhando....escuto..VRUMMMMMMMM..."AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA"..grito...dando um..dois passos a frente...arde uma nova cintada na minha bunda..."aaaiii aiiii não..não..para..nao machuca..ai.ai"...desesperada...VRUMMMMMMMMMMMM..cinto a cintada na barriga...me encolho na hora...gritando..."AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA"......."paraa, paraaa, paraaa"....a bunda..a barriga ardem...VRUMMMMMMMMMMM..nas pernas...'AAAAAAAAAAA AAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIII AIIIIIIIIIIIIIIIIII" gritando desesperada de dor......choro muito...."paraaa...não faz isso mais...paraaa paraaaaa.....paraaa"...chorando..só se escuta meu choro....."aaii..para..não me machuca...não..."...chorando..sem ver...douum passo a frente...agoniada, dolorida..."aaahhh ahhh não..aahh nãoo"....desesperada...escuto ele falar..."Juliana...eu disse que não teria dó de você"...fico estática em pé...escuto ele mexer em algo...meu choro,soluços...VRUMMMMMMMMMM... de novo..nas coxas, atras, abaixo da bunda...."AAAAAAAAAAAA AAAAAAAAAAAAAAAA...aaiiiiiiiiiiiiiiii aiiiiiiiiiiiiiiiiii aiiiiiiiiiiiii".."aaaaaaaaaaaaa ahhhhhhhhhh aiiiiiiiiiiiiiiiiii"...."Juliana...se não quiser outra cintada, fale pra eu enfiar um dedo em seu cu agora."...chorando...indefesa...desespero-me...meu corpo treme....VRUMMMMMMMMMM...na frente, na perna, abaixo do joelho..."AAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII"..grito...ele ja falando..."A proxima cintada Juliana...será nos seus seios...garanto..vai doer mais"...."aaa ahhhhhhh não..nãooo...nãoooaaii nãoo"....ele nao pensa duas vezes...VRUMMMMMMMMMMM..pega nos meus seios, um pouco abaixo dos bicos..."AAAAAAAAAAAAAAA AIIIIIIIIIIIIIIIII AI MEU DEUSSSS...AI..AI QUE DORRRR..AAAAAAAAAA PARAAAA AIIIIIIIIIIIIII"...grito alto, meu corpo ate se inclina para frente..."aaaaaaaaaii...aiii..aiii aaii aiiiiiiiiii"..."a proxima Juliana...adivinha......será na buceta...."..."aaaii...aah ahhh"..escuto..."ahh não..nã..não...eu falo...falo..."..ele em silencio..esperando.."e e enfia..enfia um dedo na..na na nao minha bunda...."..chorando...sinto ele so encostar a cinta na minha buceta.."bunda...eu disse cu...vai..repete..."...ele falando..eu.."aaa ahhhh....e enfia..enfia o dedo no ..no meu cu....aahhhhhh"...ele tira o cinto que estava encostado na minha buceta..falando..."falei que voce iria pedir para eu enfiar um dedo em seu cu..."....fico la..dolorida..nua..vendada...braços presos para tras...totalmente indefesa nas mãos daquele sádico torturador..

Em pe...horrorizada....ele em silencio..eu sem ver..ele senta numa cadeira...me olhando..nua, tremendo...novamente o silencio, a tortura psicologica...passam minutos..so meu choro, meus gemidos se escuta...até ele começar a falar..."Você é muito bonita Juliana...linda...tem um corpão..."...e de novo silencio..mais uns minutos...eu tremula em pé...indefesa..."Sabe Juliana...ia ficar so essa tarde aqui com você...mas gostei de você..."..e uma pausa..."Resolvi que vou ficar até amanha aqui com você...assim vou poder brincar e judiar muito mais de minha escrava"....eu ja chorando..choro mais...até amanha...desesperada...brincar...judiar..escrava....choro copiosamente...desesperada, nem percebo ele levantar..se aproximar...só quando me pega pelos cabelos..."aaaiiiiii"...."Juliana...Minha Juliana...você é minha...minha, entendeu....Minha Juliana, MInha Juliana, Minha Juliana...Minha Juliana...".repete..pra me abalar....."entendeu...Minha Juliana....MINHA JULIANA"..grita..choro muito.....ele me leva ate a parede...me virando..falando..."agora você vai falar...Eu sou sua Juliana...sem parar..."..me segura pelos cabelos...virada contra ele..encostada na parede...ele segura forte pelos cabelos..a outra mão, sinto ele segurar o bico de meu seio esquerdo...."Vou contar até três..se não começar a falar...vou torcer esse biquinho ....."..eu ofegante..."Um.....doisss..."...desespero-me...começo..."E eu eu sou sua Juliana...eu sou sua Juliana...e eu eu sou...eu sou sua Juliana....eu sou..so sua Juliana..sua Juliana..eu sou sua Juliana..sou sua Ju..Juliana...sou sua Juliana..."ele me segurando pelos cabelos..e a outra mão no biquinho de meu seio..."Isso..ta aprendendo...Boa Juliana...MInha Juliana.."....soltando o biquinho do seio, mas ainda pelos cabelos, começa me levar, arrastando....eu levada pelos cabelos, até ele me soltar...fico tremendo...até sentir ele tirar minha venda; vejo, estou na sala...nua...braços pra tras amarrados...vejo ele, pela primeira vez vejo ele direito...rosto com a cicatriz, braços tatuados, fortes...choro muito vendo o tipo, ele com a cinta na mão...esboçando um sorriso..."Ola Minha Juliana..."..passando a mão na cinta...Instintivamente..falo.."Não..cintada não..."..ele sorri...me olhando...e ficando sério..."Porque não, se você é minha...heim....é Minha Juliana...melhor...é minha escrava Juliana"..eu choro...ele falando..."E será minha escrava Juliana até amanhã....será tratada pior que uma escrava puta, uma escrava vadia.."..e VRUMMMMMMMM..no ar; mesmo assim grito...'AAAAAAAAAAAAA"....me encolhendo...

Fico apavorada, sabendo que tava nas mãos daquele sádico, que começa a andar, dar volta sobre mim, me olhando...choro, fazendo negativo com a cabeça...acuada..nua..braços presos pra tras, desesperada...ele para na minha frente..."Muito bem...agora, quero que voce fale bem alto...grite....Eu sou sua escrava Juliana....."..eu toda tremula...tremendo, ofegante...labios tremem...ele passa a mão de novo na cinta..."To esperando"..ameaçador...totalmente desesperada.."Eu...eu sou sua escrava Juliana.."..voz de choro...VRUMMMMMMMMM..no ar....ele grita."PORRAAAA, CARALHO, MANDEI GRITAR....GRITARRR ..GRITARRRR....".VRUMMMMMMM..no ar...pegando no chão..."GRITAA,..AGORA...GRITAAAAAAAA"...ele gritando, batendo a cinta no ar...eu.."aaaaaaa nãoo..aa aaaaaaaaa aaaaaaaa"..totalmente horrorizada..."ee...euu EEUU SOU SUA ESCRAVA JULIANA...SOU SUA ESCRAVA jULIANA...SOU SUA ESCRAVA JULIANAAAAA....JULIANAA....AAAAAAAIIIIIIIIIIIIII....AIII..E E EU SOU SUA ESCRAVA JULIANA.....Juliana...souu..aaaiiiii"..chorando muito, apavorada....VRUMMMMMMMMM..na minha bunda..."AAAAAAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIII...AAAAAAAAAAA...aaaiiiiiiiiiiiii meu deus...ai..não..que dor...ai que dor....ai ai ai"....ele olhando...me inclino para frente.."Eu disse MInha Juliana, não terei dó de você"

Fico no meio da sala..chorando muito, apavorada, dolorida...horrorizada com minha situação...com muito medo, vejo ele sentar no sofa...me olhando, eu de frente a ele...totalmente indefesa, assustada...descabelada...desesperada, sabendo que tava totalmente nas mãos daquele sadico...suo..respiro ofegante chorando...ele me olhando...uma mochila grande que ele trouxera ao lado, ele abre, pega uma garrafa...abre..toma um gole...me olhando..."É...você tem uma bucetinha gostosa....."..toma outro gole..."Bucetinha não..bucetona...e eu nem comecei a brincar com sua bucetona..."..outro gole...eu tremendo em pe...chorando...ele fecha a garrafa, continua me olhando...levanta..gelo...ele me pega pelos braços me levando ao quarto..me joga na cama, e sem falar nada sai, trancando a porta...Fico estendida, encolhida chorando...sem saber o que mais aconteceria comigo, sabendo que estava indefesa nas mãos daquele sádico; esse medo me faz chorar mais..essas certeza...coisas macabras passam pela minha cabeça..ele me torturando até a morte...choro muito..sem saber meu futuro, se teria futuro...fico la cerca de 1 hora...até ele voltar, virada para porta, vejo a porta abrir..ele entrar...me encolho...ele sem falar nada pega uma faca...me encolho mais...ele se aproxima, e me pega pelo braço, sem dó, me fazendo levantar...me levando a força, cambaleando...respiro ofegante, mistura de respiração e choro..ele me leva pra sala..a porta..ele abre...pra fora...percebo ainda Sol...uma pequena área coberta...e a parte de grama..ele me leva ate essa parte...me soltando..passam uns segundos..ele me empurra pela costa, em direção a piscina..me empurrando...fazendo eu andar...ainda com maos presas para tras...passamos a piscina, em direção a duas árvores...me deixando parada entre elas, virada em direção oposta a casa...pega uma faca e corta a corda que prendia minhas mãos, mas rapidamente..pega um braço e prende noutra corda, ja preparada, presa a uma das árvores...faz o mesmo com o outro braço; essas corda na direção do meu umbigo, presa entre as duas árvores, os pulsos presos um em cada árvore na direção do umbigo...ele me prende...e sai...me deixando la, fico tremula..chorando...não consigo nem gritar, fico la por meia hora...a chacara escondida..ninguem me veria...

Meia hora, para mim uma eternidade, em pe.....ele volta...pra mim, desespero...ele volta com a mochila e a cinta..jogando no chao perto de mim...me olhando...eu tremendo, labios tremem.."nã..não me machuca..por favor..eu eu imploro"..ele me olhando..."por..por favor...tenha piedade...eu eu não aguento mais...por favor"...desesperada..ele parado, só me olhando.."por favor...por favor.."...o olhar dele me desesperava..."´pelo amor de deusss..por favorrr..."..desesperada....ele, calmamente,,..."Minha Juliana....esqueceu?...não terei dó, pena, nem piedade de você..."..continua me olhando...choro aterrorizada..."Ja te disse...você é uma garota muito bonita...tem uma idade boa, 27 anos...é muito tesuda...gostosa...e isso só faz eu ser pior com você..."...choro desesperada..sabendo que ainda sofrerei muito...vejo ele se abaixar, pegar um isqueiro...me olhando...acende...falando..."Sabe Juliana..uma vez uma garota nos traiu...sabe o que fiz com ela?...."..fala..acendendo e apagando o isqueiro..."Queimei com esse isqueiro os dois bicos das tetas dela...e depois...a bucetinha dela......não morreu, mas ficou uma inválida..."...me mexo apavorada..."Ela gritava muito..tambem implorou por piedade...mas não tive, como não terei com você"..brincando de acender e apagar o isqueiro..."pe Pelo amor de deus...eu..eu..eu não fiz nada pra voce...e eu eu não mereço...não mereço...por favorr..."..ele me olhando..com um leve sorriso.."e dai que não fez nada....com você só to brincando...me divertindo...relaxando..."...e sadicamente aproxima o isqueiro aceso de meus seios, dos bicos....olho apavorada, ele começa a ir de um lado a outro, a alguns centimetros dos bicos, sinto ate o calor do fogo.."Você é uma puta Juliana?"....o isqueiro indo de um lado a outro...aterrorizada..."eu..eu sou..eu sou"....desesperada..."Não é assim que se responde..responde direito...você é uma puta Juliana?"...parando com o isqueiro perto de um biquinho, o direito..."Ee..eu..eu sou..eu sou uma puta, eu sou uma puta.."..ele volta a ir de um lado a outro com o isqueiro aceso..."Uma puta vagabunda?"...eu apavorada, aquele isqueiro..."sou...sou uma puta vaga..vagabunda...sou uma puta vagabunda"...e ele continua a brincadeira sádica..."Juliana..me diga seu nome inteiro, nome, sobrenome"....eu tremendo, sentindo o calor do fogo..."Juliana..Juliana Conti"....ele.."agora diga seu nome..sua idade..e completa falando que é uma puta vagabunda.."..desesperada com aquele isqueiro aceso..me mexendo...apavorada..."Eu..eu me chamo Julian..Juliana Conti...te..tenho 27 anos...e e e sou uma puta vagabunda"...ele ainda nao tira o isqueiro..."JUliana...me responda uma coisa...com que idade perdeu a virgindade...mas responda falando seu nome inteiro..sua idade atual...e falando assim..perdi o cabaço aos...."...choro ...tendo que me humilhar...falar tudo que ele pede...o isqueiro perto..o calor..."Eu.Eu...eu Juliana Conti..eu..eu Juliana Conti, 27 anos..pe perdi..perdi..perdi o ca cabaço a aos..aos 17 anos..."..chorando muito..ele afasta um pouco o isqueiro..."Aos 17 anos..."..com um sorriso cinico...se afasta um pouco, olhando na direção da minha bucetinha..."Sabe porque perguntei Juliana Conti...pra saber a quantos anos voce transaanos transando..."..olhando entre minhas pernas..."Pode ser que depois de amanha, você nunca mais transe..."..sempre olhando entre minhas pernas...eu tremendo..."Juliana Conti...vou judiar muito dessa sua bucetona...não terei piedade dela..."...choro apavorada...ele guarda o isqueiro..me olhando...enquanto eu..meu corpo..tremo em pé..vejo ele se afastar...mas volta logo, com uma mangueira ligada a uma torneira perto da piscina...vai a minha frente, olho apavorada..ele liga....'AAAAAAAAAAA"....grito..ao receber o jato de água gelada...sinto aquela falta de ar..me debato desesperada..a água, os jatos vão na minha barriga...coxas...entre minhas pernas...até no rosto..a água espirra longe..me debato desesperada..e desesperada..começo até a urinar..ele nem percebe...continua esguichando......rosto de terror...sem desligar a mangueira...ele vai atras...joga os jatos nas minhas costas..bunda..coxas por tras..e desliga..a água escorre pelo meu corpo molhado...respiro ofegante, tremendo muito...rosto de terror.,..sem falar nada ele se afasta, me deixando lá...molhada..a brisa de fim de tarde batendo...eu tremendo..presa..nua, ele me deixa lá...fico mais de 1 hora...meu corpo seca, despenteada...fico tremendo..em pe..presa...escurecendo..ofegante, lembrando...ja iria fazer 24 horas que estava sofrendo..escurecendo..quase noite, quando ele volta...eu em pé, fraca...todo aquele tempo em pé presa ali...e sem falar nada me solta...e me leva a força para a casa, pelos braços...me jogando no quarto, sobre a cama..falando..."Tem coisas ai pra vc comer..."...jogada, vejo..páo, fatias de presunto..queijo...bolacha..."Coma..e descanse...quando eu voltar...garanto...vai ser pior que tudo que ja passou aqui..."..saindo..e encolho na cama chorando muito.

Fico la, sozinha, nua, trancada no quarto...chorando..desesperada...pensando, era noite..meus pais, alguem perceberia que eu não dera noticias...mas ao mesmo tempo, ja tinha acontecido de falar que ia ligar a tarde, e ligado a noite, talvez eles nem se preocupassem; penso no que vou ainda sofrer la...choro com esses pensamentos....dou uma beliscada no pão, no presunto..não consigo comer muito...deitada, tremendo, perdida em pensamentos terriveis naquele quarto, reparando meu corpo, marcas de cintadas, chego a cochilar rapido, acordando..ficando quietinha, deitada, encolhida... sem saber que hora seria...sabendo que ja deveria fazer horas que fora deixada trancada naquele quarto, rezando...olhando a porta, desesperada de medo que ela abrisse...e ela se abre...instintivamente, meu coração dispara; ele vem em minha direção, sem falar nada me pega pelos braços, puxando...."nãoo"...apavorada...ele me puxa fortemente, começando a me levar, obrigando eu ir andando, cambaleando.."não..não me leva..não...não quero...não..nãoo quero ir....nãooo", desesperada..sabendo que provalvelmente sofreria muito.....até a cozinha, rapidamente, ele me pega, colocando de novo sobre a mesa, dessa vez de barriga para cima...tento me debater, mas ele é rapido, logo prende uma mão no pé da mesa...choro...e ele vai prendendo..a outra mão..as pernas...como no inicio...dessa vez me deixando de barriga para cima..choro desesperada.."por favorrrr...nãoo...para..vo..vo..voce ja me machucou demais...paraa...para"....ele parado, em pé...olhando entre minhas pernas.."por favorrrrr....por favorrrr...", chorando...ele se aproxima de meu rosto...e me encara...eu chorando...ele me pegapelos cabelos..."nãooooooo por favor..."..ele..."Juliana Conti...prepare-se para a pior noite da sua vida...",desesperada, me debato em vão....ele me solta, e volta a ir na direção da minha buceta..."Muito boa...muito boa essa bucetinha"...levando uma mão ate ela, bolinando..me mexo na hora..."bucetinha não..bucetona..."..fala, bolinando ela...pelinhos ralos...ele para de bolinar, e segura neles, começando a puxar de leve...sinto...me mexo presa...ele puxa mais forte..."aaa ahhhhhh para..para"...ele puxando..."nãoo..nãoo.meu deus nãoo..."..ele puxa pra cima, vira de lado..cada vez mais forte..."paraa..paraaaaa...aaaii....AAAAAAAA AAAAAIIIIIIIIIII..paraaaaaa"..dói...ele puxando.."paraa..não, meu deus. não....aaiii..aaaaiiiiiii.."mexendo a cabeça desesperada...tentando me debater...ele solta....falando..."Vou gostar de ver voce gritar, Juliana Conti"....e fica na direção de meus seios...pega os biquinhos deles...um em cada mão...olha pra mim...e..começa a torce-los..."AAAAAAAAAAAAAAAAAA AAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIII"..grito alto na hora....ele sem demonstrar pena...vai torcendo...mais...eu gritando feito uma condenada...."AAAAAAAAAA AIIIIIIIIII AAAAAAAAAAAAA..PARAAAAAAAAA NÃOOOOOOOO NÃOOOOOOOOOOOOOAAAAAAAAA..AAAAAAAAAAAAAAAAA...AIIIIIIIIIIIIIII"...ele torcendo meus biquinhos..me olhando calmamente, me vendo berrar de dor...me debater toda presa..."AAAAAAAAAAAAAA...AIIIIIIIIIIIIIII...AIIIIIIIIIIIIIAIIIIIIIIIIIAIIIIIIIIIIIII"...ele solta...mas fica doendo...fico ofegante...gemendo..."aaaaiiiiii...aiiiiiiiiiii..aaaaaaa..aiiiiiiiii.aiiiiiiiiiiii"...ele me olhando...."Doeu Juliana?"...eu gemendo ...ofegante...ja suando..."aaahhh..aii..aiii...aiii"....ele..."Quer que eu torça mais Juliana Conti?"...eu ofegante e desesperada...."aii..aii..não..não..não quero..não".....ele me olhando..."Porque Juliana...porque não quer que eu torça mais...adorei seus gritos..."...apavorada...."não..nã..não...dói...dói....dói mu..muito..."..ele me olhando...."dói?"...e pega um biquinho torcendo com tudo...."AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA"..grito....uma torcida rápida...mas que machuca...

Ele solta e fica me olhando, eu chorando...não aguentando mais...sendo torturada sadicamente...indefesa..."Juliana Conti, comece a se arrepender de ter buceta...porque não terei pena dela...."..fala...soltando meu biquinho...indo na direção dela, ja tocando nela...bolinando...apertando...puxando....apertando...dá um tapinha nela...eu chorando horrorizada...ele bolina mais, aperta....e começa a enfiar um dedo na minha buceta...."nãoooooooo.."...instintivamente...me debato...ele enfiando...enfia meio dedo; me mexo, debato, dói, ele enfia sem dó...força mais, começando a cutucar..me debato..mexo a cabeça desesperada...."paraa.paraaa..paraaaa..nãoo..paraaa...nãooo"...ele força dois dedos...deixando os dois dedos dentro dela...respiro ofegante....tremendo...ele força o terceiro dedo, sinto..."aaaaaaaaiiiiiii"...forçando...tres dedos me penetrando...eu tremendo..debatendo-me em vão...ele tira...vem na direção de meu rosto..."Peça para eu fuder sua bucetona..."..olho apavorada, rosto totalmente aterrorizado...suada...ele segura o biquinho de meu seio esquerdo..."Vou contar até três...e começarei a torcer, só vou parar quando pedir para eu fuder sua bucetona...e ja sabe como..falando seu nome inteiro...Eu, Juliana Conti..assim...e falando para eu fuder sem dó sua bucetona...e use bucetona..."...fica me olhando..."Um".......eu desesperada..labios tremem, palavras não saem...."Dois".......meu rosto aterrorizado..."Três"....e começa a torcer, lentamente..."não...não...para..para"..começando a sentir...ele continuando a torcer..mais e mais..lentamente...mas pouco a pouco fazendo doer..."paraaaa...aaa..aii...não ..aiiii a..a...aii..paraa..paraa..e eu falo.para...paraaaa...AAAAAA..paraaaaaaaa"..em total desespero...ele para de torcer...mas continua segurando...me olhando...."E e Eu..Eu...Eu Juliana..Ju..Ju..JUliana Conti quero que você...você..você...foda minha bucetonaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiii"..ele solta...."Isso minha Juliana Conti...boa garota...assim que gosto...ou obedece...ou já sabe..."...fala...começando a desabotoar a calça..eu chorando muito....ele desabotoa a calça...tirando junto a cueca....tira a camisa, mais tatuagens...ele fica pelado...me olhando, se masturbando..."Muito bem Juliana, vou fuder sua bucetona...e quando eu estiver para gozar...você abrirá a boca, porque gozarei tudo dentro dela para você engulir....combinado?"...choro desesperada...ele sobe na mesa..sobre mim...viro o rosto desesperada...inevitável...sinto o pau dele tocar minha buceta...forçar....e sem dó...força..começando a me penetrar....viro o rosto para tras, rosto contorcido de dor...ele enfia praticamente o pau inteiro dele inteiro... começa a estocar..."hhhhhhhhhhhh..aaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh"...virando desesperada o rosto de um lado a outro...ele estoca forte...acelera..."PUTA......VADIA......VAGABUNDA....ORDINÃRIA....FILHA DA PUTA....PIRANHA....BISCATONA....BUCETUDA...."...gritando enquanto penetra...estoca....."Juliana Conti....você está sendo estuprada e fudida sem dó....assim....putona...."..dando fortes estocadas....meu corpo tremendo...respiração ofegante...gemidos de dor...."hhhhhhhh...... aaaaahhhhhhh.......ahhhhhhhaaaaaaa"...ele em parar....sobre mim...a dor das estocadas me fazem me debater instintivamente...dominada....estuprada sem dó...escuta-se os barulhos das estocadas me rasgando, e de minha respiração ofegante misturado com gemidos de dor....ate ele tirar, e rapidamente vir ate meu rosto...ele debruça-se sobre mim..na minha barriga, sentado nela...e com cada mão pega uma orelha minha..."ja sabe...peça para engolir minha porra...mas sempre falando seu nome...Eu.....ja sabe"..e fica me olhando..eu ofegante, tremendo muito...ele começa a torcer minha orelha..apertar, puxar...eu fazendo carinha de dor..."aaaa..aiiiii e eu eu falo...eu falo..."..ele para de apertar...me olhando..."E Euu..Eu Juliana ..Juliana Conti...que..quero engolir suaa sua porraaaaa...."ele solta minhas orelhas...e aperta minha boca para abrir..até meu nariz, enquanto a outra ele se masturba....o pau dele perto da minha boca, forçada a ficar aberta....olho apavorada....desesperada, ele me olhando..começa a se masturbar me olhando, seu pau encostando em meus labios, boca, ele segurando, forçando ela ficar aberta...ele se amsturba forte...se masturba.....começando a gozar; o gozo vai direto para dentro de minha boca...vários jatos quentes, sinto na minha boca...nojo, ânsia de vômito...sou obrigada a engolir, os jatos não param, ele apertando a boca com uma mão..a outra se masturbando..até ele soltar minha boca...COFF COFFFFF...tusso na hora, sai cuspe e gozo juntos...um jato em meu rosto e ele começa a passar o pau dele em meu rosto, mistura gozo e lágrimas...eu super ofegante....o gosto do gozo ainda na minha boca, ele sai de sobre mim....pega no chão as roupas dele, e sai da cozinha.

Fico la presa...ofegante, lagrimas rolando, dolorida...gozo no rosto, gosto dele na boca, não aguentando mais ser torturada por ele, que não demora para voltar, uns 5 minutos,vestido; volta e para, me olhando...eu com rosto desesperada..."por favor"...ele me olhando, ..."por favor..para"....ele lá, em pé, me olhando, choro, tremo..."não, nã, não to aguentando ma mais"...falo desesperada, ele parado, me olhando...desesperada, o que mais ele faria; mais um tempo, ele começa a falar..."Juliana Conti, você é muito bonita....tem um par de seios lindos.."..olhando para eles..."tem uma buceta apetitosa, tesuda pra caralho", olhando meu rosto.....eu tremendo....ele vai até a mochila dele, pega dela um cigarro, acende...começa a fumar me olhando, me desesperando...ta uma boa tragada, deixando ele bem vermelho, tira da boca e....toca ele na minha barriga, acima do umbigo...grito..."AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA"....me debatendo toda..."aiii .pelo amor de deusss...aiiiiiiii"....ele me olhando, deixa o cigarro na mesa, pegando o isqueiro..acendendo...."aaai meu deus...não...não..não..."..em desespero..."porrr favorrrrrrr"....ele aproxima o isqueiro de minha buceta...."aaii..AAAAAAAIIIIII..nãooooooo".desesperada, sinto o calor do fogo..."Juliana...vamos queimar esses pelinhos..."ai..ai..não...paraa.aiii..aaaa..nãoo.."..desesperada...sentindo o calor do fogo perto de minha bucetinha....eu ofegante, meia agoniante de desespero...ele queima de leve os pelinhos ralos...e vai subindo com o isqueiro...o calor perto de minha pele....sobe...sobe, ate entre meus seios..."não....não.....nãooo"....desesperada...ele pega o cigarro, acende mais...deixa vermelho, uma tragada....me olhando..."Juliana Conti....coitada de voce...."..fala...e toca a ponta do cigarro no biquinho de meu seio direito..."AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA"..grito na hora...ele deixa por uns 5 segundos..mas continuo gritando de dor..."AAAAAAAAAAAAIIIIIIIII..AAAAAAAAAAHHHHHHHHHH..AIIIIIIIIIIIIIIIIII..ahhhhhhhhhh..hhhhhhhhhhhh...hhhhhhhhhhhh"..gemendo.....ele nem liga, pega minha bucetinha, abrindo....outra tragada..e...sem falar nada....toca a ponta vermelha do cigarro dentro dela....eu ja tava gemendo...."hhhhhhhahhhhhh..aahhh..aiiii...aaaaaaa....AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA..AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH"..novo grito..grito de horror...horror a cena..eu gritando...me contorcendo toda meia agonizante...."aaaaaaaa..aiiiiiii...aiiiiiiiiii..aaaaaiiiiiiii hhhhhhhhaiiiiiiiii..ahhhhhhhaaaiiiiiiiii"..gemendo de dor...ele me olha...."aaahhhhhhiiiiiii ahhhhhhhh ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh"..gemendo....agonizando...ele da outra tragada...ele pega um pedaço de madeira, áspera,com algumas pontas...e....força, enfiando na minha bucetinha..eu agonizando...gemendo..."hhhhhhhh hhhhhhhh ahhhhhhhhhhh"..naturalmente meu corpo se mexe quando ele penetra a madeira...da um tapinha leve em meu rosto....gemendo, agonizando de dor..."Juliana....pena que nao estarei aqui quando te acharem,se te acharem..".....eu fora de mim, de tanta dor.......aquele pedaço de madeira penetrado na minha bucetinha....ele fica me olhando, agonizando...mexe um pouco mais a madeira, áspera, dentro de minha bucetinha..."quero ver você transar de novo"....ela raspa a madeira dentro de mim...eu suando, agonizando...

Ele sai...fico la..gemendo...agonizando...quanto tempo?..não sei...quando acordo, to em um hospital...depois fiquei sabendo...meus pais preocupado, eu não atendia, pediram para um conhecido ir la...foi essa pessoa que me achou, sobre a mesa..desmaiada....no hospital, os medicos disseram que tive sorte por sobreviver; fiquei mais de 1 mês internada, tiveram que operar minha bucetinha; a madeira furou, rasgou ela......hoje, 2 anos após, ainda me trato, especialmente com psicologos;o trauma continua...não fico sozinha...não saio sozinha...não estudo, de vez em quando entro em pânico...era extrovertida..hoje..introvertida...; e pelo que sei, nunca pegaram os dois que me fizeram isso; provavelmente estão soltos, por ai...estuprando..e torturando outras garotas.

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
27/09/2010 13:14:32
É um bom conto.
k.
26/09/2010 22:54:58
muito realista. excitante pra quem gosta desse tipo de fantasia.




Online porn video at mobile phone


viciado em estrupa rabuda cu d negra gorda comtos eroticonovinho novinho da rola grossa calçando o amigo g****** muito dentro XVídeosconto erotico virei amante do negao por chantagemcolrtanias so as que sabe fazrr gostoso boquetepesquisar, na ora do sexo porque tem qui assobra dentro ds bucetavidio de foda de cunhado dormindo na casa da cunhadacache:16t390C-nPAJ:zdorovsreda.ru/texto/201603559 baixar xixi pornô caseiro marido vai trabalhar mulher chama mecânico arruma carrocontos pornos cuidei de mamaeirma gemeas ciumes por isso se chupam pornoxvdeos de sexo de mae ver o filho dormndo e da o cúconto gay ele se revoltou e tomou todasiniciar download de zoofiliaestupro esposa contos eroticosesposas q 25cm de picacolc mao buceta obesa pornoNegro 1.87 mandou ela tirar a roupa enfiou dois dedos na xana delaconto erótico isentofeitio de cabelo xvedeorxvldeos com novlnhascontos de sexo raspei minha bucetaxvideo foda rija ate choraXVídeos coroas r***** nas cetonas cetonascontos eróticos gay cunete entre molequescumendo a sogra da bunda grade de 35 anospatricinha de short perdida fodendo no matoporno video bem grudadinho com a empregadaminha esposa adora foder com garotibhos pausudo contos eroticoAutor do padre. Não é. Homem contos. Eróticospai fode filia emcanto mae trabalhavocê vai realmente para o Quartel eu tava até 9:00 da manhã online qual foi tava no quartel mesmomalandro se asusta com o tamanho da buceta da novinha bebadacanil de cadela zoofilia pornomarido narrando edposa batendo uma p dotadofilme de zoofilia sofia nozo eterradoxsvideo caronasporno negao fas muleca grintaSou mulher casada meu compadre me fodeugay jogando video game pelado sozinhosexo tórrido de desejo e paixão com padrastoconto nossa filho que pauzãocostos eroticos madrasta come cu de enteado com pintomeu filho depilou minha cona.contos eroticoscontos eroticos padrinho tarado w afilhada novinhaXvideos barulhos q a chochota fas na hora do sexoxvidiovadia deu o cu dos paueu, minha namorada, minha namorada e meu tioxvideos ou amado69dano cu de quatovenho a fuder cu a venhameu sobrinho e eu no carro.ctosconto eroticos mulher do corno na borracharialouras peludas taradas fudedoras malucas chamando palavraoNovinha vijen tentando en fiar o dedo na bussetacontos eroticos de pescadores velhos iperdotados comendo meninosfilme pornô a mulher transando com homem dentro da piscina se afogando na piscina em cima da cadeira na camaminha gerente carente safada restaurantecrente safada contoscontos eroticos padre nao e homem o substitutoxvideos nynynha quantos centímetros tem o penes do pro boteinocontos eroticos gay muito hormoniocunhada bao queria mas aveitou trnsa com cunhadowattpad ele seguro na minha cintura com força empurrava seu pau grosso na minha busetanovinha arregaca buceta doendo muitovídeos de sexo com a titia sobre a casa escondida e sobre brincando de castiçaisxvideo noviha sarano na amigaporno no cinema cine operao playboy e o menino da favela casa dos contosmeu cunhado tirou meu cabacinhoconto eroticosuruba pessadaxvideos nao resisti ao padrasto dotado q fode sem do ela gemendo muitovidio porno tarado enfiando pinto por baixo do xorte da mulherintiada chega em casa com o padastro roludo lica pra dar o cuzinho sexomulher cagando enquanto dava a bucetarelato erotico evangelica casada carente da buceta peluda greludabucetao de sotinho q capui de fucavideo porno velho mamando e mordendo e puxando o peitosòmente no cuzinho da esposacasa dos contos meu cachorro comeu minha maeO dia em que fodi a detenta carente e tesudapornou homem nao aguenta e goza na burcerta da putacontos eroticos de enconxadas em coroas gostosas em local publico