Casa dos Contos Eróticos


Click to Download this video!

Meu nego

Um conto erótico de Rosa
Categoria: Heterossexual
Data: 31/07/2002 22:40:40
Nota 8.67
Assuntos: Heterossexual

Tenho 32 anos e sou casada com um francês de 47 anos que não é muito bonito e nem muito viril, mas que me deu uma vida financeira muito boa, sou morena 1.65mt, 52 kg. Tenho cabelos longos e lisos, coxas grossas, seios médios para grandes e bumbum carnudo e grande (malho muito) olhos esverdeados.Bem, há dois anos atrás meu marido contratou um rapaz para capinar nosso quintal (temos muita terra no quintal devido aos cães) e combinou o preço e o dia em que ele viria fazer o serviço, mas um dia antes do combinado meu marido que trabalha em uma multinacional foi mandado para o pais de origem da companhia para resolver alguns problemas por lá, levei-o ate ao aeroporto e voltei para casa. No outro dia de manha fui acordada pelo barulho do interfone coloquei um robe e fui ver quem era e me deparei com um negro muito alto e forte diante de mim me dizendo bom dia, respondi bom dia e ele disse que viera executar a tarefa de capinar o quintal, foi aí que percebi que meu marido e eu esquecemos por completo do combinado daquele dia. Olhei melhor para aquele homem e vi seus dentes muito brancos enfeitando um rosto sem nenhuma beleza rindo simpaticamente me esperando convida-lo a entrar, lembrei que estava sozinha em casa e que meu marido só voltaria dentro de uma semana e tive medo de receber aquele estranho na minha casa, mas pega de surpresa não tive outra escolha senão manda-lo entrar já que viera do outro lado da cidade indicado por um amigo. Ele entrou e dirigiu-se ao quintal em silencio e começou seu trabalho eu tomei meu banho coloquei uma das minhas sumarias tangas e um shorts branco bem curtinho e agarrado de malha que uso em casa por ser bem confortável, faz parte de um velho pijaminha que de tão surrado esta quase transparente, vesti uma camiseta também surrada que termina no meio da barriga (tipo um tope) sem mangas e fiquei a vontade ouvindo musica. Como nossa casa fica no alto sustentada por varias colunas e embaixo é todo quintal fui ate a varanda para ver como estava indo o trabalho de capina. Cheguei na varanda olhei para baixo e vi ele capinando com rapidez e destreza e ele não me viu, então comecei a observa-lo, era um homenzarrão de mais ou menos 1.90mt, braços fortes e músculos bem definidos pelo trabalho bruto, aparentava ter uns 38 anos, mãos grandes e grossas muito saudável como é característico da raça negra. Foi então que um pensamento me passou pela cabeça, e se aquele homem enorme resolvesse me fazer algum mal. Eu estava sozinha e minha casa tem bastante privacidade pelos muro muito altos e portões de madeira bem fechados, se ele quisesse poderia me roubar, me agredir e ate mesmo me estuprar, quando pensei isso visualizei em minha cabeça a cena dele me violentando, mas ao invés de sentir medo com aquele pensamento (o que seria lógico) eu senti minha xoxota queimar e ficar molhada no mesmo instante, balancei a cabeça pra fugir daquele pensamento e então eu percebi que aquilo que pensei não era receio e sim uma fantasia minha, fiquei assustada comigo mesma e fui para dentro pra me distrair vendo tv. Passaram-se umas duas horas e eu estava deitada no sofá vendo tv quando ouço bater na porta e pelo vidro pude ver a silhueta do negro ali em pé, fiquei com um pouco de medo, mas tive que abri-la, quando ele me viu seus olhos grandes percorreram o meu corpo automaticamente, então lembrei como eu estava vestida e soube que ele estava visualizando minha pequena tanguinha transparente através do meu shortinho também semitransparente pelo excesso de uso, sabia que ele podia ver a marca dos lábios grossos e carnudos da minha vagina depilada e o topetezinho de pêlos que eu deixo acima da xoxota e que deixa sua marca explicita através do tecido.Senti-me ruborizada, mas para não perder a pose eu perguntei o que ele queria, então ele disfarçou seu olhar guloso e me pediu água para beber, eu disse que iria pegar água na cozinha e me virei, caminhei sentindo seu olhar na minha bunda carnuda onde o shortinho deixava minha popa queimada de sol a vista e através do tecido distinguia-se o fio dental saindo de entre as nádegas e terminando em um V minúsculo e transparente. Na cozinha enquanto pegava a água na geladeira percebi que eu tinha gostado dos olhos daquele homem no meu corpo porque estava com a vagina molhada novamente, quanto mais pensava nos olhos dele acompanhando meu rebolado mais excitada me sentia, voltei para sala com a água, agora bem mais à vontade e querendo ser observada, ele estava de costas virou-se pegou o frasco de água e o copo, agradeceu e desceu para o quintal me deixando ali estranhamente frustrada. Sozinha comecei a pensar que nunca traí meu marido apesar dele não ser um grande amante como aos que tive antes de me casar, apesar dele transar comigo dentro do velho papai e mamãe e achar outras formas de sexo imorais não higiênicos e indecentes, estava eu ali com minha xota toda encharcada imaginando como seria ser possuída de todas as formas por aquele negro enorme, feio e rústico.Estava indo a loucura com aquele pensamento e já passava a mão levemente pelo meu sexo molhado quando decidi que eu seria a vitima daquele homem ou ele a minha.Seria só uma aventura e meu marido não iria saber e eu tomaria todas as precauções quanto a doenças. Comecei então a pensar em um plano para seduzir aquele homem, me senti uma puta fazendo isso e fiquei mais tarada ainda sabendo que eu seria mesmo uma puta para aquele negro grande e rústico. Meu tezao aumentava conforme eu pensava naquilo e então resolvi agir mesmo sem pensar fui ate um grande espelho que eu tenho no quarto e me olhando puxei meu short ainda mais para cima enterrando ele no meu rabo carnudo ate onde o pouco de decência que me restava permitiu.Preparei um suco gelado e alguns lanches de frios e desci para o quintal rebolando minha bunda grande quase toda exposta e protegida pelos muros altos da minha casa fui ate aquele homem que logo seria o macho que usaria meu corpo de todas as formas. Cheguei no quintal debaixo da casa onde existi três bancos toscos de madeira e chamei-o para vir ate onde eu estava, quando ele começou a caminhar em minha direção voltei as costas para ele e me inclinei para por a bandeja sobre um dos bancos e permiti a ele a visão da minha bunda exposta e da minha vagina molhada que se via através do tecido, fiquei nessa posição arrumando os lanches na bandeja ate senti-lo chegar atrás de mim, queria que ele olhasse bem de perto e percebesse o que eu tinha feito com meu shortinho e talvez ate notasse a marca úmida na minha tanguinha e agora talvez ate no meu short. Quando ele disse “pois não” com aquela voz forte e grossa atraz de mim eu me arrepiei toda e quase engasguei quando disse “trouxe alguma coisa para comer” ele respondeu que não precisava, mas mesmo assim sentou-se em um dos bancos acho que esperando eu voltar para dentro de casa, mas ao contrario disso eu também me sentei a sua frente e enchi um copo de suco para mim e olhando para o quintal cruzei as pernas exibindo minhas coxas grossas e firmes para seu deleite, ele tentava não olhar para mim, mas alguma coisa forçava seus olhos percorrer meu corpo, minhas coxas, meus seios que estavam grandes e duros levantando a sumaria camiseta que eu vestia, não entendia como aquele homem ainda não tinha me atirado ali mesmo no chão sobre o pó da terra e me devorado como um animal faz com sua fêmea, eu sentia minha buceta escorrendo e sendo alagada e umedecendo meu short, então comecei a conversar com aquele negro enorme sobre o serviço do quintal e também perguntei seu nome que disse chamar-se. Bento ou Bentão como as pessoas lhe chamavam. Então sem pensar fiz uma brincadeira dizendo “acho que sei porque te chamam assim, você é um homem realmente grande” e ele rindo timidamente disse “é por isso também” nessa hora eu me excitei mais ainda esperando que ele fosse me explicar o que eu mais queria ouvir àquela hora, mas ele calou-se, e eu continuei tentando, “seus braços são bem grandes, suas pernas seu tórax, quanto você tem de altura?” E ele respondeu “1.93mt” e eu continuei dizendo admirada “nossa, por isso tudo em você é grande” percebendo qual era a minha curiosidade ele riu de um jeito quase me zombando sutilmente e nada respondeu.Aquela atitude me deixava com raiva e com mais tezao ainda e então resolvi provoca-lo mais e descruzando as pernas deixei-as um pouco abertas para que ele pudesse ver como meu sexo carente tinha molhado meu pequeno short, isso agora surtira efeito porque ele no mesmo instante colocou seus olhos entre minhas coxas e olhou fixamente por algum tempo, depois olhou serio no meu rosto me encarando, isso me fez sentir nitidamente um liquido mais quente ainda escorrer na minha xoxota, senti vontade de fechar as pernas de tanto tezao, mas me contive, queria que ele visse todo o meu tezao e meu desejo de ser possuída, mostrando a ele meu sexo encharcando minha roupa, em seguida ele desviou o olhar para o quintal e disse “sua casa é muito bonita” e voltando a olhar fixamente pra minha buceta continuou “tudo aqui é muito bonito” agora eu percebia que ele falava sobre mim numa metáfora provocante e fixando mais ainda os olhos no meu sexo continuou dizendo “quando eu terminar meu serviço nesse”. Lugar “. Tudo vai ficar mais bonito e perfeito como nunca teve, a senhora vai me chamar todas as vezes que quiser esse lugar bonito e bem tratado “terminou de dizer isso e depois durante quase um minuto continuou olhando fixamente para minha buceta que agora era uma cachoeira, não agüentando de tezao movi os quadris dando uma leve rebolada no banco e isso o despertou daquele transe. Em um movimento rápido me levantei e disse que iria para dentro de casa, ele assentiu com a cabeça deixando transparecer um olhar de frustração, inclinei para pegar a bandeja que estava ao seu lado e enquanto ajeitava os utensílios demoradamente deixei que ele visse meus peitos inchados de tezao através do decote, eu desviei meu olhar para o seu colo e percebi um pênis enorme e inchado debaixo da sua calça surrada que quase não suportava tanta pressão que fazia aquele mastro gigante ali guardado.Eu estava muito próxima dele que continuava sentado quando endireitei meu corpo e me virei para sair quase esbarrando meu traseiro em seu rosto, fiquei ali por alguns instantes e pude sentir sua respiração quente na minha bunda, aquilo fez os bicos dos meus peitos queimarem e doer de tanto tezao que senti, ainda na mesma posição eu disse a ele “quando você terminar o trabalho pode tomar um banho lá em cima antes de ir embora, sei que você terá que tomar um ônibus para ir para sua casa” e dizendo isso sai rebolando o mais que podia gingando meu rabo carnudo querendo enlouquecer ao Maximo aquele homem que a qualquer custo ainda naquele dia seria meu macho e me faria gozar como nunca gozei antes. Já dentro de casa coloquei a mão dentro do meu short e pude constatar que minha buceta estava melada e escorregadia, continuei com a mão em meu sexo e fui ate a janela tentando não ser vista por ele e vi meu negro agora trabalhando duas vezes mais rápido, e isso me deixou mais tarada porque sabia que ele queria vir tomar banho no meu banheiro o mais rápido possível, sentei –me na cama e fiquei massageando meu sexo, mas parei logo em seguida porque queria ter meu primeiro orgasmo com meu negro que logo viria pra me aliviar daquela tortura. Enquanto eu tentava me controlar meu tezao foi diminuindo e eu já estava quase me arrependendo daquela loucura quando ouvi bater na porta da sala, senti um frio na barriga e meu tezao começou a voltar e fui atender, lógico era meu negrão com expressão de ansiedade dizendo “já terminei dona, posso tomar meu banho?” Falou isso parecendo uma criança esperando um presente, então eu disse “entre, fique a vontade, a casa é nossa” disse isso com um pouco de malicia na voz e ele entrou, levei-o banheiro ele entrou e eu “distraidamente” fiquei na porta, sem cerimônia ele baixou a calça surrada e pra minha decepção ele vestia um short por baixo, resolvi então ir para sala, mas não lhe dei nenhuma toalha, ele fechou a porta e banhou-se, depois abriu a porta por poucos centímetros e me chamou, fui ate ele e descaradamente empurrei a porta sem muita resistência, pois queria vê-lo nu e acabar logo com aquele jogo de sedução, outra decepção ele estava todo molhado, mas tinha vestido o velho calção! Pois não usava cuecas, então me pediu uma toalha e eu fui pegar, quando voltei com a toalha pude ver que seu corpo molhado encharcara o calção grudando na sua pele e em torno do seu pênis que mesmo agora flácido entre suas pernas era maior que do meu marido e bem mais grosso, aquilo fez acender todo o meu tezao novamente.Entreguei-lhe a toalha e ele começou a se secar não se importando que eu continuava ali, meus olhos não conseguiam desviar daquele pau enorme debaixo do calção, um calor forte tomava meu corpo e então ergui os braços para ajeitar meu cabelo em um rabo de cavalo, com esse movimento minha pequena camiseta subiu deixando meus seios grandes e duros a meio metro do meu macho de ébano que ficou encarando-os sem pudor algum, quando desci os braços minha camiseta prendeu em um dos mamilos que estava duro como pedra deixando-o descoberto, Bento ousadamente esticou o braço e levou sua mão grande e áspera no meu seio e apertou com força pressionando o bico com os dedos para logo em seguida baixar minha camiseta e dizer “sua blusa prendeu” com a voz rouca e maluca de tezao por aquele homem eu disse “obrigada eu não senti, eles estão dormentes” naquele momento qualquer receio que tinha acabou e sorrindo maliciosamente pra mim ele disse “eu ajudei à senhora com a camiseta, agora a dona poderia. Ajudar-me a secar meu calção “com as pernas tremendo de excitação eu disse um tudo bem quase gemendo, então Bento puxou o elástico do calção para frente quase me deixando ver seu pênis e começou a enxugar aquele cacete que deveria ser delicioso e depois tirando a toalha de dentro do calção me entregou a toalha pra que eu secasse seu shorts. Comecei passando a toalha na sua coxa esquerda bem devagar por cima do calção e depois na coxa direita e em sua cintura, logo em seguida fui descendo a mão com a toalha ate chegar entre suas coxas onde estava aquilo que eu mais queria e esperava tocar, senti aquela carne firme ainda sem muita ereção ocupar minha mão e apertei com força por cima do calção e a toalha e ouvi Bento gemer baixinho, aquilo me deixou maluca e eu comecei a massagear aquele mastro fazendo movimentos para cima e para baixo vagarosamente tirando grunhidos da garganta de meu macho, nisso ele me olhou com tezao e segurando meu braço tirou a toalha das minhas mãos e levou ela ate seu pau dentro do calção.Eu me arrepiei quando toquei aquela carne quente e grossa e senti que começou a crescer rapidamente em minha mão voltei a fazer os movimentos naquele mastro grosso e quente que não parava de crescer, Bento louco de tezao enfiou as duas mãos debaixo da minha camiseta e começou a amassar meus peitos e apertar meus bicos com um pouco de força me fazendo gemer e olhar para ele quase implorando pelo seu sexo que agora parecia um ferro em brasas na minha mão,tirei seu pauzao para fora do calção e com as duas mãos comecei masturba-lo mais rápido e com mais força e ele gemia agora mais alto com sua voz grossa enquanto dizia “isso gostosa” o tempo todo. Não agüentando mais de tanto tezao, puxei-o para sala sem tirar minhas mãos daquele cacete maravilhoso e coloquei-o sentado no sofá, hipnotizada por aquele membro enorme e duro ainda vestida me ajoelhei no chão e como uma puta, comecei a lamber seu mastro preto e saboroso, deslizava minha boca pelo corpo daquele pau lambendo e deixando-o todo molhado, depois abocanhava a cabeça grande e escura que tomava quase toda minha boca e sugava com força tirando e colocando de volta na minha boca soltando estalidos que deixavam meu macho negro maluco de tezao me chamando de putinha gostosa e isso me excitava demais, nunca sentira tanto o agradável sabor de macho na minha boca, ficaria mamando aquele cacete por horas se ele não tivesse me puxado para si me fazendo deitar sobre seu corpo e eu sentindo seu pau encostado na minha barriga me entreguei aos seus caprichos, agora eu era toda sua, seria sua fêmea, sua puta se quisesse, em troca queria todos os orgasmos que não tive com meu marido. Suas mãos grandes desceram para minha bunda e me apertavam com força enterrando ainda mais a tanga no meu rabo macio e carnudo, ele arrancou minha camiseta com violência e, cclocou seus lábios negros e grossos nos meus mamilos inchados e sugou com força me causando dor e muito tezao, sabia que meus peitos ficariam marcados com aquelas chupadas mais não me importava, só queria ser possuída como uma puta e gozar muitas vezes com aquele estranho que me deixava maluca de tezao usando meu corpo. Subi meu corpo sobre meu macho de ébano e oferecia meus seios pra serem chupados enquanto eu esfregava meu sexo ainda de shorts sobre aquela rola preta em cima da sua barriga gemendo desvairadamente, meus peitos estavam com manchas roxas e vermelhas e era chupado, lambido e mordido por aquela boca enorme e gulosa com lábios extremamente carnudos, eu via aquele homem estranho, feio e grande me devorando e me sentia a puta mais vadia do mundo e isso me dava um tesão incrível, minha buceta se desfazia em líquidos, minha tanga escorregara para dentro da minha xoxota e eu sentia aquele pauzao passando entre os lábios da minha vagia esfregando o tecido no meu clitóris e assim eu tive meu primeiro orgasmo com aquele negro pauzudo e delicioso. Nesse momento eu senti minha vagina como se entrasse em erupção devido as contrações e os orgasmos sucessivos, bento percebeu que eu gozava e apertou ainda mais meu corpo contra seu pau duro como ferro enquanto eu abraçava-o pela cabeça forçando sua boca nos meus seios sentindo ele sugar e morder agora com mais força ainda.As lagrimas desciam do meu rosto e não pude conter alguns soluços quando soltei meu corpo sobre o peito largo do meu negro másculo e me vi chorando de prazer. Fiquei assim largada sobre meu macho por alguns minutos sentindo meu corpo tremer e da minha xoxota senti escorrer o liquido dos meus orgasmos, eu nunca tinha sentido tanto tezao e nunca gozei tantas vezes e ainda nem ao menos tranzara com meu negro gostozo, olhei para ele e vi que estava com muito tezao mas me acariciava com ternura me permitindo descansar dos meus gozos.Olhei para seu rosto sem nenhuma beleza vi os traços mal feitos do seu rosto castigado pelo trabalho rústico e me perguntei como aquele homem feio e sem cultura pode me deixar com tamanha tara e fazer com que eu me entregasse total e tão facilmente, mas percebi que era a falta de todas essas qualidades nele que me deixava atraída e fora de mim eu queria seu lado animal e viril me devorando e usando meu corpo como um pedaço de carne me dando aqueles incríveis orgasmos.Então aproximei meu rosto do dele e Bento me segurou pela cabeça abriu aqueles lábios escuros e grandes e cobriu toda a minha boca com a sua, senti aquela boca quente envolvendo toda minha boca molhando meus lábios e meu rosto, sua língua grande e grossa entrou na minha boca lambendo e massageando minha língua me deixando novamente excitada e já rebolando naquele mastro que continuava duro como rocha e ainda entre os lábios da minha buceta,ele mordia e sugava meus lábios lambendo minha boca como se tivesse fome dos meus beijos, nosso tezao já estava novamente insuportável quando bento me fez ficar em pé e disse “mostra sua bunda pra mim dona” eu sem me importar com o seu tom autoritário virei-me exibindo meu rabo com o short todo enterrado nele, bento pegou-me pela cintura e me deu um tapa leve no traseiro dizendo “a senhora tem um rabo muito gostozo e eu vou foder a senhora como nenhum macho te fudeu” .Aquelas palavras chulas me deixaram com um tezao incrível e eu como uma prostituta empinei minha bunda em sua direção oferecendo para meu macho dizendo “depois do prazer que voce me deu merece ter tudo o que quizer de mim” .Bento pegou no meu short e puxou-o para cima com força fazendo enterrar o resto do tecido na minha bunda e me dando outro tapa na bunda agora mais forte me disse “é dona eu vou comer tanto a senhora hoje que nunca mais vai se esquecer do seu bentao, seu marido vai sentir a diferença quando chegar porque a senhora vai estar toda aberta fodida minha puta gostoza” eu me sentia mesmo uma puta sendo tratada daquela forma mas o tezao que eu sentia simplismente me fazia ser a puta daquele negro e ainda gostar daquilo. Logo em seguida bento arrancou meu short e puxou o fio dental da minha tanguinha que estava todo enterrado na minha bunda e na minha buceta,ele viu a tira da tanga molhada e olhando pra mim lambeu todo o meu gozo que estava no tecido dizendo que meu gosto de puta era delicioso, aquilo me deixou mais maluca ainda por aquele homem que em seguida disse que queria sentir mais do meu gosto direto da fonte e me puxou para ele, deitou-se no sofá e me mandou sentar em seu rosto, abri minhas pernas e desci meu corpo colocando minha buceta toda melada diretamente em sua boca depois dei uma rebolada molhando seu rosto e esperei sentir aquela língua grande e grossa lamber meu sexo em brasa. Aquela língua grossa lambia meu clitóris e entrava e saia de dentro da minha xoxota encharcada tirando gemidos alto e agudos da minha garganta, enquanto eu mesma apertava meus mamilos olhando as manchas roxas que meu negro gostozo deixara neles, eu vi o cacete negro e grande que mais parecia um mastro na minha frente e não me fiz de rogada, inclinei- me em sua direção e beijei aquela maravilha passando meus lábios e minha língua na cabeça grande e roxa deixando-a molhada e brilhante, coloquei-o em minha boca ate onde podia e apoiando em minha língua apertava com os lábios e sugava com força enloquecendo meu negrão e fazendo-o chupar com mais violência minha buceta .Senti aquele pauzao pulsando na minha boca e já estava me preparando pra sentir o gosto do meu macho na minha garganta, sentir minha boca se enchendo com a porra grossa e delicioza quando Bento rapidamente me puxou tirando aquela rola saboroza da minha boca guloza. Ele levantou dizendo “voce quase me fez gozar sua puta gostoza, vou gozar mas é dentro dessa buceta carnuda que a dona tem, vem cá foder o pau do seu negão quero encher a dona de porra” quando ouvi aquilo agarrei no seu pescoço e ergui meu corpo encaixando aquela rola dura entre minhas coxas deixando-a toda melada com meu suco vaginal e como uma vadia eu disse “então vem meu negro safado me mostra o que essa rolona vai fazer com minha buceta, fode a sua branquinha como voce deve foder as putas aí pela rua” quando Bento ouviu o que eu disse ficou maluco de tezao e me abraçando pela cintura tirou-me do chão deixando seu pau entre minhas coxas e foi caminhando para o quarto dizendo “voce é mesmo uma putinha dona, por isso vou te comer na cama do seu marido e arrombar essa vadia que ele tem em casa do mesmo jeito que eu arrombo as putas lá na zona da cidade”.Eu fiquei desvairada de tezao ouvindo aquilo e sentindo seu cacete enorme movimentar-se entre minha coxas eu respondi “eu também quero ser sua puta meu negrão pauzudo, isso mesmo me fode na cama do meu corninho e mostra pra esposinha vagabunda que ele tem o que é um macho de verdade” eu já não sabia o que dizia e sim o que sentia e era muito tezao, só queria ter aquele cacete enorme dentro de mim e ter todos os orgasmos possíveis, já não pensava em mais nada, se meu marido chegasse naquele momento teria que esperar aquele negro feio e gostoso me foder com aquele pinto gigantesco pra depois pedir a separação. Chegando no quarto Bento me atirou na cama e em seguida jogou-se sobre mim como um animal raivoso me dizendo “agora vou foder sua buceta sua puta vou deixa-la toda aberta e esporrada” em seguida abriu minhas pernas ao Maximo e encaixou a cabeça roxa e grande do seu pauzao entre os lábios de minha vagina.

Quando Bento me atirou na cama prometendo me fuder como uma puta, apesar de estar abundantemente lubrificada tive um fio de medo de ter meu sexo dilacerado por aquela rola descomunal pronta pra me abrir toda, ele como que lendo meu pensamento apesar da ansiedade foi carinhoso ao introduzir aquele gigante em mim, antes passou aquela enorme cabeça entre os lábios da minha vagina deixando-a toda molhada com meus sucos e só então forçou aquele mastro pra dentro do meu corpo tirando da minha garganta um urro de prazer e gratidão por ele estar realizando meu desejo de ser possuída por aquele mastro gigantesco.Ergui meu quadril deixando as pernas bem abertas pra facilitar a penetração e quase cortei meus lábios com os dentes sentindo aquela rola enorme abrindo meu sexo, era uma sensação que nunca senti, aquela coisa monstruosa preenchendo meu sexo por dentro, sentia a entrada da minha buceta menor que a grossura daquela coisa incrível se apertando pra me invadir, a parte do pênis colossal que estava pra fora do meu corpo aos poucos era comprimida pela entrada do meu sexo e cada centímetro que passava por ali eu sentia se abrir dentro de mim me alargando e quase que empurrando minhas carnes internas pra dentro do meu útero, quando senti quase metade daquilo dentro de mim não consegui mais me segurar a dor e o tezao eram tão fortes que num gesto suicida eu empurrei meu quadril com força contra aquele ferro em brasas que me invadia fazendo entrar mais alguns centímetros, nesse momento minhas unhas perfuraram o tecido do lençol e eu soltei o maior grito de minha vida que se fosse ouvido pelos vizinhos chamariam os policiais pensando que eu estava sendo morta ou violentada (apesar da segunda hipótese ser quase verdade)nessa hora meu quadril começou a mover-se quase que involuntariamente e eu explodi em orgasmos descontrolados me mexendo e gozando como uma vadia debaixo daquele homem enorme, meus gozos sucessivos acho que foram sentidos na cabeça do pauzao enorme do Bento por que ele também se descontrolou e sem pensar que poderia me machucar enterrou de uma vez toda aquela vara anormal dentro de mim me fazendo gritar novamente e quase desfalecer num desmaio.Recobrei totalmente a consciência sentindo aquela boca grande e quente chupando meus lábios meu queixo, lambendo e molhando todo o meu rosto como um animal raivoso e descontrolado enquanto tirava e enterrava com força toda aquela rolona dentro de mim fazendo eu me sentir oca e depois repleta por dentro, eu me sentia a maior puta do mundo e estava adorando aquele sentimento eu rebolava desvairadamente agarrada a aquele macho incrivelmente resistente e viril eu dava tapas fracos no seu rosto e no seus braços provocando-o e dizendo pra ele me foder com força como se fode uma puta e ele obedecia tirando e enterrando com mais força aquele cacete gigante dentro de mim e dizendo “ a senhora é, mesmo um vadia dona, seu marido não sabe mais tem uma puta das mais vagabundas dentro de casa” e continuava castigando meu sexo bombando aquela tora dentro de mim me fazendo gozar como uma louca, lambendo e mordendo minha boca e meu rosto colando seu corpo suado no meu me xingando o tempo todo, fazendo eu me sentir uma verdadeira puta e isso me dava cada vez mais vontade de ser a vadia daquele macho gostozo e viril, e ele continuava dizendo “ vamos rebola sua putinha, rebola no pau do seu macho, vou foder essa buceta todo dia ate o corno do seu marido voltar e ver que vc é mesmo uma vadia e esta toda arrombada pelo pau de um macho de verdade” ao invés de eu ficar zangada por estar sendo tratada como uma vagabunda eu adorava cada vez mais ser xingada por aquele negro desbocado que me humilhava e me dava prazer ao mesmo tempo.Quando comecei a ter mais um orgasmo eu me agarrei naquele corpo grande e suado e alucinada pelo prazer eu dizia “ isso meu negro gostoso fode sua puta com força que eu vou gozar mais uma vez nesse cacete delicioso, enterra ele todo em mim que eu quero gozar com ele inteiro dentro de mim me machucando lá no fundo meu macho gostoso” e meu negro obedeceu enterrando toda aquela tora em mim com mais rapidez e violência e quando comecei a gozar senti um jato forte quente e grosso no fundo da minha buceta me fazendo gozar aos berros com mais intensidade ainda, sentia aquele liquido enchendo minha vagina como se fosse litros de porra despejando dentro de mim fazendo minhas carnes se abrirem mais ainda sem ter vazão deixando minha buceta cheia com o gozo do meu macho, aquele liquido quente queimava meu sexo por dentro e eu queria que nunca acabasse aquela sucessão de orgasmos que eu estava tendo rebolando com rapidez e num eterno desvairio agarrada ao meu homem. Aquela deliciosa loucura terminou quando aquele negro desconhecido mas que me dera tanto prazer desabou sobre mim vencido pelo enorme gozo que despejara dentro da sua fêmea, eu debaixo daquele homenzarao ainda tremia com espasmos do ultimo e incrível orgasmo sentindo seu pau ceder e diminuir dentro de mim, ficamos assim por algum tempo ate que ele resolveu erguer-se e tirar agora um pouco flácido aquela deliciosa ferramenta que me dera tanto prazer, quando sua rola saiu de dentro do meu sexo eu senti um grande vazio e em seguida o liquido do seu orgasmo escorrer de dentro da minha vagina molhando meu anus, ele em pé entre minhas pernas abertas olhando meu sexo todo dilatado e vermelho, levou sua mão grande e grossa e começou a espalhar seu gozo por toda a minha vagina e meu cuzinho empurrando a ponta do seu dedo grosso pra dentro dele tirando um ai da minha garganta já deixando claro qual seria sua próxima “maldade” em um reflexo rápido eu pulei para traz no colchão e disse “isso nunca, vc não vai por esse monstro dentro do meu rabo de jeito nenhum, por que senão vou parar em um hospital” e ele sorrindo como que zonbando de mim em um gesto rápido me agarrou e me levou ate seu peito largo me obrigando a enlaçar seu corpo com as pernas e me disse “olha dona, quando eu fodo uma puta como a senhora eu fodo de todo jeito e como eu quero” e dizendo isso foi me levando em direção ao banheiro ouvindo todos os meus protestos sem se importar, apenas ria. Tomamos um banho demorado onde ele me ensabou chupando meus peitos e me beijando o tempo todo com aquela boca carnuda e enorme e depois me deixou ensaboa-lo também e me fez ficar de joelhos como uma putinha e novamente mamar deliciosamente aquela rola saborosa pela qual eu já estava entregue e apaixonada, eu chupei lambi e mamei gulozamente aquele mastro como se fosse a mais deliciosa fruta mas o Bento não me deixou sentir o gosto do seu gozo e me fez parar antes do orgasmo e fomos para a sala. Fizemos um lanche leve enquanto assistíamos tv e o Bento me mantinha o tempo todo em seu colo como uma criança e aquela rola quente e deliciosa entre minhas pernas já deixara meu sexo encharcado novamente a ponto de molhar a perna do meu negro, Bento percebendo meu tezao levou sua mão na minha xoxota e dois dos seus dedos escorregaram com facilidade pra dentro dela pois ele tinha me arrombado com sua pica enorme, tirou os dedos melados com meu tezao e disse “acho que a dona já ta querendo a rola do seu negrão de novo, não é?” Eu olhei pra ele e sorri, mas nessa hora eu devo ter feito a cara de puta mais deslavada desse mundo porque senti seu pauzao crescer entre minhas coxas como passe de mágica e ele me atacou com beijos e mordidas como um louco esfregando meu sexo com a mao com um pouco de violência.Me tomou no colo e me levou pra cama novamente e como da outra vez me atirou no colchão e começou a me devorar com sua boca grande e carnuda, sugava meu sexo com força me arrancando gemidos altos, mordia minhas coxas me deixando maluca de tezao, mordia e chupava com força minha bunda deixando marcas enormes quando derrepente virou meu corpo me deixando de bruços e enfiou sua língua na minha bunda e começou a lamber meu anus, eu já sabendo da sua intenção tentei me livrar dele mas ele me agarrou pelos braços e afundou mais ainda sua boca no meu rabo e eu comecei a protestar “para com isso seu desgraçado, vc não vai comer meu rabo seu puto, para com isso vc vai me machucar com esse pauzao, para com isso desgraçado, para, para, isso que delicia, para seu maldito, vai lambe, ta gostoso, enfia a língua, que delicia, seu puto gostoso fode meu rabo com essa língua” A partir daí eu estava entregue novamente esqueci a conseqüência de ser enrrabada por aquele pau monstruoso e empinava a minha bunda pra ter meu anus chupado e explorado por aquela língua quente e grossa que estava me matando de tezao.Sua língua saiu de entre minhas nádegas lambendo meu anus largamente e foi subindo pelas costas, começou a morder meus ombros e meu pescoço me fazendo empinar mais ainda meu rabo que se ofereceu mais abertamente para aquela rola incrivelmente dura e reluzente, quando senti a cabeça grande e quente encostar no meu anus, como antes o medo me fez tentar fugir da penetração, então Bento enfiou sua língua molhada no meu ouvido e me disse “relaxa esse rabão gostoso minha putinha, assim vc vai sentir mais prazer quando minha rola abrir essa bunda gostosa da minha vadia” Aquela voz grossa dizendo palavrões no meu ouvido me deixou encharcada de tezao e querendo ser mais uma vez arrombada por aquele macho rústico, eu já fizera muito sexo anal quando solteira mas nunca fora enrrabada por um cacete tão grande e grosso, mas estava disposta a ser possuída por aquele mastro enorme e me sentir totalmente realizada dando o Maximo de prazer a aquele homem e gozando como nunca gozei, então empinei o Maximo que pude meu rabo e esperei ser aberta ao meio prometendo a mim mesma agüentar ate o fim os caprichos daquele homem que eu tanto desejei durante o dia todo. Senti a cabeça grande e quente encostar no meu rabo molhado pela língua de Bento e estremeci de medo e tezao aquela coisa dura como ferro foi sendo forçada pra dentro de mim e eu senti uma dor terrível gemia de dor sufocando meus gritos com o travesseiro e suportava aquilo no limite das minhas forças,ao contrario de antes, dessa vez Bento não teve pena ouvindo meus gemidos e continuou empurrando aquele monstro na minha bunda como que querendo e gostando de arrombar meu rabo, senti com alivio a cabeça do seu pau entrar no meu cuzinho e mexi minha bunda sentindo aquela cabeçona movimentar-se dentro de mim. Bento endireitou o corpo e me deu um forte tapa na bunda me dizendo “ empina mais essa bunda sua putona que agora que eu vou começar a te enrrabar minha vadia gostosa” como antes, aquelas palavras me excitaram e eu obedeci empinando mais meu rabo para aquele negro que mais parecia um cavalo com aquele pau imenso arrombando minha bunda, agora ele enterrava com mais força aquele mastro no meu rabo, eu gritava e tentava escapar, e ele me segurava pela cintura e quanto mais eu me debatia mais aquela rola imensa entrava em mim se alojando no meu rabo cada vez mais fundo, agora eu gemia e chorava sentindo um misto de dor e tezao, as dores eram fortes mas o tezao era imenso, eu nunca sentira uma coisa tão dolorida e tão gostosa ao mesmo tempo e comecei a me entregar de uma só vez e gozei a primeira vez com aquela coisa no meu rabo. Bento então pegou-me pelos cabelos e começou a enterrar aquela vara sem nenhum intervalo na minha bunda e eu vi estrelas, não conseguia respirar e nesse mesmo momento me veio um gozo violento e eu desabei meu corpo sobre a cama e nesse movimento de deziquilibrio Bento caiu sobre mim e seu cacete enterrou todo de um vez no meu rabo me levando quase ao desmaio novamente.Ficamos assim parados por alguns instantes e eu senti a dor diminuir e me acostumei com aquela vara enorme dentro do meu cuzinho e instintivamente dei uma rebolada que fez meu negrão voltar a me currar. Ele começou com movimentos lentos, depois foi acelerando a dor não incomodava mais e o tezao foi tomando conta de mim e de quatro como uma cadela gemendo e rebolando eu dizia aos berros “ vem meu negão me fode, fode com força o cú da sua puta, me faz gozar com essa rola enterrada na minha bunda, arromba meu rabo e me faz gozar como uma vagabunda” Aquelas palavras deixou meu macho alucinado e como um animal enlouquecido ele começou a me enrrabar violentamente, tirava todo o pauzao pra fora e depois enterrava novamente arrancando urros animalescos da minha garganta, a dor daquela vara abrindo meu anus se tranformava em prazer quando seu saco batia na minha buceta deixando ele todo molhado com meu gozo, eu estava completamente fora de mim, os tapas fortes na bunda me deixavam mais alucinada de tezao e eu rebolava mais ainda naquela vara que arrombava meu cuzinho sem dó nem piedade, eu me sentia a maior puta do mundo e ainda provocava meu macho dizendo “ vai seu puto safado, fode meu cu, arromba minha bunda me faz gozar como uma vadia, eu quero essa vara toda dentro do meu rabo, vem seu frouxo quero ver vc machucar minha bunda de tanto me foder quero ficar com meu rabo todo arrombado seu puto desgraçado” Isso deixava Bento enlouquecido que fodia meu cuzinho com uma violência anormal surrando minha bunda com tapas que doíam como palmatória, a dor me dava mais excitação e eu rebolava como uma desvairada pra sentir seu cacete me machucando o anus e para provoca-lo e fazer ele me currar como a um animal, eu já não sabia quem eu era, só queria ser arrombada e desmaiar de tanto gozar . Então os orgasmos começaram, eu gritava como uma cadela sentindo minha xoxota escorrer com meus gozos, o saco de Bento estava todo molhado batendo contra minha buceta encharcada, eu não parava de gozar, na posição em que eu estava de quatro meus braços ficaram fracos e eu caí com o rosto sobre a cama sentindo minha barriga tremer e meus gozos escorrerem pela minha buceta, Bento me vendo na nova posição enterrou mais fundo ainda seu pau dentro do meu cuzinho e urrando e suando como um animal começou a gozar dentro do meu rabo e me dando fortes tapas na bunda gozava e me xingava de puta, vadia, vagabunda e piranha pra depois cair sobre mim bufando com a respiração acelerada e cansado como se tivesse saído de uma batalha acirrada.Ficamos entregues ao cansaço por muito tempo quase imóveis, e depois de tomarmos banho ele me beijou varias vezes e disse que puta como eu nem na zona da cidade ele conhecia igual, não sei porque mais fiquei orgulhosa com aquilo. Dormi aquela noite pensando em tudo o que acontecera e estranhamente não tive nenhum remorso por ter traído meu marido, achei que tinha merecido ter todo aquele prazer e prometi a mim mesma que teria tudo aquilo de novo. No outro dia Bento chegou para a capina e me tratou com naturalidade e respeito o que me deixou confusa, esperei algum tempo e desci para o quintal com outro short atolado no rabo para ver sua reação, fiquei com raiva ao ver que ele me tratava normalmente e fiquei andando pelo quintal ate que passei bem próximo dele, então ele me pegou pelo cabelo engoliu meus lábios com sua bocona grande e macia me deixando cheia de tezao e me disse autoritariamente“tira essa roupa de puta agora sua vadia” eu assustada e confusa mas com tezao obedeci, tirei o short e a camisetinha que usava e fiquei só com uma mini tanguinha ensopada de tezao, então Bento me olhou de cima a baixo e disse “enquanto aquele corno do seu maridinho não voltar vc vai ser a minha puta e vai andar aqui no quintal o dia todo como uma vadia, só de tanga e eu vou te comer a hora que me der vontade, ouviu sua vagabunda?” Aquilo me deixou com tamanho tezao que quase eu gozei ouvindo o que Bento dissera, aquelas palavras pra mim não eram nenhuma humilhação e sim todos os meus desejos realisados. E assim foi todos os dias, como já disse no conto anterior, minha casa tem muita privacidade com muros altos e portões bem fechados, então eu andava como meu macho de ébano mandou, somente de tanguinhas tão vulgares que nem uma puta usaria, as vezes quando eu levava o almoço para o Bento ele almoçava olhando para o meu corpo e depois tirava seu enorme e delicioso cacete pra fora e me dizia “vem cá minha puta gostosa, chupa a rola do seu negrão que eu tenho que relaxar depois do almoço pra trabalhar depois” e eu como uma vagabunda sentava no chão de terra entre suas pernas e mamava gulozamente aquela pica deliciosa ate meu macho negro esporrar todo o seu gozo na minha cara de puta na minha boca e nos meus peitos, depois ele espalhava com a mão o seu esperma pelo meu rosto e meus seios e as vezes me mandava ficar assim toda melada até a tarde dizendo que eu tinha que ficar com o cheiro do macho que era meu dono. Quando chegava a tarde subíamos para a minha casa tomávamos banho e ele me fodia de todo jeito me fazendo ser sua puta me comendo do jeito que ele bem entendesse esporrando no meu corpo todo. Bento passou a trabalhar em nossa casa em tempo integral a meu pedido e era só meu cornao viajar que ele passava a ser o meu dono, uma vez ele me levou em um sitio longe da nossa cidade para nadarmos em uma cachoeira e lá eu tive a deliciosa surpresa de ser dividida por ele com mais dois amigos seus, foi uma experiência inesquecível, eu gozo ate hoje só em pensar. .Infelizmente fomos obrigados a mudar de estado devido ao trabalho do meu marido e eu perdi contato com o meu delicioso Bentão, hoje não procuro mais ninguém pra ser meu dono e me fazer de puta por que penso que a sorte não sorri duas vezes, por isso vou gozando aqui sozinha enquanto revelo pra vcs essas minhas aventuras, espero que tenham gostado e em breve mandarei outras, beijos nos cacetes que ficaram duros com meu conto e gozem em minha homenagem, pois sou uma puta vadia que adora fazer meus machos gozarem, tchau meus amores, mandem suas criticas e sugestões uma puta como eu esta ABERTA a tudo,tchau...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
10/09/2009 12:25:11
Muito boa... me procura le os meus bjos me da seu email
25/05/2009 22:52:29
Voce eh uma delicia, as palavras que usa, nossa como parece ser tesuda, esporrei gostoso, jorrei muito leite por voce, adoraria te foder de bruços, vc rebolando esse rabo macio na minha piroca tesuda e inchada, latejando... queria te encher de porra, mulher, alternar varias metidas no seu rabo gostoso e na sua boceta quente... me escreve tesao, to tarado por voce!!!
gilson
17/07/2005 01:01:30
Puta que pariu! estou digitando só com uma mão e a outra tá batendo uma deliciosa punheta prá você desde a hora que você levantou o shortinho fazendo este rabão lindo desfilar para o negão. P arabéns para os dois e continue dando o cu, a buceta e chupando bastante pica por aí, quem sabe seu marido não descobre e até lhe incentiva, assim você vai poder dar com mais liberdade. manda um email fêmea no sentido mais puro da palavra. Um beijão nessa bucetona arrombada
NINGUEM
01/06/2005 17:37:09
ATE AGORA O MELHOR CONTO,PARABENS!
KID MORANGUINHO
19/08/2002 06:00:53
EU GOSTARIA MUITO DE VER UMA FOTO DE UMA MULHER TÃO TEZUDA COMO VC. SE FOR POSSIVÉL, ME MANDE UM E-MAIL QUE EU MANDO O NUMERO DE UMA CAIXA POSTAL. BEIJOS E PARABENS.
LEONAM
14/08/2002 12:12:21
bom!!!!
Universitario
08/08/2002 14:06:52
quero te conhecer e te fuder toda,ja que vc esta sem um macho a sua altura, me escreva. beijos nesse rabao arrombado.
Lili
03/08/2002 19:25:19
Muito bom, gozei varias veses
Morfeu
02/08/2002 09:31:18
Um dos melhores contos do site!
carreteiro
01/08/2002 06:48:35
mande a resposta p mim sua gostosa, responde por aqui mesmo oque volto p ver ok
carreteiro
01/08/2002 06:47:00
o conto eh bom mas muito longo e cansativo de ser lido, mas bom e se quiser uma rola dura to aqui, e adoro comer uma puta como vc, arrombar seu cuzinho gostosa
Roberto
01/08/2002 00:46:17
Sua gostosa




Online porn video at mobile phone


bucetao na boca contomulheres gordas olhando homem negros Andarilho mijandocontoerotico eu,namorada, minha mae e tio jorgecontoerotico namorada e mae putas do tio jorgeContos sobre beijos e podolatriaContos eriticos .como virei escrava do vizinhonegaocomebuceta irma outra irma prexaxvideo oadrato olha etiada domino i depois comi elaBundinha lisinha da filhinhanegao roludo aregassando o cu da travestis de 20 anos nno motel pornodoidoesyrupou a novinha sem dó vídeos pornominha irma me pegou batendo punheta e contou pra minha mae acabou que teve que transar comigogaroto punheteiro garanhao curral xvideorabuda de calça apertada limpando estanteempreggadas tesudas escitando patrao no youtubefotos menina de 15anoa mostrando agozada na busetamulher casada d vicosa mg d calca apertada na bucetaksalswing2011mulheres de 28 anos com muito tesão só puxa calcinha de lado pró kidbengala meteporno contos casal de inquiliocontos eroticos gay viciado cheira e chupa pal sujowww.xvideos emprevisto pra foderconto erotico boquete bokete mamadaPorno idora com boca e cu cheios de esporragradona abusa do magrelox videosgordinha griluda seno curiada pelo padrasto no banhonovinha.commamano no banheiroxvidios outros puraividei de porno de novinha magrinha tira o cabaço do novinho casaroloiras gordas da bocetona grande e peitos muchos chorando pra nao da o cubuceta pornoulhe na praia com fio dentalmeu dog gigante tirou meu cabaco chorei doeu mas contosó as novinhas dando o c****** na maletinhacoletanea dechupada no pau ate goza aboca cheia de porracomo amasiar um bum-bum super sexovídeo caseiro esposa transando com boneco que tem o pênis da grossura de uma Coca com garrafa de coca-colahomem comendo novinha de quatro puxando pela cintura metendo a vara e g*************contos de incesto irmao assistindo tv com a irma novinha e comendo ela abracado por trasvideos provocado meu cunhado do pau grande setei em cimadebbrasil pornocompetição de nudismo pintudos mais cabeçudoconto erotico gay negao dominador gosta de maltratar viado brancofotos voyeur mulheres de bruços de calcinha boxercobradora gostosa pegando no pau do pasageiro xvideo.comPornodoido arrebatdaspornodoido mulher sentando em um vibracall na sua camachantageei e comi minha avo contocontos com fotos a safadinha da minha entiada queria rola metir nela sem doshortes colado tatuape xvideocontos eróticos minha mãe me obrigouPeguei minha prima usando uma lingerie branca transei com ela gostoso até gozar na bocaeu com 28 anos de idade minha noiva linda e gostosa com 20 anos de idade ela casou comigo virgem da sua buceta e virgem do seu cu eu e ela na nossa noite de núpcias eu dei um abraço nela eu dei um beijo na boca dela eu tirei seu vestido de noiva ela deitou na cama eu comecei a chupar seu peito eu disse pra ela sua buceta virgem raspadinha e linda eu comecei a chupar sua buceta virgem ela gemia ela gozo eu disse pra ela chupar meu pau ela pegou no meu pau ela disse pra mim você tem um pauzao ela chupou meu pau ela disse pra mim pra eu mete meu pau bem devagar na sua buceta virgem eu disse pra ela eu vou tirar sua virgindade da sua buceta com carinho eu fui metendo meu pau na sua buceta virgem que sangro eu comecei a fuder sua buceta ela gozo ela disse pra mim eu quero dar meu cu virgem pra você conto eróticoso fotos de gueis novihos dotadosfudeu a cunhada madura gostosa cherando droga no quarto delamillasissynovinhas safda.encheu a buceta.de sabao liquido.para se sartisfazerEroticoscontos.com /casadas 25cm duplcontos de incesto cumadremartinha safadinhacontos eroticos depois da balada em osasco 11/2016contoerotico negrinhoscontos eróticos família roludovizinha fudendo na hora do almoçoconto erotico gay negao pirocudo maltrata viado brancoporno descarado peguei minha filha batendo uma siriricacontos eroticos de pescadores velhos iperdotados comendo meninosContos de caseiros negros idoso bem dotado comendo cu de patroas brancascalsinha molhada fotos de bumdas boamorena de 58kg dando a bucetaBuceta parecendo um cupim deu boicasadindo novo dando o cu e esposa vendo xvideodezejo ver corpo nua de uma mulher que nuca teve sexo baixar grátis vídeos pornô lésbicas gemendo grostoso e esfregando buceta com buceta molhadinhas até gosarminha mae so' andava de roupao contos eroticosconto erótico corno bi